Carioca Evangélico: Segunda rodada acontece nesse sábado, dia 23, no Pau Ferro FC

Redação Campus Esportes

Nove jogos agitam a segunda rodada do Carioca Evangélico nesse sábado no Pau Ferro FC. Confira aqui uma análise da rodada.

RARIDADE X VIVENDO EM TRIUNFO

Campeão invicto do Torneio de Inverno e tendo tido uma ótima estreia, o Vivendo em Triunfo entra nessa partida com amplo favoritismo, mas terá um Raridade mais maduro e encorpado pela frente. O time de São João de Meriti, apesar de ter sido goleado na estreia, deu sinais de que pode fazer o melhor Carioca de sua história, mesmo estando dentro de um grupo tão difícil, chamado de “Grupo da Morte”.  Para vencer o rival de Belford Roxo, precisa se superar, pois seu oponente é considerado um dos postulantes do título.

MR FC x UNIÃO IBV FC

As duas equipes tiveram uma ótima estreia, mas o União IBV, além de vencer, apresentou um grande futebol, compacto, de forte marcação e teve o craque da rodada, Cleiton. Talvez isso seja credencial suficiente para dar ao time de Paciência o favoritismo nesse duelo. Porém, o MR FC se mostrou uma equipe muito forte e fez grande partida no empate com o Valentes de Cristo, principalmente na questão individual, com grandes valores. Deverá ser um jogo mais difícil para ambos do que foi na estreia.

MACAÉ X IBP FC

O IBP FC é outro time que começou muito bem o Carioca e entra com o favoritismo para essa partida contra o Macaé FC, que foi o grande derrotado na primeira rodada ao tomar dez gols do Talentos da Fé. Com um jogo bem definido em cima de um esquema dinâmico e clássico do society, o IBP manteve o ritmo nos dois tempos diante do Galáticos da Catedral e se mostrou bem equilibrado. Ao Macaé vale uma total reflexão para entrar dessa vez e tentar reverter a má impressão da rodada inaugural.

BURLEY X GALÁTICOS DA CATEDRAL

Beneficiado por um erro do Ousadia, que escalou jogador de forma irregular, o Burley acabou ganhando os pontos do jogo, que foi 2×2. Na partida, o time roxo esteve mais perto da vitória que o adversário e teve melhor desenvoltura que o Ousadia. O Galáticos começou perdendo, mas tem a seu favor a tradição e a experiência. É bem difícil definir um favorito no jogo, mas, pelo futebol da primeira rodada, isso cabe ao Burley. Mas os meninos da Catedral prometem entrar com tudo para se recuperarem na competição.

ISRAEL DA BOLA X VALENTES DE CRISTO

O atual campeão do Carioca faz sua estreia nesse sábado, pois não jogou a primeira rodada devido a outros compromissos. E não tem como não atribuir à equipe o favoritismo nesse duelo. Por mais que o Valentes seja realmente valente e uma ótima equipe, o Israel da Bola está num patamar acima e, pela lógica, deve vencer o duelo. No entanto, futebol se decide dentro de campo e o Valentes já mostrou ser um time brioso e de muita qualidade e deve vender caro a derrota ou, quem sabe, barata a vitória.

GDC x Resgatando Ovelhas

O GDC sempre foi uma equipe de força no Carioca, mas estrear metendo 5×0 no Missionários, time bicampeão da competição, foi algo de deixar os holofotes do torneio voltados para a equipe da United, do Centro de Caxias. O favoritismo vem por isso e pela maior experiência frente ao Resgatando Ovelhas, equipe que, mesmo derrotada, deixou ótima impressão na sua estreia. O RO vem de Olavo Bilac, portanto, um clássico da cidade de Duque de Caxias. Promessa de bom jogo.

OUSADIA X TALENTOS DA FÉ

As duas equipes se enfrentaram pela segunda rodada do Torneio de Inverno, no dia 29 de julho, e o time de Jacarepaguá venceu por 3×2. No entanto, foi o time da Tijuca que se deu melhor na competição e acabou chegando à final, onde perdeu o título para o Vivendo em Triunfo nos pênaltis. Agora, pelo Carioca, o Talentos leva o favoritismo pela ótima estreia e por estar com o time ainda mais compacto que o da edição passada; já o Ousadia perdeu alguns jogadores e, junto com eles, um pouco da força.

PROJETO IDE X BARCELIFE

O Projeto IDE faz sua estreia nessa rodada, pois enfrentaria o Israel da Bola na estreia e o jogo foi adiado. Por isso nesse jogo não teremos indicação de favorito. Sobre o Barcelife, a equipe de Piedade fez um jogo de dois tempos na derrota para o União IBV FC. No primeiro, jogo muito bom, equipe ligada, jogando para frente. No segundo, um time sonolento, com muitos erros. Qual Barcelife atuará nesse sábado?

PARTIDÁRIOS X MISSIONÁRIOS

Jogo histórico. Apesar de na final da 3ª edição o Missionários ter levado o título em cima do Partidários, o jogo foi empate e a taça foi levantada depois da disputa de pênaltis. E nas outras duas partidas entre as equipes deu Partidários. Agora, nesse quarto encontro entre os dois times, o favoritismo é do time de Bento Ribeiro. Se o Missionários quiser a primeira vitória sobre o rival e se recuperar na chave, vai precisar fazer tudo diferente da estreia, quando foi goleado. Um grande jogo.

União IBV FC tem grande atuação e derrota Barcelife na estreia do Carioca Evangélico

Por Izabela Vieira

Aconteceu neste sábado, 16, em uma tarde de sol, a primeira rodada de jogos da 5° edição do Campeonato Carioca Evangélico. A partida entre as equipes do Barcelife, representante da Igreja Nova Vida (Life) de Piedade  e União IBV, que representa a Igreja Batista da Vitória de Paciência, ambas do grupo A, foi a penúltima realizada no Pau Ferro FC, na Freguesia, em Jacarepaguá. Apesar de uma grande disputa, o União não perdeu tempo e entrou com o pé direito no campeonato com a primeira vitória na competição sem muitas dificuldades por 3×1 e garantindo a primeira posição da chave com três pontos.

Estreantes no Carioca, União e Barcelife fizeram um início de jogo bem disputado. Normalmente toda estreia é nervosa, os times sentem a pressão, mas as equipes pareciam veteranas tamanha desenvoltura dentro de campo. Com estilos de jogo semelhantes, os dois times apostavam no toque de bola e mantinham uma forte marcação no setor de meio campo, o que deixava o jogo mais profundo pelas laterais. No entanto, por mais que se tente falar do jogo coletivo, o primeiro gol do duelo não deixa; afinal de contas, ele nasceu de uma linda jogada individual de Cleiton, autor do primeiro gol do União IBV na partida. 1×0. O Barcelife não sentiu o revés, pelo contrário, continuou atuando à sua maneira. O equilíbrio era nítido na peleja, assim como a qualidade das duas equipes. O gol do Barcelife fez justiça ao primeiro tempo e colocou igualdade no placar. O camisa 11 do União, Cleiton, foi o grande destaque da primeira metade do jogo.

No segundo tempo o União IBV demonstrou superioridade no jogo e construiu sua vitória se aproveitando, também, dos erros do Barcelife, que não conseguiu se encaixar no jogo e repetir a boa atuação da etapa anterior. O time de Paciência voltou ainda mais desenvolto e seus jogadores pareciam inspirados. Logo no início, como no primeiro tempo da partida, o União saiu na frente do placar, com o segundo gol de Cleiton. Se antes o Barcelife não havia sentido o revés, dessa vez a história foi outra e o segundo gol do adversário parece ter atrapalhado a vontade da equipe de Piedade de virar o duelo. Até tentou, se esforçou, mas sem sucesso. O IBV estava ainda melhor no segundo tempo, marcava muito, tinha bom toque de bola, um jogo bem dinâmico e fazia por merecer a vitória. No final da partida, para fechar com chave de ouro a atuação do time da Zona Oeste, o camisa 9, do União, Leonardo Oliveira, com assistência do colega Renan, também Oliveira, marcou o terceiro gol para o União IBV, garantindo a vitória da sua equipe. 3×1. O destaque do jogo foi o camisa 11 do União, Cleiton.

A vitória deu a liderança isolada do grupo A ao União IBV, já que o outro jogo da chave foi empate e o outro, adiado. Na próxima rodada a equipe tenta a segunda vitória e enfrenta o MR FC. Já o Barcelife tenta a recuperação diante do Projeto IDE.

Após empate, Burley F7 ganha pontos do jogo por punição dada ao Ousadia.

NR: O Ousadia foi punido pela escalação irregular do jogador JANIELISSON FIGUEIRA ALVES, que não estava inscrito e se fez passar pelo jogador RAYAN BRENO DELGADO FIGUEIREDO, esse inscrito mas não presente. O jogo que foi 2×2, passou a ser 2×0 para o Burley. A crônica da partida foi mantida na íntegra abaixo em respeito ao cronista e à equipe do Burley.


Por Lucas Bichão

O clima no campo para a abertura da mais nova edição do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas 2017 era quente e prometia bastante agitação. Ousadia e Burley F7 estavam dispostos a sair com a vitória das quatro linhas, mas nenhuma das equipes demonstrou habilidade para conseguir os primeiros três pontos. O empate deixou a sensação de que os times precisam melhorar para o decorrer da competição se quiserem sonhar mais alto.

Enclausurados em uma quadra semelhante a uma gaiola, a partida teve um início quente e bem estressante. Ao invés dos estudos preliminares, comum em primeiras rodadas de competição, Ousadia e Burley se enfrentaram como guerreiros em lados opostos de uma batalha épica. Encontrões e entradas mais duras não eram raras, mas por sorte nenhuma lesão grave pôde ser presenciada.

A falta de gols no primeiro tempo se deveu muito a ineficácia de finalização de ambas as equipes. Não foram poucas as chances perdidas, em algumas delas os atacantes ficaram cara a cara com o goleiro e desperdiçaram com categoria. Ninguém poderia se dar ao luxo em perder tantos lances, mas o ponto positivo é que as chances estavam sendo criadas.

Cada jogada do Ousadia era recebida com muitas palmas pelo banco de reservas do time, esse incentivo que também veio no primeiro gol da equipe. O camisa 7, Carlos Vinícius, teve tranquilidade para abrir o placar e ser devidamente aplaudido pelos seus companheiros. O Burley não deixou barato e fez o seu primeiro tento não muito depois, com Carlos Eduardo.

Quem conhece o clima de La Bombonera, ou ao menos já viu um jogo do estádio pela televisão, deve saber que o campo se parece com uma grande prisão, que intimida os adversários do Boca Juniors. Em dados momentos da partida, o pequeno campo Society assemelhava-se muito ao conhecido estádio argentino, oferecendo uma sensação de enclausuramento e claustrofobia.

No início do segundo tempo, Ousadia e Burley estavam sobre alta pressão. O jogo foi ficando cada vez mais pegado, como uma partida sul-americana. Essa comparação não torna o jogo mais bonito de ser visto, mas são válidas para demonstrar a garra e o empenho demostrados em campo. Os lances foram ficando raros, mas mesmo assim o Ousadia conseguiu se colocar na frente do placar mais uma vez. Após contra-ataque, Patrick Melo guardou o seu e garantiu o título pessoal de Jogador da Partida.

As faltas, que foram tão frequentes no jogo, acabaram sendo decisivas para o placar final. Ao totalizar 6 infrações cometidas, o Ousadia cedeu ao Burley o direito de Shoot Out. João Vitor foi para a cobrança com responsabilidade e não precisou de muito para tirar do goleiro e empatar a partida.

Nesse clima de muita garra e pouco futebol, o empate em 2 a 2 ficou barato para ambas as equipes. Ainda é cedo para falar do futuro desses times na competição, mas vai ser preciso maior concentração se quiserem buscar ao menos uma vaga na próxima fase do Carioca Evangélico.

Na próxima rodada o Ousadia enfrenta o Talentos da Fé e o Burley pega o Galáticos da Catedral.

 

Partidários inicia luta por título tão sonhado do Carioca Evangélico com goleada sobre o Raridade

Por Lucas Bichão

O Partidários iniciou muito bem a sua campanha na 5ª edição do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas, em jogo onde não tomou conhecimento do Raridade e aplicou uma goleada de 5 a 0. Os três pontos são importantes para o começo na competição, ainda mais para um time que bateu na trave em suas duas últimas participações no Carioca.

O jogo foi realizado em uma bolha imaginaria onde a paz e a tranquilidade reinaram durante boa parte do tempo de bola rolando. Enquanto nos campos vizinhos, e até mesmo nas partidas de outros horários, as confusões aconteciam de forma constante, Partidários e Raridade se enfrentaram de forma leal e pouco elevaram os ânimos.

Muita qualidade pôde ser vista por conta dos dois times, ainda mais no início do jogo. Com o vigor em dia, as equipes faziam a bola correr com muita velocidade e não faltavam tentativas à gol, essas paradas com belas defesas de ambos os goleiros ou salvas pela trave. O primeiro tempo foi bem parelho, com destaques para Di Maria, camisa 10 do Partidários, que estava sempre a tentar algo diferente. O 10 do Raridade, Douglas, também chegou a honrar seu número, mas não teve o mesmo peso que o adversário.

Para aqueles que dizem que as sobras devem ser jogadas ao lixo, o futebol mostra que desperdício é algo que nunca deve ser feito. Pierre compreendeu essa questão e mandou um belo chute para as redes após a bola parar em seu pé ao acaso. Logo depois do primeiro tento, Di Maria ampliou o placar para 2 a 0, ao tabelar com Rodrigues. No fim do primeiro tempo, já era possível ver um abismo entre as equipes, principalmente devido ao cansaço que era causado pela tarde quente no campo de Society.

Com a volta para o segundo tempo, o lado esquerdo do Raridade passou a inexistir. Não havia qualquer trama ofensiva por aquela faixa de campo, algo que sobrecarregou a lateral direita, esta que via seus jogadores ainda mais exauridos. Pode-se dizer que a equipe de vestes verdes perdeu mais para o próprio corpo do que pela habilidade em si, bastou o Partidários passar o carro por cima para finalizar a partida.

Após bom passe de Diego, Pierre marcou mais um para a sua equipe, fazendo o 3 a 0. Depois, foi a vez de Di Maria servir o pivô, este que fez o quarto gol em contra-ataque fulminante. O Raridade ainda tentou, acertando a trave, mas foi o Partidários quem finalizou com o placar, dessa vez com um tento do camisa 10.

Apesar da derrota, o Raridade demonstrou evolução se comparada com às outras competições na qual disputou. Agora, basta saber se esse crescimento servirá de algo para disputar uma vaga em um dos grupos mais complicados do Carioca Evangélico de 2017.

Na próxima rodada o Partidários encara o Misisonários, na reedição da final da 3ª edição do Carioca, quando o time da Baixada Fluminense foi bicampeão.       Já o Raridade enfrenta o Vivendo em Triunfo.

Em grande jogo, IBP FC estreia no Carioca Evangélico com vitória sobre o Galáticos da Catedral

Por Josy Figali

Dois times de muita garra se enfrentaram na primeira fase do Campeonato Carioca Evangélico, no campo do Pau de Ferro em Jacarepaguá. Galáticos da Catedral e Igreja Batista Pentecostal Futebol Clube (IBP FC) deram um show do começo ao fim, com uma partida repleta de emoções que encantou até quem não curte futebol. Não dava para desgrudar os olhos do campo. Foi praticamente impossível não vibrar a cada jogada.

Uma disputa verdadeiramente rica em lances, dribles, pedaladas, surpresa, ousadia e raça. Logo nos primeiros minutos de jogo o Galáticos mostrou domínio com dois gols seguidos, um de Kelvin e outro de Léo Galrão, ambos com assistência do camisa 33, Luiz Henrique, e de fora da área. O que gerou uma certa confiança no time, que se mostrou inicialmente calmo, concentrado, técnico e pautado, apostando em jogadas individuais e ensaiadas. Mas não demorou muito para que o IBP FC começasse a reagir. Apesar das falhas do começo, tentativas desesperadas de chute a gol, antecipação e falta de interação que são provenientes da inexperiência em campeonatos. O técnico teve essa percepção e fez alterações na estrutura da equipe, escalando o camisa 3, Rômulo Araujo, apelidado de Xerife e que já atuou em times como Vasco e Caxias. O atacante deu um levante à equipe de Ricardo de Albuquerque participando de todas as jogadas principais e destacando-se. Foi quando o IBP FC fez seu primeiro gol com o camisa 19, Fábio Luciano, e desde então não parou mais.

A partida ficou mais disputada. Um gol atrás do outro, sem dar tempo da torcida respirar. Uma tentativa de Bicicleta de Kelvin com grande defesa do goleiro e uma explosão do camisa 9, Gabriel Almeida, direto na trave. O IBP FC foi ganhando confiança e diminuindo a vantagem do adversário.O Galáticos, por sua vez, foi se desestabilizando. Fazendo e sofrendo gols, desconstruindo sua zaga. Poucas substituições e muitas faltas cometidas. O camisa 33, Davi Luiz, fez o terceiro gol do time e a disputa seguiu acirradíssima com a equipe do Galáticos mais habilidosa e a equipe IBP FC mais rápida. O primeiro tempo fechou com o empate de 3×3, feito por Rômulo Araújo e prometendo fortes emoções para os outros 25 minutos.

O jogo ia caminhando para sua reta final, mas as emoções pareciam não parar no segundo tempo. De um lado, o IBP parecia aproveitar todas as oportunidades para aumentar o placar, de outro lado o Galáticos tentava acertar a sucessão de erros após o empate. Saiu o goleiro Eros e entrou Sassá no lugar dele, minutos depois os goleiros foram invertidos novamente. Começou o desespero de não ficar para trás e uma corrida para não morrer na praia. Com as reclamações dos jogadores houve chuva de cartão amarelo para ambos os times.

O ponto alto da partida foi o gol de Léo Galrão, do Galáticos, que teve cartão amarelo para o goleiro do IBP FC por reclamação, que acusou jogadores do outro time de tê-lo empurrado. O camisa 32 do Galáticos, Marco Vinicius, também ganhou cartão por reclamação e o clima ficou quente dentro do gramado. Ambos os técnicos revezaram os goleiros com a intenção de ganhar alguma vantagem no placar final.

O atacante Rômulo Araújo, considerado melhor jogador da partida, abriu vantagem nos últimos minutos. Mas foi Quemuel, camisa 11, que garantiu a virada do time de Anchieta por 6×4 e o passaporte para a vitória. O resultado surpreendeu quem assistia. A torcida espera mais jogos emocionantes como este. E o campeonato, que só está começando, promete ser inesquecível, com grandes equipes e jogos repletos de categoria.

Na próxima rodada o IBF FC enfrenta o Macaé FC e o Galáticos da Catedral encara o Burley F7.

 

 

 

 

 

Vivendo em Triunfo vira pra cima do Resgatando Ovelhas e começa bem o Carioca Evangélico

Por Thaise Lima

Foi nos gramados do Pau Ferro que as equipes do Resgatando Ovelhas e Vivendo em Triunfo fizeram um jogo ardente e vigoroso. O destaque do duelo foi Matheus Souza, que garantiu dois gols da partida. Mesmo com a agilidade e percepção de jogo do time vencedor, o Resgatando Ovelhas se saiu bem estreando no Campeonato Evangélico. O resultado foi 5 x 3 para o Vivendo em Triunfo, campeão do Torneio de Inverno.

O primeiro tempo começou com o Vivendo em Triunfo dominando a bola claramente e fazendo vários lances; por bastante tempo, a equipe adversária não teve chances de tocar na bola. O jogo continuou dessa forma, mas dentro de campo nada é impossível e numa fração de poucos minutos o jogo virou. Foi com apenas um passe de Marcos para Iago que o camisa 10 do Resgatando Ovelhas abriu o placar do jogo causando uma reviravolta na partida, já que até o momento quem tinha todos os lances de bola era a equipe azul. Com menos de um minuto do primeiro gol do confronto, o Resgatando Ovelhas mais uma vez mostrou que realmente o jogo tinha virado e emplacou o segundo, belíssimo, gol bem no meio da trave protagonizado pelo camisa 15 Matheus Estevão, que chegou junto no lance e deixando claro o quanto a equipe estava disposta a vencer partida. A partir de então, o jogo deu uma equilibrada, ambas as equipes fazendo passes, o time que até então estava ganhando a partida se manteve bem apesar de já ter garantido dois gols no jogo. Por sua vez, o lado azul do campo se encontrava mas pacífico em relação a reagir como estava acontecendo no início do jogo, um tanto quanto estranho, já que a equipe não deu chances para no time adversário no início da partida. A equipe vermelha logo em seguida começou a ter mais passes de bola e defender as tentativas do Triunfo.

Os sinais de reação do Vivendo em Triunfo no final da etapa anterior, fizeram ecos logo no início do segundo tempo e, aos dois minutos, a prova do gás da equipe de Belford Roxo veio no gol espetacular de Mateus, diminuindo a vantagem do adversário. 2×1. Com a reação do Triunfo no após o primeiro gol, o lado vermelho do campo não deixou barato, o jogo começou a ficar truncado, foi quando, mais uma vez, o camisa 15 do Resgatado Ovelhas tomou a frente do gol e foi certeiro e ficou 3 x 1 a partida com apenas 4 minutos.

Foi nesse instante que o jogo começou a ficar pesado, diria até que um pouco violento, era claro ver que os dois times estavam jogando com garra e fome de bola. Passes pra cá, bloqueio de bola pra lá, oportunidades de gols com um ar de mistério reinando, já que a partida a cada minuto que passava surpreendia mais e mais numa alternância de domínio de fazer gosto. Até que aos 7 minutos de bola rolando, Mateus Romão mais uma vez fez jus a sua camisa 10 colocando mais empolgação numa partida pra lá de surpreendente fazendo o time azul chegar perto do placar do Resgatando Ovelhas. 3×2.

O jogo continuou bem fervoroso e tenso. O Resgatando viu a reação do time adversário e caiu pra dentro, o jogo estava ficando cada vez mais sob pressão. Mas não teve como a equipe de Caxias frear a reação do oponente e o destaque da partida, Mateus Souza, premiando sua grande atuação, fez seu gol e deixou tudo igual. 3×3.

Depois do terceiro gol do Triunfo e o placar empatado, o jogo deu uma equilibrada e o ar de apreensão e mistério que se passava na partida já estava indo embora deixando mostras para a torcida como é boa a adrenalina de um jogo que não se faz a menor ideia de como vai terminar. Mas foi quando de novo ninguém esperava que Alessander aproveitou um passe e pronto! Mais um gol do Triunfo, a virada quando o Resgatando Ovelhas parecia já estar se conformando com um possível empate. Logo em seguida surpreendendo mais uma vez, Sanderson veio bem de mansinho de repente mais um gol da equipe azul logo no final da partida. 5×3.

Uma partida empolgante, os dois times jogando duro e mostrando suas personalidades o tempo todo, o que prova isso são as reviravoltas típicas durante o jogo, uma partida característica de um bom futebol, onde adrenalina contagia a torcida e empolga os jogadores.

O Vivendo em Triunfo mostrou que é forte e que deve brigar pelo título. O Resgatando Ovelhas apresentou um bom time, mas o peso da estreia acabou falando mais alto. Na próxima rodada o Triunfo enfrenta o Raridade e o Resgatando Ovelhas pega o GDC FC.

GDC FC não toma conhecimento do Missionários FC e estreia com goleada no Carioca Evangélico

Por Thaise Lima

A primeira rodada do Campeonato Carioca Evangélico começou fervorosa no campo do Pau Ferro, no último sábado. A equipe do GDC arrebentou o placar logo no primeiro jogo da competição e saiu na frente vencendo o Missionários por 5 a 0. Essa goleada sobre um bicampeão logo na estreia mostrou a força do time de Caxias na luta pelo título inédito.

Pelo final do placar é nítido ver como a equipe vencedora mostrou domínio durante a partida, o time estava centrado e certo em questão tática do jogo, soube aproveitar todos os passes e dominou a bola durante um bom tempo. Em relação ao Missionários, mesmo com dificuldades na partida, o time teve grandes oportunidades, muitos passes, mas não conseguiu aproveitar bem as chances de sair do 0.

O jogo já começou pesado, as duas equipes comendo a bola com o intuito de abrir o placar da partida. O GDC se mostrou mais presente no seu campo de ataque, mas a equipe do Missionários também não ficou em desvantagem. Ambos os times tiveram lances bem explícitas durante os primeiros minutos de partida. Demorou apenas 4 minutos para a rede balançar e o azul e amarelo do GDC (que é laranja e preto, mas jogos de uniforme diferente) abrir o placar do jogo, apenas um passe para Alan fez o camisa 10 protagonizar o primeiro da estreia no campeonato. O jogo continuou truncado, os times estavam bem fervorosos tornando o duelo quente onde ambas as equipes queriam mostrar para que vieram no campeonato. Mesmo em vantagem, os jogadores do GDC deixavam bem claro que não estavam satisfeitos e queriam ir além. O Missionários até tentou correr atrás do prejuízo, mas o goleiro João Pedro não conseguiu evitar o belíssimo gol de Charles, o segundo do time da United.

O jogo continuou pesado nos gramados do Pau Ferro, os times cada vez mais tentando fazer jus à camisa de suas equipes na partida de estreia. Com a desvantagem de dois gols, o Missionários começou a sentir o peso desse revés e foi exatamente isso que deu estímulo aos jogadores do coração laranja a tomar domínio na partida e se destacar com quatro sensacionais passes de bola, mas mesmo com garra e perseverança para conseguir emplacar o primeiro gol, a equipe adversária tomou o domínio de bola novamente e fez seu terceiro gol, com passe eo Júlio César para o camisa 9 Kelvin, e assim terminou o primeiro tempo.

Já no segundo tempo, o jogo começou bem mais agitado do que o primeiro, as equipes estavam um tanto quanto fervorosas e comendo a bola. O lado azul e amarelo do campo com gana de fazer mais gols e começar o campeonato tendo pontos, do outro lado, a equipe laranja com muita raça e fé que de conseguir pelo menos um empate. No entanto quem marcou foi o GDC, com Rômulo. Com alguns minutos de bola rolando, o campo de futebol parecia um mais um ring de luta, o jogo estava truncado, pesado e arrisco a dizer um tanto quanto bruto a ponto do árbitro interromper a partida e pedir aos times para “pegar leve”. Não demorou muito para o time da United de Caxias emplacar o 5º gol, Matheus marcou mais um gol para o GDC.

Na sequência, os times mantiveram uma partida mais calma, o GDC tirou o pé e o Missionários seguiu em busca de, ao menos, um gol. Apesar de algumas chances, o time de Belford Roxo não teve sucesso e o GDC, por sua vez, administrou uma grande vitória.

Um jogo árduo, pesado, bruto e bonito de se ver, por mais que a derrota tenha sido de 5 x 0, os meninos do Missionarios mostraram sua força de vontade em não deixar a peteca cair, mesmo no fim do jogo e sabendo que já tinha perdido a partida, tentaram pelo menos um único gol, mas a organização dentro de campo e a sagacidade do GDC lideraram a partida.

Na próxima rodada o GDC enfrenta o Resgatando Ovelhas e o Missionários encara o Partidários, nessa que é uma reedição da final da 3ª edição do Carioca.

 

Valentes de Cristo e MR FC fazem bom jogo e empatam na estreia do Carioca Evangélico

Por Isabela Izidro

No início da tarde deste sábado (16), as equipes Ministério Resgate, MR FC, e Valentes de Cristo disputaram a primeira rodada da quinta edição do Campeonato Carioca Evangélico. A partida, que contou com muitas reviravoltas e confusões, acabou igual, 4×4.

O jogo começou bastante corrido. A bola mal parava no chão. O Ministério chegava pouco ao gol, enquanto o Valentes aproveitava alguns erros da zaga e do goleiro adversários para tentar lances de mais perigo. A primeira substituição da disputa veio logo aos cinco minutos do primeiro tempo. Sai a bola vazia, entra uma mais cheia, a pedido dos jogadores.

Com o decorrer do tempo, o Valentes de Cristo foi se impondo cada vez mais, até dominar o campo e colocar os jogadores do MR na roda. Em meio a gritos da torcida de “se movimenta, tu não é zagueiro não”, o meio-campo Gabriel Neto, um dos destaques da equipe, tentava algumas enfiadas de bola na área, para o camisa 12, Luiz Carlos, que finalizava com perigo ao gol de Carlos, goleiro do MR, autor de boas defesas. A zaga do Valentes também não deixava a desejar, travando com sucesso as poucas investidas do Ministério. Na metade do primeiro tempo, o Valentes de Cristo correspondeu às expectativas e fez seu primeiro gol. E que golaço de Luiz Carlos! Ainda próximo a linha do meio de campo. 1×0 Valentes, que encerrou o primeiro tempo sem dar chances de recuperação ao MR. Quem assistia ao jogo até aí, não fazia a menor ideia do que ainda estava por vir.

A segunda etapa da partida começou diferente. O Ministério veio a campo com apenas dois jogadores da sua formação inicial e buscando mais oportunidades. Habilidoso, o atacante Carlos André, camisa 11 da equipe, investia pesado contra o gol de Igor, goleiro do Valentes, que não facilitou e fez belíssima defesa em um lance cara a cara com o 11 do MR. “Perdeu um gol feito”, eram os comentários da arquibancada a respeito de Carlos André. O atacante, no entanto, não se abateu e seguiu com seu jogo. Tanto é que poucos minutos depois, em troca de passes com Felipe Silva, deu linda assistência que resultou no primeiro gol do MR. 1×1. Tudo igual no placar.

Sem permitir qualquer tempo de reação por parte do Valentes, o time do MR FC manteve-se no ataque após o empate e aproveitou rebote mal feito pelo goleiro Igor para passar a frente, com gol de Carlos André. 2×1 para o Ministério, que, apesar das dificuldades, parecia esboçar uma reação. A felicidade, no entanto, durou muito pouco. Menos de um minuto após o lance de gol do MR, o camisa 10 do Valentes, Edirleo de Araujo, interrompeu a comemoração do Ministério com belo chute cruzado pela esquerda. 2×2.

E o jogo, que até ali já se mostrava um verdadeiro teste para cardíacos, não deu trégua para o torcedor. Com toda pinta e atitude de Diego Souza, o jogador Eduardo Heitor, meio campo do MR, pegou a bola, ainda na rede após o último gol do Valentes, e levou para o meio campo. “Deixa que eu bato”, esbravejou. Golaço. De bola parada. Do meio do campo. E o MR novamente a frente. 3×2.

A disputa então mudou completamente de figura. Após pênalti não marcado para o Valentes, os jogadores da equipe se irritaram com o juiz e com os adversários e a confusão se generalizou. A partir daí, qualquer lance era motivo para polêmica de ambos os lados.

A confusão extra-jogo acabou refletindo no campo, e a partida, que até então estava bastante corrida, ganhou uma configuração diferente, começou a ficar truncada. Ambas as equipes tinham muita dificuldade de chegar ao gol e a maioria das finalizações eram feitas de fora da grande área. Até que Edirleo aproveitou bobeada da zaga pela direita e pela terceira vez na disputa, deixou tudo igual. 3×3.

Os dois últimos gols vieram primeiro dos pés de Igor dos Santos, do MR, e depois do jogador Wellington, do Valentes, empatando o jogo em tempo do apito final. Fim da partida. 4×4.

Apesar de ambas as equipes terem investido pesado em substituições ao longo da partida e pouco em jogadores fixos, o destaque do jogo vai para Eduardo Heitor, do MR, com dois gols decisivos, que mudaram o rumo da disputa. “Estávamos muito nervosos. Poderíamos ter matado o jogo no primeiro tempo.”, lamentou o craque, em entrevista pós jogo. É, resta esperar pra ver o que a segunda rodada nos reserva! Nela, o MR FC encara o União IBV e o Valentes de Cristo terá pela frente Israel da Bola, atual campeão do Carioca.

 

Vivendo em Triunfo x Talentos da Fé: Uma final em alta temperatura para o Torneio de Inverno

Por Diogo Priori

Chegar a uma final de campeonato já é sinal de grande competência e motivos para vários elogios, mas não ainda quando falamos de ‘Triunfo’ e ‘Talentos’, que visam única e exclusivamente a vitória.  A busca pelo título parece insaciável frente a uma saudável rivalidade que estará aflorada quando a bola rolar no próximo Sábado.  Mesmo que mais curto, o campeonato de Inverno proporcionou boas novidades e placares elásticos fruto de um futebol ofensivo apresentado pela maioria dos times e sintetizado pelos placares das semis:  Talentos da Fé venceu o forte Galáticos da Catedral por 5×1 e o Vivendo em Triunfo não perdoou o GDC terminando em 4×0.  Resultados atípicos, não tanto nesse campeonato.  A busca pelo gol e por um cada vez melhor esquema para furar os bloqueios defensivos têm sido uma característica interessante até aqui.  Muito mais estratégicos, os treinadores tem sido extremamente cuidadosos e observadores na hora da montagem de suas equipes, e foi para buscar detalhes dessa esperada partida que conversei com Guilherme e Rogério (representantes de Talentos da Fé e Vivendo em Triunfo, respectivamente) que, muito entusiasmados, apostaram as fichas em suas camisas na busca pelo sonhado troféu.

 

Estilo de Jogo e Destaques:

Talentos da Fé:  Força no meio-campo e movimentação dos jogadores do setor para retormar a bola, armar e penetrar a defesa adversária são características do time. O conjunto é a força (sem um destaque individual específico) e o setor defensivo um aliado muito forte na briga pelo troféu.

Vivendo em Triunfo: Rogério contou que o time busca seu padrão tático a cada jogo do campeonato.  O aprimoramento do toque de bola e a movimentação constante dos homens de frente podem fazer a diferença para furar a defesa do Talentos. Marlon pode ser um triunfo defensivo já que o adversário gosta de explorar espaços.

 

Preparação para a Final:

Talentos da Fé:  Negou que haja uma preparação especial para o jogo pois tudo tem dado certo até então.  Por nunca terem se enfrentado, Guilherme exaltou a força do grupo e a confiança em um bom jogo mesmo contra um adversário que já tenha mostrado muita qualidade como no jogo passado.

Vivendo em Triunfo: A equipe se encontra bem focada para o jogo de Sábado, porém sem nenhuma preparação diferente dos últimos jogos. Foi destacada a força física do adversário segundo o que foi observado na semi-final. Marcação firme e individual é um dos principais planos da equipe.

 

Raio-X no adversário:

Talentos da Fé:  Mostrou maior conhecimento do adversário e apontou a movimentação como principal arma do ’Vivendo’. O trabalho coletivo com a bola é sinal de atenção para os jogadores do Talentos.  Guilherme disse que, apesar de não haver preparação específica, ‘trancar’ o jogo coletivo é a solução pela grande movimentação dos jogadores adversários, já que nenhum fica estático após tocar a bola.

Vivendo em Triunfo: Foi exaltada a parte individual adversária pelos minutos finais observados do último jogo. Fora isso, o técnico não parece tomar conhecimentos maiores do outro finalista e garantiu que sua principal preocupação no momento é com o desenvolvimento do jogo do próprio time e isso pode fazer total diferença.

 

 

Escalação:

Talentos da Fé:  A equipe se mostrou aberta a alterações até o dia do jogo e não quis divulgar sua escalação previamente para não expor taticamente seu time ou poder gerar planos táticos específicos do adversário .

Vivendo em Triunfo: Marcus Vinicius (G); Rogério (Z), Marlon (Z) ; Cruz (M),  Marcelinho (M), Bruno Marques (M); Silão (A) –  Equipe jogará com o esquema 2-3-1

Talentos da Fé goleia Galáticos da Catedral e ganha força como finalista do Torneio de Inverno

Por Marcio Nunes

Em partida valida pela semifinal do Torneio Evangélico de Inverno, realizada no último sábado, 26, o Talentos da Fé não deu chances ao Galáticos da Catedral e venceu sem dificuldades por 5 x 1, avançando à final da competição.

Mas o jogo passou longe de ter emoção. O Galáticos da Catedral abusou dos chutões pra frente e das reclamações sobre a arbitragem. Também faltou objetividade na hora de concluir as jogadas e, quando ficou na cara do gol, viu o talento do goleiro adversário fazer a diferença. O Talentos entrou em campo mais disposto a vencer, mas não fez um grande jogo. Aproveitou bem as falhas do adversário e garantiu uma vitória de certo modo tranquila. As duas equipes erraram muitos passes, mas o time de dourado dominou a partida com muita posse de bola.

No primeiro tempo foram nove minutos até que algo de interessante acontecesse. A primeira grande chance do jogo culminou em gol quando Diogo recebeu do goleiro em saída rápida de jogo, avançou, invadiu a área e bateu no contrapé de Sassá, abrindo o placar para o Talentos da Fé. As principais jogadas da equipe tijucana aconteciam pelos flancos, principalmente o esquerdo onde Diogo tinha um corredor totalmente vazio e por onde tinha total liberdade. Aos 21 minutos de jogo, após bate e rebate dentro da área, a bola sobrou para o camisa nove do Talentos ampliar de cabeça, marcando seu segundo gol na partida. Um minuto depois, em troca de passes sensacional entre Diogo e Tiagão, o nove ficou de cara pro gol, mas tentou chute colocado e mandou pra fora.

Sem conseguir trabalhar a bola e sem colocar a redonda no chão, o Galáticos teve uma chance clara aos 24 minutos após trapalhada do zagueiro adversário. A bola sobrou para Lucas que avançou e chutou apenas para assistir uma espetacular defesa de Maurício, à queima-roupa. No lance seguinte, em mais uma saída de jogo rápida de Maurício, o Talentos foi para o contra-ataque com 4 jogadores diante de 2 defensores do time de branco, mas Allan desperdiçou a oportunidade chutando pra fora.

Fim de primeiro e 2 a 0 no placar à favor do Talentos da Fé. Resultado parcial foi justo.

A segunda etapa nem tinha começado direito quando o Talentos chegou ao terceiro gol com dois minutos. Lançamento perfeito para Allan na ponta direita que tocou para o meio da área e Tiagão apenas desviou para o gol. Aos seis de bola rolando na etapa final, Tiagão recebeu na entrada da área e chutou no meio do gol. O goleiro Sassá falhou feio e deixou a bola passar. Talentos da Fé 4 x 0 Galáticos da Catedral.

À partir daí o Talentos colocou pressão em busca do quinto gol. Primeiro com Diogo em jogada individual, obrigando Sassá a fazer grande defesa. Na sequência, o próprio camisa nove arriscou de longe e acertou o travessão. O gol finalmente saiu no minuto 21, dos pés de Rico após rebote da trave. Mais uma falha terrível de Sassá que estava no lance. No último lance do jogo, Alexandre diminuiu para o Galáticos em chute cruzado, mas já era tarde para reagir e o árbitro encerrou a partida. Talentos da Fé 5 x 1 Galáticos da Catedral. O placar foi justo.

Destaque positivo para Diogo, melhor em campo com dois gols e ótima distribuição do jogo, além de criar as melhores oportunidades para seu time e para o goleiro Maurício que demonstrou muita visão de jogo e foi muito seguro embaixo da trave.

Destaque negativo foi o Galáticos da Catedral que não entrou em campo com o foco que deveria e se preocupou demais em reclamar da arbitragem, sem razão.

Arbitragem: Daniel deixou o jogo correr tranquilamente e não cedeu às reclamações. Muito firme, aplicou cartão quando necessário e manteve o controle do jogo.