Última rodada define as últimas vagas na próxima fase do Carioca Evangélico

Nesse sábado teremos a última rodada da fase de grupos do carioca evangélico e muitas emoções estão reservadas para o sábado no Pau Ferro. Apenas três equipes não tem mais chances de classificação e as outras quinze jogam seus destinos nesse final de semana. Confira uma análise por grupo da situação e dos jogos.

GRUPO A

Três das quatro vagas desse grupo na próxima fase já estão definidas. Vivendo em Triunfo, Gênesis e Vencedores em Jesus já estão nas oitavas e agora brigam pelas vagas diretas nas quartas, seja como primeiro do grupo, que deve ser o atual campeão, ou como o melhor segundo. O Jesus na Área está eliminado e Sete Vezes Mais e Galáticos da Catedral se enfrentam pela última vaga da chave na próxima fase.

Vivendo em Triunfo x Jesus na Área

É quase impossível não prever vitória do atual campeão nesse duelo. Por mais que o Jesus na Área, eliminado, jogue de forma descompromissada e não tenha nada a perder, o Vivendo em Triunfo quer se classificar direto para as quartas e, provavelmente, com a melhor campanha de todos, o que lhe deixa a dois empates da grande final. E o time da Baixada vem jogando o fino nessa edição, bem focado no bicampeonato.

Vencedores em Jesus x Gênesis FC

Um dos melhores jogos do dia coloca frente a frente duas equipes novatas que vem fazendo bonito no carioca. Até aqui, ambas sucumbiram apenas ao Vivendo em Triunfo e passaram pelos outros adversários de forma categórica. A juventude do time de Nova Iguaçu contra a qualidade técnica do rival do Estácio trazem junto dos times de muita fibra. O Gênesis tem um leve favoritismo analisando os jogos até aqui, mas é jogo muito equilibrado. O vencedor deve disputar a vaga como melhor segundo com o Talentos da Fé ou o Guerreiro.

Sete Vezes Mais x Galáticos da Catedral

Jogo objetivo e direto pela última vaga do grupo. Ambas as equipes foram muito irregulares e se mostraram frágeis nesses quatro jogos que antecederam a última rodada. O Sete Vezes Mais, que cresceu na competição, joga pelo empate e tem o favoritismo por isso. Já o Galáticos, que, ao contrário, caiu muito de produção após um bom início, precisa se superar para vencer e se classificar. Promessa de um bom jogo.

====

GRUPO B

Nesse grupo definidas as classificações de Guerreiro e Talentos da Fé para as oitavas, ambos brigam pela vaga direta nas quartas como primeiro ou melhor segundo, e a eliminação do Guerreiros de Cristo. Real BR, Barcelife e União IBV brigam pelas outras duas vagas. O trio não pode ser nem primeiro, nem melhor segundo, por isso, apenas os dois primeiros brigam para ir direto para as quartas.

União IBV x Guerreiro FC

As duas equipes estão nos dois extremos do grupo. O Guerreiro, um dos melhores times do carioca, é o favorito e deve terminar em primeiro na chave. Seu adversário é uma grande equipe, mas parece ter acordado tarde na competição. O time de Santa Cruz precisa vencer e depende de derrota de pelo menos um dos times que brigam com ele pela classificação. Missão difícil da equipe azul e vermelha, mas não impossível.

Talentos da Fé x Barcelife

Ser o primeiro do grupo está bem difícil para o Talentos, que precisa vencer bem o bom adversário e torcer por derrota do Guerreiro, que tem seis gols de vantagem de saldo. Mas a vaga como melhor segundo é bem mais possível para a equipe. Um empate já basta para o Barcelife chegar às oitavas, mas para não correr riscos, a equipe precisa vencer o favorito adversário. Bom jogo.

Real BR x Guerreiros de Cristo

Dos três times que brigam pela classificação, o Real BR é o que tem a tarefa mais tranquila. Além de enfrentar um time já eliminado, o time de Bento Ribeiro parece ter reencontrado seu melhor futebol e vem crescendo na competição. No entanto, o Guerreiros joga sem nada a perder e vai querer se despedir do carioca de forma positiva. Jogo perigoso para o atual vice-campeão, que é muito favorito, mas precisa abrir o olho.

====

GRUPO C

Esse é o grupo mais indefinido. Quatro equipes jogam seus destinos nessa última rodada, enquanto que outras duas já tem suas situações definidas. O MAV já é o primeiro da chave e está nas quartas, Já o Arsenal do Céu está eliminado. O Missionários é o único time que não depende de si, pois está fora na zona de classificação. Os jogos desse grupo prometem nesse sábado.

MAV x Missionários

A missão mais difícil dos times que ainda brigam pela classificação é a do bicampeão. Além de não depender de si, a equipe encara o MAV, melhor time da chave, que, mesmo classificado para as quartas, vai querer melhorar sua pontuação de olho na vantagem do empate também numa possível semifinal. É um tira-teima, as as equipes, tradicionais, se enfrentaram duas vezes. Na primeira, pelas quartas da segunda edição, o Missionários venceu por 4×1 e no outro encontro, pela segunda rodada da 4ª edição, deu MAV: 4×2.

Galáticos do Céu x Raridade

Outro bom jogo do grupo. O vencedor se garante nas oitavas. Além da importância desse duelo, o aspecto técnico de ambas já dá ao confronto um ar especial. O Raridade começou muito bem, depois deu uma caída, mas ainda parece ter uma equipe organizada e que merece estar nas oitavas. Já o Galáticos foi bem irregular nessa trajetória, mas, ainda assim, é o favorito pelo futebol mais completo que apresentou.

MR FC x Arsenal do Céu

No papel, a vaga do MR parece estar melhor encaminhada que a dos outros adversários, não apenas por enfrentar um time eliminado, mas, principalmente, pelo crescimento do time que vem numa ascendente. O adversário joga apenas para cumprir tabela e não deve ser um empecilho grande ao time de Campo Grande para se classificar na chave. Favoritismo total para a equipe vermelha e branca.

Real BR emenda segunda vitória e depende só de si para chegar às oitavas do carioca

Por Marcio Nunes

O Real BR venceu, na tarde do último sábado (14), o Barcelife por 5 x 2 em jogo válido pela fase de grupos do Cariocão Evangélico de Futebol Society. A partida foi disputada no campo 3 do Pau-Ferro Futebol Clube.

Pelo nome dos times você imagina que tivemos um grande clássico do futebol, com grandes jogadores envolvidos e que a emoção tomou conta do jogo. Engano seu. Se do lado do “Barça” faltou um Messi, do lado do Real sobrou Cristiano Ronaldo. Apesar de entrar em campo com a camisa da Alemanha que, diga-se de passagem, não traz nenhuma lembrança boa ao craque argentino, o Real BR fez jus ao nome e dominou os dois tempos do encontro.

Programado para começar às 16:50h, o pontapé inicial entre o Barcelife, com seu belo uniforme inspirado no clube espanhol, e o Real BR (o Partidários com novo nome), foi dado com alguns minutos de atraso, mas nada que comprometesse o tempo de jogo. Na verdade o clima estava bastante agradável com o céu nublado, uma leve brisa e a oportunidade de começar um duelo com luz natural e terminá-lo com os refletores ligados, dando um charme a mais ao evento.

O Primeiro Tempo

Logo no início o Real já mostrou suas garras e saiu na frente. No primeiro lance realmente perigoso, Michael recebeu passe na direita, avançou e arriscou o chute de longe, mas o goleiro deu rebote nos pés de Gabriel, que completou para o fundo do gol. Enquanto o Barcelife arriscava seus chutes e não acertava sequer na direção do gol, o Real chegava com ainda mais intensidade em jogadas de Michael, o melhor em campo. Primeiro em passe para Di Maria que mandou por cima da meta e, na sequência, recebendo na entrada da área e finalizando para uma brilhante defesa de Maikol.

A pressão do time de branco só aumentava à medida que o azul-grená errava mais e mais passes, sem conseguir sair para o jogo. E foi em um lance lindo que saiu o segundo gol. Di Maria trocou passes com Andrew pela direita, fez bela jogada individual deixando o marcador pelo caminho, tabelou novamente com Andrew e ampliou o marcador em chute cruzado, de bico, sem chances para o goleiro. Sem tempo pra se recompor, o Barcelife seguia dando espaços e, em um de seus ataques sem sucesso, o arqueiro Rodrigo fez rápida reposição de bola para Luciano que dominou e inverteu para a esquerda com Gabriel. O camisa seis encheu o pé para marcar o terceiro. Barcelife 0 x 3 Real BR.

O quarto gol quase saiu ainda na primeira etapa. Michael recebeu lançamento na área, tocou de calcanhar sem deixar a bola cair e Luciano chegou finalizando, mas Maikol fez outra grande defesa. E foi neste ponto do jogo que o Real começou a deixar a desejar e deixou a seriedade de lado por alguns minutos. Após bobeira da defesa adversária, Leonardo roubou a bola pelo Barcelife no meio do campo, avançou e chutou no limite, fazendo a bola tocar na trave antes de entrar. Um minuto depois o Barça ainda teve um pênalti a seu favor, cometido por Renan, mas desperdiçou na cobrança de Luis, para defesa de Rodrigo.

O Segundo Tempo

Depois do susto no final da primeira metade da partida, o Real voltou com sua formação inicial, retomando o domínio sobre os rivais. Na primeira jogada, Gabriel deu passe na área e Andrew completou para balançar a rede. Determinado a equilibrar o duelo, o Barcelife teve que sair pro jogo. Em cobrança de falta, Diego soltou uma bomba e Rodrigo espalmou. Pouco tempo depois saiu o gol mais improvável do jogo. Em jogada pela direita, Marcelo cruzou rasteiro e Leonardo desviou, entre o goleiro e a trave, diminuindo o placar, falha de Rodrigo que estava no lance. Barcelife 2 x 4 Real BR.

A etapa final foi bem abaixo do esperado, com muitas faltas de ambos os lados e poucas chances de gol. Numa delas, o Real deu números finais. Di Maria fez boa jogada pela direita, tocou para Michael que bateu na saída do goleiro, marcando o quinto gol de sua equipe e último do dia. Nos minutos finais da partida, os goleiros resolveram que não teríamos mais nenhum gol. Primeiro Rodrigo evitou o gol de Leonardo pelo time do Barcelife. Na sequência, em contra-ataque rápido, foi a vez de Maikol evitar o gol de Osmar em passe de Di Maria. O próprio Di Maria ainda acertou o travessão no último lance da noite em chute de fora da área.

Quando o juiz apitou pela última vez, apenas se confirmou o que foi o jogo. Vitória do Real sobre o “Barça” por 5 x 2. Mais três pontos garantidos para o elenco vice-campeão das três últimas edições do torneio.

Estrelas do Jogo

Michael do Real BR (10) – Melhor em campo, fez de tudo um pouco. Só não fez mais porque não tinha tempo. Deu passes, criou jogadas, teve oportunidades de gol, mas conseguiu deixar sua marca no final. A escolha foi unânime.

Di Maria do Real BR (9,5) – Foi o jogador de sempre, mostrando muita habilidade, de destacou pelo lado direito criando jogadas. Deu uma assistência e marcou seu gol. Demonstrou maturidade e evoluiu bastante quanto ao seu temperamento, deixando as reclamações de lado e colocando a bola no chão.

Andrew do Real BR (8) – Muito bem no jogo, participativo, correu os 50 minutos. Precisa levantar mais a cabeça e olhar o jogo, ouvindo seus companheiros que, diversas vezes, pediam a bola, mas não era atendido. No geral, foi muito bem dando um passe e marcando um gol.

Gabriel do Real BR (8) – Demonstrou oportunismo e bom posicionamento para marcar duas vezes. Ainda deu uma assistência.

Leonardo do Barcelife (8) – Marcou duas vezes, sendo o melhor de sua equipe em campo.

Renan do Real BR (0) – Não foi seu dia. Durante os 5 minutos que ficou em campo deu um passe errado, permitindo contra-ataque do adversário, saiu com a bola em tentativa de jogada individual e cometeu um pênalti.

Missionários consegue primeira vitória no Carioca e segue na briga por uma vaga nas oitavas

Por Lucas Bichão

Arsenal do Céu e Missionários protagonizaram o duelo que separou o coadjuvante dos personagens principais do Grupo C. A vitória convincente do time que já foi bicampeão do Carioca deixou a equipe em situação mais confortável para uma disputa por vaga nas eliminatórias. Porém, a atuação não obteve o mesmo status de respeito que a conquista na partida.

O destaque ficou para Luiz Carlos, que marcou duas vezes e tornou-se o vice artilheiro da equipe de Belford Roxo nessa edição da competição. O meia/pivô foi uma das peças essenciais a construção do placar de 5 a 3.

O Jogo…

A partida iniciou-se com o seguinte objetivo: era preciso convencer. A palavra utilizada na lide dessa crônica é a perfeição de meta para Arsenal do Céu e Missionários FC. Com 1 e 2 pontos, respectivamente, ambas as equipes precisavam demonstrar valor junto aos seus adeptos e para si. A confiança seria necessária para o encerramento eminente na fase de grupos. Com estreias fracas e campanhas muito abaixo, em um grupo relativamente equilibrado, certas convicções seriam mais que determinantes para o sucesso ou o fracasso.

Vestindo coletes amarelos devido à semelhança dos uniformes, ambos da cor abóbora, a laranja mecânica de Belford Roxo estava caracterizada para interpretar seu papel de guerreiros. A força e a intensidade foram necessárias para que o caminho do triunfo fosse trilhado. Potência pôde ser vista no primeiro tempo, no qual Vinicius arrematou com um alto grau de beleza para balançar as redes.

Os Gunners de Marechal também pisaram no gramado com a intenção do protagonismo do grupo. Apesar das claras limitações, principalmente em peças ofensivas e de velocidade, o Arsenal do Céu demostrou brio necessário para agarra-se ao papel desejado. A face de Binsk transmitia justamente o foco e a vontade, a transpiração de uma equipe que precisava vencer. Porém, foi de Nikito o tento que gerou o empate no placar, este que não durou muito.

O último lance de grande importância no primeiro tempo foi finalizado justamente pelo homem que tomou para si grande parte da responsabilidade do espetáculo. Luiz Carlos recebeu bola alta na área de Anderson, para ótima cabeçada contra as redes. Após esse momento todas as atuações se apagaram, e a partida se tornou uma grande novela mexicana, mas sem as imprevisibilidades dramáticas.

O segundo ato não trouxe novidades, apenas um enredo monótono e sem grande brilho. Uma programação que não merecia estar em horário nobre. Binsk tentou em cobrança de falta, mas errou e depois não conseguiu mais chegar de forma incisiva na meta adversária. Arsenal e Missionários até se “agrediam” bastante, mas não havia grande qualidade técnica nas jogadas. Nesse “lá e cá”, sorte para o Arsenal do Céu que achou uma bola alçada na área, na qual João Victor aproveitou bem.

O empate parecia ser o destino do confronto. Mesmo ainda com muitos minutos para acontecer, os erros estavam sendo frequentes e as chances criadas não amedrontavam as defesas. Porém, o Missionários buscou contrariar aqueles que assistiam à partida. Dois gols seguidos, de Luiz Carlos e Paulo Victor, trataram de liquidar a conta. O adversário que estava sempre ao calcanhar, deixou que a diferença esticasse para dois gols e não conseguiu recuperá-los.

O Arsenal do Céu até conseguiu balançar as redes pela terceira vez, em um voleio em que a bola entrou chorada para dentro das traves. Mas, ao abdicar da defesa para alcançar os rivais fez com que o time tomasse mais um gol no contra-ataque. O 5 a 3 foi o placar final, elástico e ainda assim pouco persuasivo. Será que o Missionários será capaz de se manter o estrelato no grupo C? A única certeza que há na chave é a impossibilidade dos Gunners de se classificarem para a próxima fase.

Notas:

Luiz Carlos (Pivô) | Missionários – 8,0: o meia atacante foi importante para a vitória de seu time, marcando dois gols e tendo grande presença de área.

Vinicius (Pivô) | Missionários – 7,5: dono do primeiro gol da partida, tornou-se artilheiro do grupo nessa edição do Carioca com 4 tentos marcados.

Vitinho (Ala) | Arsenal do Céu – 7,5: o camisa 17 foi um dos que mais fez para seu time buscar a vitória e não ser eliminado de forma precoce da competição. Com 1 gol e 1 assistência, obteve os melhores números para o Arsenal.

Guerreiro FC vence mais uma no Carioca e se aproxima de vaga direta nas quartas

Por Diogo Priori

No quarto jogo realizado no campo 3, Talentos da Fé e Guerreiro FC mediram forças neste sábado com time completo. Ritmo acelerado e competitivo pautaram o confronto dos times.

Começado o jogo, Ernesto e Ronald, camisas 12 e 8 respectivamente, davam ritmo ao jogo do Guerreiro, com o último sempre vindo de trás buscando tabelas e infiltrações com Leonardo e Gilson. E foi do camisa 12 a primeira grande chance da partida, parando nas mãos do excelente Alessandro. O Talentos começou interessante mas baixou o ritmo com um meio campo mais preenchido do rival.  Muito pela qualidade individual, ressaltada pela saída de bola de Ronald, causando confusão ao time adversário.

O primeiro gol saiu em um bonito chute de João Pedro, defensor do Talentos, rasteiro no canto direito de Geovane. 1×0. Por pouco tempo.  Ronald e Ernesto, dupla dinâmica dos amarelo e preto, fez bonita tabela que enganou Alessandro. 1×1. O ritmo era rápido, ambos se lançavam muito ao ataque, com o Talentos deixando bom espaço para empreitadas ofensivas do rival, o que rendeu a virada. Em um contra-ataque fulminante orquestrado por Ernesto, com Ronald, livre sem Alessandro debaixo da meta, para marcar 2×1 e pesadelo do time vinho, também por pouco tempo

O jogo aberto possibilitava ambas equipes a terem diversas oportunidades de gol, o que encheu os olhos dos torcedores e arrepiou os treinadores, desesperados com a fraca atuação defensiva de ambos. E foi de Edirleo uma baita ajeitada para Eduardo Sousa empatar a partida. Ernesto ainda tentara com arremates longos, evidenciando a pressa do time mais qualificado tecnicamente em resolver a partida e levar os 3 pontos.

Junto com o segundo tempo voltaram as defesas, abertas como sempre e vazadas como nunca. 3×2 em uma falha conjunta que presenteou o camisa 12 de Belford Roxo com mais um gol, o segundo dele. Mas também por pouco tempo, já que Danillo roubou a bola de Bruno para empatar e incendiar de vez o jogo, criando esperanças na equipe – em vão.

Ernesto, sempre ele, foi muito eficiente e usou a cabeça para desempatar o jogo e irritar um excelente e inspirado Alessandro que não aceitara o resultado que se desenhava. Um minuto foi preciso para que Bruno achasse Leonardo na ponta direita, 5×3 e um resultado encaminhado.

Melhor para o Guerreiro FC, embalado com o gol relâmpago, ainda aumentou a vantagem no apagar das luzes, Ernesto para Ronald.  6×3 e um jogo resolvido na técnica.  Ainda dava tempo para o camisa 12 fazer o sétimo, não foi possível, Alessandro estava lá.

Com o fim do jogo, nada de lamentações, o Talentos da Fé encontrou um time muito entrosado com jogadores acima da média. O Talentos tem garra, apesar dos lapsos de concentração, pode chegar longe por ter um time de qualidade em peças cruciais. Nada que não impeça, é claro, uma evolução que se mostrou muito necessária nesse revés.

 

Melhor do jogo:

Ernesto do Guerreiro FC  –   Dois gols, duas assistências, muita entrega e participação no jogo coletivo. Grande partida do camisa 12.

 

Destaques:

Ronald do Guerreiro FC – Bem nas saídas de bola, foi a válvula de escape para a equipe.  Trabalho premiado com dois gols e uma assistência.

Alessandro do Talentos da Fé – Sempre seguro, e de opinião pessoal o melhor goleiro do campeonato evangélico.   Sempre consegue se destacar mesmo que perante o caos.  Ou seja, uma defesa que não o resguardou em momentos de baixa concentração.

MR FC derrota Raridade em jogo de 18 gols e segue com chances de classificação para as oitavas

Por Lucas Bichão

Pelo Grupo C do Campeonato Carioca, Raridade e MR FC se enfrentaram em jogo válido pela 4ª rodada. Um duelo que trouxe perigo às chances de classificação do time de São João de Meriti, que até a rodada passada era líder invicto de sua chave.

Com uma vitória por 10 x 8 que poderia ter sido muito mais tranquila, o MR sobe na tabela de classificação, ainda sonhando com boas perspectivas. Os alvirrubros foram liderados pela ótima atuação de Hugo, que mais uma vez demonstrou desenvoltura e eficiência na frente do gol. A partida também contou com a curiosidade de terem sido marcados 5 shootout a favor do time perdedor, que teve a proeza de desperdiçar 4 deles.

O Jogo…

Ambas as equipes pisaram no gramado sintético da Pau Ferro como se tivessem dado entrada na ala de emergência de um hospital. Precisando se recuperar da última derrota, para o MAV, o Raridade necessitava de uma vitória para continuar sua busca por vaga na fase eliminatória. A situação do time de Campo Grande não era diferente. Apesar de conseguir um empate que valeu como vitória no jogo anterior, o MR FC ainda não possuía vitórias na competição e aguardava no marasmo com apenas 2 pontos de 9 possíveis.

O que diferenciou os times em situação semelhante em campo foi o medicamento que tomaram ao serem atendidos na enfermaria. Anestesiados e sobrevivendo a base de morfina, os alviverdes demostraram total desconcentração na partida. Elogiados até a segunda rodada por possuírem uma defesa consistente, essa qualidade parece ter caído por terra. Foram 10 gols sofridos e poderiam ter existido muitos mais se o adversário não tivesse desperdiçado algumas de suas oportunidades. Ligado na tomada, o MR apresentava efeitos colaterais da Adrenalina. A batida acelerada dos corações possibilitou uma boa construção do placar, mas também fez com que o os integrantes do time cometessem muitas faltas bobas e impensadas.

Em apenas 25 minutos de partida, a dupla feita por Nuno e Hugo foi dominante. O meia e camisa 10 alvirrubro tem um dos chutes de maior qualidade do Carioca, um histórico que carrega desde a edição passada da competição. Com belo arremate de fora da área, o armador da equipe não deu chances para o goleiro adversário esboçar qualquer chance de defesa. Depois de abrir o placar, houve uma intercala entre Hugo e Nuno até o 4 x 0. Ressalva para o quarto gol, este que já pode ser considerado o gol da rodada! Huguinho conquistou a bola na entrada da área e fez o quis com a redonda, driblou o goleiro, o zagueiro da sobra e entrou carinhosamente com a bola para dentro da meta.

O primeiro tempo só não passou em branco para o Raridade, pois a intensidade do MR era tamanha que foi possível marcar um shootout pouco antes do apito soar. Em lance quase cômico, o goleiro Léo conseguiu defender a ofensiva de seu rival, mas o derrubou no processo. Ao tentar ajuda-lo a se levantar, como um médico salvador, o goleiro deu a brecha para o rebote de Renan, este que diminuiu a profunda ferida que havia no marcador.

Na segunda fase do tratamento de emergência, os deuses do futebol pareceram ter se enganado quanto aos medicamentos e os inverteram. Inicialmente acelerado pelo efeito da Adrenalina, o Raridade colocou maior velocidade na partida. Ainda nos primeiros minutos, Wallace aproveitou bom passe de Vitor para chutar rasteiro e fazer 4 x 2. Essa intensidade até se manteve por mais alguns instantes, mas os alviverdes não aproveitaram as chances e a chefia do hospital desfez as trocas errôneas. O MR voltava a chegar forte nas divididas, ainda com muitas faltas e com muitos gols.

Como um deus do trovão, o pivô grandalhão, Gil, foi lançado pelo baixinho Hugo e de bicuda mandou seu raio contra as redes. Os sinais perfeitos para uma chuva de gols que estaria por vir. Com a expulsão de Wellington, o Raridade teve mais espaços para jogar e os desperdiçou gloriosamente. Nunca atingiu a liderança do placar, nem sequer um empate para dar esperanças. Nesse processo, ainda conseguiu desperdiçar outros três shootouts, fazendo gol em apenas um deles, porém devido a um rebote. Ao menos Maurício conseguiu remediar o péssimo desempenho nessa espécie de penalidade, quando ao apagar das luzes converteu seu shootout. Para lavar a alma!

Ao fim das bolsas de medicação, o MR FC recebeu alta com prescrições médicas ainda severas. A primeira vitória no Carioca dá margem para acreditar, mas será preciso maior foco no setor defensivo. Já o Raridade foi mantido no hospital para maiores observações. Apesar de ainda estar na frente de seu adversário na partida, a queda vertiginosa das últimas duas partidas pode custar a vida no resto da competição.

Notas:

Hugo “Huguinho” (Meia) | MR FC – 9,0: um monstro em campo! Hugo fez chover sobre o adversário, e o hat-trick duplo (3 assistências / 3 gols) mostrou bem isso.

Nuno (Meia) | MR FC – 8,5: esteve fora na maior parte dos minutos jogados, mas foi essencial para a partida. Seus gols foram quase 50% dos feitos pelo pela sua equipe (4/10). É um dos principais artilheiros da competição, com 7 tentos bem-sucedidos.

Douglas (Ala) | Raridade – 8,0: o mais aguerrido de seu time na partida, correndo toda a extensão do campo até os minutos finais. Poderia ter sido o grande herói, mas errou lances primordiais como um shootout. Seu hat-trick não foi suficiente para salvar o time da derrota.

União IBV desencanta, vence Guerreiros de Cristo com autoridade e ainda sonha com as oitavas

Por Diogo Priori

Felizmente uma tarde nublada no Clube Pau-Ferro. Não que o sol seja um incômodo para os jogadores em campo; encarem apenas como uma singela comemoração de um cronista que não derreteu debaixo de um sol escaldante, gerando um clima adequado para mais uma tarde de futebol recheada de gols válida pelo Campeonato Evangélico 2018. Direto do campo 3, União IBV e Guerreiros de Cristo mediram forças frente a frente em um emocionante confronto válido pela quarta rodada.

Mais organizado em campo, o IBV foi pra cima capitaneado ofensivamente por Wellerson, Joldair e Fernando, ainda contando com a excelente consistência de Tiago no meio-campo. E foram suficientes apenas dois minutos para que Fernando se infiltrasse na área adversária com três pitadas de malandragem para tocar na saída do goleiro José Ivanildo e abrir o placar. Mas não por muito tempo, um minuto depois bastou um contra-ataque rápido para que Diego, camisa 5 do Guerreiros, virasse rápido e chutasse no canto direito para surpreender Joao Vitor. 1×1.

Apesar do empate, o IBV ainda tinha o maior controle da posse de bola. A organização tática fazia jus a um setor ofensivo que contribuía (e muito) na marcação. E foi Fernando novamente quem marcou, desempatando após um petardo de Wagner Arruda. O Camisa 8 tem de agradecer ao goleirão rival pelo presente.

Jogo muito intenso após o gol, com ritmo alto e muitas chances para ambos os lados. Fernando pintava e bordava na zona de ataque, pressionando a zaga adversária, parecia cem vezes mais disposto que os defensores nos embates, vide seu segundo gol. O time azul e vermelho mostrava sua vocação ofensiva e também duas doses de sorte. Foi quando Wagner, sem querer querendo (parafraseando Chapolin Colorado), mandou a bola na cabeça de Joldair. 3×1.

Não demorou muito para que o quarto gol aparecesse. O Guerreiros diminuira muito o ritmo do início e, desanimado com as empreitadas ofensivas de sucesso do adversário, baixou o ritmo e tomou mais um. Fernando, em dobradinha com Wellerson, marcou seu hat-trick. 4×1.

Início de segundo tempo e o Guerreiros de Cristo não tinha muito tempo para lamentações.  Foi com esse espírito que Darlan tentava e muito na frente. Seu pivô era prejudicado pela falta de infiltração dos seus companheiros, em partida apática do muito confuso Douglas, camisa 10 do time branco. Em pane coletiva, foi o único destaque do Guerreiros, Darlan, quem marcou dois gols em dois minutos e encostou no placar. Pacientemente esperou a bola quicar na área para fuzilar no gol de João Vitor. E na segunda oportunidade, em bola, alta encostou no placar. 4×3. Nervoso, porém mais concentrado, o IBV resolveu voltar ao jogo após o cochilo do intervalo. Em bonita tabela de Joldair e Wellerson, sobrou para o último a chance de converter e tranquilizar o banco do seu time.  5×3 e um alívio azul-vermelho.  E vinha mais.  Com Joldair em bonita finta jogando para Wellerson novamente estudar as redes.  Dupla entrosada e eficiente.  6×3 e um jogo apenas para ser administrado.

Controlando o meio-campo e impondo um ritmo muito mais lento que o de início, o domínio da partida voltou para o IBV. Fernando, substituído no intervalo e voltando a partida só após o quinto gol, mostrou o quanto é importante para a marcação na zona de ataque, não deixando espaços para o Guerreiros criar desde a saída de bola. Ambos os times cansados já afrouxavam a marcação e deixavam um jogo mais solto e aberto. Dessa abertura Wagner Arruda, zagueirão número 4 e responsável indireto por dois gols (uma assistência e um chute que gerou rebote) acertou o ângulo esquerdo de Zé Ivanildo para matar o placar. 7×3. Alívio e êxtase do defensor.

Nos minutos finais, Joldair ainda lançara Fernando para, com muito categoria, marcar seu quarto gol e o oitavo do IBV.  Fechando merecidamente seu esforço e, consequentemente sua atuação de gala. 9×4 sem nenhuma discussão sobre merecimento e qualidade futebolística.

 

Melhor do jogo:

Fernando do União IBV   –   Raça e eficiência do camisa 8 do IBV o consagraram como o melhor da partida, sem desmerecer seus dois companheiros de ataque (Wellerson e Joldair) como parte de seu sucesso.

 

Destaques:

Wellerson do União IBV – Determinante na vitória de sua equipe.  Dois gols e uma assistência.

Darlan do Guerreiros de Cristo – Por mais que seu Hat-trick não tenha sido suficiente para salvar seu time da derrota, seu desempenho individual foi exemplar e de encher os olhos.  Jogador com excelente posicionamento e grande entrega.

Vencedores em Jesus goleia Galáticos da Catedral e se classifica para as oitavas do carioca

Por Thaise Lima

E lá se foi mais um sábado de jogos no Pau Ferro FC, as equipes Vencedores em Jesus e Galáticos da Catedral se enfrentaram pela 4ª rodada do Campeonato Evangélico.

O jogo começou calmo, com poucos lances de bola e nenhuma finalização. Poucos minutos depois da partida ficar serena durante algum tempo, o Vencedores se mostrou mais presente, mas não demorou muito para o Galáticos perceber que a equipe adversária estava buscando firme por um gol, então um passe de Kelvin bem aproveitado por Lucas Abreu fez o time abrir o placar da partida.

O Vencedores em Jesus por sua vez se agitou e correu atrás do prejuízo, até porque antes de tomar o gol, o time estava em destaque na partida com mais domínio de bola e oportunidades de gols, sendo assim não perderam o pique e um chutaço de Iago Azedo, sem nenhuma assistência. que marcou o empate. O jogo ficou truncado, foram alguns minutos de bola rolando sem chances de gol para nenhuma das equipes, mas mesmo o jogo meio confuso e os times deixando transparecer em algumas passadas de bola que não tinham analisado o estilo da equipe adversária, o passe de Lucas Maia fez Edvan Jr enfiar a bola bem no centro da rede e emplacar mais um gol.

Antes da virada de jogo que deixou o Galáticos em desvantagem, a equipe já estava sentindo o impacto nas jogadas, o time adversário não deixava a bola ser guiada pelas chuteiras galáticas, impedindo a equipe de ter oportunidades de virar o jogo. Mas já faltando poucos minutos para acabar o primeiro tempo, o passe de Arthur da Silva fez Marcos Antônio e marcar o empate do jogo. E assim acabou o primeiro tempo 2 x 2.

Com o placar empatado, o segundo veio com as duas equipes buscando, de forma ofensiva, desempatar e assim manter o destaque na partida. Diferente do primeiro tempo, o jogo nessa segunda parte começou com uma melhora nas jogadas, com um pique mais agitado. A partida estava tão entrosada que espontaneamente Vagner da Silva emplacou o tão esperado gol do desempate, abrindo vantagem no placar dos Vencedores em Jesus.

Depois do desempate, o jogo voltou a ficar parado durantes alguns longos minutos. Após a tranquilidade na partida, os “galáticos” firmaram as chuteiras nos gramados buscando virar o jogo, mas o time de Nova Iguaçu estava disposto a conquistar sua terceira vitória na competição. Em um curto espaço de tempo, Lucas Maia e Vagner marcaram e levaram o placar para 5×2. Após mais uma parada, o Vencedores conseguiu seu sexto gol, Vagner, o craque da partida, deu passe para Rafael marcar. Final, 6×2!

Num apanhado geral, foi uma partida tranquila e calma. O Galáticos talvez não tenha tido calma para analisar o jogo do adversário, diferente do seu rival que soube neutralizar as jogadas contrárias e fazer seus gols.

NOTAS:

Vagner (Vencedores em Jesus) – 9

Lucas Maia (Vencedores em Jesus) – 8

Marquinhos (Galáticos da Catedral) – 7

Arthur (Galáticos da Catedral) – 7

Sete Vezes Mais vence a primeira no carioca, elimina o Jesus na Área e está a um empate das oitavas

Por Eduane Pereira

Na tarde de sábado, 14 de Abril, ocorreu a quarta rodada do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por um duelo entre o Sete Vezes Mais e o Jesus na Área, as equipes se enfrentaram no campo do Pau Ferro. Ambas as equipes precisavam da vitória para não serem eliminadas precocemente da competição. O Jesus na Área, time de maior tradição e campeão da primeira edição, voltou a ter uma atuação abaixo da média e acabou perdendo e sendo eliminado. Já o Sete Vezes Mais se mostrou bem mais equilibrado que nas outras partidas e venceu por 6×3, permanecendo com chances de chegar nas oitavas.

As equipes iniciaram com jogo morno e parado, o Sete Vezes Mais notou a pouca troca de passes dos adversários para dominar a partida e conseguir sua primeira vitória pelo grupo A. No segundo tempo, os veteranos de Piedade mostraram boa desenvoltura no jogo e conseguiram amenizar a goleada que estavam tomando. O jogo finalizou com o placar de 6×3 e o destaque da partida foi o camisa 18, Rodolfo de Sousa, autor de dois gols.

O jogo iniciou com o Sete Vezes Mais atacando, já o Jesus na Área criou algumas jogadas, mas errava na troca de passes. Patrick fez uma bela tentativa, mas a bola pegou em cheio na trave. Pedro também buscou o gol com um belo chute, mas o goleiro defendeu. Em seguida o camisa 9 fez outra tentativa, mas Bruno Lima agarrou no momento exato. João Davi criou uma jogada com Davi, o camisa 7 driblou um adversário e deu um toque preciso para Davi que recebeu e concluiu com um belo chute, mas pegou na trave.

Aos 20 minutos de bola rolando ambas as equipes fizeram algumas tentativas, mas mantIveram o jogo muito morno. O time azul e branco notou a falta de ímpeto dos rivais e Rodolfo buscou o gol para sua equipe, o camisa 18 correu com a bola e deu chute certeiro, sacudindo a rede dos adversários. Em seguida João Davi deu um toque para Pedro que marcou um belíssimo gol. Vencendo por 2×0, o Sete Vezes Mais recuou em campo e fortaleceu a marcação, Patrick chegou a fazer algumas tentativas no final do primeiro tempo, mas sem sucesso.

No segundo tempo as equipes estavam realizando um jogo morno, o Jesus na Área buscou o gol novamente com Pedro, mas o goleiro Bruno defendeu muito bem o seu time. Allan também fez uma boa tentativa, dando um chute de longe, mas o goleiro agarrou. Aos 10 minutos, Igor fez uma jogada estratégica com Matheus, o camisa 5 tocou para Matheus que devolveu pela lateral ao Igor que recebeu e finalizou com um golaço. Em seguida Matheus marcou o quarto gol para o seu time.

Os jogadores do Sete Vezes Mais diminuíram o ritmo e Allan aproveitou para marcar um belo gol para o Jesus na Área, diminuindo a diferença. Aos 20 minutos, João Davi tocou para Rodolfo que marcou um golaço de bicicleta. Allan buscou o segundo gol do seu time, o camisa 13 deu um chute certeiro para Michel que concluiu com um belo gol. Na sequência Fabrício marcou um belíssimo gol, com assistência de Allan. No último minuto Michel fez uma boa tentativa, mas Bruno defendeu. Patrick roubou a bola dos rivais no final da partida e tocou para Ygor Dias que marcou um bonito gol.

O jogo terminou com a vitória do Sete Vezes Mais com o placar 6×3. A equipe de azul e branco fortificou o ataque e melhorou nas jogadas coletivas, teve alguns erros no segundo tempo, mas manteve a vitória. O Jesus na Área aproveitou mais o segundo tempo, mas a equipe ainda está errando muito na troca de passes, o time de Piedade só não tomou uma goleada maior, porque o Allan segurou o time, o camisa 13 marcou um belo gol e esteve presente nos outros dois. O destaque do jogo foi o camisa 18, Rodolfo de Sousa, autor de dois golaços. Com o resultado, o Jesus na Área não tem mais chances de classificação para as oitavas e o Sete Vezes Mais joga por um empate com o Galáticos da Catedral para se classificar.

 Notas:

Rodolfo de Sousa – 8,0: O ala do Sete Vezes Mais teve um ótimo desempenho no jogo, abriu o placar para o seu time, autor de dois golaços, aproveitou bem as oportunidades em campo e criou boas jogadas.

Allan da Silva – 7,5: O ala do Jesus na Área marcou um belo gol, esteve presente nos outros dois em que fez ótimas assistências, participou das jogadas coletivas e carregou o time nas costas durante o segundo tempo.

Bruno Lima –7,0: O goleiro do Sete Vezes Mais fez defesas incríveis no primeiro tempo e dificultou muito o jogo para o Jesus na Área, já no segundo tempo tomou três gols, mas não permitiu que os adversários virassem o jogo.

Vivendo em Triunfo goleia Gênesis e se aproxima da vaga direta nas quartas do carioca

Por Thaise Lima

Na tarde do último sábado aconteceu a 4ª rodada do Campeonato Carioca Evangélico. As equipes do Vivendo em Triunfo e Gênesis FC se enfrentaram as 12:23 h e protagonizaram uma partida típica de um mata-mata.

O jogo já começou eufórico, as duas equipes jogavam de forma ofensiva buscando abrir o placar, tanto que com dois minutos de bola rolando, um passe de Rodrigo Fernandes encontrou Danilo Oliveira livre na marca do pênalti para abrir o placar favorecendo a equipe do Vivendo em Triunfo.

O Gênesis se abalou com o gol sofrido, em contrapartida a equipe adversária seguia buscando o segundo gol, que não demorou a sair, a dupla Rodrigo e Danilo entrou em ação novamente em mais uma boa trama, que resultou numa nova assistência do camisa 18, Danilo Oliveira, para o camisa 6, marcando o segundo gol do jogo. A equipe do Vivendo em Triunfo não se acomodou com os dois gols de vantagem no placar e buscava liquidar logo o jogo, mas o Gênesis resurgiu como uma fênix e diminuiu com Marlon dos Santos. O gol colocou o time do Estácio novamente na partida, que passou a ter mais posse de bola e criar mais chances, porém não contava com um pênalti a favor do adversário convertido por Marcelo. 3×1.

Mesmo com boa vantagem no marcador, o Vivendo em Triunfo não tirou o pé do acelerador e chegou ao quarto gol, dessa vez, novamente, Danilo Oliveira mostrou sua habilidade e deu passe para Marllon Deyves que protagonizou o gol. E assim terminou o primeiro tempo.

No segundo tempo, a equipe do Gênesis voltou disposta dar seu melhor na partida e quem sabe conseguir alcançar a equipe adversária no placar. Isso se mostrou presente quando  Marlon dos Santos tocou para para Lucas Fonseca marcar o segundo gol do time, diminuindo a diferença de placar.

Depois do segundo gol do Gênisis, o Vivendo em Triunfo diminuiu o ritmo da partida buscando administrar o resultado. O jogo ficou morno durante uns bons minutos, mas isso não impediu o goleiro Marcus Vinicius de trabalhar. Em descida da equipe adversária, o goleiro apareceu de forma sensacional ao fazer 3 defesas em sequencia impedindo gol que parecia certo da equipe azul. As defesas do goleiro ligaram o sinal de alerta dos jogadores do Vivendo, que voltaram a dominar a partida e chegaram ao quinto gol com passe de Marcelo Lima e gol de Marllon Deyves.

Com 5 x 2 no placar, o Gênesis não demonstrava força para buscar uma reação e deixava generosos espaços em sua defesa, tanto que o destaque da partida, Danilo Oliveira, coroou sua atuação de gala balançando a rede por mais duas vezes, mas no apagar das luzes, o Gênesis fez mais um gol de Lucas Fonseca e assim dando números finais à partida.

O jogo acabou com o placar de 7 x 3 para o Vivendo em Triunfo, não que a diferença de gols defina que o Genesis atou mal na partida, de forma alguma, o time foi persistente até o final quando ainda não tinha mais esperanças. Mas o atual campeão parece melhorar a cada partida e vê cada vez mais o bicampeonato no seu horizonte.

NOTAS:

Danilo (Vivendo em Triunfo) – 10

Lucas Fonseca (Gênesis) – 8

Marcus Vinicius (Vivendo em Triunfo) – 8

Marcelo (Vivendo em Triunfo) – 7

 

MAV reage no segundo tempo, vira pra cima do Galáticos do Céu e já está nas quartas do Carioca

Por Eduane Pereira

No último sábado, 14 de Abril, ocorreu a quarta rodada do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por um confronto intenso entre  MAV e Galáticos do Céu, as equipes se enfrentaram no campo do Pau Ferro. Ambos os times, que estavam invictos no grupo C, duelaram intensamente em busca da vitória, uma partida cheia de reviravolta que deixou os espectadores cheios de dúvidas e incertezas, qual time vencerá? Bom, essa pergunta eu irei responder, após muito empate e desempate, quem saiu do campo com a vitória foi o MAV e com um gostinho muito especial de líder do grupo C e garantido nas quartas da competição.

As equipes iniciaram equilibradas, com uma boa marcação, com ótimo ataque, dando o melhor de si em campo. O Galáticos do Céu mostrou sua força em campo e dominou a partida durante todo o primeiro tempo, a equipe de uniforme azul estava com a vitória no bolso até boa parte do segundo tempo, mas o MAV mostrou sua habilidade e experiência em campo e virou o jogo nos últimos minutos. O time de Realengo marcou mais uma merecida vitória no campeonato, por 7×6. O destaque da partida foi o camisa 99, Rennan, autor de três gols e uma assistência

O Galáticos iniciou com o domínio da bola e tentou criar uma jogada pela lateral, mas Robinho roubou a bola e cruzou para Igor que tentou finalizar, mas não teve sucesso. O time de camisa azul bateu escanteio e Carlos Nascimento cabeceou para o gol, mas não entrou, por pouco o camisa 9 não marcou um golaço. João Marcos e Dario fizeram belas tentativas, mas o goleiro Lucas defendeu. Fábio buscou o gol para o Galáticos pelo meio, mas o goleiro espalmou a tempo.

Aos 10 minutos de bola rolando, a partida estava intensa e ambos os times fizeram boas tentativas de marcar o gol, mas um deslize da equipe do MAV deu a chance para o camisa 9, Carlinho, dar um toque certeiro para Fábio que concluiu com um golaço. Luiz Cláudio buscou o gol, mas João Marcos roubou a bola e partiu para o ataque, o camisa 10 deu um belo chute, mas Lucas agarrou.

Após ter sofrido o primeiro gol, o time de Realengo se desconcentrou em campo e diminuiu na marcação, o Galáticos do Céu aproveitou o desespero do rival e dominou o jogo com muita destreza. Aos 17, o Galáticos marcou dois golaços, da dupla Daniel e Carlinho. O camisa 18 deu o passe para Carlos que cruzou na lateral e chutou bonito, sacudindo a rede do time listrado. Na sequência a dupla marcou outro gol, Daniel roubou a bola e tocou para Carlos que finalizou com um belo chute, o goleiro do MAV tentou segurar, mas a bola entrou em cheio no gol.

O MAV, que estava perdendo de 3×0, se recuperou em campo e voltou a jogar com determinação, faltando 3 minutos para terminar o primeiro tempo, Felipe de Oliveira correu com a bola, com precisão o camisa 6 chutou de longe e marcou um belíssimo gol. No último minuto Marcos Filho marcou o quarto do Galáticos do Céu, com uma bela assistência de Humberto, finalizou o primeiro tempo com o placar de 4×1.

A equipe do MAV retornou ao campo atacando os adversários e marcando um gol bem no início do segundo tempo, Rennan deu o passe para Jean que concluiu com um belo gol. Eric e João Marcos fizeram boas tentativas, mas não conseguiram finalizar a jogada. Aos 10 minutos, Felipe encontrou sua segunda oportunidade de marcar. Na sequência foi a vez de Rennan, o camisa 99 marcou um belo gol de rebote e empatou a partida.

Com o placar em 4×4, o jogo ficou mais intenso e as equipes buscaram o desempate. O Galáticos reforçou seu contra-ataque e marcou o quinto com Pedro Henrique, um golaço. Faltando quatro minutos para encerrar a partida, Fábio bateu o pênalti para o Galáticos, mas o goleiro do MAV defendeu muito bem. O time que perdia aproveitou o desespero dos rivais e empatou o jogo, Eric deu mais um passe certeiro, dessa vez para Rennan que finalizou com um bonito gol. Na sequência, Dario virou o placar com um golaço. Faltando um minuto para o final da partida o Galáticos empatou com um belo gol de Marcos Filho com assistência de Fábio, mas a equipe de azul cometeu uma penalidade que favoreceu o MAV, Rennan bateu o pênalti e marcou mais um golaço, garantindo a vitória do MAV no último minuto.

O jogo encerrou com a vitória do MAV de 7×6 e a equipe mantém a liderança no grupo C, o time de Realengo jogou muito, estava determinado, teve alguns erros no início, mas conseguiu se recuperar e virou o jogo no segundo tempo. O Galáticos do Céu que ainda não tinha perdido nenhuma partida teve um ótimo desempenho em campo, dominou o primeiro tempo, fez uma ótima marcação, mas cometeu uns deslizes no segundo tempo que o MAV aproveitou para virar o jogo e uma penalidade no final da partida que foi crucial para o time.  O destaque do jogo foi o meia Rennan Vilar, autor de três gols e uma assistência, Rennan fez os três gols em homenagem ao seu primo que faleceu um dia antes.

As mais sinceras condolências ao Rennan e seus familiares da Equipe Campus Esportes.

Notas:

Rennan Vilar – 9,0: O Meia do MAV jogou muito durante toda a partida e marcou três golaços no segundo tempo. Ele foi essencial para a virada do time de Realengo.

Carlinho – 8,0: O pivô do Galáticos do Céu jogou muito bem, marcou dois belíssimos gols e fez ótimas jogadas coletivas.

Felipe de Oliveira – 7,0: O meia do MAV marcou dois belíssimos gols, sem assistência, criou boas jogadas individuais, mas precisa melhor nas jogadas coletivas.