Galáticos FC derrota São Pedro e está na final do Carioca contra o Newell’s Aposentados Boys

Por Walter Paz

O Galáticos, equipe de melhor campanha no campeonato, já teve uma prova de que nem sempre o melhor time vai obter uma vitória tranquila. Nas quartas de final tomou um sufoco até a metade do segundo tempo, mas parece ter aprendido a lição. Mais focado e imprimindo seu forte ritmo de marcação o time de Caxias atropelou o São Pedro com uma goleada de 7×2 e se classificou para a final da segunda edição do Carioca Católico.

Primeiro Tempo Equilibrado

Numa semifinal de Campeonato não existe favoritismo. Em campo é o mesmo número de atletas, que buscam, equilibrando técnica e tática, se impor dentro de uma partida para obterem a vitória.

Nessa partida não foi diferente. O São Pedro começou com muita sede de vitória, buscando uma marcação pressão no campo do adversário. O time do Recreio só não contava com um adversário aplicado que logo no primeiro minuto teve um gol bem anulado pelo juiz após seu camisa 10, Denílson, carregar a bola com a mão antes de fazer a finalização. O jogo seguiu equilibrado até os seis minutos, quando o mesmo Denílson, numa cobrança de falta que desviou na barreira matando o goleiro do São Pedro, abriu o placar.

A partir daí o jogo continuou bastante nivelado no meio campo, com os dois times se estudando e buscando atacar sem se arriscarem muito, deixando a partida um pouco truncada, com os marcadores se sobressaindo sobre os atacantes. Até que, aos 15 minutos, num ataque bem tramado com Iago, Denílson marcou o segundo na partida e ampliou a vantagem. No final do primeiro tempo, o São Pedro esboçou uma reação com seu camisa 10, Igor, que, numa bela assistência de Rafael, diminuiu o placar, terminando o primeiro tempo com o placar de 2 x 1 pra o Galáticos.

Segundo Tempo

No início da etapa final, o São Pedro igualou o placar numa tabela rápida entre Rafael e Ricardo, onde Ricardo marcou o gol de empate e renovou as esperanças do time do Recreio.

O Grande Ditador

Parafraseando o título de um grande filme de Charles Chaplin dos anos 40, Iago, melhor jogador do Galáticos no jogo, passou a tomar as rédeas da partida e, logo após ao empate, fez uma jogada individual pelo meio de campo, driblando três jogadores e tocando na saída do goleiro para colocar sua equipe novamente na frente do jogo.

A partir daí, Iago assumiu o papel principal de jogador da partida e ainda permitiu que Denílson se tornasse o melhor atleta coadjuvante, marcando quatro gols, todos com assistência dele.

Aos dez minutos, Iago deu uma assistência milimétrica para Gabriel marcar o quarto gol e dar uma tranquilidade no jogo para a equipe de Caxias, que passou a construir jogadas bem articuladas, onde o São Pedro não conseguia mais forças para evitar os ataques que eram eficazes e mortais. Próximo dos 15 minutos, Iago, em mais uma jogada individual, decretou o quinto gol e mostrou quem é um dos grandes candidatos ao título desse Carioca Católico.

Com mais duas assistências para Denílson, Iago escreveu seu nome na calçada da fama dessa semifinal e colocou sua equipe como provável protagonista para a busca pelo título.

O placar de 7 x 2 acabou sendo justo pela melhor equipe de nível técnico ter mostrado sua superioridade e conseguido a vitória, embora até o início do segundo tempo o equilíbrio tenha dado a tônica do jogo.

Agora, na reedição da final da última edição do Carioca, Galáticos e Newells Aposentados Boys, ambos com 100% de aproveitamento, vão protagonizar um duelo de Titãs em busca da Taça. Revanche ou Freguesia? Só saberemos no dia 10 de novembro.

Newell’s Aposentados Boys derrota Real Boleiros e está na final do Carioca onde tentará o Bi

Por Thaise Lima

Lá se foi mais uma tarde de jogos do campeonato Católico no campo do Pau Ferro FC. Este sábado a rodada foi diferente, os times Newell’s e Real Boleiros disputavam uma vaga na grande final do Campeonato Católico.

O jogo começou com o Newell’s tomando as rédeas da partida, tanto que aos 3 minutos de bola rolando o time abriu o placar em bela cobrança de falta de Darlan. Em desvantagem no placar, a equipe do Real Boleiros se via na obrigação de buscar o empate, mas encontrava muita dificuldade em impor seu ritmo de jogo, muito em função da sequência de ataques imposta pelo Newell’s.

Aos poucos o Real foi se mostrando mais presente na partida, tanto que teve sua primeira oportunidade aos 8 min de jogo por Fabrício Andrade, este que logo em seguida, empataria a partida completando para o gol, após passe de Bruno Costa. Após o empate, a partida ficou equilibrada, porem o Newell’s conseguia encaixar melhor seus ataques, enquanto o Real ficou mais dependente das bolas paradas.

O atual campeão seguia tendo mais oportunidades, em uma delas Leandro Lima bateu para a boa defesa do goleiro Caio. O primeiro tempo já estava se encerrando e o ritmo da partida foi diminuindo a partir do forte calor, mesmo os times desejando desempate ao seu favor, a equipes diminuíram a velocidade e assim terminou o primeiro tempo, Newell’s 1 x 1 Real Boleiros.

Na volta para o segundo tempo, o jogo começou agitado com o Newell’s tendo iniciativa desde o início, foi aí que, aos 3 minutos, Lucas Medeiros viu a oportunidade e desempatou o jogo. Mesmo com o placar em vantagem, o time da zona oeste manteve o pé no acelerador e em fração de segundos emplacou mais um gol, dessa vez protagonizado por Darlan, com assistência de Leandro Lima.

Após dois gols quase consecutivos, o Real, que estava em desvantagem no placar, se manteve na defensiva na partida, sem toques e oportunidades de bola, já que o time adversário estava no ataque. Depois de alguns minutos, o time de Turiaçu enfim teve uma chance de marcar o segundo gol, mas o Newell’s defendeu. Logo depois da defesa, o time que vencia não perdeu tempo e Irving Santos marcou o quarto gol com assistência de Lucas Medeiros.

Ao perceber que estava sem passes de bola durante a partida, o Real Boleiros pediu tempo, ao voltar pra o jogo, o time reagiu e passou a não apenas se defender. Foi aí que aos 8 minutos, Gabriel Henrique aproveitou o passe de Bruno Costa e marcou o segundo gol do time. Durante alguns minutos, o Real teve mais chances de gol em comparação ao adversário, e foi em um desses passes de bola que Gabriel Henrique emplacou mais um gol, mas dessa vez com assistência de Nicholas França.

Com a equipe adversária marcando dois gols seguidos, o Newell’s começou a reagir dentro da partida, Darlan chutou para o gol, mas o goleiro Caio Gonçalves defendeu, logo em sequencia foi a vez do camisa 23 Leandro tentar marcar, mas de novo Caio conseguiu pegar. Mas aos 17 minutos, Mateus da Silva fez a cobrança de falta e emplacou o quinto a favor do Newell’s. Com a partida chegando ao final, o jogo começou a ficar agitado, mesmo com o placar 5 x 3 Newell’s, as duas equipes não arredaram o pé e continuaram a jogar de verdade. O lance de Nicholas França quase fez o Real emplacar o quarto gol, mas o goleiro Amadeu Costa conseguiu pegar, o Newell’s também teve algumas chances de marcar outro gol, mas foi falha.

E assim terminou a partida, mesmo com a diferença de dois gols a favor da equipe adversária, o Real não desistiu e jogou firme até o arbitro apitar o fim do jogo e dar a vitoria pra o Newell’s. Uma partida empolgante e típica de uma semifinal, onde as equipes disputam por igual e já são vitoriosas só de estarem ali.

Na grande final dessa segunda edição do Carioca Católico, o Newell’s volta a enfrentar o Galáticos FC. Jogão de bola no dia 10 de novembro.

 

 

 

Guerreiro FC vence Talentos da Fé e garante melhor campanha no grupo A do Carioca

Por Marcio Nunes

Quando dizem que o melhor fica para o final não é exagero. As duas equipes com 100% de aproveitamento, e já classificadas para a segunda fase do Cariocão Evangélico, se enfrentaram pelo grupo A na última rodada da fase inicial para decidir quem ficaria na ponta. O encontro se deu no Pau Ferro Futebol Clube, bairro do Pechincha, Zona Oeste da cidade maravilhosa. De um lado os atuais campeões, Guerreiro FC, e do outro o Talentos da Fé, vencedor do Torneio de Inverno. Com a bola rolando não faltou emoção. Em dois tempos muito equilibrados o que fez a diferença foi o talento individual e o contra-ataque fatal do Guerreiro para sair de campo com mais três pontos na conta, garantir o primeiro lugar e fechar a fase de grupos com aproveitamento máximo.

O primeiro tempo começou movimentado, com os dois times marcando forte e diminuindo os espaços, mas o Guerreiro conseguiu encontrar uma brecha. Após lançamento de Gilson para Lucas, o camisa nove dominou, driblou o marcador e acertou um chute preciso no canto, abrindo o placar. O empate quase veio com o “selo Roberto Carlos de qualidade”. O Talentos foi ao ataque com Diogo que ficou livre de marcação porque o defensor Bruno, do time aurinegro, resolveu amarrar a chuteira, mas o goleiro Adriano estava atento, saiu do gol, fechou o ângulo e fez a defesa. Os “guerreiros” começaram a ter maior domínio da partida e chegaram ao segundo gol. Gilson deu bom passe para Ronald, que ajeitou e bateu no canto. E a conta aumentou quando Leonardo cruzou na área e, completamente sozinho, Ernesto finalizou para o gol vazio. Guerreiro FC 3 x 0 Talentos da Fé.

Mas o jogo não tinha sido equilibrado? Sim e você já vai entender. O Talentos resolveu colocar a bola no chão e entrou no jogo. Primeiro Lucas Rodrigues arriscou de longe, dando trabalho ao goleiro adversário. No lace seguinte o próprio Lucas tratou de colocar a bola na rede em chute cruzado após passe de Diogo, diminuindo o marcador. O segundo gol quase saiu depois de um giro bonito de João dentro da área, mas Adriano espalmou. Com o apito do árbitro o Guerreiro deixou o campo sendo superior nos primeiros 25 minutos de jogo, mas com a certeza de que nada estava definido.

A bola mal tinha rolado no segundo tempo quando, em mais uma falha da defesa do Talentos, o Guerreiro ampliou a vantagem. Bruno Rodrigues finalizou, o goleiro espalmou e Ernesto completou de cabeça para marcar o quarto gol de sua equipe. Mas a alegria durou pouco quando o árbitro assinalou pênalti para o time de vermelho e Rico converteu a cobrança. Com o adversário se lançando ao ataque desesperadamente, o aurinegro passou a jogar no contragolpe para tentar garantir a vitória. Em uma investida rápida, Gilson acertou o travessão e no rebote de Ernesto o goleiro Bruno salvou em cima da linha. E foi então que o Guerreiro provou do seu próprio veneno. Lançamento do goleiro Bruno para João, livre de marcação, acertar um belo chute e fazer o Talentos encostar no placar.

O jogo pegou fogo. Os dois times buscando o ataque. O Talentos reduziu o espaço do Guerreiro ao seu campo de defesa. Faltou campo, na verdade. O aurinegro não conseguia espaço sequer para contra-atacar. Até que conseguiu uma falta na ponta esquerda, perto da área. Na cobrança, muito bem ensaiada, Ronald tocou para Gilson que chutou rasteiro, tirando da barreira, e guardou no cantinho. Guerreiro FC 5 x 3 Talentos da Fé. Rico deu vida ao time de vermelho após chute no ângulo, indefensável, marcando um golaço. Daí pra frente o jogo virou uma loucura.

Com vantagem no placar o Guerreiro teve a chance de liquidar o jogo, mas Ronald perdeu a oportunidade no shoot out quando Bruno defendeu. O Talentos tentou encontrar espaços, mas sem sucesso. Reclamando da arbitragem a equipe começou a perder a cabeça com o nervosismo e fez o que não podia: falta. Mais um shoot out para o time de amarelo e preto. Desta vez quem foi para a cobrança foi Bruno Santos, mas o resultado foi o mesmo, pois o Bruno Santos, do Talentos, fez a defesa mais uma vez. Poderia ter sido o gás que faltava para os atuais campeões do Torneio de Inverno chegarem ao empate e garantirem a primeira colocação do grupo pelo saldo de gols, mas a falta de pontaria atrapalhou e a esperança morreu junto com o apito final.

Apesar do equilíbrio na etapa final, a vitória do Guerreiro FC foi o placar mais justo. No fim o primeiro lugar representa vantagem na próxima fase e um adversário teoricamente mais fácil, ou melhor, menos difícil, pois agora todo jogo será uma final.

Destaques:

Pelo lado do Guerreiro FC, Ronald, como sempre se destacando pelo talento individual dividiu o brilho coletivo com Ernesto e Gilson, que criaram oportunidades, fizeram ótimas triangulações e puxaram os contra-ataques do time.

Pelo lado do Talentos da Fé, Rico, o líder do time, foi o grande destaque, marcando dois gols. Lucas Rodrigues também teve papel fundamental na reação da equipe no segundo tempo, criando jogadas de perigo e marcando um gol. Outro destaque foi o goleiro Bruno, que entrou apenas no intervalo, mas evitou o pior com grandes defesas, incluindo os dois shoot out que salvou.

Em jogão de Bola, Real BR derrota União IBV e se garante nas Quartas do Carioca

Por Wallace Lopes

A equipe do União IBV enfrentou o Real BR pela última rodada de classificação da fase de grupos da 7ª edição do Carioca Evangélico. O time de Bento Ribeiro venceu por 8 a 6 em um jogo muito movimentado e com incríveis viradas. A tensão das duas equipes estava evidente, já que ambas brigavam pela classificação. Houve muita reclamação com a arbitragem e discussões entre integrantes da mesma equipe.

O Real BR era favorito e voltou a vencer o União como na última edição. Mas desta vez o poderio ofensivo das equipes estava mais afiado, já que o último encontro terminou com vitória de 3 a 2 da equipe azul celeste.

Primeiro tempo de gols perdidos

O jogo começou muito disputado. As equipes estavam se doando ao máximo e colocando suas energias em cada dividida. Logo no início, Wagner começou a se destacar na partida, o União utilizou muito do seu pivô e criou dificuldades para o Real. Com um chute forte pra fora já assustara o goleiro Leandro. Na sequência, em uma falta perigosa cobrada por Leonardo, Leandro defendeu. O Real respondeu com Bruno de Souza chutando forte por cima do gol. Mas a equipe tricolor começou melhor e assustava mais. Em outra chegada, Leonardo chutou e Leandro conseguiu espalmar o perigo.

O jogo continuava favorável para o União IBV, mas em um contra-ataque rápido Michael conseguiu tirar do goleiro e chutar, e de forma impressionante Miguel tirou quase em cima da linha. No lance seguinte Leonardo fez bela jogada e rolou para Wagner só empurrar para o gol vazio. O IBV saiu na frente e jogava melhor. O gol acordou a equipe de Bento Ribeiro que perdeu três chances claras em sequência, uma com Hugo e duas com Pogian. A insistência deu certo logo depois, Pogian achou Alessandro livre que acertou um belo chute cruzado e empatou a partida.

Depois do gol de empate o jogo ficou equilibrado com chances de gol dos dois lados. Os goleiros começaram a aparecer neste momento. Parecia que o primeiro tempo terminaria 1 a 1, mas o acúmulo de faltas permitiu um shoot out para o Real e Bruno Reis não perdoou, 2 a 1 para a equipe celeste e fim da primeira etapa.

Chuva de gols e vitória do Real

Na saída de bola o União voltou a empatar a partida. Cleiton tocou para Wagner que só tirou do goleiro. Cleiton parecia querer  jogo e cabeceou uma bola perigosa para fora. O jogo ficou aberto e ambos os goleiros realizavam boas defesas, mas em uma dessas defesas João Vitor não conseguiu segurar e Igor empurrou para o fundo da rede. O União IBV sentiu o gol. O Real BR criou várias chances para ampliar o marcador, mas o goleiro João Vitor estava segurando o ímpeto adversário até a boa jogada de Di Maria que deu bela assistência para o gol de Andrew. Tudo parecia se encaminhar para uma vitória do Real. Só que a reação da equipe tricolor foi incrível. Miguel aproveitou o rebote do goleiro na cabeçada de Wagner e só colocou para dentro. Em seguida, em falta na entrada da área, Cleiton cobrou no canto baixo do goleiro e empatou a partida. Com a moral lá em cima o União buscou a virada com gol de Wagner que recebeu belo passe de Cleiton.

O jogo ficou eletrizante. Pouco tempo depois Michael em bela jogada individual chutou cruzado e empatou o jogo. Devido ao excesso de faltas da equipe celeste, o União teve um shoot out para voltar a frente no placar, mas Cleiton desperdiçou a chance. Isso serviu para levantar a moral do adversário que partiu para cima e foi superior na parte final do jogo. Após jogada de Di Maria, Bruno Reis colocou a equipe de Bento Ribeiro na frente. Em outra jogada de Di Maria, Michael marcou mais um e deu tranquilidade a sua equipe. Em outro shoot out para o União IBV, Leonardo deslocou o goleiro e diminuiu a diferença. Mas na saída de bola o Real BR sacramentou a vitória com um chutaço de longe de Di Maria. E assim o arbitro terminou a partida com a vitória de 8 a 6 e classificação da equipe celeste.

Agora é mata-mata. O próximo confronto é pelas quartas de final. O Real BR ficou em terceiro do grupo A enfrenta o Parábola FC, que fez a segunda melhor campanha do grupo B.

 

Notas:

Michael (meia – Real BR) 8,5 – tentou tranqüilizar o time o tempo todo. Fez gols em momentos importantes e se empenhou muito na marcação. Era responsável pela saída de bola. Mostrou que é um excelente capitão.

Di Maria (meia – Real BR) 8 – começou o jogo muito mal. Arranjou discussão com seus companheiros de time. Mas no segundo tempo foi fundamental para a vitória de sua equipe.

Wagner (pivô – União IBV FC) 7,5 – É um jogador estático, mas conseguiu segurar a bola no campo de ataque. Conseguiu marcar 3 gols e participou bem de muitas jogadas ofensivas. No final da partida pareceu desgastado fisicamente.

Sete Vezes Mais goleia Barcelife e se garante nas Quartas do Carioca

Por Julia Camacho

Dia 20 de outubro foi dia de jogo no Clube Pau Ferro pela 5º rodada do Campeonato Católico. Às 14h20 a bola rolou para Sete Vezes Mais x Barcelife, que brigavam pelas últimas vagas do grupo B nas quartas de final. O time do Vidigal se saiu melhor e venceu o jogo por 11×2, tendo como craque da partida o meio campo Leonardo, o camisa 10 foi autor de 4 gols e deu 3 assistências. Agora o Sete Vezes Mais enfrenta o Talentos da Fé nas quartas e o adversário joga pelo empate.

O Jogo iniciou quente, aos 3 minutos o Sete Vezes Mais já abriu o placar: com uma passada de bola pelo lado direito, Leonardo mandou direto para Caian marcar 1×0. Depois do gol sofrido, o Barcelife começou a se fechar mais, mas sempre tentando pelas laterais furar o bloqueio adversário. O Sete Vezes Mais ganhou mais confiança depois de marcar o primeiro gol e despertou para ampliar, mas acabou desperdiçando uma ótima chance com Gustavo, que mandou a bola por cima do gol aos 5’.

O Barcelife conseguia algumas oportunidades de empatar, aos 7’ teve uma falta perigosa, mas perdeu a possibilidade de marcar, que resultou em um contra-ataque que graças ao goleiro não deixou os Samurais Azuis ampliarem. O Sete Vezes Mais conseguia obter mais controle de bola, não deixando o Barcelife sair para o ataque. Aos 9’, a equipe que vencia desperdiçou duas chances uma seguida da outra, mas logo no minuto seguinte saiu o gol, com uma falha da zaga, Whashington passou para Leo que bateu direto, 2×0.

Os Samurais Azuis vieram desejando fazer mais, dispostos a golear, tentaram com Vinicius e Marlon na sequência, mas sem sucesso nas finalizações. Depois das tentativas, Marlon marcou 3×0 aos 20 minutos, cara a cara com o goleiro. O Barcelife, já desacreditado na partida, começou a ver uma chance de reação quando colocou Rafael no jogo, que conseguiu marcar o primeiro para a equipe, aos 21’. Porém, mais uma vez o Sete Vezes Mais apareceu e alcançou uma vantagem maior sobre o rival com Leonardo de cabeça, 4×1 no final do primeiro tempo.

A segunda etapa se iniciou com o Sete Vezes Mais ofensivo e o Barcelife totalmente fechado, arriscando de longe. Aos 7’ veio o quinto gol, com uma tabela de Marlon para Whashington aumentar a diferença, sozinho com o goleiro. Sem muito tempo para resposta do Barcelife, Whashington apareceu e recebeu pela direita para marcar 6×1.

O Barcelife iniciava jogadas mas perdia muitas finalizações. Com 14 minutos de jogo, a equipe do Sete Vezes Mais sofreu um pênalti e Felipe foi para a bola, com o objetivo de aumentar cada vez mais a diferença do resultado, mas ele desperdiçou-o batendo na trave, mas a bola tomou um rumo diferente e voltou para os pés do artilheiro da partida, Leonardo fez 7×1.

Depois do sétimo gol, o massacre continuou com Caian e Leo novamente, nos lances seguintes, 9×1 o placar. O Barcelife demonstrou fisicamente os gols que sofreu, por isso não saia para atacar, mas mesmo na defesa deixou o gol livre para Whashington marcar 10×1. No minuto seguinte Leonardo passou para Caian fechar o caixão em 11×1.

No final do jogo, aos 22’, com uma falta perigosa e uma falha do goleiro, o Barcelife diminuiu para 11×2. A partida terminou, com uma goleada dos Samurais Azuis por 11×2, que agora seguem firmes em busca do seu primeiro título da competição.

Parábola derrota Maanaim e se classifica como segundo do grupo B para as Quartas do Carioca

Por Lucas Bichão

O lanterna contra o vice-líder da chave. O time que cedera 33 gols até a 4ª rodada do Carioca enfrentando um grupo com uma média de gols de 4.25 por partida. Esses eram os números expressivos que antecipavam o duelo entre Maanaim FC e Parábola FC, em jogo válido pela 5ª rodada do Campeonato Evangélico 7ª edição.

Antes de pisar em campo, a responsabilidade estava toda em cima do Parábola. A derrota poderia lhe custar a 2ª posição no Grupo B, pois o terceiro colocado encontrava-se 3 pontos atrás, mas com uma vitória empataria neste quesito e poderia abrir vantagem no saldo de gols (até a 4ª rodada de 3 para cada um deles).

Apesar do desinteresse inicial, o time de vezes xadrez (preto e azul-arroxeado) emplacou uma boa vitória por 11 a 7. O triunfo garantiu a vice-liderança e uma classificação mais confortável para a próxima fase.

O esboço de uma goleada indiferente

O Maanaim entrara em campo completamente eliminado do Campeonato. Após uma campanha inexpressiva, sendo a pior defesa do grupo, não havia mais qualquer expectativa para a 7ª edição do Carioca. Por sua vez, o Parábola pisara no gramado com o corpo mole e indiferente a possibilidade de perder a segunda posição em caso de derrota.

Nesse confronto de desinteressados, curiosamente uma partida repleta de gols foi se desenhando. Como um artista que não espera nada de sua próxima criação, o Parábola foi rabiscando ainda nos primeiros 15 minutos um 4 a 0 que poderia vir a ser uma goleada. J. Valadão fora autor de 3 desses tentos, aproveitando-se da fragilidade do goleiro adversário. O camisa 9 ainda deu uma assistência “indesejada” para Felipinho, em lance no qual tocou por cobertura sobre goleiro e seu companheiro acabou por roubar o gol no último segundo.

Os Azuis-Turquesa até tentaram conseguir uma vitória na última partida que realizariam por esta edição, como um prêmio de consolação e para não levar o famoso “gato” das mesas de cartas (quando não se obtém nenhum ponto dentro de uma sequência de partidas). Atingiram a marca de 4 tentos bem-sucedidos, todos eles marcados pelo imponente e forte Luiz Felipe, que pouco depois ainda cederia um passe para o 5º gol. Porém, o Parábola não se manteve parado e fizera mais 3, ainda na primeira etapa.

Ao apito que indicava o fim dos primeiros 25 minutos jogados, a mesa marcava 7 a 5 para o vice-líder da chave.

O bom resultado que esconde as falhas

O segundo tempo não fora tão agitado quanto o primeiro, tanto na questão do número de gols quanto na do ímpeto que equipes demonstravam em campo. O clima absorto dos minutos iniciais da partida perdurou, gerando tema para debate no banco do Parábola. Alguns membros do time estavam inconformados com a postura irrelevante e dadas falhas defensivas realizadas principalmente nos 4 gols iniciais do Maanaim.

O time Xadrez chegou a ampliar o placar fazendo mais 4 gols, sempre com participações de J. Valadão, Dentinho ou Felipinho. Mas, a sensação era de que poderiam ter feito mais contra um time já eliminado e lanterna da chave. A defesa do Parábola ainda cedeu dois gols para os adversários, um deles com muito mérito de Stefany. O ala conseguiu acertar a quina das traves, tirando qualquer chance de o goleiro pensar em chegar nela.

Com 11 a 7 ao seu favor, seria indiscutível dizer que o time conseguiu um bom resultado para a campanha quase impecável de 80% no Grupo B. Porém, segundo o próprio destaque da partida, J. Valadão, o Parábola precisa rever alguns detalhes:

“Hoje nós tomamos sete (7) gols e fizemos onze (11), mas se você for analisar a proporção de gols pro e gols contra, tem uma discrepância muito grande. Por que eu digo isso? A equipe não está conseguindo administrar os gols que tem feito a favor.”

A fala do camisa 9 pode ser transferida para os números obtidos no campeonato. O time obteve apenas o terceiro melhor ataque (22 gols pro) e a terceira melhor defesa (21 gols contra), do grupo. A vantagem em pontos foi conseguida no confronto direto com o Sete Vezes Mais (3ª colocado), porém os bons resultados não podem esconder os déficits que o time ainda tem. Afinal, qualquer erro na próxima fase poderá custar a vida do time no campeonato.

Notas Relevantes:

  1. Valadão (Parábola FC | Pivô) – 9,0: foi o centro das atenções de sua equipe e nos minutos iniciais se teve a sensação de que apenas ele marcaria no jogo contra o Maanaim. Essencial para o esquema de transição rápida, ao movimentar-se bastante do meio para frente.

Felipinho (Parábola FC | Meia) – 8,0: outro destaque do Parábola, que fez boa dupla com o camisa 9. Foi oportunista e soube cadenciar o jogo tanto pelo centro quanto pelas pontas.

Luiz Felipe (Maanaim | Meia) – 8,0: classificado como meia no site do campeonato, mas atuou como um clássico pivô. Pouco voltou para a marcação, mas ofereceu combate aos adversários do meio para frente. Foi em uma dessas tentativas em que conseguiu roubar a bola para fazer o 3º do Maanaim na partida.

Galáticos JS goleia Galáticos da Catedral e termina fase de grupos com a melhor campanha do Carioca

Por Eduane Pereira

Na tarde de sábado, 20 de Outubro, aconteceu a quinta rodada do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por um duelo intenso entre o Galáticos da Catedral e o Galáticos JS no campo do Pau Ferro. O Galáticos JS, líder o grupo B, entrou em campo determinado e goleou os rivais em poucos minutos da partida, mas o Galáticos da Catedral mostrou sua habilidade em campo e dificultou o jogo no segundo tempo. O Galáticos JS conseguiu a vitória por 16×7 e o craque da partida foi o camisa 7, Filype Mendonça, autor de nove golaços e cinco assistências.

O Galáticos JS iniciou a partida com um excelente ataque e com menos de 5 minutos de bola rolando a equipe já tinha marcado 4 gols no Galáticos da Catedral. Filype abriu o placar com um golaço, com assistência de William, seguido pelo toque estratégico de Frank para Wiliam que recebeu e finalizou com um lindo gol. Na sequência, Filype passou a bola para Yan que chutou bonito para gol, em seguida Alus marcou golaço, com assistência de Filype. A equipe de branco e vermelho buscou o contra-ataque, mas o Galáticos JS fez uma boa marcação e o goleiro fez ótimas defesas.

Aos 10 minutos a equipe de amarelo e branco tentou o quinto gol, Marcos Antônio defendeu no momento exato, mas Filype pegou o rebote e marcou um golaço. Em seguida, Alus chutou cruzado e marcou o sexto gol, com assistência de Filype. O Galáticos da Catedral sentiu a pressão e fez algumas alterações em campo, mas a falta de marcação prejudicou a equipe. Aos 18 minutos, Filype marcou mais um golaço, o camisa 7 recebeu o passe de Marcus Vinícius e finalizou com chute certeiro no gol.

Com a entrada de John, o Galáticos da Catedral se organizou em campo e melhorou o ataque. Aos 22 minutos, o camisa 100 tocou para Matheus Marques que concluiu com lindo gol, seguido por dois golaços de John no finalzinho do primeiro tempo, 7×3. No último minuto, Filype brilhou mais uma vez em campo, o 7 deu um passe estratégico para Frank que marcou um belo gol, 8×3.

Os times retornaram para campo acelerados e pressionando o ataque, com menos de um minuto Filype marcou o nono gol para o JS, com assistência de Yan. Em seguida, Matheus Marques marcou um golaço, com o passe de John, 9×4. Com confiança, o Galáticos da Catedral busca o gol, Arthur deu um belo chute, mas Otacílio defendeu. Na sequência, Alus tocou para Filype que marcou um lindo gol, seguido pelo gol de Yan, 11×4.

Aos 15 minutos, Iann buscou o gol pela lateral, mas Otacílio agarrou em tempo. Na sequência, Filype marcou um golaço, com assistência de Yan, seguido por mais um gol da dupla, o camisa 7 tocou para Yan que finalizou com um lindo gol, 13×4. Em seguida, John driblou os rivais e marcou o quinto gol do Galáticos da Catedral. O JS não perdeu tempo e fez 14° gol, Diogo correu com a bola e passou para Yan, o camisa 5 tocou para Filype que concluiu, sacudindo a rede dos adversários.

Nos 5 minutos finais, John marcou um golaço, com assistência de Matheus Marques. Em seguida Yan tocou para Filype que marcou um lindo gol, Hebert também buscou o gol, mas o goleiro espalmou. Na sequência, John bateu shoot out e acertou em cheio o gol do Galáticos JS, Otacílio pegou a bola e chutou alto para Filype que não perdeu a chance e marcou mais um gol no último minuto do jogo. A partida terminou com a merecida vitória do Galáticos JS de 16×7. O destaque do jogo foi o camisa 7, Filype Mendonça, autor de nove gols e cinco assistências.

 

Notas:

Filype Mendonça – 10: O ala do Galáticos JS teve desempenho impecável na partida e foi o destaque do jogo, Filype marcou nove gols e deu cinco assistências.

Yan Carvalho – 9,0: O fixo do Galáticos JS, também foi um dos destaques da partida, marcou três gols e quatro assistências, participou das jogadas e aproveitou as oportunidades em campo.

John Mansur – 8,0: O meia do Galáticos da Catedral teve um ótimo desempenho e mostrou segurança para equipe, ajudou na criação das jogadas e esteve presente em todos os gols, cinco gols feito por ele e realizou duas assistências.

 

 

Amigos em Cristo faz jogo duro, mas São Pedro vence e se classifica para a Semifinal do Carioca

Por Julia Camacho

No sábado, dia 29 de setembro, às 14h20 rolou a bola no Clube Pau Ferro para São Pedro FC x Amigos em Cristo, pelas quartas de final do Campeonato Carioca Católico. Com a vantagem do empate, o São Pedro ganhou o jogo por 4×3 e seguiu firme para a  próxima fase. O camisa 9, Ricardo, sendo o autor de dois gols, foi o craque da partida.

O jogo  iniciou bem disputado, os dois times chegaram no horário e completos, mostrando que estavam dispostos a ganhar. O começo foi bem equilibrado, com 5 minutos de jogo o São Pedro já teve sua primeira tentativa, Thomas arriscou do meio de campo, mas o goleiro conseguiu agarrar a bola com facilidade. No minuto seguinte saiu o primeiro gol, a bola foi pelo canto esquerdo do goleiro, sem chances de defesa, Rafael abriu o placar, 1×0 para o São Pedro FC.

O Amigos em Cristo, vindo de uma goleada contra o Centro Dom Bosco, se fechou mais depois que levou o primeiro gol. Arriscava de longe, e em uma dessas tentativas, veio o empate com Diogo, que experimentou do meio e marcou para a equipe azul, 1×1.

Com o gol de empate, o Amigos em Cristo cresceu na partida, começou a sair para atacar. Aos 8’, Alexandre ampliou o placar, com uma arrancada pela direita, 2×1 de virada. O São Pedro sentiu o gol, que refletiu em perdas de bola no meio de campo e sem jogadas finalizadas. Se fechando mais, sem sair muito para atacar, com uma falha do goleiro adversário, Lucas de cabeça empatou o jogo em 2×2.

Com o empate, as duas equipes cresceram e deram trabalho para os goleiros. Bolas perigosas e defesas difíceis, o primeiro tempo terminou em 2×2, sendo bastante balanceado

O segundo tempo se iniciou com o São Pedro se defendendo, sem dar muito perigo, pois já estava se classificando com o resultado. O Amigos em Cristo só precisando da vitória para ir para a próxima fase, chegava cada vez mais perto. Com 2 minutos de bola rolando, Márcio chutou em direção ao gol mas a chance foi desperdiçada pela trave, mostrando que a equipe azul estava disposta a marcar de qualquer jeito.

Vendo o adversário com mais chances, o São Pedro conseguiu o gol. Ricardo, com uma assistência de Ralf, saiu na frente de novo deixando 3×2 para a equipe branca. O São Pedro cresceu na partida, com 7 ‘ ampliou o placar, mais uma vez com Ricardo. Ganhando o jogo por dois gols de diferença, o time do Recreio trabalhava melhor a bola, com mais posses e finalizações. Porém, por uma falha da zaga, deixou o Amigos em Cristo diminuir a diferença para 4×3, mais um gol de Alexandre.

Ao final do jogo, os dois times cresceram. O São Pedro procurando segurar a vitória e o Amigos em Cristo tentando empatar e virar. O jogador Dário, da equipe azul, entrou no final disposto a mudar o rumo da história, mas mesmo com chances, a classificação foi para o São Pedro, finalizando o jogo em 4×3 e seguindo firme para as semifinais do Carioca onde irá enfrentar o Galáticos FC.

Galáticos FC vence SBSC em jogão de bola e se classifica para a semifinal do Carioca

Por Walter Paz

Pela última partida do sábado das quartas de final do Carioca Católico se enfrentaram Galáticos FC, time com a melhor campanha do grupo B na fase inicial e SBSC, a pior equipe do grupo A. Em uma partida bastante disputada e com alternâncias no placar, o maior poderio ofensivo do time de Caxias se fez presente, determinando a vitória e a classificação para as semifinais. O Galáticos, que foi vice na edição passada, joga pelo empate contra o São Pedro, por uma vaga em nova final do Carioca.

O jogo

Na vida, na maioria dos relacionamentos costuma-se dizer que os opostos se atraem e, quando isso acontece, frequentemente é encarado como uma coisa boa. No futebol não. Quando existe um encontro de equipes opostas, teme-se por parte do time mais fraco que ocorra uma derrota devastadora e pela parte mais forte que o adversário não demonstre muita resistência, mas foi exatamente o oposto que aconteceu nessa partida.

Assim que o juiz apitou o início, o time do SBFC, mostrando grande determinação tática e buscando marcar melhor o adversário, foi equilibrando um jogo que se mostrava desfavorável antes do apito. O Galáticos, meio sem reação diante da postura do adversário, tentava na base do seu poderio técnico mostrar superioridade, embora isso não estivesse surtindo muito efeito graças à determinação dos atletas de Vigário Geral.

Com a partida bastante disputada, o primeiro gol só poderia sair graças a um lance individual, Denílson, camisa 10 dos Galáticos, furou a defensiva do adversário e, contando com uma infelicidade do zagueiro, que ao tentar cortar, jogou a bola contra a própria meta, promoveu a abertura do placar. Mas o SBSC não se deu por vencido, na base da garra partiu pra cima e na cobrança de pênalti de Mateus, empatou o jogo.

Após o empate, o Galáticos perdeu o controle emocional e passou a fazer, através do nervosismo, uma pressão em cima da arbitragem que se manteve firme e convicta nas suas decisões.

Buscando a vitória e contando com esse desequilíbrio do adversário, o SBSC conseguiu o gol da virada pouco antes do final do primeiro tempo, novamente através de Mateus e conseguiu o controle das ações da partida, perdendo algumas chances de ampliar o placar antes do intervalo.

Segundo tempo eletrizante

O cenário do segundo tempo se mostrou idêntico ao do primeiro. O time de Vigário Geral, agora na liderança do placar, buscava com uma marcação forte e bastante luta mostrar que a superioridade técnica do Galáticos poderia ser vencida. A disputa se mostrou nesse equilíbrio até os 10 minutos, quando Deiverson empatou o jogo.

A partida nervosa, com o envolvimento dos atletas tanto dentro quanto fora de campo em pequenas confusões e discussões acirradas, desviando um pouco o foco do jogo, teve o Galáticos tendo um jogador expulso após reclamar acintosamente de um lance mal interpretado pela sua própria equipe.

Conforme o cansaço físico do SBSC foi sendo aparente, o time de Caxias voltou a colocar a bola no chão e a mostrar seu futebol que na primeira fase era indiscutível, com o artilheiro da noite, Airton, fazendo 3 gols e colocando a vantagem para sua equipe que foi determinante até o final do jogo. Com bastante esforço, o SBSC buscou diminuir o placar, mas a vitória do Galáticos acabou sendo evidente, deixando uma lição para os atletas nas próximas fases, não se ganha jogo de véspera.

Talentos da Fé vence Real BR, segue 100% e vai brigar pelo primeiro lugar do grupo A do Carioca

Por Gil Nascimento

Talentos da Fé e Real BR fizeram uma partida muito disputada pela quarta rodada da fase de grupos do Carioca Evangélico. As duas equipes lutaram do início do fim pela vitória, que acabou nas mãos do time da Tijuca. O 5×4 fez o Talentos, já classificado para as quartas de final, manter 100% de aproveitamento na competição. Ricardo, do Talentos, foi o craque da partida.

O primeiro tempo começou com a Real mais ofensivo, construindo jogadas mais interessantes e melhor trabalhadas. No entanto, quem abriu o placar foi o Talentos da Fé, com Matheus. Nessa edição da Copa, o campeão do Torneio de Inverno tem se mostrado cirúrgico, objetivo ao extremo, com muita eficiência em campo. Esse gol animou a equipe que quase fez o segundo com João. Mas o Real seguia bem na disputa e empatou com Alessandro. O jogo era muito bom, as duas equipes tinham muita qualidade no passe e as oportunidades foram surgindo de ambos os lados.

O Talentos da Fé conseguiu marcar o segundo com Eduardo. O Real respondeu, mas sem sucesso. O time tijucano era mais perigoso nas bolas paradas e Diego bateu uma com muito perigo, mas ela desviou em Alessandro. Nem um leve machucado no rosto de Rodrigo fez o Real frear seu ímpeto e numa etapa onde teve mais a bola, seria injusto ir para o intervalo perdendo. Jonathan tratou de corrigir isso e empatou a partida. Final de primeiro tempo tudo igual, 2×2.

O segundo tempo foi ainda mais equilibrado, só que um pouco mais tenso, pois a vitória era o grande objetivo das duas equipes. O desenho do duelo era o mesmo. O Real mais tempo com a bola, trocando passes, buscando furar a boa marcação do adversário e o Talentos bem concentrado, marcando muito e mortal nas jogadas ofensivas.

A virada do Real veio com mais um gol de Alessandro, dessa vez recebendo passe de Bruno. Logo em seguida, Diego contou com colaboração do goleiro Rodrigo para deixar tudo igual novamente. Matheus salvou o Talentos de levar nova virada tirando um chute em cima da linha. E vibrou muito quando Ricardo fez o quarto e colocou o time vinho novamente em vantagem, 4×3.

A partida era um brinde aos olhares dos torcedores. Jogo limpo, disputa intensa, bolas jogadas e muitos gols. O oitavo da peleja saiu dos pés de Matheus, era o quinto do Talentos que abria dois gols de diferença na parte final do jogo. Com muita vontade, o time de Bento Ribeiro não se abateu e diminuiu com Jonathan. A pressão pelo empate foi grande, mas a vitória acabou mesmo sendo do Talentos da Fé, 5×4.

Na próxima rodada, o Talentos da Fé disputa com o Guerreiro FC o primeiro lugar do grupo. Já o Real enfrenta o União IBV.