Galáticos FC atropela Águia da Paz e termina 1ª fase em primeiro no grupo B do Carioca

Por Julia Camacho

A partida do último sábado, dia 15 de setembro, no clube Pau Ferro, recebeu os melhores colocados do grupo B do Campeonato Católico, o Galáticos FC e o Águia da Paz. O jogo prometia ser bem disputado, mas a equipe de Caxias goleou o adversário, bem desfalcado, por 9×0 e garantiu o primeiro lugar da chave com três vitórias em três jogos. O craque da partida foi Jeferson que marcou cinco gols e chegou aos nove na competição, assumindo a ponta da artilharia.

O jogo começou com 10 minutos de atraso e o Águia da Paz com um jogador a menos. O Galáticos iniciou melhor, sendo mais ofensivo e tentando de várias formas furar a defesa adversária. Aos 12’ veio o primeiro gol, Deivisson tocou para Joldair que mandou para as redes. No minuto seguinte, Léo arriscou do meio de campo sem o goleiro esperar e a bola entrou pelo lado direito, abrindo 2×0. Com os gols sofridos, o Águia da Paz se fechou cada vez mais na tentativa de reverter o placar, por estar com um a menos em campo. Com uma tabela cara a cara com o goleiro, de Denílson para Joldair, este último ampliou o placar em 3×0. O Águia da Paz não conseguia manter a bola nos pés e nem completar jogadas para marcar o primeiro gol. O domínio era total do time da Baixada que ampliou aos 17′, depois de Denílson cruzou da direita para Joldair fazer 4×0. O time de Ipanema, já sendo derrotado por uma grande diferença de gols, conseguiu chegar até o campo de ataque e quase marcou com Bruno, mas o goleiro espalmou para linha de fundo.

O Galáticos sendo bastante superior, continuou com ataques perigosos e trabalhando melhor a bola. O Águia da Paz tinha poucas chegadas ao gol, sem ter espaço para aprimora jogadas e errando bastante passes. Com esse conjunto de erros, o Galáticos chegou mais uma vez, aos 21’, com uma tabela entre Denílson e Jeferson, o camisa 11 marcou, fazendo 5×0.

Depois de marcar o primeiro gol na partida, Jeferson se destacou e marcou em seguida, pelo lado direito do goleiro. O Águia da Paz conseguiu aos 24’ cavar uma falta perto da área, mas Eduardo desperdiçou a oportunidade de marcar o primeiro gol e mandou a bola para fora. O Galáticos viu que a equipe branca e azul estava começando chegar mais perto do gol, e conseguiu fazer mais um com uma arrancada de Diego pelo meio de campo, entregando a bola para o camisa 11 marcar e fechou o primeiro tempo em 7×0.

O segundo tempo já se iniciou com gols, com um cruzamento de Deivisson em direção a pequena área, e Jeferson de cabeça ampliou o placar para 8×0. Depois do começo da segunda etapa, o Águia da Paz veio sentindo os gols que levou, mas não deixou de correr atrás do prejuízo, e aos 4 minutos Mauro tentou um chute de longa distância mas a bola bateu na trave e foi para fora, e logo no minuto seguinte, ele rebateu, mas ela foi direto para a linha de fundo. A equipe de Ipanema tinha muitas dificuldades com as saídas de bola, e por isso arriscava mais com bolas lançadas em direção a grande área.

O Galáticos a fim de fechar o caixão de vez, marcou o nono gol aos 7’ com o passe de Airton, para Jeferson encerrar a partida com chave de ouro. O jogo terminou aos 8’ minutos do segundo tempo, devido a equipe do Águia da Paz estar com um jogador a menos, e que também acabou perdendo o goleiro, por uma contusão na perna, ficando sem opções para concluir a partida.

Nas quartas de final o Galáticos, primeiro do grupo B, enfrenta o SBSC, quarto do grupo A. Já o Águia da Paz, que mesmo com a goleada terminou em segundo no seu grupo, enfrenta o Real Boleiros, terceiro da outra chave.

Amigos em Cristo vence Centro Dom Bosco pela última rodada da primeira fase do Carioca

Por Walter Paz

Com direito a goleada, o Amigos em Cristo conquistou a primeira vitória equivalendo garra e força física, diante de um adversário que se mostrou valente numa partida de um baixo nível técnico.

Pela última rodada da primeira fase do Carioca Católico se enfrentaram Amigos em Cristo e Dom Bosco, com as duas equipes ainda não tendo pontuado na competição e buscando a primeira vitória, almejando uma melhor classificação, visando o cruzamento nas quartas de final. O retrospecto do Amigos em Cristo era tido como um pouco melhor que o do adversário, graças ao número de gols marcados, já que ambos vinham de duas derrotas.

Um dado importante para ser relatado foi a condição do atraso da partida em 13 minutos, por parte do Dom Bosco, graças ao deslocamento até o local de alguns atletas.

O jogo começou com os dois times se lançando ao ataque, ambos na busca da primeira vitória, embora com pouco padrão tático e técnico. A disputa, inicialmente, ficou numa espécie de perde e ganha no meio campo com muitas divididas bruscas, apesar de pouca violência das partes, mas com fraca distribuição de bola.

Quando escolheu trocar passes e tentar padronizar um estilo de jogo, o Amigos em Cristo viu na dupla Carlos Roberto e Luan um escape nas ações ofensivas. Tanto que, numa boa trama pela esquerda entre os dois, Luan abriu o placar iniciando o caminho para a vitória.

Logo após a abertura do placar veio o segundo gol, numa jogada individual de Luan, forçando o Dom Bosco a buscar uma reação na partida na base da vontade, mesmo sem muita técnica, mas tentando na disposição física igualar as ações do jogo.

Com um chute de fora da área, Alex diminuiu para o Dom Bosco, dando uma sobrevida que iria quase se dissipar no minuto seguinte com o implacável Luan marcando o terceiro gol.

Próximo ao final do primeiro tempo, Marcos Vinicius, numa bela cobrança de falta, diminuiu novamente para o Dom Bosco, renovando as esperanças de um empate, terminando a primeira etapa com o placar de 3 x 2 a favor dos Amigos em Cristo.

No segundo tempo, a equipe do Centro do Rio se lançou ao ataque em busca do empate, embora se valendo mais da força de vontade do que qualidade técnica, brigando por cada bola e valorizando a vitória do adversário.

Aos 13 minutos, em uma bela tabela pelo lado esquerdo, Cleberson deu uma assistência para Luan, marcando o quarto gol, fazendo o encanto pelo empate do Dom Bosco começar a ser desfeito.

Após isso, o placar foi sendo gradativamente aumentado a favor do Amigos e na mesma proporção o interesse pelo jogo por parte do Dom Bosco foi ficando cada vez menor.

No final, a melhor disposição de jogadores com mais reservas para equilibrar o jogo e tendo como destaque maior da partida o atacante Luan, com 05 gols conquistados com oportunismo e raça, aliado ao desinteresse final do adversário, a vitória foi transformada em uma goleada de 7 x 3, sendo justa pela maior procura pela vitória da equipe vencedora.

Nas quartas de final o ambas as equipes precisam vencer seus jogos para avançar às semifinais, já que seus oponentes tem a vantagem do empate. O Amigos em Cristo enfrenta o SBSC FC e o Centro Dom Bosco encara o atual campeão, Newell’s Aposentados Boys.

SBSC e Real Boleiros empatam pela última rodada da primeira fase do Carioca

Por Breno Roberto

No último sábado, 15/09, Real Boleiros FA e SBSC FC se enfrentaram pela terceira e última rodada da fase de grupos do Campeonato Carioca Católico. O jogo foi realizado no Campo 3, do Pau Ferro, pelo grupo A da competição. Os dois times acumulavam duas derrotas nas duas primeiras rodadas e buscavam a primeira vitória para disputar as Quartas de final com moral. A partida terminou empatada em 4 a 4.

A primeira etapa começou com um gol relâmpago do Real, após roubada de bola na zaga adversária, o camisa 11, Nicholas, achou Fabricio dentro da área para abrir o marcador. Depois disso as propostas de jogo ficaram claras, o Boleiros com passes rápidos e jogadas trabalhadas, enquanto o SBSC apostava em bolas longas para o seu pivô escorar.

O time com vantagem trabalhava a bola e tinha muitos espaços no meio de campo para pensar nas jogadas. Mas forçava demais os passes e pecava nas finalizações, com uma bola na trave como chance mais perigosa. Já o SBSC errava passes constantemente e acionava muito o seu camisa 9, Tales.

O jogo parecia tranquilo para o Real, até que o camisa 19 do SBSC, Rafael, achou um gol após uma cobrança de lateral na área, finalização essa que foi a primeira do time no gol. Mas os Boleiros não sentiram o golpe e fizeram o segundo gol logo na sequência, com o ponto forte do time, a troca de passes. Gol de Fabricio, novamente, que deu números finais ao primeiro tempo.

Os dois times retornaram para a segunda etapa de forma diferente, o Real estava afobado e não conseguia criar as jogadas, e o SBSC com grandes chances de empatar, mas desperdiçadas. Destaque para o Meia Matheus Oliveira, do SBSC, que anulava a maioria das tentativas de contra-ataque dos Boleiros. A falta de capricho também prejudicava o time com a vantagem.

O time em desvantagem não fazia um bom jogo mas conseguiu o empate com Tales, após uma falha generalizada da zaga e do goleiro. Esse gol parece ter afetado o Real que começou a afrouxar a marcação e dar espaços no meio, tanto que tomou a virada. Com um gol de Matheus Oliveira depois de uma tabela com o pivô.

O SBSC aproveitou o momento instável do time do Real, principalmente do goleiro que parecia estar sem confiança, e fez o quarto gol, com um chute de fora da área do meia Vinni. O técnico do Boleiros pediu tempo para ajustar a equipe que parece ter entendido as instruções, voltou mais ligada no jogo e diminuiu o placar com um golaço de falta de Fabricio.

O jogo ficou aberto, ainda mais após a expulsão do fixo do Real, Tiago, que matou um contra ataque e recebeu o segundo amarelo. Os goleiros começaram a fazer boas defesas e muitas chances eram perdidas. No fim, houve mais três expulsões, duas pelo lado do SBSC e uma do Real, após uma confusão. Com a superioridade numérica, o Real empatou o jogo, com Bruno, mas só não saiu derrotado porque Artur defendeu um Shoot-out no último lance.

Nas quartas de final o Real Boleiros enfrenta o Águia da Paz e o SBSC pega o Galáticos.

Newell’s Aposentados Boys vence São Pedro e termina primeira fase como líder do grupo A do Carioca

Por Wallace Lopes

O confronto entre São Pedro e Newell’s Aposentados Boys iria decidir a liderança do grupo A da 2ª edição do Carioca Católico. Ambas as equipes golearam nas duas partidas anteriores e vinham motivadas a garantir a melhor campanha. Pela 1ª edição o time de Vila Kennedy havia vencido o São Pedro por 10 a 1. Mas pelas campanhas semelhantes, o jogo mostrava que seria equilibrado.

Os atuais campeões tomaram a vantagem no marcador e conseguiram a vitória pelo placar de 5 a 3. A troca constante de jogadores ajudou a parte física do Newell’s e, com isso, a primeira colocação do grupo foi alcançada.

Aposentados iniciam melhor

O time de Vila Kennedy começou controlando as ações do jogo, enquanto o São Pedro só arriscava finalizações de longe. E foi numa falta perigosa próxima da área que o placar foi aberto. O capitão Bruno Araújo cobrou a falta, a bola explodiu na barreira e retornou para ele acertar um lindo chute e marcar o primeiro gol do jogo.

O Newell’s manteve a ofensiva e numa rápida cobrança de lateral de Adeilson, Romulo se antecipou à marcação e cabeceou para o fundo da rede. Parecia que outra goleada estava se formando. Mas o São Pedro reagiu bem rápido e diminuiu o marcador com um chute forte de Thomas.

O jogo caminhava para o intervalo quando Gabriel cometeu pênalti. Adeilson chamou a responsabilidade e converteu a penalidade. Com o placar de 3 a 1 o juiz encerrou o primeiro tempo do jogo.

Segundo tempo equilibrado

O São Pedro veio disposto a buscar a diferença. Ralf arriscou da entrada da área e Amadeu fez a defesa. Wesley respondeu na mesma moeda e o goleiro Pedro agarrou. O jogo ficou aberto e os goleiros começaram a aparecer na partida com defesas incríveis.

Lucas Medeiros achou Matheus Silva sozinho e num chute cruzado venceu o goleiro para ampliar o placar para 4 a 1. A equipe azul e branca não desistiu do jogo. Em uma falta perigosa cobrada por Ralf, Amadeu trabalhou mais uma vez. O São Pedro conseguiu diminuir o placar logo depois. Com belo passe de Daniel Pereira, Arian chutou cruzado e fez o segundo do time do Recreio.

A pressão aumentou no final da partida, Biel arriscou chute forte e Amadeu jogou para escanteio. Daí veio o gol mais bonito da parida. Felipinho arremessou para dentro da área e Biel de, voleio, marcou um golaço que deu esperança para o time buscar o empate. Só que no lance seguinte, Lucas Medeiros chutou rasteiro e a bola passou debaixo dos braços de Pedro. Com isso, o placar foi fechado em 5 a 3 com mais uma vitória dos Aposentados.

Foi um jogo de leve superioridade do Newell’s, mostrando que o São Pedro veio mais preparado para a 2ª edição do Campeonato Carioca Católico. Devido ao alto desgaste físico o final ficou aberto, pois a marcação de ambos os lados afrouxou e com isso os atacantes exigiram muito dos goleiros. Agora os próximos confrontos são pelas quartas de final. O Newell’s Aposentados Boys encara o Centro Dom Bosco e o São Pedro pega o Amigos em Cristo.

Notas dos jogadores:

Adeilson (Meia do Newell’s Aposentados Boys) – 8 – Fez um belo primeiro tempo. Chamou a responsabilidade na cobrança de pênalti. E ajudou bastante na marcação.

Lucas Medeiros (Meia do Newell’s Aposentados Boys) – 7 – Participou bem do segundo tempo. Com um gol e uma assistência ajudou a equipe a sair com a vitória.

Ralf (Meia do São Pedro) – 5 – Pelo seu desempenho nas duas primeiras partidas esperava-se mais dele. Ele não conseguiu trabalhar sua jogada individual e muita das vezes ficou isolado na frente.

Galáticos JS faz 14 gols no Barcelife, vence a terceira e está nas quartas de final do Carioca

Por Lucas Bichão

“Goleada” não define com precisão o que aconteceu no campo do Pau Ferro Futebol Clube no último sábado (15), quando Galáticos JS aplicou um placar elástico de 14 a 3 sobre o Barcelife. A partida foi um massacre com requintes de crueldade, onde se via apenas uma equipe jogar e outra simplesmente existir para não ocorrer o W.O.

O duelo marcou a estreia de um novo reforço para a equipe que traz em seu emblema uma homenagem ao Aston Villa (ENG). Felype Azevedo pisou pela primeira vez em campo para disputar o Campeonato Evangélico e marcou 7 tentos nos 50 minutos jogados, tornando-se automaticamente um dos artilheiros da competição.

Ataque “Blitzkrieg

A estratégia militar chamada blitzkrieg ficou conhecida pelo mundo da década de 1930 ao ser usada pelos alemães na intenção de invadir os países vizinhos e expandir o Império do 3º Reich. A “guerra-relâmpago” consistia em atacar de forma rápida, na qual não houvesse chances de o adversário se recuperar da surpresa.

O Galáticos JS talvez não conheça essa estratégia, porém a utilizou com primazia contra o Barcelife. Sem tomar conhecimento de seu adversário, avançaram com todo seu poderio bélico para abrir o placar. Alus mandou um tiro de canhão para as redes após passe de Felype Azevedo, ainda no início. Não demorou para que o estreante desse mais uma assistência e Jefferson também marcasse o seu.

Os azuis-grená até responderam a ofensividade adversária com a liderança de Rafael Rodrigues, que, sozinho, puxou um contra-ataque e bateu bem para tirar do goleiro. Porém, a sequência foi marcada por uma sucessão de 4 gols, havendo um hat-trick de Felype. Em termos bélicos e históricos, pode-se dizer que o meia teve uma pontaria digna de Vassili Zaitsev, franco atirador soviético de maior destaque na 2ª Guerra Mundial. A bola caía nos pés de Azevedo e ele guardava sem pensar duas vezes.

De falta Rafael Rodrigues até diminuiu para o Barcelife, mas o primeiro tempo já era de terra arrasada e isto era visível no placar (6 a 2).

Cabe mais gols?…

… Pensou o Galáticos JS ao ser iniciado o segundo tempo. O grupo mantinha a pressão alta no começo da etapa final, deixando apenas um zagueiro no campo de defesa. Os passes trocados possuíam alta velocidade, dificultando a marcação adversária.

Ataque fulminante pela lateral e gol de Wembley para o JS (7 a 2). Alus aproveitou a ausência do goleiro debaixo das traves para marcar a favor do Galáticos (8 a 2). A goleada ia se construindo com total consentimento do Barcelife.

O time de Piedade precisava da vitória, depois de empatar na 1ª rodada (4 a 4) e perder na 2ª (4 a 2), caso quisesse manter a esperança de uma classificação para a fase eliminatória. Mesmo assim cedeu outro hat-trick à Felype Azevedo (11 a 2), que passeava pela linha defensiva da forma que bem entendesse.

Ainda guerreando por diminuir o placar, o Barcelife tentou utilizar dos contra-ataques. Porém, quem ampliou foi o JS, gols estes concluídos por Yan (13 a 2).

Como uma forma de consolo ao sofrer uma derrota inafiançável, Rafael conseguiu seu hat-trick ao fazer o terceiro para os azuis-grená. O gol foi marcado à base de muita garra, ao buscar sozinho o ataque, vencer os defensores e bater o arqueiro. Mas, nem todo o ímpeto do mundo salvaria o Barcelife que ainda deixou passar mais um de Felype (14 a 3).

O revés na partida não era inesperado, mas a forma como se conduziu o foi. Não houve má sorte do Barcelife durante o jogo, mas sim um desnível técnico absurdo entre as equipes. A forma de jogar do Galáticos nesses 50 minutos o coloca em outro patamar, deixando-o como um dos favoritos ao título.

Notas Relevantes:

Felype Azevedo (Meia | Galáticos JS) – 10,0: depois de ter dado a primeira nota máxima (em um ano de trabalho) na última rodada do Campeonato Católico para Ralf, não posso nega-la aos feitos de Felype. Sete (7) gols em uma única partida e somando ainda mais duas (2) assistências, esses são números expressivos e que vieram acompanhados de um futebol leve e muito efetivo.

Jefferson Melo (Ala | Galáticos JS) – 8,5: atuando muito bem pelos lados do campo, Jefferson foi o fio que conduziu a bola da defesa do JS ao ataque por muitas vezes. Marcou apenas um (1) gol, mas sua importância para a equipe foi além do balançar das redes.

Rafael Rodrigues (Meia | Barcelife) – 8,5: em seu primeiro campeonato já vem mostrando o quanto é importante para seu time. Fez três (3) nessa partida, número esse que poderia ter sido maior se o grupo tivesse ajudado. Acuado no segundo tempo pouco pôde fazer para evitar a vitória adversária.

 

 

Talentos da Fé goleia MR FC e garante vaga antecipada nas quartas de final do Carioca

Por Gil Nascimento

No fim da tarde de sábado rolou a 3° rodada da 7° edição do Campeonato Carioca Evangélico e a equipe do Talentos da Fé se firmou com a sua 3° vitória na competição, dessa vez em cima do MR FC, crescendo as chances de levar o título. Um jogo brigado, um tanto quanto inesperado 6×1, muita garra dos jogadores e, acima de tudo, muita vontade de vitória. Com o triunfo, o time da Tijuca garantiu classificação antecipada para as quartas de final.

O Talentos começou o jogo bem melhor e foi só ataque no início. Mesmo sem finalizar bem, as chances eram todas do time vinho. De tanto tentar, o gol tijucano saiu, aliás, os gols saíram, pois Matheus fez 2×0 em sequência. O MR FC parecia zonzo em campo e assistia ao rival fazer seu melhor jogo. Léo tentou com passes perigosos, mas o goleiro do time de Campo Grande segurou as investidas com maestria. Mas o camisa 7 não desistiu e, numa boa assistência para Diogo, ajudou a fazer o terceiro gol. A equipe vencedora seguia com maior posse de bola, placar 3×0 e com o pôr do sol, acabou também a primeira parte do jogo.

Na segunda parte, o MR interagiu melhor no campo, Júlio César mandou uma bola perigosa para o gol, mas sem sucesso. Teve pedidos dos dois times para que houvesse troca de bola, não foi possível, jogo ficou monótono por alguns minutos, tentativas de ataque desorganizadas, faltas mal marcadas, mas, ainda assim, as atenções se concentraram na área do MR. Um gol atrapalhado de Mateus fez do placar 3×1 e levantou uma fagulha de esperança no time vermelho e branco de reação, mas Léo eliminou as esperanças com o quarto gol da Talentos, sozinho com o goleiro que não teve como segurar.

Perto do fim do jogo, qual o resultado de 4×1 já era aceito como final, teve novidades: Ricardo jogou para Guilherme fazer o quinto, e Léo deu assistência para Matheus, que saiu no primeiro tempo e voltou no segundo para fazer seu terceiro gol, fechar o jogo com 6 para os vencedores. Embora tenha havido algumas confusões cabíveis a uma partida de futebol, as equipes fizeram um jogo leal, e o MR FC precisa melhorar seu desempenho urgentemente,  visto que veio piorando em relação aos últimos jogos também com derrotas e sua permanência no campeonato está comprometida.

Os destaques foram Matheus, melhor na partida, Diogo e Léo do Talentos da Fé, todos com resultados em gol e assistências,  tiveram um bom entrosamento e atuação em campo.

Na próxima rodada, dia 29, o Talentos enfrenta o Real BR e o MR FC, ainda sem pontos no campeonato, encara o União IBV.

 

Sete Vezes Mais acorda no segundo tempo, vira pra cima do Maanaim FC e vence a primeira no Carioca

Por Lucas Bichão

Sete Vezes Mais e Maanaim FC, dois (2) times, doze (12) gols feitos, vinte e seis (26) gols cedidos, zero (0) pontos conquistados. Essas eram as estatísticas somadas das equipes que se enfrentaram no último sábado pela 7ª edição do Carioca Evangélico. Números esses, que traduzidos, significavam uma única coisa: a necessidade de vitória na 3ª rodada.

Em campo dois cenários foram produzidos, no primeiro uma vitória parcial por 4 a 3 dos azuis turquesa (que vestiam verde na ocasião). Em um segundo momento, virada irrevogável dos samurais do Sete Vezes para 10 a 4, placar esse que surpreendeu e calou a torcida adversária.

O primeiro tempo teve um dono, Lucas Tenório

“Camisa 10 Joga Bola Até Na Chuva” foi o décimo lançamento de estúdio da banda de rock conhecida pela alcunha de Charlie Brown Jr. Com singles como “Dona do Meu Pensamento”, “Me Encontra” e a icônica “Só os Loucos Sabem” o CD chegou ao topo e garantiu um Grammy Latino em 2010. Agora, o que isso tem haver com futebol? A resposta está justamente no número da camisa.

A camisa 10 do esporte bretão possui um peso histórico que é passado de geração em geração. De Pelé à Messi, passando por Zico, Maradona e Zidane. Esses são só alguns exemplos de ícones que se tornaram lendas e seus feitos ficariam e ficarão guardados na memória de muitos por vários anos. Pois, se Lucas Tenório não é uma lenda mundial, as suas atuações vem sendo reconhecidas com bons olhos no campo do Pau Ferro Futebol Clube.

O 10 do Maanaim FC foi o peso que desequilibra a balança. Autor de quatro (4) gols ao longo do primeiro tempo, atuou bem nos contra-ataques e utilizou de sua boa pontaria para marcar três (3) vezes de fora da área. O Sete Vezes Mais até balançou as redes em três oportunidades (2x com Leonardo e 1x com Whashington), mas ninguém pôde superar o brilhantismo de Lucas Tenório.

A camisa 10 torna a brilhar, mas por outras cores

Uma das magias dos dilemas do futebol é que eles não costumam ser partidários. Onde há uma camisa 10 bem vestida o espetacular pode acontecer. Leonardo, do Sete Vezes Mais, usou e abusou dos poderes fornecidos por sua vestimenta e adicionou isso ao seu óbvio talento nato.

Funcionando como pivô e orquestrando as jogadas de ataque, a Formiga Atômica cresceu para cima de seus adversários. Foi assistente no gol de empate, servindo muito bem seu companheiro Shogun. Foram dele também o passe para o tento de Mineiro e o gol que seria a pintura da partida. O meia interceptou uma bola mal recuada, fez o zagueiro dançar e finalizou com uma cavadinha para encobrir o goleiro.

O Sete Vezes Mais não conseguiu recusar os presentes oferecidos pelo adversário, marcando ao todo 7 vezes na etapa final e dando jus ao nome que escolheram para sua equipe. Com uma vitória retumbante os três pontos foram garantidos, os samurais (4º) afundaram de vez o Maanaim (6º) e escalaram na tentativa de arrancar de seus rivais de grupo uma vaga na fase eliminatória.

O alívio ao apito final não veio apenas de uma equipe que precisava vencer, mas também de um manto que tem gosto por honrar seus feitos históricos. Charlie Brown Jr. até pode estar certo sobre camisas 10 jogarem bola até na chuva, mas neste sábado os 10 fizeram o sol brilhar no bairro do Pechincha.

Notas Relevantes:

Leonardo (Meia | Sete Vezes Mais) – 9,0: fugiu de sua posição de origem em 90% do tempo de partida, atuando como pivô e em dados momentos pela ala. Foi quem mais incomodou a zaga adversária e isso lhe proporcionou um hat-trick duplo (3 Gols | 3 Assistências).

Shogun (Meia | Sete Vezes Mais) – 8,0: teria sido o jogador da partida se não houvesse o brilhantismo do camisa 10. Entrou no segundo tempo colocando fogo em campo e ativando um brio na equipe que não se via ao fim da primeira etapa. Também foi autor de um hat-trick (3 Gols).

Lucas Tenório (Meia | Maanaim FC) – 8,0: os 25 minutos iniciais foram irretocáveis, mas desapareceu com todo o seu time no momento decisivo. Com os 4 tentos marcados tornou-se um dos artilheiros do campeonato ao lado de Lucas Di Maria e Felipe, todos com 7 gols até a 3ª rodada.

 

 

Avassalador, Guerreiro atropela Real BR, vence a terceira e já se garante nas quartas de final do Carioca

Por Rayane Quintanilha

A tarde de sábado, 15/09, animou o ânimo dos times Guerreiro FC e Real BR. Tudo indicava ser uma partida equilibrada ou até mesmo nivelada pelos quesitos, foco, fé e vontade. Antes da partida iniciar, o Real apresentava características que demonstravam a determinação e vontade de vencer do time na rodada. O que, por outro lado, não aconteceu com o Guerreiro, que ultrapassou um pouco o horário e não desfrutou daquele tempinho de concentração do pré-jogo.

A bola rolou e nos primeiros 4’ a organização do Real impressionava, o toque era preciso, a posse de bola se fazia maior com o time azul, mas faltava apenas o ajuste para que se chagasse ao gol. Se isso faltava de um lado, aparecia no outro. O Guerreiro tinha menos a bola, mas quando tinha oportunidade era vital. Bruno deu o primeiro chute a gol, mas o goleiro do Real estava atento e não deixou a bola entrar. Em seguida, após um contra-ataque sem muito sucesso do Real BR, aproveitando todo e qualquer espaço possível, Ernesto entrou na área sozinho e marcou o primeiro para o atual campeão. Guerreiro 1×0.

O jogo começava a se equilibrar a nível de oportunidades, entretanto se fazia muito faltoso.
Tão faltoso que antes mesmo de terminar o 1° tempo, o Guerreiro já tinha excedido seu limites de faltas. Após o primeiro gol o empate veio rápido; depois de um ataque bem trabalhado o gigante Andrew, sozinho, mandou um bomba para dentro do gol. A equipe que outrora era traída por seus erros de passe, agora voltava à determinação do inicio, 1×1.

Mesmo tendo aproveitado bastante o erro adversário, o Guerreiro também não estava isento de cometer suas próprias falhas. Tanto não estava que por um recuo errado de Bruno para o goleiro Geovane, Bruno, jogador do Real, estava  ligado e tocou para Andrew que virou  para o Real, 2×1. Com alguns conflitos entre os jogadores do mesmo grupo dentro de campo, o Real continuava buscando sua vitória e sabia das dificuldades do jogo. Dificuldades estas conhecidas por, Bruno , Ronald e Ernesto, o trio apresentava-se exímio ao jogo desde o apito inicial. Buscando a todo custo o resultado positivo, de rebote, Bruno marcou o terceiro de sua equipe, 3×1. O que poderia parecer sonho, a qualquer momento poderia tornar-se pesadelo. Ainda no 1° tempo, o Guerreiro se organizou a ponto de buscar o empate de maneira muito rápida. Gilson mandou um chute que deixou o goleiro Rodrigo sem chances de defesa, era o time amarelo reagindo como sempre fazia, 3×2. Logo não demorou e o zagueiro Lucas, sozinho na entrada da área, mandou bonito pra dentro do gol e comemorou bastante a busca rápida pelo empate 3×3.

2° tempo.

No segundo tempo o jogo virou literalmente, a postura assumida pela equipe do Guerreiro é sempre favorável a seus anseios, não é atoa que estão invictos na competição. As coisas para o Real que já não fluíam muito bem, como um castelo de areia, tendeu a desmoronar ainda mais. Após uma recuperação de bola excepcional, Ernesto deu o passe e Bruno finalizou, 4×3 Guerreiros FC.  Ambas as equipes tinham jogadores que destacavam-se e contribuíam muito para seus resultados, de um lado Ronald que só participou efetivamente do penúltimo gol do Guerreiro, mas esteve presente em 90% dos lances, bastava olhar para uma das laterais que lá estava ele participando de toda a movimentação e do outro o Goleiro do Real BR, Rodrigo, que por diversas vezes salvou o time.

Inesperadamente, mesmo com um ótimo goleiro, o Real sofria conflitos internos, motivo pelo qual fez com que aquele time focado dos 15 primeiros minutos, se perdesse completamente. As discussões e cobranças entre si fizeram com que os jogadores perdessem a capacidade de focar exclusivamente no jogo. Com isso, mais uma vez a equipe adversária se fez distinta. Daí por diante, mesmo sem desistir e correndo atrás, todos os resultados se fizeram favoráveis ao Guerreiro. Tentando uma reação, Di Maria virou um bolão para Andrew que por pouco não fez o quarto do Real.

Dessa forma, jogando tranquilamente, sem alterações de humor, desfrutando do entrosamento e harmonia, que o Guerreiro transformou o jogo num grande passeio.  João Filipe faz um pênalti em Ernesto que foi lá e marcou mais uma vez. 5×3 Guerreiro FC.
O Real passou a perder praticamente todas as bolas, era como se algo já não fizesse mais sentido no jogo, o time estava irreconhecível, ao passo de observar seu oponente marcar outras quatro vezes e chagar ao incrível resultado de 9×3.

Todos os outros quatro gols do time amarelo foram consecutivos, marcados faltando 10’ para o fim do jogo, era uma média de um gol a cada dois ataques. Ronald se consagrava como o craque da partida, seu movimento em campo era bom, todas as suas participações resultavam em gol. O sexto veio de uma jogada de Ronald para Bruno, que foi lá e mandou a bola pra rede, 6×3. Gilson, de rebote, marcou de novo, elevando novamente o placar, 7×3. Ronald aparecia mais uma vez, depois de Ernesto encobrir o goleiro com um belo lençol, Ronald empurrou e marcou o oitavo, 8×3. E no último lance do jogo, Danilo tocou para Ernesto que fechou o placar com o nono gol do Guerreiro. Final, 9×3.

O Guerreiro mostrou mais uma vez que está muito forte e focado no bicampeonato. Com três vitórias em três jogos, o time de Belford Roxo já está garantido nas quartas de final. Na próxima rodada o adversário será o GDC FC. Já o Real BR levou um duro golpe num jogo que dominava. Serve de aprendizado para uma equipe que também tem condições de chegar ao título. No dia 29, quarta rodada, o adversário será o Talentos da Fé.

 

 

GDC FC Goleia União IBV por 6×0 e conquista primeira vitória no Carioca

Por Eduane Pereira

Na tarde de sábado, 16 de Setembro, aconteceu a terceira rodada do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por um duelo entre o GDC FC e o União IBV FC no campo do Pau Ferro. Ambas as equipes vieram de duas derrotas e precisavam da vitória para conseguir uma melhor posição no grupo A. O GDC que é uma equipe antiga no campeonato, entrou em campo com muita garra e determinação, já o União mostrou falta de experiência e um ataque fraco. O GDC FC conseguiu a vitória por 6×0 e o craque da partida foi o camisa 9, André Machado, autor de três golaços.

O primeiro tempo iniciou com o ataque do GDC FC, André roubou a bola da equipe adversária e marcou um golaço, na sequência Julio Cesar fez um cruzamento para Nixon que recebeu e finalizou com um belo gol. O União, após sofrer dois gols, melhorou seu desempenho na partida e se reforçou na defesa, a equipe arriscou algumas jogadas na tentativa de marcar o gol, mas não teve sucesso.

Aos 20 minutos de jogo, Beltessazar e Eduardo trabalharam em dupla para buscar o terceiro gol, mas o goleiro Gabriel fez uma boa defesa. Heron buscou o gol para sua equipe, o camisa 6 roubou a bola de Julio Cesar e chutou, mas a bola foi em cheio na trave. No final do primeiro tempo o União IBV sentiu a pressão do placar 2×0 e se desesperou, tentou alguns chutes fortes ao gol, mas o goleiro do GDC fez ótimas defesas.

O GDC FC retornou para o campo marcando um golaço, feito por Eduardo Lopes, o camisa 14 bateu falta e acertou em cheio o gol. Com o placar em 3×0, Heron buscou o gol com um chute forte, mas Josivan agarrou em tempo. Em seguida, Marcos com Wemerson criaram uma ótima jogada, mas não conseguiu marcar o gol. Aos 14 minutos do segundo tempo, Nixon deu um passe certeiro para André que recebeu e concluiu com um golaço.

Faltando 6 minutos para terminar a partida, Nixon tentou marcar o quinto gol, o camisa 17 correu sozinho pela lateral e chutou forte para o gol, mas Gabriel espalmou para fora. Na sequência, Osvaldo também buscou o gol pela lateral, mas não conseguiu finalizar e tocou para Julio Cesar, o camisa 21 recebeu e chutou cruzado para gol, sacudindo a rede do União IBV FC.

No final da partida, faltando apenas 2 minutos, Eduardo Lopes criou uma boa jogada e tocou para André que marcou um golaço. Heron e Marcos tentaram marcar o gol em seguida, mas a partida terminou com a merecida vitória do GDC FC de 6×0. O destaque do jogo foi o camisa 9, André Machado, autor de três gols.

Notas:

André Machado – 9,0: O pivô do GDC FC teve um bom desempenho na partida, se destacou nas jogadas e marcou três gols.

Julio Cesar – 8,5: O meia do GDC FC, também foi um dos destaques do jogo, marcou um gol e uma assistência, participou das jogadas coletivas e aproveitou as oportunidades em campo.

Heron Olivares – 6,5: O meia do União IBV FC estava muito seguro no primeiro tempo e criou boas jogadas, mas não teve tanta sorte para finalizar e marcar o gol. Já no segundo tempo, o camisa 6 sentiu a pressão do placar e não conseguiu trabalhar no coletivo.

 

Parábola FC derrota Galáticos da Catedral e garante classificação antecipada para as quartas de final do Carioca

Por Erika Pereira

No último sábado, válido pela terceira rodada do Carioca Evangélico, que está em sua sétima edição, Parábola FC e Galáticos da Catedral fizeram um jogo de encher os olhos dos presentes ao Pau Ferro FC, no bairro do Pechincha, em Jacarepaguá. Equilibrado, disputado e de alto nível, o duelo acabou sendo vencido pelo Parábola por 2×1.

O Parábola F.C começou o jogo muito bem caindo em cima dos Galáticos com ataque e contra- ataque . As equipes mostraram qualidade com bons toques de bola e jogadas inteligentes, mas o time de Bangu levava certa vantagem. Aos  12  minutos, em uma arrancada de Jefferson, que correu pelo campo com a bola no pé , balançou a rede fazendo seu primeiro gol na partida e abrindo o placar.

O jogo seguiu muito equilibrado na primeira etapa, o Galáticos melhorou na partida e passou a chegar com perigo. O empate saiu aos 23 minutos depois que Kelvin passou para John deixar tudo igual. 1×1.

No segundo tempo o jogo começou no mesmo ritmo  mas o tempo esquentou com muitas marcações em cima d que correu pelo campo se desviando do adversário e ganhando confiança e, com passe de Felipe Neves que deu novamente a oportunidade de Jean fazer um golaço que balançou a rede pela segunda vez e fez virar o placar . Placar 2×1.

Os Parábolas eram persistentes e jogavam com garra dominando toda a partida e confabulavam o tempo todo entre eles  e o  time dos Galáticos desesperados  correram atrás do prejuízo e não desistiu caindo pra cima, suaram bastante a camisa para chegar até o gol que infelizmente não aconteceu.

Um 2 x 1 para o Parábola que mostrou um belo futebol e vai surpreender muito no campeonato . Já o Galáticos precisa recuperar suas forças e melhorar suas jogadas e mostrar na próxima partida o  futebol que fez no jogo anterior.

O jogador que mais se destacou na partida  foi o jogador  Jean da Silva que soube cumprir com louvor o seu papel na equipe e o goleiro do Galáticos, Samuel Pereira que mesmo perdendo agarrou muitas bolas difíceis.

Próxima etapa será ( fase) O Parábola disputará com ( time); e Galáticos jogará com (time).