Albatroz derrota Galáticos da Catedral e mostra forças para disputa das oitavas do Carioca Evangélico

Por Izabela Vieira

O Campo do Agrião, no Alto da Boa Vista, em meio a uma forte neblina, recebeu neste sábado, dia 27 de Maio, o duelo entre as equipes do Albatroz FC e Galáticos da Catedral, válido pela 6ª rodada do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas. Após um jogo muito equilibrado, a vitória foi do Albatroz, que ficou em boa situação para ser um dos oito melhores classificados e ter a vantagem do empate nas oitavas.

No início do jogo as equipes estavam um pouco perdidas. Aparentemente ninguém queria se arriscar muito, se estudavam bastante e se dedicavam à marcação do time adversário, primordialmente feita no campo de defesa. Os times seguiram afobados e não aproveitavam as oportunidades para abrir o placar. Sem muitos lances perigosos, o jogo permaneceu truncado durante todo o primeiro tempo. O jogador Rafael Alves, do Albatroz, conseguiu realizar duas finalizações com mais perigo, mas a defesa do Galáticos conseguiu fazer o corte. O primeiro tempo terminou com tudo igual no Campo do Agrião, sem gols marcados, mas o placar não ficou igualado por muito tempo.

As equipes chegaram ao segundo tempo com muita vontade de mudar o placar. O Albatroz voltou marcando forte e, logo no inicio do segundo tempo, Wagner Monteiro marcou o primeiro gol da equipe da Baixada, se aproveitando de um erro da defesa do time adversário. Em outro lance de velocidade, o jogador Rodrigo da Silva marcou mais um gol para o Albatroz , conquistando uma boa vantagem que seria muito importante no decorrer da partida.

Na metade final do segundo tempo o Galáticos da Catedral pressionou muito o adversário em busca do empate. O jogo foi marcado por muitas faltas a favor do time branco e o tiro livre foi um personagem de destaque na reta final do duelo. No primeiro deles, assim que o Albatroz ultrapassou o limite coletivo de cinco faltas por tempo de jogo, Alexandre converteu e diminuiu a vantagem do time amarelo. Mesmo errando muito na tática para chegar ao ataque, o Galáticos ainda conseguiu outro tiro livre, ou shoot out, mas dessa vez o mesmo Alexandre não foi feliz e despediçou a chance do empate. Com méritos para seus sistema defensivo, o Albatroz terminou com uma importante vitória de 2×1, com destaque para Tácio Gomes que, com jogadas individuais e apoio ao grupo, foi primordial na conquista dos três pontos.

Na próxima rodada o Albatroz encara o Ágape F7 e o Galáticos enfrenta o Kairós FC, numa luta direta pela última vaga do grupo C nas oitavas.

 

Partidários goleia Betel e dá mostras de que reencontrou seu melhor futebol no Carioca Evangélico

Por Paula Barcellos

No último sábado, novamente nublado no Alto da Boa Vista, entraram em campo pela penúltima rodada da fase de grupos do Campeonato Carioca Evangélico 2017, as equipes Partidários e Betel FC. A primeira com a tradicional camisa cinza e preta, já a segunda de amarelo e vermelho. Num jogo que tinha tudo para ser muito disputado, a larga vitória do time de Bento Ribeiro (7×1) mostrou evolução do time que venceu e ligou o sinal vermelho no time de Inhaúma.

No primeiro tempo o jogo começou corrido, ambas as equipes querendo mostrar serviço. Até que numa batida de falta, Juninho, número 8 do Partidários, botou a bola no ângulo e abriu o placar. Por mais que o Betel tentasse empatar e o próprio Partidários buscasse o segundo, o jogo foi muito ruim na primeira etapa, onde as equipes erraram muitos passes e estiveram longe do bom futebol que todos sabemos que tem.

Já no segundo tempo o duelo foi outro. O Partidários chegou mais e o Betel não conseguiu interceptar o adversário. O jogo ficou corrido novamente até que Lucas recebeu de William, e ampliou o placar para a equipe cinza. O time de amarelo não conseguiu criar e viu a outra equipe dominar a partida. Mas, num momento de lucidez, Alex encontrou Vinícius que balançou a rede para o Betel. 2×1. Mas não deu nem tempo de o amarelo e vermelho comemorar. Logo em seguida foi a vez de Lucas que tocou para Hiago fazer terceiro do Partidários e depois mais uma vez Hiago balançou as redes, quando recebeu de Juninho, no quarto gol do time cinza. O trio estava fazendo a diferença na partida.

Numa batida de falta, Juninho, mais uma vez, tocou para Alessandro, que chutou fora da área e ampliou a vantagem do Partidários. Em outro lance, num rebote, foi a vez de William que deixou o seu gol na goleada. O time de cinza dominou a partida, mesmo que o Betel não tenha se entregue. O atual vice-campeão mostrou que continua forte, e no último lance do jogo, Diego roubou a bola e tocou para o William que não desperdiçou e botou no cantinho do goleiro.

O time vencedor jogou para vencer e não relaxou diante da classificação já garantida. Numa partida em que quase a equipe toda se destacou, o craque foi William que marcou duas vezes e ainda deu passes precisos para outros gols.  Já o Betel, apesar de ter sofrido a goleada, não se abateu em nenhum momento e chegou até tentar um empate, mas a experiência da equipe adversária falou mais alto.

Na próxima rodada, a última da fase de grupos, o Partidários enfrenta o Raridade e o Betel encara o Galáticos JS.

 

Puritanos FC vira pra cima do Plenitude 12 em jogo de onze gols no Carioca Evangélico

Por Jackeline Oliveira

No fim da tarde deste último sábado (20/3) às 16:35, rolou um dos jogos mais emocionantes dessa rodada do Campeonato Carioca das Igrejas Evangélicas. Puritanos FC e Plenitude 12 deram um show de bola, mesmo com algumas rixas em campo, o que marcou o espetáculo foi a garra dos times. No final, ficou 6×5 para o Puritanos FC, que ganhou de virada em cima do Plenitude 12.

No primeiro minuto de jogo uma dupla que deu muito trabalho ao Puritanos FC apareceu, Wagner e Milton. Aproveitaram o descuido da zaga do adversário e armaram uma jogada pelo canto direito, Milton tocou para Wagner que abriu o placar do jogo.  1×0 Plenitude 12.

O confronto ficou cada vez mais agressivo e teve que haver uma intervenção do juiz, em menos de 10 minutos tiveram cinco faltas para o time amarelo, enquanto o time azul e branco tentava armar uma jogada, o camisa 7 Gustavo, quase conseguiu, mas chutou pra fora.

A equipe branco e azul armava belas jogadas, mas era sempre desarmada pela zaga bem posicionada do Plenitude 12. E foi em uma dessas roubadas de bola que o camisa 18 apareceu de novo, Milton conseguiu passar pela zaga, mas deu o gol para o amigo Wagner. Porém não deu tempo de comemorar, assim que o árbitro apitou, Ezequiel levou a bola com talento e tocou para Gustavo, o camisa 7 não perdeu a oportunidade e chutou direto para o gol, abrindo assim o placar para o Puritanos, 2×1.

A disputa de bola era acirrada demais e, apesar de manter a posse de bola, o time branco tinha muita dificuldade em finalizar as jogadas, perdendo muitas oportunidades e abrindo espaço para Romário, que passou por todo meio de campo, e entregou a bola na cara do gol ao Wagner e já era o terceiro dele no dia. A pressão em cima do time branco crescia cada vez mais, então o camisa 11, Jeferson deu um chute… um belo chute de cobertura do meio do campo foi direto para a rede. Plenitude 3 x 2. O equilíbrio da equipe azul só aumentou e logo em seguida João Victor fez um gol espetacular da lateral do campo.

O Plenitude 12 sentiu o empate e a equipe ficou mais recuada, mas no final do primeiro tempo Rafael Lamego deu uma bicuda na bola e o goleiro do Puritanos espalmou, mas Anderson Silva chutou de qualquer jeito para o gol e a bola entrou. 4×3 para o Plenitude 12.

Começou o segundo tempo e ainda com a posse de bola, o Puritanos FC se esforçava para competir com a experiência do Plenitude 12. O amarelo e preto tentou várias vezes, mas parecia que o gol tinha fechado. O jogo estava aberto. Ninguém saberia dizer quem era o favorito naquele momento para vencer.  Gustavo em um vôo solo deu um bico na redonda e a colocou bem no canto direito, deixando tudo igual no placar. 4×4. Agora a vez de marcar foi do camisa 2, Igor Araújo. Os minutos finais foram emocionantes e avassaladores; Jeferson também fez vôo solo e conseguiu balançar a rede. No último minuto, Diego apareceu e diminuiu para o Plenitude 12.

O jogo terminou assim em uma virada surpreendente de 6×5 para o Puritanos FC.

Na próxima rodada, em situação delicada no grupo A, o Plenitude enfrenta o Israel da Bola. Já o Puritanos FC encara o Talentos da Bola.

 

Ousadia derrota Galáticos da Catedral e consegue vaga nas Oitavas do Carioca Evangélico

Por Marcio Nunes

Em jogo de poucos gols e muito equilíbrio, Ousadia bate os Galáticos da Catedral e fica muito perto das oitavas de final.

Muito frio, campo molhado e risco de mais chuva a qualquer momento. Mas nem o clima conseguiu parar os garotos do Ousadia FC na tarde deste sábado, 20. Depois de um primeiro tempo muito equilibrado, o Ousadia mudou a postura e dominou a etapa final com destaque para as atuações de Pablo (7), Christiano (8) e de André Vitor (17), eleito craque do jogo.

O Primeiro Tempo.

O jogo começou bem movimentado com as duas equipes buscando o ataque. O time do Ousadia dominou os primeiros 10 minutos de jogo tendo boas oportunidades de fora da área. O goleiro Samuel (Sassá) do Galáticos conseguiu duas boas defesas em chutes de Christiano e André Vitor de fora da área, mas o camisa 8 não desistiu e, em passe de André, abriu o placar com um chute forte e no canto. Ousadia 1 x 0. Após o gol, o Galáticos foi pra cima, colocou a bola no chão e criou três ótimas oportunidades com o camisa 26, John Vitor. O meia recebeu uma bola alta na área, deu um lençol no marcador e finalizou, obrigando o goleiro Darnley a fazer uma grande defesa. Em outro lance, aproveitando uma cobrança de escanteio, John desviou a bola, mas o goleiro do Ousadia segurou firme, sem problemas. Mantendo a bola no ataque e dominando o meio de campo, o Galáticos igualou o marcador com o craque do time na partida: John Vitor. O meia recebeu passe na intermediária, avançou e chutou forte para deixar tudo igual. Ousadia 1 x 1 Galáticos.

Nós cinco minutos finais da etapa inicial, o Ousadia conseguiu recuperar o bom futebol dando equilíbrio ao jogo. André Vitor fez uma bela jogada individual, driblou 3 marcadores e arriscou de fora da área, mas a bola foi pela linha de fundo. A resposta do Galáticos veio no último lance de perigo do primeiro tempo em cabeçada do camisa 9, Gustavo Lessa, mas a bola acertou a trave.

Fim do Primeiro tempo e tudo igual no placar.

O Segundo Tempo.

Os dois times voltaram do intervalo com vontade de vencer. O camisa 9 do Ousadia, Marlan Galdino, acertou a trave logo no início da etapa final. Mas o 9 do Galáticos também estava afim de jogo e, em resposta rápida, bateu forte para defesa de Darnley. Após uma falha de Guido do Ousadia, a bola sobrou para John Vitor que furou na hora do chute, desperdiçando uma grande oportunidade para os “galáticos”. O time da Catedral se lançou novamente e quase virou o jogo, mas Darnley fez grande defesa e no rebote, Guido se redimiu salvando em cima da linha.

Após uma bronca do treinador o Ousadia foi ao ataque e marcou novamente, voltando a frente no placar. Em passe de Igor Paulo, André Vitor não deu chances ao goleiro e marcou o segundo. Ousadia 2 x 1 Galáticos. O gol deu tranquilidade à equipe que passou a dominar a partida e aproveitou o nervosismo do adversário. O time da Catedral abusou dos erros de passe e nas faltas, permitindo que o Ousadia criasse diversas oportunidades. Em três lances seguidos, o goleiro Sassá evitou o pior e fez grandes defesas. Primeiro em chute de Pablo dentro da área. Em seguida evitou os gols de Israel e Thiago. Em mais uma boa chance do Ousadia, Israel cabeceou para fora. Pablo, que vinha se destacando no segundo tempo com jogadas individuais, acertou o travessão.

O golpe de misericórdia veio no final do jogo. Christiano, que já havia marcado o seu, deu bom passe para Pablo, que finalmente venceu o goleiro e a trave para marcar o último gol do jogo. Ousadia 3 x 1 Galáticos da Catedral. Com a vitória nas mãos, o Ousadia administrou e abusou dos chutões pra frente até o apito final.

A vitória garantiu o time de Jacarepaguá nas oitavas da competição.

Lance Curioso.

Ainda no primeiro tempo, o goleiro Samuel do time do Galáticos deixou o gol para afastar uma bola perigosa se antecipando ao adversário. O goleiro acabou se enroscando com a rede lateral do gramado, não conseguindo voltar a campo enquanto a bola ainda estava em jogo. Sassá deixou a chuteira pra trás e voltou à meta. Para a sorte dos Galáticos o Ousadia não conseguiu aproveitar essa oportunidade com gol vazio e este evento inesperado não influenciou no resultado.

Considerações finais.

O Ousadia saiu de campo com uma vitória justa, coroando uma bela atuação coletiva. O goleiro Darnley que começou o jogo um pouco inseguro, evoluiu bastante no decorrer da partida com defesas firmes e passando confiança ao time. O craque do jogo foi o camisa 17, André Vitor, que deu uma assistência, marcou um gol e criou diversas oportunidades, chamando a responsabilidade e exibindo um bom futebol em jogadas individuais.

Com a vitória, o Ousadia assume a terceira colocação no Grupo C com 10 pontos e se garante na próxima fase. Já o Galáticos da Catedral continua com os 6 pontos em quinto lugar, mas ainda tem chances de classificação. Na próxima rodada o Ousadia enfrenta o Kairós, sexto colocado. Já o Galáticos da Catedral terá uma partida mais complicada contra o Albatroz, vice líder do Grupo C e que tem a melhor defesa do campeonato com apenas 7 gols sofridos.

Partidários atropela É de Deus e se garante nas Oitavas do Carioca Evangélico

Por Diogo Priori

Na gélida tarde de sábado no Alto da Boa Vista, a equipe do Partidários, atual vice-campeã, vinha de pleno favoritismo frente a um É de Deus atordoado pela recente campanha em sua primeira participação no torneio em um jogo que ambos times procuraram o ataque intensamente, mas só um parecia entrosado o suficiente para chegar a meta.

Atual vice-campeã, não demorou muito para o favoritismo se confirmar pelo lado do Partidários; já que com menos de um minuto de jogo, William aproveitou um rombo da defesa do time da baixada e achou Lucas, livre pela direita, para fazer 1×0.  Sendo claro, desde o início, que a dobradinha Lucas/William representava as ações ofensivas do Partidários. Famintos por gols e tabelas, usaram e abusaram do fraco e debilitadíssimo setor defensivo do É de Deus. Não demorou muito para, de forma muito atrapalhada, entregar a bola para Lucas, que servira seu companheiro William para retribuir a assistência anterior, fato que viria a se repetir mais vezes na partida.

Muito pressionado, o time da Baixada Fluminense esboçava uma reação marcando no campo de ataque o Partidários. Estilo de jogo mais ousado e arriscado, que levou Leandro, maior destaque dos amarelo-preto, a descontar para o time da baixada.

Aproveitando o melhor momento do jogo, direcionado a uma reação, o É de Deus fazia uma pressão bem mais alta que o adversário, dando brechas para um contra-ataque, que contava com Lucas (camisa 9 e mais habilidoso do Partidários) e William (Camisa 10 e articulador).

Juninho e Paulo, consistentes na defesa, já não se assustavam com tanta facilidade.  Saíam calmamente para o jogo achando a solução nas extremidades. Nem sempre com êxito, mas muito ímpeto, Lucas deu um lindo passe para William desperdiçar com uma furada de esquecer. Devemos, no entanto, ser justos, já que demorou dois minutos para o mesmo se redimir deixando a meta livre para o camisa 9 marcar, sem goleiro pelo lado esquerdo.

Após o terceiro gol, o É de Deus se perdeu de vez.  O time marcava a bola e dava espaço para Lucas (sempre ele) articular e achar Leandro, que perdeu duas vezes, a última copiosamente acertou a trave e adiou o quarto para um minuto mais tarde.

Para falar do quarto gol é importante destacar Guilherme, camisa 10 do É de Deus, como um destaque negativo e pior jogador da partida. Atrapalhado e displicente, o jogador levou o técnico do time da Baixada à loucura diversas vezes ao longo do jogo, destaque para quando tentou driblar na saída e entregou a bola para Lucas (ele mesmo, o 10) facilmente rolar para William, com o goleiro vendido, converter o quarto.

Parecia um pesadelo para Leandro e todo o É de Deus, perdido em sua marcação alta e rendido aos contra-ataques adversários.  Foi assim que veio o quinto.  Com a proteção de Juninho, William conduziu a bola até seu campo de ataque, driblando dois para o arremate, no rebote, Lucas faria mais um e enterrava ali as chances do É de Deus no jogo. 5×1

Runo, camisa 4 do É de Deus, e até então preocupado com o setor defensivo da equipe, se lançou ao ataque junto a toda a equipe.  Foi dele a bonita jogada e a chance criada para Rodrigo desperdiçar.  O É de Deus na medida que aumentava a pressão no campo de ataque mais ficava exposto e vulnerável a retranca (!!) adversária.

Quem pensava que apenas Lucas e William seriam os únicos responsáveis pelas jogadas de brilho na partida não esperava que Osmar, camisa 5 e uma das válvulas de escape da defesa pelos lados, fosse converter no sexto para o time de Bento Ribeiro, um lindo chute de cobertura. Com o primeiro tempo se encerrando tivemos com um gol do camisa 21, Rodrigo, que viria descontar para o É de Deus com uma grande ajuda do arqueiro adversário. O 6×2 não trazia nenhuma surpresa a maioria.  O Partidários dominou e impôs seu jogo em cima de um É de Deus aberto e espaçado.

Começada a etapa complementar, não demorou muito para que o Partidários fizesse seu sétimo na partida e a tornasse ainda mais dramática para o adversário. Alfredo acertou um lindo cruzamento do lado direito para Lucas converter em 7×2.

A todo momento dessa segunda etapa William foi acionado na ponta esquerda, jogando mais aberto que os demais e aproveitando a atabalhoada zaga fluminense. Gabriel ainda perdeu um gol que sintetizava todo o nervosismo e falta de entrosamento do time amarelo. As faltas duras e desleais surgiram como solução diante da falta de criatividade, vista como maneira mais eficiente para frear o rápido contra-ataque adversário tornando o jogo mais duro e truncado.

Renato e Gabriel ainda viriam a levar muito perigo a zaga do Partidários, selando os últimos suspiros do É de Deus na partida.

William, o melhor do jogo, se apresentava muito ao ataque, além de tentar com muita classe um bonito voleio que surpreendeu a todos, para na jogada seguinte fazer mais uma bonita e bem ensaiada tabela com Leandro para converter.

Leandro aparecera muito bem no fim do jogo, já com os destaques cansados e mais estáticos em campo.  Foi dele o gol que fechou o placar após linda jogada de Alessandro; meio gol para a assistência é verdade.

 

Melhor do jogo:

William [Partidários]: Seus 5 gols e 1 assistência falam por si.

Menção honrosa:

Gabriel[ É De Deus]: Esforçado, foi uma ressalva diante da péssima atuação da equipe.

Lucas [Partidários]:  Comandou as articulações ofensivas; 3 gols e 3 assistências; talvez sem ele o placar não fosse tão expressivo.

William [Partidários]:  Letal, puxava a marcação; mostrou pleno faro de gol e excelente posicionamento.

 

Vinicius brilha, é o craque da rodada e leva Betel ao reencontro com a vitória no Carioca Evangélico

Por Lucas Bichão

O dia 20 de maio foi data de um dos jogos mais quentes do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas de 2017. Entre gols bonitos e muitas faltas, o Betel FC venceu o time do Raridade pela 5ª rodada da competição estadual. Ambos os planteis se equipararam durante grande parte do jogo, porém a equipe que veste amarelo e vermelho mostrou um poder decisivo muito maior e com uma qualidade de encher os olhos.

A peleja começou um tanto quanto morna no Campo do Agrião. Betel e Raridade se estudavam, trocavam passes e postavam suas defesas de forma organizada. Parecia que ninguém queria arriscar perder pontos desnecessários. Para se ter uma noção das chances criadas, o lance mais perigoso foi um chute no qual Patrick, camisa 8 do Betel, desperdiçou chutando para fora.

O ânimo dos times só chegou após o primeiro balançar das redes na partida. Depois de um passe simples de Elton para Valdeir, o camisa 5 encheu o pé para marcar um gol do meio da rua. O jogador estava quase na linha de meio de campo quando bateu rasteiro, sem chances para o goleiro Moises. Com 1 x 0 a favor do Betel a partida começou a esquentar, tanto em bola rolando, quanto nos nervos dos jogadores.

Ainda no primeiro tempo, Erik, do Betel, deu um carrinho imprudente sendo o último homem. Como punição o juiz o afastou de campo por três minutos e a equipe amarela e vermelha estaria com um a menos nesse período. Porém, “poder” não é “acontecer” e o Raridade pouco aproveitou a vantagem para empatar. Sendo assim o placar magro foi mantido até o final do primeiro tempo.

O intervalo não foi de grande ajuda para a equipe do Raridade, o estresse que pôde ser visto em campo passou para a breve reunião que os jogadores tinham enquanto o jogo não retornava. Ao voltar para a segunda etapa, a equipe verde e branca só mostrou desanimo nos primeiros minutos e não esboçava qualquer sinal de que reagiria até o final.

Já o Betel estava com todo o gás para aumentar a sua vantagem no placar. Conseguiu essa proeza de forma magnífica, esta que veio pelos pés de Vinícius Silva. O lance era de bola parada, a falta não era tão distante de área e a barreira estava mal colocada, todos os indícios para sair um gol. O jogador do Betel chutou com precisão e Moises, goleiro do Raridade, nem chegou a pular na bola.

Assim como no primeiro tempo, o gol da equipe amarela e vermelha instigou os ânimos de ambos os times. As jogadas tornaram-se mais intensas e pegadas, o número de faltas cresceu e o de esbarrões mais que triplicou. Havia reclamação de toda parte, mas felizmente a bola continuava rolando para que mais lances de gols fossem criados. O Raridade tentava a todo custo abrir o placar no seu marcado, mas quando não errava, parava nas defesas de Magno ou via as bolas serem cortadas por Vinícius Silva.

O camisa 11 do Betel, por sinal, foi o grande destaque da partida. A pequena torcida, que também servia como banco de reservas do time amarelo e vermelho, gritava “Vinícius, Vinícius!” e ia à loucura toda vez que o rapaz tocava na bola. O jogador ainda teve a chance de marcar mais duas vezes, uma de cobertura em que bateu forte demais e outra que parou nas mãos de Moises.

Enquanto o destaque do Betel crescia na partida, os jogadores do Raridade ficavam cada vez mais nervosos. O time branco e verde ainda viu o placar aumentar com um gol de Reinaldo, após um contra-ataque rápido e fulminante.

E quando se pensava que nada mais poderia acontecer, eis que o Raridade muda o seu marcador com gol de Douglas. A reposição rápida mostrou um novo brio que não havia existido durante todo o jogo. Não muito depois, Robison marcou mais um para sua equipe e deu esperança de ao menos um empate.

Apesar das chances de igualar a partida, o que veio depois disso foi apenas reclamação e muita irritabilidade por parte do Raridade. A consequência foi um gol belíssimo do Betel, em mais um contra-ataque veloz. Reinaldo correu e ficou cara a cara com o goleiro, precisando apenas dar um toque por cima e definir os valores finais do placar, 4 x 2.

Cenas lamentáveis puderam ser vistas ao final do jogo, estas que não merecem grande destaque por aqui. Fica apenas a mensagem de que o esporte deve ser um ambiente de competição e fraternidade, não de estresse e discussão árduas.

O Raridade enfrenta o É de Deus na próxima rodada do Campeonato Carioca, enquanto o Betel FC terá seu confronto com o Partidários.

Ágape F7 vence IMSC e segue com 100% de aproveitamento no Carioca Evangélico

Por Izabela Vieira

A dificuldade diante do IMSC era esperada, mas o Ágape não se fz de rogado e conseguiu sua quinta vitória no Carioca Evangélico, 4×3 no brioso adversário. Matheus Piu voltou a ser destaque, com dois gols e uma assistência, e manteve sua equipe com 100% de aproveitamento no Carioca Evangélico.

O jogo começou truncado, muita disputa de bola, e pouco sucesso para alcançar a grande aréa. Mas aos 5 minutos de partida, o craque do Ágape, Matheus Piu, recebeu belo passe de Sávio, com quem faz uma dupla de ataque, que vem sendo destaque em várias partidas, pela sincronia e habilidade, e fez o primeiro gol do jogo, colocando seu time na frente no placar. Logo em seguida, Wallace com assistência de Eduardo, empatou para o IMSC, deixando tudo igual no Campo do Agrião. Mas a dupla de ataque surpreendeu e, dessa vez, Sávio foi quem recebeu o passe de Piu, e desempatou para o Ágape F7. kayque também marcou um golaço, com assistência de Renan, para alegria do time do Recreio. Mas Wallace, recebeu passe de Reinaldo e fez seu segundo gol na partida, e diminuiu para o IMSC. Poucos instantes para o final do primeiro tempo, Matheus Piu, balançou a rede, com passe de Marcus. Logo após, o juiz apitou o final do primeiro tempo, Ágape F7 4 X 2 IMSC

Já no primeiro tempo era possível sentir um clima de tensão entre os jogadores, um jogo duro, disputado lance a lance. O segundo tempo prometia fortes emoções, e teve mesmo. Logo no inicio, Wellerson marcou para o IMSC, diminuindo a diferença no placar. Os ânimos ficaram exaltados, jogadores discutiram entre si, e com o juiz, Matheus Piu recebeu cartão amarelo e foi substituído. O clima de tensão piorou, jogadores iniciaram uma confusão, e o camisa 4 do Ágape F7, Lucas, recebeu cartão vermelho e foi expulso de campo. O jogo ficou parado por alguns minutos, até que as coisas se acalmaram e a bola voltou a girar. A partida voltou mais calma, goleiros fizeram boas defesas e seguraram o placar, o jogo continuou disputado, mesmo com um jogador a menos no Ágape, que tentou aumentar sua vantagem, e acertou três bolas na trave, duas de Matheus Piu, e uma de Sávio, mas o gol não saiu, e a partida terminou com vitória do time branco e azul por 4 a 3 em cima do IMSC.

Na próxima rodada o Ágape enfrentaria o Atletas de Cristo e, por isso, folga, pois já tem os três pontos. Já o IMSC só precisa de um empate diante do Mainé’s para garantir a classificação para as oitavas.

MAV volta a jogar bem e derrota Talentos da Fé pela quinta rodada do Carioca Evangélico

Por Glaucia Schettinni

Se existe um clássico de muita rivalidade e história hoje no Carioca Evangélico, ele é MAV x Talentos da Fé, duas grandes equipes, que representam duas regiões do Rio de grande importância e que já estão no projeto do torneio desde a segunda edição. Se o MAV entrou em campo com mais vitórias no confronto, pode-se dizer que o Talentos virou freguês, pois, mais uma vez, deu azul e branco contra o dourado. Dario, defensor que insiste em dizer que não joga atrás, foi o grande craque do jogo com três gols. Mas vitorioso e derrotado já estão garantidos nas oitavas.

Toda a desenvoltura que o Talentos da Fé mostrou nas quatro primeiras rodadas onde saiu com a vitória ficou guardada na Academia da Fé, igreja da Tijuca que representa. Não que a equipe estivesse mal, mas faltava aquele algo mais que a diferenciou antes. O MAV, por sua vez, mostrou que a cada jogo vai lembrando o time da segunda edição, quando teve a melhor campanha da primeira fase naquela época. Com uma boa marcação desde o campo ofensivo, muita movimentação e força nas jogadas de ataque, e novamente Thiago Muri fazendo ótimo papel de pivô, o time azul e branco tomou as rédeas da partida desde o início e abriu o placar depois de João Marcos arriscou de longe, o goleiro deu rebote e Muri mandou pra redes.

Antes do gol, porém, tanto o MAV quanto seu adversário tiveram boas chances, mas o time de Realengo parecia mais tranquilo para receber dos deuses do futebol a vitória. Tanto que, logo depois de abrir o placar, fez o segundo num belo tento de Dario. Ciente de que o jogo ia por um caminho perigoso, o Talentos apertou um pouco mais seu rival e diminuiu com Diogo, após receber de Leonardo. O 2×1 colocou mais pimenta no jogo.

Talvez o grande mérito do MAV na partida foi ser eficiente quando precisava. No momento que o Talentos buscava o gol de empate e levava muito perigo a meta de Ronaldo, Muri deu boa bola para Dario fazer o terceiro. Num campo de dimensões reduzidas como o do fut7 dificilmente as equipes não criam oportunidades, mas o segredo está em transformá-las em gol. E no primeiro tempo, de certa forma equilibrado, o alviazul se saiu melhor.

A força do time da Tijuca parecia ter voltado na segunda etapa. O gol de João Pedro, diminuindo para o Talentos, fez justiça ao ímpeto da equipe. Na verdade o placar de 3×2 era o mais correto para a disputa até então. O duelo era bem movimentado, cada time com seu estilo de jogo, mas a balança sempre pendia mais para o lado do MAV, que fez o quarto com João Marcos, recebendo passe do garçom, Thiago Muri. O trio Thiago, João e Dario fez a diferença num duelo igual coletivamente falando.

Uma das maiores qualidades do Talentos da Fé é a disponibilidade de seu grande elenco, que dispõe de jogadores com características diferentes e que se adaptam a cada partida. No entanto, nenhuma formação conseguia dar cabo às boas jogadas criadas, o time dourado parecia enxugar gelo nesse duelo. Tudo que tentava ou passava perto ou tinha sempre a intervenção de um adversário. Isso, com certeza, também minou a concentração dos seus jogadores que, pelo contrário, enxergavam nos adversários uma objetividade enorme.

Dario fez seu terceiro no jogo, o quinto do MAV, após mais uma de suas subidas pela lateral, dessa vez sendo assistido por João Marcos. O Talentos ainda diminuiu com Diogo, mas nada que colocasse em risco uma vitória construída com muita obstinação e talento.

Na próxima rodada, o MAV enfrenta o desesperado Águias FC e o Talentos da Fé encara o Puritanos FC.

Albatroz goleia Mainé’s com facilidade e carimba passaporte para as Oitavas do Carioca Evangélico

Por Lucas Machado

No último sábado, 22/05, foi realizada no Campo do Agrião a quinta rodada do Carioca Evangélico e as equipes do Mainé’s e a do Albatroz se enfrentaram num duelo desigual já pela quantidade de jogadores. O time da melhor defesa do campeonato venceu por um placar esmagador de 6×0 e garantiu mais três pontos na fase de grupos, que lhe deram a classificação antecipada para as oitavas.

O primeiro tempo começou com o time do Albatroz trabalhando a bola e impondo seu jogo. O Mainé’s, com menos um jogador, se fechou na defesa e procurou jogar nos contra-ataques, a maioria sem sucesso. Nas primeiras investidas do adversário, o goleiro Almir apareceu bem e o time de Anchieta conseguiu segurar o zero do rival por alguns minutos. Mas a pressão do Albatroz surtiu efeito aos 8′. O primeiro gol saiu dos pés de Rafael Soares que ajeitou para que Rodrigo mandasse forte para as redes. A desfalcada equipe do Mainé’s sentiu esse primeiro revés e não demorou muito para que o Albatroz ampliasse com Luiz Fernando tendo assistência de Luan. O terceiro gol saiu após um passe rasteiro de Luiz para a finalização de Rodrigo, segundo dele na partida. Por mais que o time vermelho lutasse, era nítida sua fragilidade e a equipe amarela passeou em campo. A primeira etapa terminou com três gols a favor do time do Albatroz, nitidamente superior no duelo.

O segundo tempo iniciou com o Albatroz seguindo o mesmo ritmo do primeiro tempo e dominando a partida. O quarto gol veio de uma jogada ensaiada de bola parada, onde Wagner rolou devagar para o chute no canto de Rodrigo, que fez seu terceiro. O Mainé’s estava completamente perdido na partida e não conseguia reagir de nenhuma forma. Após vários gols perdidos da equipe amarela e preto, o quinto do Albatroz veio de uma assistência do artilheiro do duelo, Rodrigo, que teve uma excelente visão de jogo e viu Luiz Fernando entrando na área para finalizar pro fundo das redes. O sexto gol foi anotado por Wagner após uma assistência do camisa 6, Luan.

Mesmo com a derrota, o goleiro do Mainé’s se destacou fazendo belíssimas defesas, evitando uma goleada ainda maior. Porém, o craque da partida foi o camisa 10 do Albatroz, Rodrigo, que anotou três gols e deu uma assistência. Para o time do Mainé’s só resta ganhar todos os jogos e depender de resultados para se classificar. Quanto ao Albatroz, as próximas duas rodadas valem para melhorar sua posição geral.

No próximo sábado o Mainé’s enfrenta o IMSC e o Albatroz encara o Galáticos da Catedral.

 

O bicampeão voltou: Missionários sai perdendo para o Águias mas vira e está vivo no Carioca Evangélico

Por Paula Barcellos

No último sábado, que estava nubloso e chuvoso, ocorreu o confronto entre Águia FC e Missionários FC pela quinta rodada do Carioca Evangélico. Ambas as equipes precisavam da vitória para se manterem na competição. Um jogo que não faltou entrega e emoção até o final. Se começou equilibrado, o que mais teve foi virada, e uma equipe conseguiu se manter viva.

O time de camisa preta, o Águias, saiu com a bola no primeiro tempo e já no primeiro lance chegou ao ataque. O jogo começou pegado, na euforia e na pressão de terem que buscar o resultado. Depois foi a vez do Missionários quase fazer, mas o zagueiro adversário salvou na linha e no rebote chutou para fora. Na bola parada, numa falta, mais uma vez a equipe laranja quase balançou a rede, mas o goleiro espalmou. Nesse momento da partida o Missionários estava melhor e chegava na pequena área, com chances boas de gol, enquanto o Águias só se defendia, sendo eficiente nesse setor. A equipe de preto ainda quase fez num contra-ataque em que o goleiro falhou.

Até que Anderson, camisa 2 do Missionários, achou Lucas que balançou a rede e abriu o placar, mas no lance seguinte o camisa 21, Steven, empatou para o Águias. O goleiro do laranja até conseguiu tirar a bola no lance, mas saiu do gol e deixou o adversário sozinho que não desperdiçou. Com o placar igual a partida voltou a ficar equilibrada, ambas as equipes tentavam e levavam perigo, mas os goleiros foram muito eficientes. O jogo ficou ainda mais corrido e Gustavo, camisa 20, da equipe de preto virou numa cabeçada na área. Depois foi a vez do camisa 20 do Missionários, Patrick, que recebeu de Henrique, balançar a rede e empatar o placar, e em seguida Luiz do Águia, roubou a bola numa jogada linda e virou de novo. O jogo era muito bom. Com a derrota parcial, o bicampeão Missionários perigava ficar de fora das oitavas.

Na segunda etapa foi o Missionários que saiu com a bola e parecia que seria o mesmo esquema, início equilibrado, com ambos os times tentando. A equipe de preto tentou só com chutes de fora da área, já a de laranja chegava na área, só que o goleiro adversário conseguiu parar as investidas. Steven quase ampliou para o Águia, mas o goleiro conseguiu segurar a cabeçada à queima roupa. O Missionários era melhor na etapa final e chegou mais; empatou com Paulo que recebeu de Patrick. A partida ficou cheia de emoção já que as duas equipes precisavam da vitória, ambas cometiam erros bobos, e assim quase que seus adversários chegavam ao gol.

Mais uma vez Patrick, que recebeu de Sanderson, marcou para o Missionários e virou o placar. O Águias sentiu a virada e não conseguiu mais fazer jogadas eficientes e ficou apenas se defendendo. A equipe laranja segurou a vitória, e o adversário ainda errava muitos passes. E no final do jogo, Anderson tocou para Sanderson que ampliou o placar para o Missionários.

O craque do jogo foi Patrick que disse que sua equipe continua viva na competição. Já a situação do Águias ficou mais delicada, as chances de classificação são remotas. Na partida cheia de viradas, venceu quem teve sangue frio na hora que estava empatado e foi atrás da vitória. E a experiência do atual bicampeão contou muito para esse triunfo.

Na próxima rodada o Missionários folga, já que enfrentaria o Fonte da Vida que deixou a competição. Já o Águias joga todas as suas fichas contra o forte time do MAV.