União IBV faz 5×2 no Valentes de Cristo, vence a terceira no Carioca e Cleiton brilha mais uma vez

Por Roger Karmura

Já quase anoitecendo, União IBV e Valentes de Cristo fizeram o último dos nove jogos da terceira rodada do Carioca Evangélico no primeiro sábado de outubro, dia 7. E diria, amigo leitor, uma grande partida de futebol. Duas equipes de qualidade, encorpadas e com bons valores que se preocuparam em jogar futebol e deram seu melhor na tarde/noite no campo do Pau Ferro FC.

O jogo foi bem disputado e equilibrado, apesar do placar largo a favor do União: 5×2. Talvez a melhor pontaria explique, ou de repente a inspiração de Cleiton, até aqui o grande destaque individual dessa terceira edição do Carioca. Mas o certo é que as duas equipes estiveram muito bem e fizeram um grande duelo.

Quem tomou as rédeas do confronto logo de início foi o União IBV, uma equipe que tem por característica a vocação ofensiva e ter a posse da bola. Tanto que o primeiro gol saiu aos seis minutos. A dupla Ruan e Cleiton começou seu show particular e, de uma tabela entre os dois, saiu o gol de Cleiton. O Valentes de Cristo usou como arma no jogo os chutes de longe e as faltas, sempre perigosas, como a batida por Luis Carlos um pouco depois do gol adversário. O embate no meio era intenso, quando o União resolveu dar espaços para o rival e tentar nos contra-ataques usar a velocidade de seu trio ofensivo. Num desses, Ruan obrigou o goleiro adversário a fazer boa defesa. Mas alguns minutos depois não teve jeito. Cleiton bateu lateral e Ruan fez o segundo. Detalhe para a matada de peito do jogador. O Valentes respondeu com bela jogada de Samuel e boa defesa do arqueiro rival. O time de Vila Isabel abusou das faltas e acabou ultrapassando o limite, dando chance de shoot out ao União. Cleiton mandou o único que teve na trave. O time de Paciência merecia a vitória parcial, apesar de todo esforço do Valentes.

O segundo tempo começou com o Valentes de Cristo melhor e tentando diminuir a vantagem do oponente. Gabriel mandou uma bomba para defesa do goleiro. Por mais que tentasse, a pontaria do time vermelho não estava tão afiada quanto a do União. Com o passar dos minutos, o IBV foi voltando pro jogo e chegando com mais perigo. Cleiton recebeu bola na entrada da área, limpou a marcação e, com muita categoria, fez o terceiro. O camisa 11 alia velocidade, habilidade e inteligência e se destacou muito no jogo, tanto que foi eleito o craque da rodada pela segunda vez em três jornadas. Sem nada a perder no duelo, o Valentes partiu em busca de uma improvável reação e, de muito tentar, o gol veio com Wellington mandando entre as pernas do goleiro. 3×1. Na base do abafa, o Valentes contava com boa partida de Gabriel. Tentando aumentar a vantagem, o União seguia atacando mais. Por pouco Cleiton não fez um gol de placa, saindo de sua defesa, driblando todos os marcadores, mas o goleiro foi o “vilão” e fez a defesa.

Gabriel foi premiado com um gol, o segundo do Valentes. 3×2 e o jogo pegou fogo no final. Nem o quarto do União, outro gol de Ruan após lateral, tirou o ímpeto do Valentes, que encareceu a derrota. Lucas cobrou falta com perigo e mandou uma bola na trave, duas chances que fizeram falta ao time da região tijucana. Cleiton também quase fez um de falta. A melhor parte do duelo ficou pro final com os dois times se alternando em perder gols. No último minuto, Fabio fez o quinto do time do União, dando números finais ao duelo: 5×2.

Na próxima rodada o União, que já se garantiu na próxima fase, encara o Projeto IDE. Já  o Valentes enfrenta o Barcelife.

 

 

 

 

 

Burley F7 volta a mostrar consistência e derrota Macaé pelo Carioca Evangélico

Por Izabela Vieira

Aconteceu neste sábado, 7, a terceira rodada de jogos da 5° edição do Campeonato Carioca Evangélico. O duelo entre as equipes Burley F7 e Macaé FC, foi realizado no Clube Pau Ferro FC, na Freguesia, em Jacarepaguá. As equipes integrantes do grupo C fizeram uma partida equilibrada no primeiro tempo, porém esse equilíbrio foi se desfazendo no decorrer do segundo tempo. O Burley F7, que veio de uma vitoria na segunda rodada, conseguiu garantir mais 3 pontos, em cima do Macaé FC, e segue firme no campeonato.

A partida começou equilibrada, e sem grandes lances. O primeiro tempo foi daqueles que apareceu pouco desenvolvimento para cada lado. Iuri, do Burley, chutou de fora da área, mas o goleiro do Macaé encaixou sem dificuldades. Em seguida, o Macaé teve dois escanteios, um defendido pelo goleiro e o outro para fora. Aos 15 minutos de jogo, o Macaé abriu o placar com o camisa 13, Rudson Matheus, que marcou um golaço do meio de campo. o gol do empate veio com João Matias, que recebeu passe pela direita, do camisa 9, Iago Silva. O jogo esfriou e o primeiro tempo terminou empatado.

O segundo tempo começou, com o placar igual e uma maior posse de bola do Burley F7. Com o Macaé FC desligado, Luiz Felipe encontrou Pablo com liberdade na área, que mandou para o fundo da rede, marcando o gol da virada. O Macaé não conseguiu se encontrar no jogo e as tentativas de buscar um empate foram facilmente desarmadas pelo Burley. Faltando 3 minutos para o final da partida, Pablo Oliveira, recebeu cruzamento do camisa 13, Jonas Yuri, e decretou a vitoria do Burley F7, de virada por 3×1.

Apesar do equilíbrio inicial, o Burley, mesmo atrás no placar, buscou o empate, e conquistou uma bela virada. O time segue feliz com a segunda vitoria seguida no campeonato. Já o Macaé, amargou a terceira derrota seguida.

O destaque da partida foi o camisa 18, Pablo Oliveira, do vitorioso Burley F7. O meia, foi essencial para a virada do seu time, demonstrando boa finalização, marcando dois gols no jogo.

Na próxima rodada o Burley enfrenta o IBP FC e o Macaé encara o Ousadia.

Missionários mostra ímpeto ofensivo e derrota Resgatando Ovelhas pelo Carioca Evangélico

Por João Godoy

No final da tarde de sábado no Pau Ferro, Missionários F.C e Resgatando Ovelhas entraram em campo em busca dos três pontos, em jogo válido pela 3a rodada do Carioca Evangélico. A equipe da Igreja Missionária do Brasil controlou maior parte do jogo, foi eficiente e construiu a vitória, pelo placar de 9×5.

Luiz Fernando foi o destaque de um time que mostra grande ímpeto ofensivo e parece ter entrado nos eixos na luta pelo tricampeonato.

1 Tempo

Logo no apito inicial, o Missionários foi ao ataque com Paulo, que acertou um chute no travessão e levou perigo ao goleiro adversário. Aos 3 minutos, a equipe da Igreja Missionária abriu o placar com gol de Paulo Cesar. Aos 8 minutos, a “Laranja Mecânica” ampliou o placar com Luiz Fernando, camisa 7, que chutou de fora da área e fez 2×0. Aos 18 minutos, o placar aumentou e o Missionários fez 3×0, com gol de cabeça de Julio Cesar, camisa 14. Na sequência do lance, o Resgatando Ovelhas sofreu a sexta falta e teve shout-out a seu favor, quando desperdiçou a oportunidade de diminuir o placar. Aos 21 minutos, a equipe de vermelho diminuiu o placar, Matheus marcou o gol após confusão na área. Com o número excedido de faltas, o Missionários teve um shout-out a seu favor e aumentou a vantagem do placar em 4×1.

 

2 Tempo

Iniciou a segunda etapa e o Missionários seguiu atacando e buscando aumentar a vantagem, aos 4 minutos, Luiz, camisa 7, aproveitou confusão na área e marcou um gol chorado, 5×1. Aos 8 minutos, a “Laranja Mecânica”, aproveitou erro da zaga adversária e Luiz novamente marcou aumentando a vantagem para 6×1. Em mais um erro de saída de bola, Lucas, camisa 11 do Missionários, aproveitou e fez 7×1. Aos 9 minutos, o Resgatando Ovelhas acordou e diminuiu o placar com Matheus, que driblou todos e fez um golaço. Aos 16 minutos, Lucas marcou mais um e fez 8×1 para sua equipe da Igreja Missionária. Aos 20 minutos, o Resgatando continuava tentando diminuir o placar, quando Flávio acertou um chute de fora da área e diminuiu o placar em 8×3. No mesmo minuto, o Missionários F.C fez seu nono gol e último, enquanto o Resgatando Ovelhas conseguiu diminuir mais ainda o placar e fechou a partida com 9×5 no marcador.

Na próxima rodada o Missionários enfrenta o Vivendo em Triunfo, no clássico de igrejas de Belford Roxo, e o Resgatando Ovelhas pega o Raridade.

MR FC consegue virada histórica sobre o Projeto IDE e vence a primeira no Carioca Evangélico

Por Lucas Bichão

O sono pode ser uma sensação forte quando está se assistindo a um jogo pouco disputado e sem grandes emoções. O início do confronto entre Projeto IDE e MR FC possuía um cartão postal nada vistoso, era daqueles jogos com uma carinha de 0 a 0. Sem sal ou sabor, os primeiros minutos davam poucos indícios de uma boa refeição. Porém, quem julga o livro pela capa pode se enganar feio!

Os deuses do futebol entraram em ação logo a favor do Projeto IDE. O time, que na ocasião tinha como cor principal o roxo real, passou a tomar conta de cada centímetro do campo. O MR até começou bem, com algumas chances, mas cedeu todos os espaços e foi sufocado a todo instante. Seis foram os gols no primeiro tempo, todos a favor do IDE, incontáveis foram as chances e soberano saiu o Projeto para o Intervalo.

Um gol merece destaque nesse primeiro tempo, este que foi um belíssimo voleio no qual surpreendeu até mesmo o goleiro adversário. O autor dessa obra prima? Marlon é o nome dele, um dos melhores em campo. O camisa 10 do Projeto IDE ainda anotou outros 3 na primeira etapa, muitos deles graças ao esforço do meio campista Rodrigo, camisa 6 do time de vestes roxas. Para completar o placar de 6 a 0, Rodrigo Luizeto e Dirceu também deixaram os seus.

Milagre:

“1. Ato ou acontecimento fora do comum, inexplicável pelas leis naturais”

“2. Acontecimento formidável, estupendo. ”

Segundo pesquisas feitas no oráculo Google, a palavra milagre tem um significado de representar o fato de que algo impossível e majestoso acabou de acontecer. O futebol é capaz de apresentar para seus torcedores incontáveis milagres e por isso é um esporte tão belo. O ato da virada do placar é sempre espantoso, mesmo quando o adversário está a apenas um gol na frente. E quando esse número é multiplicado por seis? Foi exatamente esse milagre que o MR FC promoveu nessa tarde de sábado.

Descontrole, essa palavra também tem grande significado para o confronto entre MR FC e Projeto IDE. Depois de um primeiro tempo avassalador, o IDE simplesmente sucumbiu para os males de sua própria mente. O primeiro balançar das de redes a favor do MR foi através de um gol contra. Na sequência, desastre completo. Julio Cesar fez o segundo para a sua equipe, Igo o terceiro, Eduardo o quarto. Não haviam passado quatro minutos e o placar começava a ficar apertado novamente.

Igo e Eduardo passaram a desequilibrar para o MR FC, que usava da garra para escalar o abismo no qual havia se jogado no primeiro tempo. O gol do empate veio através dos pés de Eduardo, mas quem tratou de sacramentar o milagre foi Igo. O camisa 7 fez mais dois, levando o placar para 8 a 6. O IDE até tentou, chegando ao sétimo gol com Gabriel, mas não teve pernas para continuar. Eduardo ainda fez aumentar o placar, assim como Felipe. Ao todo foram 10 gols para um único time e apenas um tempo. MR o Time das Viradas? Aguarde os próximos capítulos.

No próximo, ou melhor, na próxima rodada, o MR encara o Israel da Bola e o Projeto IDE o União IBV.

Israel da Bola goleia Barcelife e segue mostrando força para conquistar o bicampeonato do Carioca

Por Estevão Julio

Quando o atual campeão de determinado campeonato entra em campo, as expectativas são as melhores possíveis. Esse sentimento se fez presente na partida entre Israel da Bola, campeão do último Carioca Evangélico, e Barcelife, disputada no campo do Pau Ferro Futebol Clube, na Freguesia, Zona Oeste do Rio. Mostrando a força de sempre, o time de Irajá confirmou seu favoritismo e derrotou o adversário por 5×1.

O primeiro lance de perigo saiu dos pés de Bruno Silva, que partiu pela esquerda e soltou um canhão, mas a bola subiu demais. Marcel Ferreirao, do Barcelife, também levou perigo ao gol adversário, depois de pegar a sobra de uma dividida e chutar colocado; o goleiro fez a defesa sem problemas.

O jogo era pegado, com muitas entradas fortes, muita vontade. Apesar disto, a equipe da PIB de Irajá abriu o placar logo aos seis minutos. Gyan encontrou Afonso pela direita que, com um toque, tirou dois marcadores, e chutou cruzado para abrir o placar.

A equipe do Israel da Bola tinha total domínio do jogo e por isso ditava seu ritmo. Consequentemente, o placar só foi aumentando: Aos 13, Jonathan, de falta, acertou o canto esquerdo pra fazer 2 a 0; três minutos depois, Matheus recebeu lançamento entre dois marcadores, mas conseguiu dar um toque providencial que tirou todas as possibilidades de defesa do goleiro; Aos 20, Gyan marcou o quarto gol através de shoot out.

Acuado em campo, o Barcelife criou poucas chances. Aos dez minutos, Diego achou Filipe Ricardo que finalizou muito bem, mas o goleirão conseguiu tocar e mandar pra escanteio. Aos 22, Guilherme acertou o ângulo, mas Alexander fez bela defesa.  O primeiro tempo terminou com o Israel da Bola vencendo por 4 a 0.

O segundo tempo foi um reflexo do primeiro, com o Israel da Bola dominando as ações e administrando a vantagem, enquanto o Barcelife pouco criava e mostrava pouco poder de reação.

Esse jogo também teve daqueles lances dignos de Inacreditável Futebol Clube e o protagonista dessa história foi Afonso, do Israel da Bola, craque da edição passada. Gyan deu aquele passe do tipo “faz e me abraça”, mas o atacante conseguiu acertar o travessão, mesmo em cima da linha.

Apesar da má atuação do seu time, Marcelo de Castro fez uma excelente partida. Dele surgiram as melhores jogadas do time de Piedade, como uma bela cobrança de falta logo no primeiro minuto do segundo tempo. O chute foi tão forte, que o arqueiro precisou fazer a defesa em dois tempos. O gol de honra da equipe também saiu dos seus pés. Aos 15 minutos, também com um shoot out.

Já na parte final do jogo, pouco se criou, mas o Israel da Bola ainda marcou o último gol, no último minuto de jogo. Gyan partiu em velocidade pela direita, saiu na cara do gol e deu um toque por cobertura; seria uma pintura, se Matheus não chegasse pra escorar para o gol e sacramentar a vitória do atual campeão do Carioca Evangélico.

Gyan foi o melhor em campo. Com toda a sua criatividade e habilidade, fez a diferença em campo, colaborando para a conquista dos três pontos.

Na próxima rodada o Israel enfrenta o MR FC e o Barcelife encara o Valentes de Cristo.

 

 

 

 

Disputa intensa, viradas, belos lances e 12 gols marcam empate entre Partidários e Vivendo em Triunfo pela Carioca

Por Marcio Nunes

Na tarde do último sábado, 7, o azul e branco de Belford Roxo e o Leão de Bento Ribeiro fizeram o melhor duelo desta edição do Carioca Evangélico, até o momento, em jogo válido pela terceira rodada da competição.

Duas equipes muito bem treinadas e equilibradas promoveram um verdadeiro espetáculo e presentearam a todos com um ótimo futebol. Em uma partida digna de final, o empate em jogo de 12 gols foi justo. Os dois lados buscaram a vitória durante todo o confronto e quem esteve presente para conferir o embate viu emoção do início ao fim.

Com um primeiro tempo de muita marcação, as duas equipes encontraram o caminho do gol e as redes balançaram sete vezes. Logo no primeiro lance de bola rolando, pegando todos de surpresa, o Partidários abriu o placar em chute cruzado de Di María pela ponta direita, após passe de Michael. Com muita maturidade, o Triunfo não se deixou abater e foi pra cima em busca do empate. Na primeira tentativa do time da baixada, Michael Douglas puxou contra ataque e deu um passe sutil para Marlon que avançou, chutou forte e acertou o travessão. No lance seguinte, o rapaz com nome de celebridade, Michael Douglas, deu ótimo passe na entrada da área para Alexssander que protegeu do marcador, girou bonito e acertou o canto esquerdo do goleiro em chute colocado para empatar a partida.

A forte marcação de ambos os times dificultava a criação de jogadas e, quando conseguiam criar alguma, não levava perigo para os goleiros. Foi então que o nove do Triunfo brilhou novamente. Marlon levantou na área e Alexssander usou a cabeça para estufar as redes adversárias, virando o jogo e colocando o azul e branco na frente. Três minutos depois, em mais uma bobeira da zaga do Partidários, Alexssander ganhou mais uma do zagueiro Hiago e chutou sozinho e de frente pro gol, mas a bola bateu na trave. Já com a presença de Lázaro a beira do campo, que chegou na metade do primeiro tempo para reorganizar seus jogadores, o Leão voltou a equilibrar a partida e chegou ao empate com Di María que, após passe de Hiago pela direita, bateu cruzado da entrada da área e deixou tudo igual.

Di María se destacava positivamente pelo Partidários até que, depois de reclamar demais com o árbitro, levou o cartão amarelo e desfalcou o time por dois minutos. Mesmo com um a menos em campo, o time de Bento Ribeiro, que jogou de verde e cinza, conseguiu reverter o placar e promover a terceira virada do confronto. Luciano arriscou da entrada da área e o goleiro adversário aceitou, colocando o Partidários na frente. Com todos os jogadores em campo novamente, o time começou a dar espaço, permitindo que o Triunfo tocasse mais a bola e se aproximasse da área.

Nos instantes finais da primeira etapa, Célio cometeu pênalti em Alexssander e, na cobrança, Michael Douglas converteu, igualando o marcador. No lance seguinte, último da metade inicial, Matheus Souza cometeu pênalti em Michael, do Partidarios, após chegar atrasado na bola e derrubar o adversário. O próprio camisa dez foi para a cobrança e converteu, dando números finais ao primeiro tempo depois do apito do árbitro. Vivendo em Triunfo 3 x 4 Partidários.

O Segundo tempo teve menos gols, mas muitas oportunidades e foi ainda mais quente que o primeiro. Logo no primeiro momento da etapa final, Michael Douglas levantou a bola na área pelo Triunfo, mas Sanderson completou por cima da meta. Os nervos começaram a esquentar e o jogo ficou ainda mais pegado. Pegado até demais. Marlon entrou de carrinho e acertou Di María, levando o cartão amarelo e desfalcando o Triunfo por dois minutos. Com um a mais em campo, o Partidários tentou aproveitar para ampliar a vantagem. Luciano fez jogada individual, passou sem dificuldades por Sanderson e arriscou o chute cruzado, mas a bola foi pra fora, levando perigo. O goleiro do Triunfo, Marcus Vinícius, quase fez uma lambança. Carregou a bola até a intermediária, deu o passe na frente, mas Di María apareceu pra dar o bote, roubar a redonda e arriscar do meio do campo para o gol completamente vazio, porém a pontaria não ajudou e a chance foi desperdiçada.

Uma das máximas do futebol se fez presente e se cumpriu: quem não faz, leva. E assim foi. Em cobrança de falta, Alexssander jogou dentro da área e, sozinho, Marllon, o camisa quatro, desviou para o fundo do gol, empatando a partida. Em um verdadeiro toma lá dá cá, o Partidários saiu pro ataque e a bola sobrou para Luciano dentro da área, mas o nove do Leão demorou demais para decidir e foi desarmado, dando o contra-golpe para o Triunfo com Michael Douglas pela direita que chutou forte e viu a pelota subir demais, saindo pela linha de fundo. O camisa dez continuou puxando seu time para o ataque e cruzou uma bola perigosa para Alexssander que se esticou todo e, por muito pouco, não conseguiu escorar para as redes. De tanto insistir, Michael Douglas foi recompensado. Pegou a bola na meia esquerda, passou por Ramon e bateu da entrada da área. A bola passou entre a trave e o goleiro, que estava no lance, e morreu no fundo do gol, colocando o Triunfo na frente nesta que foi a quarta virada no placar.

Faltando cinco minutos para o fim da partida o Partidários foi, simplesmente, o Partidários. O time todo da linha intermediária pra frente e aquela pressão que você sabe que vai surtir efeito. Após bela troca de passes, Di María deixou com Alessandro que bateu pra fora. O sete do Leão de Bento Ribeiro estava impossível. Recebeu passe no meio, passou como quis pelo marcador e chutou forte, mas o goleiro espalmou. A situação do Triunfo ficou ainda pior quando Matheus Souza foi expulso após levar o amarelo por reclamação e, não satisfeito, empurrar o árbitro. Nem aí pra essa confusão, Di María deixou para Andrew que bateu forte e Marcus Vinícius fez outra grande defesa. O nervosismo tomou conta e abriu espaço para erros. Em um deles o Triunfo se aproveitou para tentar liquidar o jogo em contra-ataque rápido em que Alexssander concluiu, mas a bola foi pra fora. No lance seguinte foi a vez de Yan quase marcar. O camisa oito pegou uma sobra de frente para o gol e arriscou o chute, mas Juninho se atirou no caminho e impediu que o pior acontecesse. Com espaço pra jogar e a vantagem no placar, o Triunfo seguia explorando os erros do adversário. Michael Douglas arriscou de fora da área e acertou a trave.

O Leão não se deu por vencido e Michael quase empatou, mas faltou força. O dez tentou chute colocado e viu Marcus fazer outra grande defesa. Pra coroar uma partida sensacional, nada melhor do que um final eletrizante. Primeiro Di María fez grande jogada, deu passe para Juninho que acertou no canto do goleiro pra empatar o jogo. No lance seguinte, sem dar tempo de piscar, Michael recuperou a bola no meio de campo, passou pela marcação, tocou para Di María que encheu o pé e acertou no cantinho, rente a trave, para estufar a rede e promover a quinta virada no placar. Não deu tempo de comemorar. O Triunfo foi para o tudo ou nada. Em levantamento na área, Alexssander desviou de cabeça, a bola bateu no travessão, quicou em cima da linha e Marllon apareceu sozinho para dar um toque sutil e igualar o marcador. Vivendo em Triunfo 6 x 6 Partidários.

Quando o árbitro anunciou o fim da partida, ambos os times puderam comemorar o resultado pela partida que fizeram. A verdade é que se alguém tivesse saído vencedor, seria injusto com o outro time. Um ponto para cada lado no melhor jogo da competição até o momento.

Destaque para Alexssander que desequilibrou para o azul e branco, Michael Douglas e Marllon que foram os melhores em campo pelo Triunfo. Pelo Partidários, Di María desequilibrou, mas Michael e Luciano também merecem destaque sendo os melhores da equipe.

Coletivamente, os dois times demonstraram poder de fogo, capacidade de reação e não perderam o ritmo, mantendo a concentração até o apito final.

Arrasador, Talentos da Fé derrota IBP, chega a terceira vitória no Carioca e tem melhor ataque com 21 gols

Por Estevão Julio

A partida entre Talentos da Fé e IBP FC é a prova de que o futebol é dinâmico, rotativo, muda de uma hora pra outra. Em partida válida pela terceira rodada do Carioca Evangélico, o campo do Pau Ferro Futebol Clube, na Freguesia, Zona Oeste do Rio, foi o palco deste duelo que recebeu duas equipes que venceram as duas primeiras partidas na competição. Na briga pela liderança do grupo C, melhor para o time da Tiuca que venceu por 5×2.

No início da disputa, o IBP valorizava a posse de bola, até encontrar o momento oportuno para atacar o adversário. Do outro lado, o Talentos da Fé apostava no contra ataque. E assim, saiu o primeiro gol da equipe: Guilherme saiu em velocidade pela direita, encontrou Ricardo na entrada da área; ele chutou de primeira, o goleirão tentou encaixar, mas soltou a bola nos pés de Diogo, que encheu o pé para abrir o placar com cinco minutos de jogo.

Apesar de o gol ter saído logo no início, a partida era truncada, com lances não muito bonitos. Mas, aos poucos, o Talentos tomava o controle da disputa. Aos oito minutos, “Gigante” partiu do campo de defesa, passou por dois marcadores e encontrou Diogo. Com um drible seco, ele tirou o zagueiro da jogada e chutou de canhota no canto esquerdo do goleiro, mas a finalização saiu pela linha de fundo.

Pelo IBP, Quemuel se destacava criando as melhores jogadas do time. Aos 11 minutos, ele roubou a bola na entrada da área e achou Raphael, que dominou e chutou por cima da meta.

Leonardo Paiva deixou a equipe do Talentos desfalcada ao ser expulso de campo por reclamação acintosa por uma marcação de falta. Com mais espaço para trabalhar, o IBP tentou com Gabriel Almeida de fora da área; a bola foi por cima.

Já no fim do primeiro tempo, a vantagem foi ampliada. Em cobrança de falta pela esquerda, João Pedro bateu rasteiro, no canto esquerdo do arqueiro, para fazer 2 a 0, aos 21 minutos.

O início do segundo tempo deu a impressão de que a partida estava decidida a favor do Talentos, já que, aos quatro minutos, Guilherme entrou pela esquerda e chutou cruzado, para não dar chances ao defensor.

Aos seis minutos, o IBP começou a sua reação. De muito longe, Rômulo bateu falta forte e acertou o ângulo. No minuto seguinte, Raphael roubou a bola no meio e tocou para Quemuel, que saiu em velocidade e tocou na saída do goleiro.

A equipe acreditava que conseguiria a vitória e continuou sua jornada rumo à vitória. Rômulo quase marcou outra vez, de falta, aos onze minutos; aos doze ele tentou novamente, dessa vez, após cobrança de escanteio ele cabeceou por cima do gol.

O balde de água fria veio em um lance inusitado. “Gigante” foi fazer um lançamento, mas a bola tomou outra direção e foi parar no fundo da rede, aos 17 minutos. Dois minutos depois, Diogo passou como quis pela defesa, abriu e chutou no canto direito do goleiro para fazer 5 a 2 e sacramentar a vitória do Talentos.
Diogo foi eleito o melhor em campo. O atacante fez dois gols e contribui com belos dribles.

Na próxima rodada, o Talentos da Fé, que já se garantiu na próxima fase e agora busca ir direto para as quartas como primeiro do grupo, enfrenta o Galáticos da Catedral, que vem de três derrotas. Já o IBP terá pela frente o Burley.

Com direito a gol de goleiro, Ousadia goleia Galáticos da Catedral e consegue primeira vitória no Carioca

Por Lucas Medeiros

No último sábado, pela 3ª rodada do Carioca Evangélico, o Ousadia FC enfrentou o Galáticos da Catedral em busca de sua primeira vitória com o objetivo de manter o sonho da classificação para o mata-mata. Com um elenco mais forte e entrosado, o time de Jacarepaguá levou a melhor e venceu a partida pelo placar de 7×2. A situação do Galáticos é preocupante, a equipe ainda não somou pontos no Cariocão e pode correr o risco de ficar fora da próxima fase.
Os primeiros minutos da primeira etapa começaram com uma atuação mais discreta das duas equipes, sem apresentar nenhuma chance de perigo ao gol. O primeiro balançar das redes veio de uma cobrança de falta de Thiago, o camisa 14 do Ousadia mandou um foguete para o fundo das redes. O segundo gol foi marcado por Philip, que chutou forte e rasteiro no canto sem nenhuma chance para o goleiro. A partida estava com cara de jogo-treino para o Ousadia que não tomou conhecimento do adversário e ampliou o placar com Marlon que recebeu um belo passe de Thiago.
O marcação coletiva do Galáticos não estava dando certo, praticamente o jogo todo deixava um jogador adversário sobrando. Aproveitando dessas falhas, o Ousadia não deixou barato e anotou mais um gol com Thiago, o camisa 14 estava com a canhota afiada e chutou no cantinho deixando o time de Jacarepaguá cada vez mais próximo da vitória. O time que seguia perdendo ainda conseguiu diminuir com Marco Vinicio que em um lance infeliz do goleiro na saída de bola, a mesma rebateu no camisa 32 e acabou entrando. O primeiro tempo acabou e o placar seguiu 4×1.
O segundo tempo iniciou com o Ousadia permanecendo com a mesma proposta de jogo que fez na primeira etapa. A poucos minutos depois de começar a segunda etapa, o time que seguia vencendo ampliou o placar de pênalti e quem brilhou na cobrança foi o goleiro Carlos Alberto, 5×1. A partida estava sob total domínio do Ousadia em que apostou todas as suas fichas no setor ofensivo, por outro lado o Galáticos não conseguiu apresentar um bom futebol em campo.
O sexto gol veio dos pés de Patrick, o camisa 8 fez um bonito drible pra cima do defensor e bateu forte no canto direito. O jogo já estava praticamente definido porém o time que seguia vencendo não tirou o pé do acelerador e chegou ao sétimo gol com Luiz Carlos, que bateu firme e mais uma vez o goleirão aceitou. Não era o dia do time dos meninos da Catedral, não mostrou nem sequer um pingo de reação e ao apagar das luzes, Kelvin descontou para os Galáticos e a partida terminou num placar elástico de 7×2.
O jogo teve a bela atuação de Philip, o camisa 11 foi o craque da partida e essencial na armação das jogadas. Os garotos do Ousadia demostraram uma aula de entrosamento e organização, resultado justo. Já os Galáticos, precisam reforçar no setor defensivo e principalmente na movimentação dos jogadores.

GDC se recupera no Carioca Evangélico com vitória difícil em cima de um Raridade em crescimento

Por Eduane Pereira

Na manhã de sábado, 07 de Outubro, ocorreu a terceira rodada do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por uma excelente disputa entre os times do GDC FC e do Raridade que se enfrentaram no campo do Pau Ferro. Confronto movimentado, difícil, duro e muito intenso, resume os dois tempos do duelo entre as equipes do grupo B. Ambos os times, que vieram de uma derrota na rodada passada, entraram em campo com garra e mostraram como se faz uma bela partida de futebol.
O Raridade, que até o momento não teve nenhuma vitória no campeonato, vem crescendo durante a competição. Logo no início da partida a equipe marcou dois golaços nos rivais, mas após a expulsão do técnico, o time de verde e preto perdeu a concentração em campo, o que deu a chance para o GDC FC dominar o jogo e vencer o confronto por 7×5, com o merecimento de destaque ao goleiro e ala, o camisa 10, Josivan Júnior, que realizou suas defesas com maestria e foi essencial na vitória do time da United, de Duque de Caxias.

A partida iniciou com uma incrível jogada do Raridade, que marcou rápido o gol no primeiro tempo de jogo, com um toque de bola de Alex de Oliveira para Renan da Silva, o camisa 2 marcou um golaço em cima do time adversário, abrindo o placar para o seu time. O GDC tentou o empate com Brendo da Silva para Charles do Nascimento que chutou bonito para o gol, mas Luis Fernando agarrou em tempo. Renan da Silva aproveitou a falta de marcação do GDC e tentou seu segundo gol com um chute deitado, mas Josivan defendeu seu time.

Aos 10 minutos do primeiro tempo a equipe de camisa verde e preta marcou o segundo gol feito pelo camisa 11, Vitor Hugo, com a assistência de Wallace de Oliveira. Na sequência, Rafael Garcia, sozinho, driblou os jogadores do Raridade e marcou um belíssimo gol para o GDC FC. Renan da Silva com Wallace realizaram uma jogada estratégica e tentaram marcar o terceiro gol para o time, mas Josivan agarrou no momento exato.

Aos 18 minutos de bola rolando, o GDC encontrou a oportunidade de empatar o placar com o camisa 9, Brendo da Silva, que, sem nenhuma assistência, marcou um belíssimo gol. Na sequência, Matheus Mendes recebeu passe de Rafael Garcia e, pelo meio, o camisa 11 deu um chute certeiro na direção do gol e marcou um golaço no time rival, desempatando o placar, 3×2.

O Raridade tentou recuperar a desvantagem no final do primeiro tempo com uma bela jogada de Alex de Oliveira para Vitor Hugo que tocou muito alto para Douglas da Silva, o camisa 9 cabeceou para o gol, mas passou por cima da trave. Rômulo Guerra tentou no final dda partida marcar o quarto para o GDC sozinho, mas o goleiro do Raridade, Luis Fernando, espalmou para fora.

No segundo tempo, as equipes retornaram ao campo com jogadas mais ofensivas. Com 2 minutos, o GDC não perdeu a chance de marcar seu quarto gol com o camisa 9, Brendo da Silva, que recebeu de Matheus Mendes e cabeceou para gol. Em sucessão, Eduardo Lopes bateu escanteio para Luiz Henrique que marcou um golaço nos adversários, 5×2.

O time de verde e preto tentou uma jogada inteligente com Vitor Hugo e Diego de Azevedo na tentativa de marcar seu terceiro, mas Luiz Henrique roubou a bola antes que a dupla chegasse ao gol. Diego de Azevedo tentou novamente marcar para o seu time, o camisa 13 tocou para Douglas da Silva que chutou forte para gol, mas o camisa 10, Josivan Junior, defendeu bonito, não dando chance para o Raridade.

Aos 10 minutos do segundo tempo Eduardo Lopes aproveitou a falta de marcação pela lateral e, com habilidade, marcou o sexto gol para o seu time, sem assistência. O GDC fez uma troca no gol e isso acabou dando ao Raridade a chance de marcar o seu terceiro gol. Renan da Silva chutou deitado e fez um golaço para o time de Vila Norma.

Aos 20 Minutos de bola rolando o Raridade marcou seu quarto e quinto gol no GDC FC, Alex de Oliveira sem assistência driblou os adversários e marcou um golaço, logo após foi a vez de Diego da Silva marcar o quinto gol no time de laranja e preto. O GDC FC percebeu que errou na troca de goleiros e colocou o craque do jogo novamente em baixo das traves.

O time do Raridade encontrou dificuldade em campo com o camisa 10 do GDC no gol, um verdadeiro paredão. Ou, melhor, uma MURALHA! E sem piadas. Douglas da Silva tentou empatar o jogo nos minutos finais com um belo chute, mas Josivan foi mais rápido e espalmou para fora. Já Rafael Garcia aproveitou melhor o final da partida para o seu time e deu um passe perfeito para o camisa 8, Charles do Nascimento, que marcou um belo gol, encerrando o confronto em 7×5.

O jogo finalizou com a vitória do GDC FC por 7×5, com o merecido destaque ao camisa 10, Josivan Junior, que é ala no time, mas atuou como goleiro e teve um ótimo desempenho e defendeu firmemente o seu escudo. Ambas as equipes fizeram uma boa partida, jogo equilibrado, acirrado e justo, mas o GDC, que no maior tempo do jogo viu o adversário melhor no duelo, foi mais feliz nos arremates e acabou tendo em Josivan o grande motivo de sua segunda vitória no Carioca.

Na próxima rodada, dia 21, o GDC enfrenta o Partidários e o Raridade encara o Resgatando Ovelhas.

E que venha mais: William, craque da 2ª rodada do Carioca Evangélico, que largou o futebol profissional para se tornar Pastor, aposta no bicampeonato do Israel da Bola

Por Diogo Priori

    Um driblador rápido e de jogo inteligente.   Assim Willian, atacante de personalidade forte do Israel da Bola se auto-define.   Com a mesma objetividade que analisa o desempenho de sua equipe, o melhor jogador da rodada anterior se mostrou novamente solícito a reportagem e enalteceu sua equipe com a mesma cautela e (alguma) modéstia que resultou na conquista do último Campeonato Evangélico em cima de um favorito Partidários..

Sacrifício do sonho profissional e alto desempenho

“Joguei futebol profissionalmente até os 18 anos e parei para ser pastor. Depois fiquei seis anos sem jogar bola e era só pelada… de um ano e meio pra cá criamos ministério de futebol, e temos pregado a palavra atraves dele. Foi uma surpresa ser craque já que estava três semanas sem jogar e nem ia pro jogo já que consegui minha liberação em cima da hora.   Estava com muita vontade de jogar e isso me ajudou a prevalecer em campo, dois gols, bola na trave, drible, elástico debaixo das pernas… fiquei feliz por ser o craque da rodada”

Boa fase e união do grupo

“Me considero rápido, driblador e inteligente para o jogo. Meu ponto forte é o drible e a visão de jogo.”

“Nosso ministério está forte.  Estamos com novos atletas e como não poderemos contar com todos os jogadores durante o campeonato um revezamento é esperado.  Não chamamos pelo futebol e sim pelo compromisso, tem sido muito legal e com um elenco muito maior.  Ninguém sai da sua casa, longe, para brincar, estamos querendo ser bicampeões.”

Favoritos a mais um título?

“Acho que somos concorrentes normais, fomos campeões devido a humildade do elenco, cada jogo é um jogo e o elenco é forte.  Temos bons jogadores e queremos ser campeões de novo, o que não quer dizer que somos favoritos.”

Destaques e novos reforços

“Somos um corpo, não tem um que se destaque, se você reparar é isso que faz a diferença na nossa equipe.”

“A galera nova a gente já conhece e já está acostumadoa ver jogar, jogar junto é outra coisa… acredito que vão somar. No último campeonato sofremos com um elenco curto e não queremos passar por isso novamente.”

De olho nos adversários?

“Sem desmerecer, e é sempre bom colocar dessa forma, não temos tempo para olhar as outras equipes.  O Partidários é um bom time, enfrentamos eles na final, respeitamos nossos adversários, mas olhamos mais para nós.  Com todo respeito.”