Guerreiro FC vence Sete Vezes Mais e chega à decisão do carioca com 100% de aproveitamento

Por Marcio Nunes

Na tarde do último sábado, 9 de junho, ocorreu a primeira semifinal da 6ª Edição do Cariocão Evangélico de Futebol Society em jogo disputado no Campo 3 do Pau Ferro Futebol Clube, Pechincha. Em campo, Guerreiro FC e Sete Vezes Mais fizeram um primeiro tempo bastante equilibrado, com o time do Vidigal saindo na frente, mas o aurinegro de Belford Roxo reagiu e nem precisou da vantagem do empate pela melhor campanha na fase de grupos, garantindo sua vaga na decisão do torneio com uma vitória por 5 x 2 no fim.

O Primeiro Tempo

Os dez minutos iniciais podem ser definidos em uma palavra: tédio. Jogo truncado no meio, forte marcação, finalizações só de fora da área e direto pra fora. Foram 600 segundos de absolutamente nada de bom futebol. O grande acontecimento até então foi uma discussão dos jogadores do Sete Vezes Mais com o árbitro e que rendeu cartão amarelo. Quando já bocejávamos à beira do campo, o time de azul resolveu quebrar o gelo. Yuri dominou pela esquerda, tocou para Matheus que, da entrada da área, finalizou no canto.

O time do Vidigal seguiu no ataque e quase ampliou em jogada individual de Renato, mas o goleiro Geovane estava atento e saiu do gol para interceptar a jogada. A resposta do Guerreiro não demorou muito. Ronald dominou na entrada da área, deu um drible seco em dois defensores, rolou para Ernesto que finalizou para grande defesa de Bruno e no rebote o próprio camisa sete mandou pela linha de fundo. O gol de empate veio na sequência. Ronald dominou na entrada da área, tocou para Ernesto que dessa vez não desperdiçou e mandou a bola para o fundo do gol. Guerreiro FC 1 x 1 Sete Vezes Mais.

O Sete Vezes Mais, precisando da vitória, foi pro ataque pra tentar garantir a vantagem na etapa inicial e jogar com mais tranquilidade no segundo tempo. Ygor arriscou de longe e a bola desviou na zaga, mas Geovane, no reflexo, fez grande defesa. Jogando mais avançado e aberto o time acabou dando espaços ao adversário e o Guerreiro quase virou o placar. Ronald passou fácil pela marcação, deu passe para Alex que chutou pra fora. Mas ficou por isso mesmo. O primeiro tempo terminou com um gol pra cada lado e o Guerreiro se classificando pra final.

 

O Segundo Tempo

A etapa final começou a todo vapor. O Sete Vezes Mais se lançou ao ataque com tudo que tinha. Logo no primeiro lance Matheus arriscou de longe, a bola desviou na defesa, bateu no travessão e foi para escanteio. Na cobrança do corner, Renato cabeceou e Geovane fez uma defesa espetacular, à queima roupa. Como manda o futebol, “quem não faz, leva”. A virada do Guerreiro começou nos pés de Ronald que deu mais uma assistência. Dessa vez o camisa oito deu passe para Gilson que soltou a bomba pra mudar o placar. Guerreiro FC 2 x 1 Sete Vezes Mais.

O time de azul não desistiu e quase igualou a contagem em cobrança de falta ensaiada. Whashington Luiz tocou de lado e Matheus chegou pra finalizar, mas Geovane estava tendo um grande dia e fez mais uma defesa salvadora. Em nova tentativa, após escanteio pela direita, Ygor e Yuri chegaram juntos pra cabecear e, mesmo que ninguém tenha certeza de qual dos dois chegou primeiro na bola, Geovane fez mais um milagre evitando que a redonda entrasse no ângulo. Sem deixar o adversário respirar, Pedro Henrique cruzou rasteiro para Patrick que completou de primeira, mas a bola passou rente a trave e foi pra fora. Para não sucumbir a pressão, o time de Belford Roxo pediu uma parada técnica pra tentar corrigir o posicionamento e sair no contra-ataque.

E a tática surtiu efeito imediato. Quando o árbitro autorizou o reinicio da partida, Ronald fez mais uma jogada individual e deixou Ernesto na cara do gol, só pra completar e ampliar a vantagem. E a parceria se repetiu no lance seguinte. Troca de passes rápida do Guerreiro, de um lado para o outro, até chegar no “garçom”, Ronald, que deu sua quarta assistência no jogo para Ernesto, que só teve o trabalho de desviar para o gol vazio e marcar pela terceira vez. Guerreiro FC 4 x 1 Sete Vezes Mais.

Os garotos do Vidigal deram um último suspiro na saída de bola. Whashington Luíz deu passe para Ygor que bateu forte, a bola desviou no zagueiro e enganou Geovani, parando no fundo do gol. Mas o golpe de misericórdia veio em seguida. O goleiro Bruno saiu jogando errado, Ernesto recuperou a bola, levou até a linha de fundo e deu um toque por cima dos dois defensores adversários, que terminaram embolados na rede, para o gol de Lucas. Guerreiro FC 5 x 2 Sete Vezes Mais. Quando o árbitro apitou pela última vez, a festa foi de Belford Roxo.

 

As Estrelas do Jogo

Ronald do Guerreiro FC (10) – Jogador habilidoso que joga para o time. Ótimo domínio e controle de bola, driblador nato que joga com o corpo. O “garçom” do time com quatro assistências.

Ernesto do Guerreiro FC (10) – Oportunista e com bom posicionamento de ataque. Deu uma assistência e ainda fez um hat-trick ao marcar três vezes.

Geovane do Guerreiro FC (9,5) – Goleiro de reflexo e reação rápida. Fez ao menos 4 defesas espetaculares na partida, salvando a equipe. No primeiro gol estava com a visão encoberta por dois companheiros de time. No segundo gol foi pego de surpresa pelo desvio da zaga e não pode fazer nada.

 

Avaliação Coletiva

Guerreiro FC – Time muito bem entrosado. Possui jogadores habilidosos, que jogam muito bem coletivamente e com muita qualidade técnica. Mereceu a vitória.

Sete Vezes Mais – O time ainda precisa de maturidade para conseguir levantar o caneco. Possui jogadores habilidosos, mas com muito descontrole emocional. Precisam aprender a respeitar a autoridade do árbitro de jogo e focar mais em jogar bola do que reclamar ou provocar o adversário.

Sete Vezes Mais vence Gênesis e a chuva e se garante na semifinal do Carioca

Por Lucas Bichão

Nas Quartas de final do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas, a última partida do dia proporcionou uma reprise de duelo ocorrido na 1ª rodada da fase de classificação. Gênesis e Sete Vezes Mais pisaram em campo para disputar vaga em uma das semifinais, tendo o time que traz o escudo do Barcelona como emblema a vantagem do empate e a moral de ter goleado o adversário por 6 a 1 no primeiro embate.

Uma tempestade varreu o campo nos minutos iniciais da partida, mas quem fez chover gols para cima do rival foi Washington Luiz ao balançar a rede 4 vezes para a equipe do Vidigal. A vitória veio de uma virada inusitada e por pouco não se transformou em uma goleada por mais de 3 gols de diferença.

O Jogo…

A chuva sempre foi um fator importante no esporte praticado a céu aberto, provocando impossibilidades e até mesmo aumentando a habilidade de certos atletas. Ayrton Senna é um dos maiores exemplos de que nuvens escuras são bons presságios para os resultados. O Sete Vezes Mais também buscou fazer da tempestade uma ferramenta para a vitória.

A história, porém, começou controversa. Os samurais do Sete Vezes saíram atrás no placar quando muita água ainda caia no campo do Pau Ferro. Tchereba era quem mais participava dos lances perigosos do Gênesis, sendo o autor do primeiro gol e a válvula de escape no meio de campo. Não foi preciso esperar muito para que o segundo tento, marcado por Marcelo, fosse visto. Até o 2 a 0, O Sete Vezes não parecia ter entendido como era jogar em campo molhado. Tentando passes rasteiros ou conduções longas, via-se errando em demasia ou então assistia à bola parar caprichosamente em uma poça qualquer.

Se o time da região da Tijuca tinha Tchereba comandando o meio, Leonardo é quem fazia essa função pelo Sete. O pequeno meia trabalhava como a Formiga Atômica, com energia para receber a bola ainda na divisa entre os campos, criar a jogada e ainda aparecer para a finalização dentro da área. Foi assim que conseguiu abrir o placar para sua equipe, também contando com a sorte do goleiro adversário falhar no lance. Yuri foi o autor do empate e com 2 a 2 o primeiro tempo foi finalizado.

A virada de tempo trouxe muito mais do que o reinicio da contagem no relógio, também apresentou a reviravolta no placar e o brilho de um artilheiro oportunista. Foi dos pés de Washington Luiz que a vantagem foi atingida pelo Sete Vezes Mais. Agarrando com unhas e dentes, o grupo uniu-se para jogar tudo aquilo que havia jogado no primeiro embate entre as equipes.

A chuva havia parado de cair dos céus, mas o camisa 20 parecia evoca-la em forma de gols sobre o adversário. A diferença entre três gols, no 5 a 2, também saiu dos pés do veterano. A dupla Washington e Leonardo, ambos os melhores do Sete Vezes Mais, deu liga em uma simples conexão que rendeu um chute limpo e suficiente para balançar as redes. Foi também com assistência do camisa 6 que o sexto gol saiu, mas desta vez com o empurrão para as redes sendo feito por Alex.

Ao apito final, 8 a 5 era o que marcava a súmula. O Gênesis até tentou encaixar um jogo mais ajeitado em dado momento da segunda etapa, quando diminuiu a diferença para 1 gol no 5 a 4, porém a inconsistência não foi suficiente para bater o estruturado e milenar bushido dos samurais. Com a vitória, o Sete Vezes Mais superou mais uma adversidade (anteriormente derrotou o Real BR) e terá pela frente outro grande desafio na caminhada para a conquista do título carioca.

Notas dos Destaques

Washington Luiz (Pivô | Sete Vezes Mais) – 8,5: Foi o grande artilheiro com 4 gols e um dos responsáveis pela virada que deu ao seu time a classificação. Apesar de meio sumido no início da partida, foi o exemplo de garra e oportunismo.

Leonardo (Meia | Sete Vezes Mais) – 8,0: Motorzinho do time do Vidigal, recebia muitas bolas no centro e buscava encontrar espaças para chegar ao gol. Demorou para entender que o campo não deixava a redonda rolar como deveria, prendeu a bola em vários momentos, mesmo assim superou essa adversidade e deu duas assistências importantes não só para sua equipe como também para sua meta de atingir o topo nesse quesito (atualmente são 7 assistências na competição).

Edson “Tchereba” (Ala | Gênesis FC) – 7,5: Foi o melhor em campo ao lado do Gênesis, começando muito bem a partida. Perdeu a cabeça em dados momentos e caiu de rendimento junto com seu grupo, mas ainda assim demonstrou muita qualidade e proporcionou lances aparentemente impossíveis em um campo molhado depois de uma tempestade.

 

Vivendo em Triunfo passa sufoco com Galáticos do Céu, mas garante vaga na semifinal do Carioca

Por Marcio Nunes

Vivendo em Triunfo e Galáticos do Céu se enfrentaram na tarde do último sábado (19) no Campo 3 do Pau Ferro Futebol Clube, Pechincha. O jogo, válido pelas quartas de final do Cariocão Evangélico, terminou com empate de dez gols e classificação por melhor campanha na fase de grupos, seguindo o regulamento.

A partida começou com um céu nublado, foi escurecendo aos poucos e, não era nem 16h e os refletores já estavam ligados. Dentro de campo o jogo seguiu bastante equilibrado, com o Galáticos tomando a iniciativa e buscando a vitória, até levarem um balde de água fria. A chuva começou mansa, foi ganhando confiança e, quando percebemos, já estávamos todos encolhidos embaixo da cobertura do banco de reservas tentando, em vão, não nos molharmos.

O Primeiro Tempo

O Triunfo não foi o Triunfo de sempre, mas foi o suficiente. A tarde já dava indícios de que não seria tão fácil assim no primeiro lance do jogo. Saída de bola do goleiro com Marlon, que estava desatento e não fez o domínio, perdendo a bola para Daniel, mas Rogério se recuperou e fez a defesa, evitando o primeiro gol do Galáticos. Mas não por muito tempo. Após bate e rebate na entrada da área a bola sobrou para Carlos Henrique de Oliveira, também conhecido como Neguin, que pegou de primeira, com efeito e acertou o ângulo. Triunfo 0 x 1 Galáticos.

A resposta do Triunfo foi imediata. Matheus cruzou pra área e Guilherme completou, mas a bola parou no travessão. Dois minutos depois, Guilherme, cobrando falta, acertou o canto esquerdo e empatou a partida. Não por muito tempo. Saída de jogo do Galáticos, o goleiro Lucas fez o lançamento direto para o ataque e Neguin, de primeira, acertou um belo chute no canto, colocando o time de azul novamente em vantagem. O Triunfo correu atrás do prejuízo e Matheus, após disputa de bola na ponta direita, invadiu a área e empatou o duelo.

Matheus ainda perdeu uma chance incrível de virar o placar; recebeu cruzamento na área, desviou de primeira, mas em cima do goleiro. O Vivendo seguiu buscando reverter o placar para jogar com mais tranquilidade, já que tinha a vantagem do empate. Marcelo até que tentou, mas o goleiro foi buscar seu chute no ângulo. Matheus teve uma nova chance, mas chutou por cima do gol, sozinho. E com a igualdade no placar e classificação momentânea do Triunfo, as equipes foram para o intervalo.

O Segundo Tempo

Bola em jogo e o Triunfo não quis saber de brincadeira. Bruno deu bom passe para Marlon que chutou forte e virou o placar. Sem poder perder tempo, o Galáticos foi pra cima, mas não contava com o que poderíamos chamar de “oitavo jogador” do Triunfo: o travessão. Primeiro com Luiz Felipe, que chutou de longe e acertou o ferro. Do outro lado, Matheus seguia em busca do seu segundo gol no jogo, mas, novamente, chutou em cima do goleiro, sozinho. A trave do Galáticos até tentou entrar em campo pra ajudar o time, mas não teve tanta eficiência quanto a do adversário. Arthur acertou chute de longe, a bola bateu no travessão, caiu em cima da linha e voltou.

Matheus seguia perdendo gols. Arriscou da entrada da área, mas o chute saiu sem força e o goleiro ficou com a bola. Quando o árbitro assinalou pênalti a favor do Galáticos a chuva já caía como se não houvesse amanhã, com direito a efeitos especiais e tudo mais. Debaixo de água e trovões, Daniel foi para a cobrança da penalidade e o goleiro pulou para o canto certo, mas a bola explodiu na trave, que tentou evitar mais um gol, mas só parou nas redes. Tudo igual novamente.

Galáticos no ataque. Carlinho cabeceou após cruzamento na área e acertou a trave. Em resposta, Bruno arriscou de fora da área e obrigou o goleiro do time de azul a espalmar pela linha de fundo. Mas o triunfo conseguiu voltar a frente no placar. Rodrigo cruzou rasteiro pra dentro da área e Matheus só desviou para balançar a rede. Três minutos mais tarde, após confusão na área, Luiz Felipe cabeceou e devolveu ao Galáticos a igualdade no placar.

Com o jogo tenso, o Triunfo teve mais frieza pra administrar o resultado. Bruno recebeu na entrada da área, dominou, fez o giro em cima da marcação e bateu no canto, colocando novamente o atual campeão do torneio na frente. No último lance do jogo, após cofusão na área do Triunfo, Daniel chutou e empatou para o Galáticos, mas tarde demais. Fim de jogo. Classificação do Triunfo para a semifinal.

Melhores em campo

Bruno (Vivendo em Triunfo)9 – O mais participativo do time na partida, criou jogadas, articulou o jogo, deu uma assistência e ainda marcou um gol. O time só melhorou quando entrou em campo.

Matheus (Vivendo em Triunfo) 8 – Autor de dois gols. Perdeu muitas chances claras de marcar chutando em cima do goleiro. Só não foi melhor por conta dos passes errados e desarmes sofridos durante o jogo.

Neguin (Galáticos do Céu) 8,5 – Marcou duas vezes, criou as melhores jogadas, mas quis provocar o adversário no início da partida e saiu de campo desclassificado. Falta maturidade e humildade dentro de campo, principalmente diante do atual campeão do torneio.

Guerreiro FC vira em cima do Talentos da Fé, mantém 100% de aproveitamento e está na semifinal do Carioca

Por Hyanarrara Santos

Quis o destino que Guerreiro e Talentos voltassem a se enfrentar nessa edição do Carioca, depois do encontro favorável ao time de Belford Roxo na primeira fase. As equipes que protagonizaram o grupo B, voltaram a fazer um bom duelo pela vaga nas semifinais. Ambas estiveram muito bem, cada uma dominou um tempo de jogo, afloraram ainda mais suas qualidades – e também defeitos – e lutaram até o fim pela vitória. Mas no final valeu o melhor aproveitamento do Guerreiro que conseguiu fazer seus gols até quando foi muito mal e venceu por 6×5, garantindo presença na semifinal do próximo sábado, quando pega o Sete Vezes Mais e joga pelo empate.

O Talentos da Fé, sedento pela vaga, foi soberano na primeira etapa, talvez a melhor de sua história na competição. Ricardo já tomou a inciativa e quase abriu o placar para seu time com menos de 2 minutos de bola rolando. Depois de uma triangulação, Ricardo tentou novamente e obrigou o goleiro Geovane a fazer boa defesa. Mais tímido, o Guerreiro melhorou o toque de bola e apostou num jogo mais coletivo. A chance mais perigosa do time amarelo saiu de um cruzamento de Ernesto que terminou na cabeçada de Alex Jr na trave. Os dois goleiros trabalhavam bem, principalmente Geovane. Mas este não conseguiu evitar o primeiro gol do time da Tijuca, gol de Guilherme com passe de Léo Paiva. Ronald respondeu para o Guerreiro, mas a trave jogou novamente a favor do Talentos, que chegou ao segundo gol, aos 15 minutos, Ronaldo para Dudu que mandou para as redes.

O jogo era bom, ambos os times estavam inspirados, mas o Talentos sobrava pela técnica. Ao Guerreiro faltou sorte na primeira etapa, mas também capricho aos seus jogadores. Coisa que sobrou ao adversário, principalmente no último lance da etapa inicial, quando Dudu fez um golaço, o terceiro do time da Tijuca. Final, 3×0 Talentos e um passo enorme para a classificação.

O segundo tempo começou com o time que vencia ainda dominando as ações. O Guerreiro tinha muita dificuldade em criar jogadas, o time parecia sentir estar perdendo de três. Mas aí entra a maior virtude da equipe da Baixada, a capacidade de concentração. Como que por mágica, a partir do terceiro minuto da etapa final, os ventos mudaram e a equipe amarela se armou para fazer os seis gols que lhe deram a classificação. Aos 4′, Ronaldo passou para Rato que diminuiu. 3×1. Aos 7′, Bruno cruzou e Ronald fez de cabeça. 3×2. O Talentos perdeu o foco e caiu muito de produção depois que tomou a primeiro gol. O time, que vinha bem, nada pode fazer para frear o ímpeto do adversário, que empatou aos 9′ e virou aos 10′. O gol de empate foi de Ronald e o da virada foi de Junior, recebendo bom passe de Ernesto.

No minuto seguinte, aos 11′, o Talentos deu sinais de despertar novamente no duelo e empatou com Léo Paiva. Mas o jogo se tornou uma fábrica de gols e, no minuto seguinte, o Guerreiro voltou a ficar na frente com gol de Ernesto. Dois minutos depois, Rato deu passe para Ernesto fazer o sexto do time da Baixada. A essa altura o Talentos precisava de três gols, exatamente a quantidade que marcou no primeiro tempo. Mas a missão era muita difícil, pois Rato, Ernesto, Ronald e Bruno passaram a jogar o fino. Mesmo com o domínio adversário, o Talentos foi guerreiro, ainda mandou uma bola na trave com Ricardo e descontou com João Pedro, mas já era tarde para uma virada. Final: 6×5 para o classificado Guerreiro FC.

Foi um grande duelo onde qualquer uma das equipes poderia ter saído com a vitória. O segundo tempo quase perfeito do Guerreiro fez a diferença. Agora, o time encara o Sete Vezes Mais na semifinal e um empate o leva à decisão do dia 9.

NOTAS

Ernesto (Guerreiro) – 9,5

Ronald e Rato (Guerreiro) – 8,5

Dudu (Talentos da Fé) – 8,0

MR FC mostra raça, vira pra cima do MAV e é semifinalista do Carioca mais uma vez

Por Eduane Pereira

Na tarde de sábado, 19 de Maio, ocorreram as quartas de final do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por um duelo entre o MAV e o MR FC, as equipes que se enfrentaram no campo do Pau Ferro. Ambos os times iniciaram equilibrados e determinados, o MAV, que tinha a vantagem do empate, jogou muito bem, mas o MR FC não ficou para trás e conseguiu virar o placar com muita destreza no segundo tempo. O time de Campo Grande goleou o MAV e finalizou a partida com o placar 8×5 se classificando para a semifinal da competição pelo segundo ano consecutivo.

O MAV, que fez excelente campeonato e já conhecia a equipe adversária em campo, não levou a melhor na partida. O MR FC jogou com determinação e muita garra e conseguiu virar a partida. A equipe de Campo Grande venceu o jogo por 8×5 e o craque da partida foi o camisa 11, Felipe Silva, autor de cinco gols.

O MAV entrou em campo com iniciativa e bastou três minutos de jogo para a equipe de Realengo abrir o placar, Rennan deu um toque preciso para João Marcos que finalizou com um golaço. Na sequência o MR não perdeu a oportunidade e empatou o placar, Eduardo deu o passe para Felipe Silva que concluiu com bonito gol. João Marcos buscou o desempate com uma excelente roubada de bola e com muita habilidade o camisa 10 driblou os adversários e chutou para o gol, mas o goleiro Leandro espalmou a tempo.

Aos 10 minutos de jogo Robson deu um passe estratégico para Eric que recebeu e chutou bonito para o gol, em seguida Gilmar empatou novamente a partida com ótima assistência de Eduardo. A dupla Eric e Robinho não perdeu tempo e marcou mais um belo gol, o camisa 4 deu toque para Robinho que concluiu com um golaço.

O MAV vencendo por 3×2 reforçou a marcação para manter a vitória e a classificação para a próxima fase, já o MR buscava com habilidade virar o placar. Aos 22 minutos João Marcos tocou para Robinho que marcou mais um belo gol. Na sequência Felipe Silva marcou outro golaço, com assistência de Rogério, 4×3. No final do primeiro tempo Robinho e Lucas buscaram o quinto gol para o seu time, mas o goleiro Leandro salvou o time vermelho e branco.

O time do MR FC retornou para o campo atacando a equipe adversária e buscando a chance de virar o jogo na segunda etapa. Já equipe de Realengo, que encerrou o primeiro tempo com a classificação nas mãos, retornou ao campo com pouca marcação e sem inspiração no ataque. Aos 9 minutos David tocou a bola para Felipe que recebeu e concluiu com um golaço. Em seguida o MAV desempatou o placar, com o passe de Eric Martyr para Eliezer, 5×4.

Aos 15 minutos Felipe e Eduardo criaram uma ótima jogada, o camisa 10 deu um toque preciso para Felipe que recebeu e chutou forte para o gol, sacudindo a rede da equipe rival. João Marcos buscou o desempate com uma jogada individual, mas Felipe roubou a bola e impediu o camisa 10 do MAV de marcar mais um gol.

Faltando 3 minutos para encerrar a partida o placar estava empatado em 5×5 e o MAV já demonstrava sinal de cansaço, enquanto o MR FC jogava com muita garra e confiança, já que a igualdade dava a vaga ao adversário. Aos 22 minutos, Carlos correu com a bola e deu toque para David que recebeu e marcou um belo gol. Em seguida Gilmar pegou a bola e partiu para o ataque, driblou os adversários e chutou bonito, marcando 7×5. No último minuto Felipe marcou um golaço, com a assistência de David.

O jogo encerrou com a merecida vitória do MR FC por 8×5 e a classificação para a semifinal, a equipe de Campo Grande realizou jogadas incríveis, entrou em campo determinada, matadora no ataque e com forte marcação. Mais uma vez o MR FC mostrou sua garra e buscou um resultado que lhe era desfavorável. O MAV jogou muito bem nos dois tempos, mas no final da partida o time de azul e branco mostrou cansaço e acabou sendo derrotado, ficando de fora, mais uma vez, da fase semifinal. O destaque do jogo foi o ala Felipe Silva, autor de cinco gols.

Notas:

Felipe Silva – 9,5: O ala do MR FC teve um bom desempenho no jogo, foi o autor de cinco golaços durante a partida.

Eduardo Nascimento – 9,0: O meia do MR FC realizou três assistências, participou das jogadas coletivas e aproveitou muito bem as oportunidades em campo.

Robinho – 8,5: O meia do MAV autor de dois gols e uma assistência, apesar da derrota do MAV, essa foi a partida em que o meia Robson mais se destacou, o camisa 7 teve um excelente desempenho durante o jogo.

 

Gênesis FC x Sete Vezes Mais – Dois novatos em ascensão em busca da semifinal do Carioca

Gênesis FC x Sete Vezes Mais

Uma das boas surpresas desse carioca, o Gênesis se agarra à tradição de times que foram campeões em sua primeira participação para fazer valer seu sonho de levantar a taça no dia 9 de junho. A equipe do Estácio mostrou um dos melhores jogos da primeira fase, só perdeu para o Vivendo em Triunfo, e se classificou direto para as quartas de forma merecida, onde, agora, terá a vantagem do empate diante do Sete Vezes Mais. Isso lhe confere o favoritismo. No entanto, seu adversário também entrou em desvantagem nas oitavas e eliminou ninguém menos que o Real BR, antigo Partidários, que nunca havia perdido um mata-mata antes da final (a equipe chegou nas três últimas finais). Esse fato, aliado à subida de produção do time do Vidigal nos últimos jogos, é o suficiente para deixar o sinal de alerta ligado no time da região da Tijuca. As equipes se equivalem no estilo e nas características, com destaque para Marlon e Vinicius no Gênesis, e Washington e Leonardo, no Sete Vezes Mais.

GÊNESIS FC

J

V E D GP GC
5 4 0 1 31

16

 

SETE VEZES MAIS

J

V E D GP GC

6

3 0 3 23

20

 

 

 

 

 

 

 

Vivendo em Triunfo enfrenta Galáticos do Céu nas quartas de olho no bi do Carioca

Vivendo em Triunfo x Galáticos do Céu

De todas as partidas dessas quartas de final, essa talvez seja a que o favoritismo seja mais claro e evidente. Não pela fragilidade que não existe no Galáticos do Céu, mas pela força do atual campeão Vivendo em Triunfo. O time de Belford Roxo passeou em ritmo de treino na primeira fase e entra no mata-mata, onde já se mostrou também muito potente, com todo o favoritismo que lhe é peculiar. Além disso, o empate lhe cabe para chegar, mais uma vez, às semifinais. Seu rival precisa da vitória e conseguiu chegar a essa fase depois de passar bem pelas oitavas. Apesar de uma primeira fase onde se mostrou irregular, a qualidade da equipe de Mesquita é grande e não é descartada uma surpresa nesse duelo. Time por time, o Vivendo parece mais equilibrado e consistente, com total destaque para o atacante Marcelo e o ótimo goleiro Marcus Vinicius. Mas o Galáticos possui um bom e qualificado sistema defensivo, onde Fabinho reina absoluto, e um ótimo ataque, com destaque para o forte Carlinho. Barbada ou zebra?

VIVENDO EM TRIUNFO

J

V E D GP GC
5 5 0 0 25

6

 

GALÁTICOS DO CÉU

J

V E D GP GC
6 3 2 1 26

20

 

 

Guerreiro FC x Talentos da Fé voltam a se enfrentar, dessa vez por uma vaga na semifinal do Carioca

Guerreiro x Talentos da Fé

Outro duelo que já aconteceu na primeira fase. A vitória de 6×3 do Guerreiro deu à equipe de Belford Roxo a vantagem do empate nas quartas e mostra quem é o favorito a estar na semifinal. Desde a primeira rodada ficou claro que o time amarelo é um dos grandes favoritos à taça, mas o confronto de agora com o Talentos tem outro contexto. Num jogo mata-mata, as emoções são diferentes, a entrega é outra e ao time da Tijuca só resta terminar o jogo com o placar favorável. Além de ter mais experiência que o adversário, o Time vinho também busca essa semifinal há tempos e isso deve ser um fator de preocupação para o Guerreiro, que, com toda certeza, terá seu maior desafio no carioca até aqui. A maior qualidade da equipe da Baixada é a vocação que possui para matar um jogo e possuir peças acima da média em seu elenco, como Bruno e Ernesto, os destaques do time. Já o Talentos tem como maior arma o jogo coletivo e um esquema tático bem definido.

GUERREIRO FC

J

V E D GP GC
5 5 0 0 28

10

 

TALENTOS DA FÉ

J

V E D GP GC
6 4 0 1 30

16

 

MAV x MR FC – Técnica e Raça duelando por uma vaga nas semifinais do Carioca

MAV x MRFC

O meia-atacante Robinho, um dos líderes do MAV, tem ótimas lembranças do duelo contra o MR FC na segunda rodada do Carioca. Na ocasião, o jogador do time de Realengo marcou três gols e foi o craque da vitória sobre o adversário de Campo Grande por 6×4. De certo modo, esse triunfo foi acabou sendo responsável pela vantagem que o alviazul possui agora de poder empatar para chegar nas semifinais, algo inédito em sua já longa história dentro da competição. O MR FC, por sua vez, já conseguiu esse feito logo na sua primeira participação e, por pouco, não fez a final da edição passada, na qual ficou em terceiro. Esse cenário dá ao MAV o favoritismo no duelo, mas time por time as duas equipes se equivalem. O MAV possui mais inspiração, é mais técnico, Robinho, João Marcos e Rennan formam um dos mais fortes trios ofensivos do certame. Já o MR possui mais transpiração, além de ter bons valores como Eduardo e Carlos André, é uma equipe de muita raça, que não desiste nunca, um time de guerreiros. Promessa de um ótimo duelo.

MAV

J

V

E

D GP GC
5 3 1 1 25

21

 

MR FC

J

V E D GP GC
6 4 2 1 40

31

Sete Vezes Mais surpreende, elimina Real BR do Carioca e pega nas quartas o Gênesis FC

Por Marcio Nunes

Na tarde do último sábado (05) Real BR e Sete Vezes Mais se encontraram no campo do Pau Ferro Futebol Clube em jogo válido pelas oitavas de final do Cariocão Evangélico Society. Atual vice-campeão e favorito, o Real, com aquele uniforme da Alemanha que até agora não deu resultado, fez um jogo bem diferente do que todos esperavam. Do outro lado o Sete, todo de azul, fez seu melhor jogo no campeonato.

Após um primeiro tempo de reviravoltas e muito equilíbrio, voltamos para a etapa final com o Sete muito mais focado, o Real totalmente desequilibrado, tivemos uma virada no placar, shoot out perdido, pênalti, reclamação da arbitragem, confusão, craque da partida marcando quatro gols e um placar justo.

O Primeiro tempo

Bastaram apenas três minutos para que um dos zeros saísse do placar. Ataque azul pela direita, Jonathas deu assistência para Whashington Luiz que bateu cruzado para inaugurar o placar. Dois minutos mais tarde Yuri cometeu pênalti em Luciano e, na cobrança, Di Maria soltou uma bomba no meio do gol tirando o outro zero do placar. Inspirado, Di Maria marcou seu segundo tento, a virada do Real, apenas dois minutos após marcar o primeiro. Em jogada individual pela direita, o camisa 20 arriscou o chute de longe e acertou no ângulo. Real 2 x 1 Sete Vezes Mais.

Aos onze minutos de jogo Di Maria marcou seu Hat-trick em chute cruzado após receber passe de Michael pela direita. E foi aí que a inspiração de um terminou e a do outro se fez presente. Di Maria cometeu pênalti e viu Whashington Luiz diminuir o placar. Bastaram mais dois minutos para vermos o Sete empatar. Yuri levou para a linha de fundo, cruzou pra área e Leonardo completou para o fundo do gol. O Real ainda pediu tempo para tentar reorganizar o time, mas nada aconteceu e a etapa inicial se encerrou com empate. Real BR 3 x 3 Sete Vezes Mais.

O Segundo Tempo

Foram 25 minutos de desequilíbrio emocional e tático do Real e de troca de passes e entrosamento do Sete. Mas quem ameaçou primeiro foi o time de branco através de seu artilheiro. Di Maria entortou o zagueiro com um drible desconcertante, bateu cruzado, mas mandou pela linha de fundo. Em menos de um minuto o Sete deu sua resposta. Pedro deu bom passe para Jonathas que, sozinho, bateu colocado para virar o jogo. O quinto gol do time de azul teve créditos ao goleiro Rodrigo. O problema é que Rodrigo defende o gol do Real. Tentou sair jogando, Pedro bloqueou o chute e a bola só bateu nele e voltou contra o próprio patrimônio. Real 3 x 5 Sete Vezes Mais.

O terror continuou. Leonardo descolou bom passe na frente para Whashington Luiz que arriscou o chute e viu a bola bater no goleiro e parar no fundo do gol. Foi o hat-trick do rapaz com nome de rodovia. Mas ele só parou quando fez jus ao nome do time. O Sete chegou o sétimo gol com o próprio Whashington Luiz. O craque arriscou de longe, Rodrigo deu rebote e o camisa 12 completou para o gol. Pra não dizer que o Real não fez nada na etapa final, Luciano teve seus méritos. Após chute de longe de Gabriel, o goleiro deu rebote e Luciano completou para balançar a rede pela última vez na partida. Real 4 x 7 Sete Vezes Mais.

O Real ainda teve shoot out no final do jogo, mas Michael perdeu, ou melhor, Bruno defendeu duas vezes. O último lance do jogo foi daqueles que comentamos durante dias para tentar entender como a trave é capaz. Felipe, do Sete, arriscou de bico de fora da área, a bola bateu na trave, correu por cima da linha, bateu na outra trave e voltou para o jogo, ficando com o goleiro Rodrigo. Mas foi isto. Fim de jogo. Real 4 x 7 Sete vezes mais.

Os Times

Real BR – Bom primeiro tempo, mas desligaram o motor ainda na metade da etapa inicial.

Sete Vezes Mais – Marcaram o primeiro gol. Cochilaram e levaram a virada. Tiveram poder de reação para igualar o placar ainda no primeiro tempo. Dominaram a etapa final. Nas quartas enfrentarão o Gênesis FC.

Estrelas do Jogo

Whashington Luiz (Sete Vezes Mais)10 – Jogou muito, marcou quatro gols e dispensa comentários.

Jonathas (Sete Vezes Mais)9 – Um gol, uma assistência, participou do jogo e teve outras oportunidades.

Di Maria (Real BR)9 – Três gols em um tempo e um drible desconcertante no outro.