Galáticos JS segue avassalador, goleia Parábola FC e mantém os 100% no Carioca

Por Rodrigo Ávila

Em um jogo bastante pegado e intenso o tempo inteiro, Parábola e Galáticos se enfrentaram pela 4º rodada do Campeonato Carioca Evangélico. A partida prometia bastante, pois são equipes que gostam de ter a bola e envolver o adversário, mas o time de Ramos conseguiu impor o seu ritmo e golear por 7×3. O craque do jogo foi o meia ”Lipão”, autor de três gols.

Primeiro tempo de amplo domínio do Galáticos

O Galáticos começou a partida com tudo, sabendo o que iria fazer e deixando o Parábola sem reação. Com no máximo dois toques na bola, dominou completamente o adversário, principalmente com ”Lipão”, e o camisa 9, Wembley, que são habilidosos e mostraram estar com o entrosamento em dia.

Na tentativa de saída de bola, ”Lipão” pressionou o zagueiro adversário, roubou a bola e só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede, abrindo o marcador.

Mas não parou por aí. O Galáticos continuou pressionando, mostrando organização, mantendo a posse de bola e cansando o oponente. Seu pivô, Wembley, deu bastante trabalho para a zaga do Parábola, usando bem seu porte físico e deixando seus companheiros com chances boas de ampliar o resultado.

Yan e Filype Pinheiro, o ”Lipão”, trocavam constantemente de posição, confundindo a marcação adversária e achando espaços. Em uma dessas jogadas, Alus tabelou com ”Lipão” e saiu na cara do gol, 2×0, sem chances para o goleiro.

O time de Bangu estava completamente perdido e nervoso, com o seu treinador furioso a beira do campo, mas não adiantou. Em lance individual, Yan Silva fez 3×0, e parecia que a partida já estava resolvida.

Parábola ameaça reagir

Com muitas mudanças para o 2º tempo, o time da zona oeste aproveitou que tinha gás novo e voltou com outra postura. Em menos de 5 minutos, o placar já estava 3×2, gols de Jean de Oliveira, e de ”Café”.

O Galáticos ficou um pouco nervoso, e após chegada dura de Jefferson em Thiago, o camisa 77 foi expulso, deixando o Parábola mais esperançoso. Contudo, o time da zona norte soube reagir bem, e voltou com o futebol praticado na primeira etapa.

Wembley,”Lipão” e Alus chamaram a responsabilidade para si e mataram o jogo. Em 7 minutos, a partida já estava 6×2, praticamente colocando um prego no caixão do Parábola. Os azuis-grenás ainda descontaram com Charles, mas ”Lipão” fez o sétimo gol, decretando assim o fim da partida.

Mais três pontos para o Galáticos JS, que tem o melhor ataque (33 gols) e melhor defesa (12 gols sofridos) da competição, olho neles. Já o Parábola, que havia vencido os seus três primeiros jogos, conheceu a sua primeira derrota.

Na última rodada, ambos, já classificados para as quartas, enfrentam, respectivamente, o Galáticos da Catedral e o Maanaim FC.

Sete Vezes Mais derrota Galáticos da Catedral e consegue a segunda vitória no Carioca

Por Lucas Bichão

Sete Vezes Mais e Galáticos da Catedral se enfrentaram no último dia 29 de setembro pela 4ª rodada do Carioca Evangélico, jogo esse que servia para criar esperanças de classificação em ambas as equipes.

Os Samurais Azuis conseguiram uma vitória importante por 5 a 3, atingiram os 6 pontos e a marca de 50% de aproveitamento. O grupo ainda tem uma última rodada para tentar alcançar a 2ª posição, mas sofrerá com adversidades importantes como o fato de enfrentar um adversário em ascendência (Barcelife) e este não ser um confronto direto com o atual dono da colocação (Parábola).

A passagem de um cometa chamado Léo

Leonardo David da Costa Moreira (Léo), 5 gols e 5 assistências, dono de um hat-trick duplo na última rodada com 4 passes e 3 tentos marcados. Os números por si já comprovam a boa fase vivida pelo meia, mas aliando isso à atuação em campo é imprescindível dizer que ele é peça fundamental para o time.

Não foi preciso muito suor ou esforço para que, contra o Galáticos da Catedral, o camisa 10 tornasse a aparecer com muito brilho. Por mais que o início de ambos os  times fosse fraco e com muitos erros, Léo tratou de encaminhar a vitória para o Sete Vezes Mais.

O placar foi aberto em lance de oportunismo, onde a bola chegara para Leonardo dentro da área como em um encontro marcado. Foi preciso apenas levar a redonda para as redes e partir para o abraço. O segundo tento veio logo em seguida, mas dessa vez em uma furada de olho no companheiro de equipe. Pedro chutou de fora da área, ela passou pelo goleiro e na hora de entrar Léo apareceu para dar um empurrão desnecessário e validar o gol ao seu favor.

O terceiro de Léo decretou o fim antecipado da primeira etapa. Em cobrança de falta ensaiada, Washington fez o pivô na entrada da área e o camisa 10 recebeu para chutar no contrapé do goleiro adversário. Após marcar um novo hat-trick no campeonato, Leonardo não seria mais visto nesta partida contra o Galáticos. O meia trocou de cores e foi jogar no campo ao lado, por outra competição disputada no Pau Ferro Futebol Clube naquele dia.

Assim terminava o primeiro tempo e a passagem do cometa Léo.

Outras estrelas puderam brilhar no céu

Washington (pivô), Pedro (ala) e principalmente Dariel (meia). Esses foram os nomes de destaque por parte do Sete Vezes Mais que se engrandeceram ao fim da trajetória do cometa Léo. O trio ficou responsável por manter e ampliar o placar alcançado nos primeiros 25 minutos de jogo.

Enquanto o Galáticos da Catedral ainda tentava juntar os pedaços do impacto que sofrera com os três gols, os Samurais ainda buscavam uma forma de se reinventar na partida. O contra-ataque foi a melhor solução para resolver o problema e Dariel foi que impulsionou essa estratégia. O meia roubou uma bola mal passada no centro de campo, desfilou com ela para a direita do ataque e inverteu em bom passe para que Mineiro deixasse o seu.

Houve um momento em que o Galáticos, que vestia o uniforme da seleção croata, até deu algum sinal de reação. Com John em ótima batida na bola e o paciente Marquinho que esperou a hora certa para balançar as redes, o time até diminuiu para 4 a 2. Porém, o ataque não encaixava como deveria e o time não possuía presença no meio de campo. Sem caminhos para abastecer os atacantes e com o tempo acabando, o desânimo e o estresse foram atingindo um a um até que não houvesse mais qualquer chance de atingir ao menos a igualdade no placar.

Dariel manteve-se incansável e conseguiu mais uma assistência, desta vez para Shogun (que chegou atrasado para a partida) deixar o seu em belo chute. O Galáticos até fez mais um com Vinicius, mas o terceiro tento não foi suficiente para conseguir qualquer pontuação.

Notas Relevantes:

Leonardo “Léo” (Sete Vezes Mais | Meia) – 8,0: construiu o placar na primeira etapa e mais uma vez demostrou oportunismo na flutuação que faz entre os lados e o centro de campo. A equipe sentiu sua falta na segunda etapa.

Dariel (Sete Vezes Mais | Meia) – 8,0: todo time possui um destaque velado, aquele que não aparece marcando gols, porém é essencial para o sucesso. Dariel foi a força gravitacional do meio campo, roubando bolas e distribuindo como um maestro deve fazer.

John (Galáticos da Catedral | Meia) – 6,5: em um time sem grandes destaques na partida, John foi um dos que mais tentou e ousou. Buscava espaços em dribles, marcou um gol, mas o esforço não foi suficiente para atingir a vitória.

União IBV faz boa partida, derrota MR FC e segue vivo na luta pelas Quartas do Carioca

Por Breno Roberto

No sábado, 29/09, MR FC e União IBV FC se enfrentaram pela quarta rodada do 7º Campeonato Carioca Evangélico. O jogo foi realizado no campo 2, do Pau Ferro, pelo grupo A do torneio. As equipes acumulavam três jogos e três derrotas, sem nenhum ponto somado, e almejavam a primeira vitória para ainda sonhar com classificação. A partida terminou 6 a 3 para o União IBV.

O jogo começou e os times pareciam nervosos, com erros de passes e muito perde e ganha no meio de campo, assim ficava difícil a construção de jogadas. A saída era a finalização de longa distância, mas a falta de pontaria prejudicava o espetáculo. O MR buscava mais o jogo mas parava nas boas defesas do Goleiro Gabriel, que começava a se destacar.

O União esperava por um contra-ataque, e veio com o camisa 4, Wagner, que chutou duas vezes para abrir o marcador. O MR sentiu o gol, começou a perder bolas bobas na intermediária defensiva e forçou muitos lançamentos para seu pivô. Outra tentativa do time eram as finalizações de qualquer parte do campo, principalmente com seu camisa 10, Eduardo, que fazia o famoso “abriu, chuta”.

O time do União era cirúrgico nos contra-ataques, logo fez o segundo e o terceiro gols com seu outro destaque, o pivô Wagner, com assistências de Miguel e Welverson. Com a vantagem, o time trabalhava mais a bola, acalmava o jogo e, nas poucas tentativas do MR, via seu goleiro se sobressair. O camisa 4 tentava ampliar o placar mas quem conseguiu foi o Fixo Wemerson e o primeiro tempo terminou com um sonoro 4 a 0.

Se no primeiro tempo o MR não se encontrou em campo, o segundo começou diferente e o time logo diminuiu a desvantagem, com uma bela jogada individual do camisa 5, Mateus. O União mudou a estratégia e apostou nos lançamentos para seu pivô escorar, mas o excesso de capricho impedia que o time fizesse o quinto gol.

O MR tinha muito espaço para trabalhar as jogadas e finalizar no gol, já que o União ia para o ataque e se abria na defesa. Mas o goleiro Gabriel evitava os gols adversários com defesas impressionantes. O jogo ficou aberto e, ao mesmo tempo, perigoso para o União que perdia oportunidades de matar o confronto. E um gol de Eduardo, de pênalti, após empurrão dentro da área, fez com que o MR começasse a gostar da partida.

O time em desvantagem oferecia perigos, principalmente com seu camisa 10, autor do segundo gol. Mas em dois contra-ataques, sua jogada central, o União fez o quinto, gol de Leonardo, e o sexto, com Miguel. No fim do jogo, outro pênalti para o MR, depois de um toque de mão dentro da área, o camisa 9, Júlio Cesar, fez o terceiro e deu ponto final na partida de nove gols.

As duas equipes ainda tem chances de classificação. Na última rodada, o União IBV enfrenta o Real e até um empate pode servir, dependendo de outros resultados. Já o MR FC precisa vencer o GDC na última rodada e mesmo assim depende de uma derrota do União para se classificar.

Guerreiro FC sofre com GDC FC, mas consegue a quarta vitória e segue 100% no Carioca

Por Evania Oliveira

Numa partida bem equilibrada, GDC e Guerreiro se enfrentaram pela quarta rodada do Campeonato Evangélico. Sob forte calor, a partida começou com atraso por conta de comícios que aconteceram por toda a cidade no último fim de semana antes das eleições. Foi uma belíssima partida, com duas equipes muito boas, num jogo marcado por ótimas defesas e excelentes jogadores. No final, vitória do Guerreiro por 4×2.

Logo no começo do jogo, o atual campeão abriu o marcador após bonita tabela entre Gilson e Ronald, com gol deste último. O GDC passou a maior parte do tempo com a bola, mas seu oponente não deixava brecha para a finalização das jogadas, fazendo muito bem a marcação, sem dar espaço para seu crescimento na partida. O time de Caxias chegou com Osvaldo, que cruzou para Beltessazar chutar para boa defesa do atento Adriano. Após dividida entre Wanderson e Nixon na pequena área, o Guerreiro perdeu boa chance de gol. O GDC chegou ao empate, com Osvaldo aproveitando pequena brecha da zaga adversária. O time amarelo e azul seguiu apertando e Nixon perdeu gol feito após receber boa bola de Beltessazar. Mas o domínio da equipe deu resultado e Osvaldo virou o jogo. Final de primeiro tempo: 2×1 GDC.

No segundo tempo, o Guerreiros voltou renovado, com força total. Mesmo com a dura marcação do oponente, o time voltou disposto a resolver a partida. Assim como na etapa anterior, o atual campeão marcou logo no início com Gilson. Mesmo com a maior posse de bola, o GDC sentia o sufoco do adversário e não conseguia finalizar as jogadas. Nervoso, o time perdeu algumas boas oportunidades. Numa jogada que se iniciou com a cobrança de lateral de Josivan, Osvaldo chutou e tirou tinta do travessão em belíssima jogada individual. Após uma rápida paralisação para o juiz acalmar os ânimos mais exaltados, o Guerreiro marcou pela terceira vez, após Ernesto tocar para Gilson fazer seu segundo no jogo. Nova virada. Aos doze minutos, sentindo a pressão, o GDC pediu tempo para tentar se recompor. Marlon, camisa 6 do Guerreiro, levou o primeiro cartão amarelo do jogo, após dura entrada de carrinho em Allan, que ficou caído por alguns instantes no gramado. O último gol da partida começou com jogada de Ronald, dando uma boa arrancada e tocando para Ernesto finalmente balançar a rede. Final de jogo: 4×2 Guerreiro e 100% de aproveitamento.

O jogo foi muito bem jogado, com o GDC um pouco melhor e mais perigoso, mas sucumbindo frente ao melhor preparo físico e técnico do Guerreiro, por sua vez, um time objetivo e mortal com a bola nos pés. O atual campeão joga a última rodada contra o Talentos da Fé pela primeira posição do grupo A, hoje com o adversário pelo maior saldo. Já o GDC, ainda em boa situação, encara o MR FC na rodada final dessa primeira fase.

Barcelife goleia Maanaim FC e segue com chances de classificação para as Quartas do Carioca

Por Eduane Pereira

Na tarde de sábado, 29 de Setembro, aconteceu a quarta rodada do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por um duelo entre o Barcelife e o Maanaim FC no campo do Pau Ferro. Ambas as equipes vinham de derrotas e precisavam da vitória para melhorar sua posição no grupo B. O Maanaim entrou em campo determinado e marcou um gol com um minuto de bola rolando, mas o Barcelife mostrou sua habilidade em campo e virou o placar.

A equipe de azul e preto iniciou com um bom ataque no primeiro tempo, mas já no segundo mostrou falta de marcação e falhas na troca de passes. Já o time de uniforme roxo e vermelho, mostrou que aprendeu com os erros das rodadas anteriores e, com maestria, goleou os rivais. O Barcelife conseguiu a vitória por 10×3 e o craque da partida foi o camisa 32, Rafael Rodrigues, autor de três golaços e quatro assistências.

O primeiro tempo iniciou com Lucas Souza abrindo o placar com um golaço, mas o Barcelife não perdeu tempo e virou com três minutos de jogo. Rafael Rodrigues roubou bola bola e chutou bonito para o gol, empatando a disputa. Na sequência, Luis Victor passou a bola para Rafael que finalizou marcando o seu segundo gol. A equipe de azul e preto buscou o empate, Mateus tocou para Wellington que recebeu e chutou forte para, mas a bola passou raspando pela trave. Evanildo buscou o gol pela lateral, mas também não teve sucesso.

O Maanaim sentiu a pressão dos rivais e ameaçou com o contra-ataque, mas a falta de marcação pesou na disputa. O Barcelife aproveitou as falhas da equipe adversária e marcou mais duas vezes. Leonardo fez um belo gol, com assistência de Luis Victor, seguido pelo golaço de Rafael Rodrigues, 4×1. No final do primeiro tempo, Evanildo cabeceou a bola para o gol, mas pegou em cheio na trave. Lucas Souza também tentou marcar, mas o goleiro Maikol fez boa defesa.

O Barcelife retornou ao campo confiante e marcou seu quinto gol, feito por Kaique e com assistência de Rafael. De imediato Lucas Souza tentou marcar o segundo para o Maanaim, mas Maikol espalmou em tempo. Aos 13 minutos, Rafael cruzou para Davi que marcou um lindo gol. Em seguida, Rafael e Luis Victor brilharam mais uma vez em campo, o camisa 32 tocou para Luis Victor que concluiu com um golaço. Na sequência, Mateus aproveitou a falta de marcação dos rivais e marcou um lindo gol, com assistência de Daniel, 7×2.

Aos 20 minutos de bola rolando, o Barcelife marcou mais dois gols, Luis Victor fez um golaço com assistência de Filipe, seguido pelo toque certeiro que Rafael deu para Leonardo, o camisa 9 marcou um belo gol, 9×2. No final da partida, Rômulo deu o toque para Lucas Souza que marcou o terceiro gol do Maanaim FC. Na sequência, Leonardo correu com a bola e deu chute certeiro no gol, 10×3. No último minuto Rafael buscou o gol com Filipe, mas Luccas defendeu. A partida terminou com a merecida vitória do Barcelife de 10×3. O destaque do jogo foi o camisa 32, Rafael Rodrigues, autor de três gols e quatro assistências.

Na próxima rodada, a última da primeira fase, o Barcelife enfrenta o Sete Vezes Mais e só uma vitória garante a classificação da equipe para as quartas. Já o Maanaim, sem chances de classificação na chave, enfrenta o Parábola FC.

Notas:

Rafael Rodrigues – 10: O meia do Barcelife teve desempenho impecável na partida, se destacou nas jogadas coletivas e individuais, marcou três gols e deu quatro assistências.

Luis Victor – 9,0: O meia do Barcelife também foi um dos destaques do jogo, marcou dois gols e deu duas assistências, participou das jogadas e aproveitou as oportunidades em campo.

Lucas Souza – 5,0: O meia do Maanaim FC estava seguro no primeiro tempo, após abrir o placar, mas ao notar a pressão do time rival começou a errar nas finalizações. No segundo tempo, tentou criar jogadas e recuperar o tempo perdido em campo, mas a equipe já dava sinais de cansaço. O camisa 10 marcou o seu segundo gol no final da partida.

Galáticos FC atropela Águia da Paz e termina 1ª fase em primeiro no grupo B do Carioca

Por Julia Camacho

A partida do último sábado, dia 15 de setembro, no clube Pau Ferro, recebeu os melhores colocados do grupo B do Campeonato Católico, o Galáticos FC e o Águia da Paz. O jogo prometia ser bem disputado, mas a equipe de Caxias goleou o adversário, bem desfalcado, por 9×0 e garantiu o primeiro lugar da chave com três vitórias em três jogos. O craque da partida foi Jeferson que marcou cinco gols e chegou aos nove na competição, assumindo a ponta da artilharia.

O jogo começou com 10 minutos de atraso e o Águia da Paz com um jogador a menos. O Galáticos iniciou melhor, sendo mais ofensivo e tentando de várias formas furar a defesa adversária. Aos 12’ veio o primeiro gol, Deivisson tocou para Joldair que mandou para as redes. No minuto seguinte, Léo arriscou do meio de campo sem o goleiro esperar e a bola entrou pelo lado direito, abrindo 2×0. Com os gols sofridos, o Águia da Paz se fechou cada vez mais na tentativa de reverter o placar, por estar com um a menos em campo. Com uma tabela cara a cara com o goleiro, de Denílson para Joldair, este último ampliou o placar em 3×0. O Águia da Paz não conseguia manter a bola nos pés e nem completar jogadas para marcar o primeiro gol. O domínio era total do time da Baixada que ampliou aos 17′, depois de Denílson cruzou da direita para Joldair fazer 4×0. O time de Ipanema, já sendo derrotado por uma grande diferença de gols, conseguiu chegar até o campo de ataque e quase marcou com Bruno, mas o goleiro espalmou para linha de fundo.

O Galáticos sendo bastante superior, continuou com ataques perigosos e trabalhando melhor a bola. O Águia da Paz tinha poucas chegadas ao gol, sem ter espaço para aprimora jogadas e errando bastante passes. Com esse conjunto de erros, o Galáticos chegou mais uma vez, aos 21’, com uma tabela entre Denílson e Jeferson, o camisa 11 marcou, fazendo 5×0.

Depois de marcar o primeiro gol na partida, Jeferson se destacou e marcou em seguida, pelo lado direito do goleiro. O Águia da Paz conseguiu aos 24’ cavar uma falta perto da área, mas Eduardo desperdiçou a oportunidade de marcar o primeiro gol e mandou a bola para fora. O Galáticos viu que a equipe branca e azul estava começando chegar mais perto do gol, e conseguiu fazer mais um com uma arrancada de Diego pelo meio de campo, entregando a bola para o camisa 11 marcar e fechou o primeiro tempo em 7×0.

O segundo tempo já se iniciou com gols, com um cruzamento de Deivisson em direção a pequena área, e Jeferson de cabeça ampliou o placar para 8×0. Depois do começo da segunda etapa, o Águia da Paz veio sentindo os gols que levou, mas não deixou de correr atrás do prejuízo, e aos 4 minutos Mauro tentou um chute de longa distância mas a bola bateu na trave e foi para fora, e logo no minuto seguinte, ele rebateu, mas ela foi direto para a linha de fundo. A equipe de Ipanema tinha muitas dificuldades com as saídas de bola, e por isso arriscava mais com bolas lançadas em direção a grande área.

O Galáticos a fim de fechar o caixão de vez, marcou o nono gol aos 7’ com o passe de Airton, para Jeferson encerrar a partida com chave de ouro. O jogo terminou aos 8’ minutos do segundo tempo, devido a equipe do Águia da Paz estar com um jogador a menos, e que também acabou perdendo o goleiro, por uma contusão na perna, ficando sem opções para concluir a partida.

Nas quartas de final o Galáticos, primeiro do grupo B, enfrenta o SBSC, quarto do grupo A. Já o Águia da Paz, que mesmo com a goleada terminou em segundo no seu grupo, enfrenta o Real Boleiros, terceiro da outra chave.

Amigos em Cristo vence Centro Dom Bosco pela última rodada da primeira fase do Carioca

Por Walter Paz

Com direito a goleada, o Amigos em Cristo conquistou a primeira vitória equivalendo garra e força física, diante de um adversário que se mostrou valente numa partida de um baixo nível técnico.

Pela última rodada da primeira fase do Carioca Católico se enfrentaram Amigos em Cristo e Dom Bosco, com as duas equipes ainda não tendo pontuado na competição e buscando a primeira vitória, almejando uma melhor classificação, visando o cruzamento nas quartas de final. O retrospecto do Amigos em Cristo era tido como um pouco melhor que o do adversário, graças ao número de gols marcados, já que ambos vinham de duas derrotas.

Um dado importante para ser relatado foi a condição do atraso da partida em 13 minutos, por parte do Dom Bosco, graças ao deslocamento até o local de alguns atletas.

O jogo começou com os dois times se lançando ao ataque, ambos na busca da primeira vitória, embora com pouco padrão tático e técnico. A disputa, inicialmente, ficou numa espécie de perde e ganha no meio campo com muitas divididas bruscas, apesar de pouca violência das partes, mas com fraca distribuição de bola.

Quando escolheu trocar passes e tentar padronizar um estilo de jogo, o Amigos em Cristo viu na dupla Carlos Roberto e Luan um escape nas ações ofensivas. Tanto que, numa boa trama pela esquerda entre os dois, Luan abriu o placar iniciando o caminho para a vitória.

Logo após a abertura do placar veio o segundo gol, numa jogada individual de Luan, forçando o Dom Bosco a buscar uma reação na partida na base da vontade, mesmo sem muita técnica, mas tentando na disposição física igualar as ações do jogo.

Com um chute de fora da área, Alex diminuiu para o Dom Bosco, dando uma sobrevida que iria quase se dissipar no minuto seguinte com o implacável Luan marcando o terceiro gol.

Próximo ao final do primeiro tempo, Marcos Vinicius, numa bela cobrança de falta, diminuiu novamente para o Dom Bosco, renovando as esperanças de um empate, terminando a primeira etapa com o placar de 3 x 2 a favor dos Amigos em Cristo.

No segundo tempo, a equipe do Centro do Rio se lançou ao ataque em busca do empate, embora se valendo mais da força de vontade do que qualidade técnica, brigando por cada bola e valorizando a vitória do adversário.

Aos 13 minutos, em uma bela tabela pelo lado esquerdo, Cleberson deu uma assistência para Luan, marcando o quarto gol, fazendo o encanto pelo empate do Dom Bosco começar a ser desfeito.

Após isso, o placar foi sendo gradativamente aumentado a favor do Amigos e na mesma proporção o interesse pelo jogo por parte do Dom Bosco foi ficando cada vez menor.

No final, a melhor disposição de jogadores com mais reservas para equilibrar o jogo e tendo como destaque maior da partida o atacante Luan, com 05 gols conquistados com oportunismo e raça, aliado ao desinteresse final do adversário, a vitória foi transformada em uma goleada de 7 x 3, sendo justa pela maior procura pela vitória da equipe vencedora.

Nas quartas de final o ambas as equipes precisam vencer seus jogos para avançar às semifinais, já que seus oponentes tem a vantagem do empate. O Amigos em Cristo enfrenta o SBSC FC e o Centro Dom Bosco encara o atual campeão, Newell’s Aposentados Boys.

SBSC e Real Boleiros empatam pela última rodada da primeira fase do Carioca

Por Breno Roberto

No último sábado, 15/09, Real Boleiros FA e SBSC FC se enfrentaram pela terceira e última rodada da fase de grupos do Campeonato Carioca Católico. O jogo foi realizado no Campo 3, do Pau Ferro, pelo grupo A da competição. Os dois times acumulavam duas derrotas nas duas primeiras rodadas e buscavam a primeira vitória para disputar as Quartas de final com moral. A partida terminou empatada em 4 a 4.

A primeira etapa começou com um gol relâmpago do Real, após roubada de bola na zaga adversária, o camisa 11, Nicholas, achou Fabricio dentro da área para abrir o marcador. Depois disso as propostas de jogo ficaram claras, o Boleiros com passes rápidos e jogadas trabalhadas, enquanto o SBSC apostava em bolas longas para o seu pivô escorar.

O time com vantagem trabalhava a bola e tinha muitos espaços no meio de campo para pensar nas jogadas. Mas forçava demais os passes e pecava nas finalizações, com uma bola na trave como chance mais perigosa. Já o SBSC errava passes constantemente e acionava muito o seu camisa 9, Tales.

O jogo parecia tranquilo para o Real, até que o camisa 19 do SBSC, Rafael, achou um gol após uma cobrança de lateral na área, finalização essa que foi a primeira do time no gol. Mas os Boleiros não sentiram o golpe e fizeram o segundo gol logo na sequência, com o ponto forte do time, a troca de passes. Gol de Fabricio, novamente, que deu números finais ao primeiro tempo.

Os dois times retornaram para a segunda etapa de forma diferente, o Real estava afobado e não conseguia criar as jogadas, e o SBSC com grandes chances de empatar, mas desperdiçadas. Destaque para o Meia Matheus Oliveira, do SBSC, que anulava a maioria das tentativas de contra-ataque dos Boleiros. A falta de capricho também prejudicava o time com a vantagem.

O time em desvantagem não fazia um bom jogo mas conseguiu o empate com Tales, após uma falha generalizada da zaga e do goleiro. Esse gol parece ter afetado o Real que começou a afrouxar a marcação e dar espaços no meio, tanto que tomou a virada. Com um gol de Matheus Oliveira depois de uma tabela com o pivô.

O SBSC aproveitou o momento instável do time do Real, principalmente do goleiro que parecia estar sem confiança, e fez o quarto gol, com um chute de fora da área do meia Vinni. O técnico do Boleiros pediu tempo para ajustar a equipe que parece ter entendido as instruções, voltou mais ligada no jogo e diminuiu o placar com um golaço de falta de Fabricio.

O jogo ficou aberto, ainda mais após a expulsão do fixo do Real, Tiago, que matou um contra ataque e recebeu o segundo amarelo. Os goleiros começaram a fazer boas defesas e muitas chances eram perdidas. No fim, houve mais três expulsões, duas pelo lado do SBSC e uma do Real, após uma confusão. Com a superioridade numérica, o Real empatou o jogo, com Bruno, mas só não saiu derrotado porque Artur defendeu um Shoot-out no último lance.

Nas quartas de final o Real Boleiros enfrenta o Águia da Paz e o SBSC pega o Galáticos.

Newell’s Aposentados Boys vence São Pedro e termina primeira fase como líder do grupo A do Carioca

Por Wallace Lopes

O confronto entre São Pedro e Newell’s Aposentados Boys iria decidir a liderança do grupo A da 2ª edição do Carioca Católico. Ambas as equipes golearam nas duas partidas anteriores e vinham motivadas a garantir a melhor campanha. Pela 1ª edição o time de Vila Kennedy havia vencido o São Pedro por 10 a 1. Mas pelas campanhas semelhantes, o jogo mostrava que seria equilibrado.

Os atuais campeões tomaram a vantagem no marcador e conseguiram a vitória pelo placar de 5 a 3. A troca constante de jogadores ajudou a parte física do Newell’s e, com isso, a primeira colocação do grupo foi alcançada.

Aposentados iniciam melhor

O time de Vila Kennedy começou controlando as ações do jogo, enquanto o São Pedro só arriscava finalizações de longe. E foi numa falta perigosa próxima da área que o placar foi aberto. O capitão Bruno Araújo cobrou a falta, a bola explodiu na barreira e retornou para ele acertar um lindo chute e marcar o primeiro gol do jogo.

O Newell’s manteve a ofensiva e numa rápida cobrança de lateral de Adeilson, Romulo se antecipou à marcação e cabeceou para o fundo da rede. Parecia que outra goleada estava se formando. Mas o São Pedro reagiu bem rápido e diminuiu o marcador com um chute forte de Thomas.

O jogo caminhava para o intervalo quando Gabriel cometeu pênalti. Adeilson chamou a responsabilidade e converteu a penalidade. Com o placar de 3 a 1 o juiz encerrou o primeiro tempo do jogo.

Segundo tempo equilibrado

O São Pedro veio disposto a buscar a diferença. Ralf arriscou da entrada da área e Amadeu fez a defesa. Wesley respondeu na mesma moeda e o goleiro Pedro agarrou. O jogo ficou aberto e os goleiros começaram a aparecer na partida com defesas incríveis.

Lucas Medeiros achou Matheus Silva sozinho e num chute cruzado venceu o goleiro para ampliar o placar para 4 a 1. A equipe azul e branca não desistiu do jogo. Em uma falta perigosa cobrada por Ralf, Amadeu trabalhou mais uma vez. O São Pedro conseguiu diminuir o placar logo depois. Com belo passe de Daniel Pereira, Arian chutou cruzado e fez o segundo do time do Recreio.

A pressão aumentou no final da partida, Biel arriscou chute forte e Amadeu jogou para escanteio. Daí veio o gol mais bonito da parida. Felipinho arremessou para dentro da área e Biel de, voleio, marcou um golaço que deu esperança para o time buscar o empate. Só que no lance seguinte, Lucas Medeiros chutou rasteiro e a bola passou debaixo dos braços de Pedro. Com isso, o placar foi fechado em 5 a 3 com mais uma vitória dos Aposentados.

Foi um jogo de leve superioridade do Newell’s, mostrando que o São Pedro veio mais preparado para a 2ª edição do Campeonato Carioca Católico. Devido ao alto desgaste físico o final ficou aberto, pois a marcação de ambos os lados afrouxou e com isso os atacantes exigiram muito dos goleiros. Agora os próximos confrontos são pelas quartas de final. O Newell’s Aposentados Boys encara o Centro Dom Bosco e o São Pedro pega o Amigos em Cristo.

Notas dos jogadores:

Adeilson (Meia do Newell’s Aposentados Boys) – 8 – Fez um belo primeiro tempo. Chamou a responsabilidade na cobrança de pênalti. E ajudou bastante na marcação.

Lucas Medeiros (Meia do Newell’s Aposentados Boys) – 7 – Participou bem do segundo tempo. Com um gol e uma assistência ajudou a equipe a sair com a vitória.

Ralf (Meia do São Pedro) – 5 – Pelo seu desempenho nas duas primeiras partidas esperava-se mais dele. Ele não conseguiu trabalhar sua jogada individual e muita das vezes ficou isolado na frente.

Galáticos JS faz 14 gols no Barcelife, vence a terceira e está nas quartas de final do Carioca

Por Lucas Bichão

“Goleada” não define com precisão o que aconteceu no campo do Pau Ferro Futebol Clube no último sábado (15), quando Galáticos JS aplicou um placar elástico de 14 a 3 sobre o Barcelife. A partida foi um massacre com requintes de crueldade, onde se via apenas uma equipe jogar e outra simplesmente existir para não ocorrer o W.O.

O duelo marcou a estreia de um novo reforço para a equipe que traz em seu emblema uma homenagem ao Aston Villa (ENG). Felype Azevedo pisou pela primeira vez em campo para disputar o Campeonato Evangélico e marcou 7 tentos nos 50 minutos jogados, tornando-se automaticamente um dos artilheiros da competição.

Ataque “Blitzkrieg

A estratégia militar chamada blitzkrieg ficou conhecida pelo mundo da década de 1930 ao ser usada pelos alemães na intenção de invadir os países vizinhos e expandir o Império do 3º Reich. A “guerra-relâmpago” consistia em atacar de forma rápida, na qual não houvesse chances de o adversário se recuperar da surpresa.

O Galáticos JS talvez não conheça essa estratégia, porém a utilizou com primazia contra o Barcelife. Sem tomar conhecimento de seu adversário, avançaram com todo seu poderio bélico para abrir o placar. Alus mandou um tiro de canhão para as redes após passe de Felype Azevedo, ainda no início. Não demorou para que o estreante desse mais uma assistência e Jefferson também marcasse o seu.

Os azuis-grená até responderam a ofensividade adversária com a liderança de Rafael Rodrigues, que, sozinho, puxou um contra-ataque e bateu bem para tirar do goleiro. Porém, a sequência foi marcada por uma sucessão de 4 gols, havendo um hat-trick de Felype. Em termos bélicos e históricos, pode-se dizer que o meia teve uma pontaria digna de Vassili Zaitsev, franco atirador soviético de maior destaque na 2ª Guerra Mundial. A bola caía nos pés de Azevedo e ele guardava sem pensar duas vezes.

De falta Rafael Rodrigues até diminuiu para o Barcelife, mas o primeiro tempo já era de terra arrasada e isto era visível no placar (6 a 2).

Cabe mais gols?…

… Pensou o Galáticos JS ao ser iniciado o segundo tempo. O grupo mantinha a pressão alta no começo da etapa final, deixando apenas um zagueiro no campo de defesa. Os passes trocados possuíam alta velocidade, dificultando a marcação adversária.

Ataque fulminante pela lateral e gol de Wembley para o JS (7 a 2). Alus aproveitou a ausência do goleiro debaixo das traves para marcar a favor do Galáticos (8 a 2). A goleada ia se construindo com total consentimento do Barcelife.

O time de Piedade precisava da vitória, depois de empatar na 1ª rodada (4 a 4) e perder na 2ª (4 a 2), caso quisesse manter a esperança de uma classificação para a fase eliminatória. Mesmo assim cedeu outro hat-trick à Felype Azevedo (11 a 2), que passeava pela linha defensiva da forma que bem entendesse.

Ainda guerreando por diminuir o placar, o Barcelife tentou utilizar dos contra-ataques. Porém, quem ampliou foi o JS, gols estes concluídos por Yan (13 a 2).

Como uma forma de consolo ao sofrer uma derrota inafiançável, Rafael conseguiu seu hat-trick ao fazer o terceiro para os azuis-grená. O gol foi marcado à base de muita garra, ao buscar sozinho o ataque, vencer os defensores e bater o arqueiro. Mas, nem todo o ímpeto do mundo salvaria o Barcelife que ainda deixou passar mais um de Felype (14 a 3).

O revés na partida não era inesperado, mas a forma como se conduziu o foi. Não houve má sorte do Barcelife durante o jogo, mas sim um desnível técnico absurdo entre as equipes. A forma de jogar do Galáticos nesses 50 minutos o coloca em outro patamar, deixando-o como um dos favoritos ao título.

Notas Relevantes:

Felype Azevedo (Meia | Galáticos JS) – 10,0: depois de ter dado a primeira nota máxima (em um ano de trabalho) na última rodada do Campeonato Católico para Ralf, não posso nega-la aos feitos de Felype. Sete (7) gols em uma única partida e somando ainda mais duas (2) assistências, esses são números expressivos e que vieram acompanhados de um futebol leve e muito efetivo.

Jefferson Melo (Ala | Galáticos JS) – 8,5: atuando muito bem pelos lados do campo, Jefferson foi o fio que conduziu a bola da defesa do JS ao ataque por muitas vezes. Marcou apenas um (1) gol, mas sua importância para a equipe foi além do balançar das redes.

Rafael Rodrigues (Meia | Barcelife) – 8,5: em seu primeiro campeonato já vem mostrando o quanto é importante para seu time. Fez três (3) nessa partida, número esse que poderia ter sido maior se o grupo tivesse ajudado. Acuado no segundo tempo pouco pôde fazer para evitar a vitória adversária.