Do desânimo no futebol profissional ao brilho no Carioca Evangélico: Cleiton, do União IBV, craque da primeira rodada.

Por Marcio Nunes

A volta por cima de Cleiton, melhor da 1º rodada da 5º edição do Carioca Evangélico 2017

A vida está sempre nos pregando peças que nos fazem rir e chorar ao mesmo tempo, mas temos a consciência, e aprendemos com o tempo, que tudo o que vivemos nada mais é do que uma lição diária para que possamos conquistar aquilo que desejamos e construir um futuro que nem sempre será do que jeito que sonhamos, mas que certamente será tão bom quanto imaginamos em cada momento de adversidade.

O Cariocão Evangélico apenas começou, mas já deixou bem claro que sua 5º edição será memorável. O primeiro a cravar as travas da chuteira e deixar sua marca no gramado sagrado foi Cleiton, ala do União IBV FC, ao marcar dois gols na estreia, sendo o primeiro uma pintura em jogada individual. Seu time garantiu a vitória em sua primeira partida em competições e saiu na frente em seu grupo.

A jovem estrela de 23 anos, morador de Santa Cruz, ainda mora com os pais, mas engana-se quem pensa que ele se acomodou com isso. Dono de seu próprio negócio, Cleiton trabalha com marcenaria desde os 18 anos, quando abandonou o futebol profissional. Na época, defendia o Juventus FC, time de pouca expressão da zona oeste do Rio de Janeiro, mas ficou desanimado por não jogar em um clube grande, desistindo de seu maior sonho. Ele pode ter desistido de ser um jogador profissional, mas abandonar o futebol é algo que, definitivamente, não passou pela sua cabeça.

Atleta em tempo integral, Cleitin, como é chamado, pratica o futebol society participando de competições, se dedica ao futevôlei com os amigos nos dias de folga e ainda sobra tempo pra ser carioca, curtir uma praia e pegar umas ondas. A quem interessar possa, o rapaz está solteiro. Atualmente apenas trabalha, mas pretende ingressar na faculdade para cursar educação física.

Em entrevista exclusiva para a nossa equipe, Cleiton falou um pouco sobre suas expectativas no campeonato, ídolo no futebol e fez uma autoavaliação sobre suas principais características. Confira a entrevista:

CC: Qual a sensação de ser eleito o jogador da rodada logo na sua estreia?

Cleiton: É uma sensação boa. Eu não esperava por isso. Eu só dei o meu máximo pra sair com a vitória e fiquei muito feliz por ser eleito o jogador da rodada.

CC: O União IBV é uma das equipes que fazem sua estreia nesta 5º edição do Carioca Evangélico, então os adversários não sabem o que esperar. Você acredita que esse “fator surpresa” pode fazer a diferença?

Cleiton: Acredito, sim, que isso pode fazer a diferença e espero que ajude a gente nessa competição que está apenas começando.

CC: Qual sua expectativa para este torneio?

Cleiton: Já ouvi falar muito desse torneio (Carioca Evangélico) e sei que é muito disputado até o fim, então eu espero que meu time consiga se classificar bem e manter a concentração até o final.

CC: No último jogo você demonstrou habilidades individuais e coletivas, além de marcar dois gols. Qual, na sua opinião, é o seu principal atributo?

Cleiton: Sou bom nos dribles e nas jogadas coletivas, mas minha principal característica é a finalização.

CC: Qual o seu maior ídolo no futebol?

Cleiton: Messi.

CC: Qual seu maior sonho?

Cleiton: Meu sonho era ser jogador, mas se foi quando eu tinha 18 anos.

Projeto IDE mostra muita garra e vira pra cima do Barcelife na segunda rodada do Carioca

Por Miguel Oliveira

Pela segunda rodada do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas, o Projeto IDE, que fez sua estreia já que o jogo da semana passada foi adiado, derrotou o Barcelife por 3×2 e começou sua primeira participação no Carioca de forma positiva. Os gols do time vencedor foram marcados por Edson, Marlon e Rodrigo, este o craque do jogo. Para o Barcelife, que voltou a jogar bem, mas ainda não conseguiu sair de campo pontuando, marcaram Erinaldo e Filipe.

O primeiro tempo de jogo mostrou duas equipes muito bem organizadas e focadas na busca pelos três pontos. O Projeto IDE marcou logo no início com Rodrigo. O time de Campo Grande foi mais incisivo nos primeiros minutos e merecia a vitória. A dupla Marlon e Rodrigo se destacava de forma muito afinada em campo. Mas não tardou para o Barcelife equilibrar as ações e começar a ameaçar o gol adversário. Jogando um futebol bem dinâmico, o time de Piedade conseguiu, aos poucos, vencer a marcação bem feita do IDE e o empate virou apenas uma questão de tempo. Ele veio após Erinaldo aproveitar bem um rebote e mandar para o fundo das redes. 1×1. Nessa altura o empate já era o resultado mais justo, mas como no futebol as equipes não querem justiça e sim vitórias, tanto Barcelife, quanto Projeto IDE continuaram em busca da vantagem.  Por falar em justiça, ela seja feita ao sistema defensivo de ambos os times que conseguiu se sair muito bem frente aos talentosos jogadores de ataque dos protagonistas da partida. O 1×1 foi mesmo o resultado da primeira etapa.

A segunda etapa nos trouxe um jogo bem diferente do primeiro, onde quem mais dominou não levou. O futebol encanta exatamente por isso, por ser o esporte mais imprevisível de todos. Mostrando que não tem apenas no nome o DNA do Barcelona espanhol, o Barcelona de Piedade, mais precisamente da Vida Nova (Life), voltou com tudo do intervalo. Envolvente no toque de bola e muito consistente na marcação, principalmente no setor de meio campo, o Barcelife fez tudo certo para construir sua primeira vitória no Carioca e virou o marcador após Erinaldo, o melhor da equipe, assistir Filipe e este mandar para dentro da rede do IDE pela segunda vez na partida. 2×1. Esse gol fez muito bem ao time da Zona Norte que continuou dominando as ações e bem próxima de chegar ao terceiro. No entanto, um detalhe tem o poder de definir o todo e mudar seu rumo. Marlon, o cara do duelo, fez uma bonita jogada individual e “achou” um gol para o Projeto IDE. E que achado, amigos! O empate fez muito bem ao time da Zona Oeste e marcou profundamente o time que vencia. A partir daí, o jogo se reequilibrou, o IDE se reencontrou no duelo e o Life perdeu um pouco o ímpeto. Foi então que numa falta, Marlon deu o passe decisivo para o gol de Edson que deu a vitória o guerreiro time do Projeto IDE. 3X2

O maior mérito do Projeto IDE foi a garra com que atuou na segunda etapa, garra essa que superou o melhor futebol do adversário. O Barcelife, por sua vez, pela segunda vez mostra bom futebol, mas faltou o que sobrou nos seus dois adversários até então no Carioca: Vontade de vencer.

Na próxima rodada, no dia 7 de outubro, o Projeto IDE enfrenta o MR FC e o Barcelife encara o Israel da Bola, atual campeão do Carioca.

Missionários derrota Partidários pela primeira vez na história e se recupera no Carioca

Por João Godoy

Em jogo rápido, com viradas e muitos gols, Partidários e Missionários fizeram uma bela partida ao anoitecer do Pau Ferro. Com 15 gols no duelo, as equipes lutaram para sair com a vitória do embate. O Missionários, que saiu atrás do placar, levou a melhor e venceu por 8×7.

1º Tempo

Logo no início da partida, aos 2 minutos, o Partidários abriu o placar com um belo chute no ângulo de Lucas, camisa 10 da equipe. O time da PIB de Bento Ribeiro já estava na frente do placar, em jogo super veloz e com um Missionários ligado também. Logo na sequência, aos 3 minutos, Leonardo cruzou a bola e Luiz, camisa 7, empatou de cabeça o placar para o Missionários. Aos 5 minutos, em erro da zaga do Partidários, Paulo Cesar roubou a bola e virou a partida para o Missionários. A partir da virada, a equipe de Belford Roxo conseguiu o controle da partida e passou a jogar melhor. Aos 18 minutos, o Partidários voltou ao jogo com Michael e um belo chute de fora da área, empatando o duelo. Logo depois, aos 23, em outro erro individual do Partidários, Marcos, camisa 9, bateu colocado e colocou o Missionários a frente novamente. Na sequência do gol, Partidários empatou com Michael, agora, de cabeça dentro da pequena área, 3×3.

2º Tempo

Iniciou o segundo tempo, e o Partidários voltou atacando, Diogo abriu para Michael, que bateu e o goleiro adversário fez boa defesa. E quem marcou primeiro na etapa final foi o  Missionários, aos 7 minutos, com passe de Tiago para Luiz, que driblou o zagueiro e colocou por cobertura, marcando um belo gol. Seguia 4×3 Missionários, quando aos 8 minutos, Tiago recebeu a bola e marcou mais um gol para sua equipe, aumentando a vantagem para 5×3. Aos 15 minutos, o Partidários foi ao ataque com Dan, que chutou e contou com desvio da zaga, a bola sobrou para Lucas que diminuiu e anotou 5×4 no placar. Em seguida, aos 16, o Missionários aumentou a vantagem novamente com Marcos, camisa 9, que bateu no ângulo e faz 6×4. O ritmo da partida não diminuiu, aos 17 minutos, Lucas achou Michael, que com um lindo chute de média distância, fez um golaço e diminuiu para 6×5. Sem deixar o Partidários comemorar o gol, Tiago, camisa 17, fez mais um e colocou o placar em 7×5. Na sequência, Lucas, camisa 10, fez o sexto gol do Partidários, diminuindo para 7×6 o placar. Aos 23 minutos, o Missionários fez seu último gol, com Marcos. No final da partida, o Partidários conseguiu diminuir ainda mais o placar, com seu camisa 10, Lucas, novamente marcando um gol. Mas, não deu tempo para mais nada e o juiz apitou o final da partida. Missionários venceu o Partidários por 8×7.

Na próxima rodada o Missionários enfrenta o Resgatando Ovelhas e o Partidários joga contra o Vivendo em Triunfo.

Talentos da Fé derrota Ousadia com tranquilidade e vence a segunda consecutiva no Carioca

Por João Godoy

Vontade é uma palavra que não faltou no duelo entre Talentos x Ousadia. As duas equipes fizeram uma partida bem intensa, com muitas faltas e lances de efeito. O Talentos mostrou-se superior ao Ousadia e venceu por 6×2.

1º Tempo

A partida iniciou com as duas equipes buscando abrir o placar, mas quem abriu o marcador foi o Ousadia. Em saída errada de bola da zaga do Talentos, Carlos, camisa 19, roubou e fez o primeiro gol da partida, 1×0 Ousadia F.C. Logo depois, o Talentos igualou o placar, com gol de João Pedro, camisa 4. O Ousadia respondeu e levou perigo à meta do Talentos. Marlon, camisa 14, recebeu e chutou na saída do goleiro, que fez a defesa. Aos 8 minutos, o Talentos virou a partida, em bela assistência de Diogo para Leonardo, que completou para o fundo da rede, 2×1 Talentos da Fé.  O Ousadia tinha um bom contra-ataque e não conseguia converter em gols, enquanto a equipe do Talentos mostrava qualidade na troca de passes, buscando aumentar a vantagem. Com uma boa dinâmica de seus meias, o Talentos aumentou a vantagem em 3×1, novamente com assistência de Diogo, agora para Rico fazer o seu gol e tranquilizar o jogo.

2º Tempo

O tempo final começou com o Talentos tomando a iniciativa e indo ao ataque. Após belo passe de Rico, o atacante Tiago bateu colocado e a bola acabou saindo. Aos 4 minutos, o Talentos anotou seu quarto gol na partida, Tiago fez belo pivô e encontrou Leonardo que aumentou o placar para 4×1. O Ousadia abusava das faltas e das reclamações com o juiz, não conseguia se encontrar na partida e deixava o Talentos cada vez mais com o controle do jogo. Aos 6 minutos, Douglas aproveitou erro da zaga do Talentos na cobrança do lateral, desviou a bola e diminuiu para 4×2. O time de Jacarepaguá tentou muitas vezes no ataque na busca do empate, mas não era o dia de sorte do 3º lugar do Carioca passado. Aos 24 minutos, a equipe do Ousadia estourou o limite de faltas, dando o shout-out para  o Talentos; Diogo, camisa 9, com categoria fez 5×2 para sua equipe. No final da partida, Gui, camisa 12, fechou o caixão do Ousadia e a partida terminou em 6×2 para o Talentos da Fé.

Na próxima rodada, a terceira, o Talentos da Fé pega o IBP FC e o Ousadia enfrenta o Galáticos da Catedral.

Resgatando Ovelhas se recupera da derrota na estreia e vence GDC FC na segunda rodada do Carioca

Por Izabela Vieira

Aconteceu neste sábado, 23, em uma tarde de sol forte, a segunda rodada de jogos da 5° edição do Campeonato Carioca Evangélico. O duelo entre as equipes da cidade de Duque de Caxias, GDC FC e Resgatando Ovelhas, foi realizado no Clube Pau Ferro FC, na Freguesia, em Jacarepaguá.

As equipes representantes do grupo B fizeram uma partida equilibrada, emocionante e repleta de gols. O estreante Resgatando Ovelhas, que veio de uma derrota na última rodada, mostrou toda sua garra e talento, e venceu a partida por 6 X 4, de virada em cima do GDC.

O jogo contou com aquele enredo que todo mundo que gosta de um bom futebol tem o prazer de ver.  O clima quente não era só por conta do sol forte, o jogo teve um início pegado, com uma maior posse de bola do GDC, que aproveitou para abrir o placar com o camisa 10, Allan Vianna, que recebeu passe pela direita do camisa 5, Rafael Garcia. Logo em seguida, para felicidade do time laranja, Jean Cabral, camisa 13, do Resgatando Ovelhas,  em um descuido na grande área, marcou um gol contra para tristeza do seu time. Mas o time vermelho não desanimou, muito menos o Jean, e no final do primeiro tempo, ele marcou seu primeiro gol com assistência do camisa 11, Cássio Almeida, diminuindo a diferença para o Resgatando Ovelhas seguir em busca do empate na etapa final.

O segundo tempo começou, ainda mais disputado e o empate do RO não demorou a sair,  graças ao camisa 10, Iago Bezerra, que, em jogada individual, deixou tudo igual na partida. Mas o empate não durou muito, Brando Silva, camisa 7 do GDC, marcou o terceiro gol do seu time, com passe do camisa 12, Júlio César. Faltando menos de 10 minutos para o final do jogo, Jean Cabral recebeu passe do camisa 8, Robson Santos, e fez um belo gol de placa. Tudo igual novamente no Pau Ferro FC. Rômulo Guerra, camisa 11 do GDC, em jogada individual e boa pontaria, marcou o quarto da equipe. O Resgatando Ovelhas não aceitou ficar para trás e empatou novamente, com gol do camisa 7, Rafael Mendes, e passe do camisa 3, Warley Sousa. Com tudo empatado, mais uma vez, o GDC ameaçou passar no placar, com duas bolas na trave. Porém, como já é do conhecimento de todos, bola na trave não altera o placar. Logo em seguida, o GDC também teve o desprazer de fazer um gol contra, quando o goleiro realizou um lançamento de bola, mas por ironia do destino, a bola rebateu na cabeça do camisa 11, Rômulo Guerra, e voltou em cheio para balançar a rede, fazendo com que o Resgatando Ovelhas passasse a frente no placar pela primeira vez no jogo. Allan Vianna, do GDC, tentou o empate em jogada individual, mas o goleiro do Resgatando Ovelhas fechou o gol. No ultimo minuto de jogo, para fechar com chave de ouro, Cássio Almeida recebeu um cruzamento do camisa 9, Rodrigo Oliveira, e marcou o sexto gol pela sua equipe, garantindo a vitoria por 6 x 4.

O destaque no clássico de Caxias, foi o camisa 13, Jean Cabral, do estreante Resgatando Ovelhas, que, além de marcar dois belos gols e realizar bons passes, demonstrou garra e persistência durante toda a partida.

Na próxima rodada, dia 7 de outubro, o Resgatando Ovelhas enfrenta o Missionários e o GDC pega o Raridade.

Israel da Bola inicia luta pelo bi do Carioca com grande vitória sobre o Valentes de Cristo

Por Josy Figali

O Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas 2017 mal começou e já tem deixado as equipes com os nervos à flor da pele. Marcada por grandes competições, a segunda rodada esquentou no último sábado, 24, com a vitória de um time que já conhece o gostinho de ser campeão.

Os meninos do Israel da bola venceram todos os obstáculos garantindo a medalha no último campeonato e trouxeram essa experiência para dentro do campo do Pau de Ferro, em Jacarepaguá, onde enfrentaram o Valentes de Cristo em um verdadeiro clássico.

A expectativa era grande. Em menos de dez minutos quatro gols balançaram as redes. O primeiro de Edirleo, destaque absoluto do Valentes. Seguido por outro gol, desta vez do Israel da bola. Quem fez foi o Gyan, camisa 10 com passe incrível do camisa 11, William, que logo após fez o terceiro e quarto gol da partida favorecendo o Israel. Perfeito! Times que pareciam tímidos no começo agora estavam instigados a ganhar.

O jogo ganhou velocidade e a marcação parecia implacável. O primeiro tempo foi marcado por muita qualidade nos lances.  Apesar do inevitável favoritismo do Israel da Bola, o Valentes de Cristo não deixou por menos e continuou balançando a rede com o craque Edirleo. E logo em seguida com a cabeçada do camisa 7 que o goleiro pegou e largou. Então mais uma vez Edirleo aproveitou o rebote e mandou um chumbo de primeira direto na rede. Não havia nenhuma dúvida que o Valentes de Cristo veio para liderar a disputa e para fechar com louvor o primeiro tempo, o camisa 11 brilhou em um golaço fechando 4×3 para o Vermelhão.

Mas o Israel da bola estava predestinado. No segundo tempo o time voltou muito mais concentrado e disposto a competir. Pareciam outra equipe e não demorou muito para que o resultado positivo começasse a aparecer. Primeiro com um gol de Gyan, de fora da área e muito decisivo, depois com outro de Matheus virando o placar.

O Valentes, por sua vez, perdeu totalmente o controle no segundo tempo. O desequilíbrio emocional daqueles que não souberam ver o adversário virar o jogo custou muito caro para o time. Tendo como consequência erros fatais, inúmeras faltas e desconstrução de um jogo que até então parecia agradável mas virou um ringue.

O juiz por sua vez, não economizou no cartão amarelo e penalizou severamente ambos os times que também não economizaram nas faltas maldosas. O jogo ficou quente e agressivo. Principalmente com a expulsão do camisa 5 do Valentes, Gabriel Neto, após ter dado um carrinho daqueles no camisa 7 do Israel, Jonathan. Penalidade máxima que resultou no gol do atual campeão feito por Gyan, seguido pelo último gol da partida do Valentes de Cristo, marcado por Edirleo, mas que mesmo assim não deu a vitória para eles. E para mostrar que quem é rei nunca perde a majestade, o Israel da Bola começou com o pé direito a luta pelo bicampeonato.

  1. Na próxima rodada o Israel enfrenta o Barcelife e o Valentes encara o União IBV FC.

Grande jogo marca a vitória do Burley F7 sobre o Galáticos da Catedral na segunda rodada do Carioca

Por Lucas Bichão

Quando um torcedor de futebol relembra uma boa partida, geralmente essa memória está ligada a uma chuva de gols bonitos e reviravoltas inacreditáveis. Galáticos da Catedral e Burley F7 se enfrentaram pela segunda rodada do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas e, juntos, puderam proporcionar novas boas memórias aos amantes do esporte bretão. Com um placar de 7 a 5, a equipe recém-criada do Burley conseguiu sua primeira vitória em campo, já que na rodada passada recebeu os 3 pontos graças a punição direcionada ao time do Ousadia, seu adversário de então.

Os primeiros minutos de uma partida podem enganar muito aqueles que não entendem que o futebol é uma caixinha de surpresas. Os times começaram com boas trocas de passes e muitos dribles, mas ainda era um jogo morno e sem grandes chances de gol. “Seria essa uma tarde entediante? ”, poderia se perguntar a torcida, felizmente a resposta era totalmente contrária. Os lances tornaram-se mais intensos e incisivos após o primeiro gol do Galáticos da Catedral, que abriu o placar com Léo Rocha. A resposta não demorou e veio com um bom chute cruzado de Igor, camisa 9 e Pivô do Burley F7.

A partir dos primeiros gols de ambos os times, cada lance se tornou um perigo à parte. As defesas estavam abertas e não conseguiam recompor após subir para o ataque. O calor foi um personagem importante, pois influenciou bastante sobre aqueles jogadores mais lentos e com pouco poder de explosão. O Burley se beneficiou mais com as altas temperaturas e aproveitou para botar fogo na zona defensiva do adversário. Incontáveis foram os chutes da equipe de vestes roxas, mas dessas apenas uma realmente chegou a entrar, com Lipe marcando ao tirar bem do goleiro.

O primeiro tempo ainda terminou com um empate, graças a uma belíssima jogada de Luiz que driblou meio time do Burley para fazer o seu. O camisa 33 merece ressalvas, pois depois de já ter feito uma partida considerável na rodada de abertura, manteve o nível e foi importantíssimo para evitar um grande vexame para a sua equipe.

Definir o segundo tempo de Burley F7 e Galáticos da Catedral em palavras é algo quase impossível. A tempestade caiu sobre os gols de ambas as equipes e as redes balançaram 8 vezes com lances que superavam uns aos outros em beleza, habilidade e maestria. Como seria possível definir um gol de placa após cobrança de falta de Wallace do meio da rua? Ou então os dribles magistrais de Luiz, que o levaram a marcar mais 2 gols e dar uma assistência para o gol de Igor? Seria cabível reproduzir com letras o fato de Diego, apelidado de Pogba, carregar meio time do Galáticos sem ao menos perder a bola? Poucos puderam presenciar tamanha beleza e felizes são aqueles que estiveram no campo Society da Pau Ferro, no Pechincha.

No fim das contas, 7 a 5 foi o placar a favor do Burley e todos os amantes do futebol puderam aproveitar bem a tarde. Luiz até tentou sair mais feliz do campo, mas sozinho não conseguiu salvar seu time da derrota. Méritos para o trio formado por Wallace, Diego e principalmente Lipe que foi eleito o melhor da partida.

Depois de um empate em 2 a 2 com o Ousadia, a equipe de vestes roxas já demonstra grande evolução, apesar de ter oferecido a igualdade no placar ao Galáticos, este que não aproveitou. Quanto ao Catedral, o time amarga sua segunda derrota seguida e não consegue repetir as boas atuações que foram vistas no Torneio de Inverno, principalmente na fase de mata-mata onde surpreendeu a todos tendo um ótimo desempenho.

Na próxima rodada, dia 7 de outubro, o Burley enfrenta o Macaé FC e o Galáticos da Catedral tem pela frente o Ousadia FC, reeditando as quartas de final do Torneio de Inverno, quando o time da Catedral goleou e eliminou o terceiro colocado do Carioca passado.

IBP FC volta a mostrar força e conquista segunda vitória no Carioca: 6×3 no Macaé!

Por Thaise Lima

E o último sábado, dia 23/09, foi embalado pela segunda rodada do Campeonato Evangélico nas gramas sintéticas do Campo do Pau Ferro. As equipes do Macaé e do IBP se enfrentaram no campo 2, protagonizando um jogo cheio de reviravoltas, uma partida típica de um grande torneio. O grande destaque do duelo foi Pedro Henrique que ajudou o IBP a ganhar o jogo sendo autor de dois gols. O placar final foi de 6 x 3 para o time de Ricardo de Albuquerque, mas o Macaé tb não ficou para trás durante a partida.

O primeiro tempo iniciou com o IBP tendo mais oportunidades e mais posse de bola, mas não demorou muito para a equipe do Macaé começar a reagir aos ataques do adversário. O time azul de Ricardo não se intimidou com o reflexo e caiu pra dentro na bola. Por alguns minutos do IBP se manteve firme no jogo, porém logo depois o Macaé dominou o campo numa velocidade de tempo recorde tendo duas oportunidades de gol. Os primeiros minutos de jogo pareciam ser bem confusos para quem estava assistindo; quando uma equipe começava a dominar a bola, a outra ressurgia das cinzas como uma fênix e pronto ! Lá vinha mais uma enfiada de bola em direção a trave.

Os times mantiveram a calma e por poucos minutos o jogo se tornou harmonioso e igualado, mas não por muito tempo, depois de uma falta para cada equipe a partida começou a ficar tensa e ambos os times tendo chances de gol. Foi exatamente numa cobrança de falta que Rômulo foi certeiro e cravou a bola bem no centro das traves fazendo o primeiro gol da partida para o IBP. Mas, como um típico jogo tenso, não demorou muito para o Macaé reagir, foi bem ali de mansinho que o camisa 8, Steven, chegou e emplacou o segundo gol do jogo deixando o placar empatado.

O duelo permaneceu assim, truncado, tenso e quente, os dois times estavam mostrando para que vieram. Por alguns instantes a história se repetiu, o IBP estava dominando o jogo, mas o azul e vermelho de Cordovil começou a reagir. Foi em uma dessas reações que Douglas deu o passe para João Vitor, que fez um belíssimo gol bem na lateral da trave faltando apenas um segundo para acabar o primeiro tempo com 2×1 para o Macaé.

O segundo tempo começou bem fervoroso, o Macaé, com uma raça fora do normal, veio com tudo e deu início a partida com um excelente lance. A equipe aproveitou o embalo de estar ganhando e foi fundo nos passes de bola, mas o IBP estava escondendo o jogo (literalmente); chegou devagar no segundo tempo e, quando menos percebemos, a equipe de Ricardo de Albuquerque emplacou mais um gol, provocando o empate da partida com passe de Felipe para Jonathan. Dois minutos depois, Pedro Henrique virou o jogo e colocou o time azul em vantagem.

As equipes começaram a cair pra dentro; em relação a lances e oportunidades de gols os dois times estavam bem equilibrados e bastante confiante em suas jogadas, por mais que a virada do jogo tenha sido repentina. Mas o Macaé não brincou em serviço, bastou apenas um passe de Wescley para que novamente Steven aproveitasse e emplacasse o terceiro gol da equipe, deixando tudo igual novamente.

A partir desse momento o jogo deu uma esfriada, parecia que as equipes estavam conformadas com o empate, a partida estava passou por um momento de analisar o time um do outro para conseguir a visão tática e atacar para o desempate. Foi quando o IBP emplacou seu quarto gol, de novo do camisa 14, Pedro Henrique. O Macaé perdeu duas oportunidades sensacionais de gol, em alguns momentos teve o domínio da bola, mas foi aí que mais uma vez o IBP surpreendeu quem estava assistindo o jogo: Quemiel teve a bola aos seus pés e deu um passe incrível a Marcelo que foi protagonista do quinto gol do jogo. O duelo começou a ficar confuso e, ao mesmo tempo, pesado. Por mais que o IBF estivesse em vantagem, manteve o equilibrio e o foco, pois o Macaé tentava uma reação. O jogo estava lá e cá quando, já no minuto final, o IBP fez seu sexto gol com Felipe. Final 6×3.

Foi um jogo bonito de se ver, as duas equipes mostrando liderança e determinação. O IBP surpreendendo nos momentos da partida e o Macaé sempre analisando a visão tática do jogo para então atacar. Na próxima rodada o IBP FC enfrenta o Talentos da Fé e o Macaé FC encara o Burley F7.

Em jogo de nove gols, União IBV derrota MR FC e conquista segunda vitória no Carioca

Por Lucas Medeiros

Em um sábado bastante ensolarado, pela segunda rodada do Carioca Evangélico, os estreantes MR FC e União IBV se enfrentaram numa partida vigorosa em que as redes balançaram nove vezes. Foi um jogo em que tiveram cinco cartões amarelos, nenhuma expulsão e felizmente nenhuma falta grave. O time de Paciência propôs um jogo mais cadenciado e objetivo para buscar sua segunda vitória no campeonato. Por outro lado, o MR, apesar de não ter conseguido conquistar os três pontos, mostrou garra e por pouco não saiu com um empate ou até mesmo uma inesperada vitória.

A primeira etapa começou e o União abriu o placar logo no início com Ruan Oliveira que recebeu um passe de Welverson para mandar para o fundo das redes. O empate veio em alguns minutos, depois de uma jogada de escanteio cobrado por Leandro Martins e Gilmar subiu sozinho deixando tudo igual na partida.

A virada veio dos pés de Cleiton. O camisa 11 conduziu a bola pela linha de fundo e chutou forte e cruzado para botar novamente o time de Paciência na frente no placar. Com um ótimo entrosamento em campo, o União ampliou com Thiago Monteiro, que mandou um foguete em direção ao gol depois de uma boa assistência de William. O primeiro tempo terminou com o placar de 3×1 para o União IBV.

O segundo tempo iniciou com um União mantendo o mesmo ritmo da primeira etapa. Ao MR FC, restava arriscar mais ao gol e melhorar na marcação coletiva para conseguir voltar para casa com a vitória. O quarto gol do time vermelho e azul veio dos pés de Renan Oliveira que recebeu um passe categórico de Cleiton para se distanciar do placar. Numa falta desnecessária dentro da área, o time que seguia vencendo chegou ao seu quinto gol com Cleiton, de pênalti, que converteu sem nervosismo algum.

Foi só depois de tomar o quinto gol que o MR conseguiu tomar conhecimento de sua situação.

Foi num chute que Eduardo Nascimento diminuiu o placar deixando um pouco de esperança ao time que seguia perdendo. O terceiro gol da equipe branca e vermelha veio novamente dos pés do camisa 10, com uma boa jogada de pivô de Gilmar. O quarto gol veio para colocar fogo na partida e deixar o coração saindo pelo boca de quem estava assistindo. Em mais uma grande jogada de pivô, Gilmar só ajeitou para que Eduardo mandasse para o fundo do gol. Quando o MR estava transformando um vexame em um empate ou até mesmo em uma virada antológica, já não havia mais tempo e a partida acabou 5×4 para o União IBV.

Com a vitória o União lidera o grupo A com seis pontos e pega na próxima rodada o Valentes de Cristo. Já o MR FC aparece apenas em quarto com um ponto e tenta a primeira vitória no dia 7 diante do Projeto IDE.

 

Vivendo em Triunfo derrota Raridade e conquista segunda vitória em dois jogos no Carioca

Por Marcio Nunes

Em jogo válido pela segunda rodada do Carioca Evangélico, o Vivendo em Triunfo conquistou mais uma vitória mostrando superioridade tática e técnica em campo. O jogo, que aconteceu no último sábado, 23, foi disputado no campo do Pau Ferro e contou com grande atuação de Leandro e Marcelo do time vencedor.

A partida começou bastante truncada, com as duas equipes marcando forte e não dando espaços. O entrosamento do Triunfo começou a fazer a diferença e o time passou a prender a bola no campo de ataque, abusando de jogadas aéreas. Foi só uma questão de tempo para que os atuais campeões do Torneio de Inverno justificassem o favoritismo, fechando a primeira etapa com quatro gols de vantagem. A etapa final foi mais equilibrada. O Raridade conseguiu marcar duas vezes em falhas individuais do oponente, mas não foi suficiente. A fraqueza do time de verde e preto ficou clara ao sofrer o terceiro gol em cobrança de falta. No final, vitória do Triunfo por 5 x 2 e liderança isolada do grupo B.

O Primeiro Tempo

Foram cinco minutos de disputas de bola no meio de campo sem nenhuma grande chance de gol. Foi, então, que o talento coletivo e o entrosamento do Triunfo desequilibraram a partida. O time de azul e branco prendeu a bola no campo de ataque e começou a apostar no jogo aéreo. O primeiro gol surgiu em jogada entre os melhores jogadores em campo. Leandro puxou contra-ataque, tocou para Marcelo na ponta direita que chutou na saída do goleiro. Pressionado, o Raridade pediu uma parada técnica para acertar o posicionamento, mas não surtiu efeito e, em mais um contragolpe, o Vivendo em Triunfo ampliou. Roubada de bola de Rafael no meio do campo, tabela curta com Marcelo e finalização precisa do camisa 11.

Verdade seja dita: O Raridade jogou com vontade, mas faltou treino e entrosamento. O time de São João de Meriti errava muito no toque de bola e não conseguia emplacar uma boa jogada, facilitando a vida do goleiro adversário. Pra piorar a situação, o Triunfo chegou ao terceiro gol em cobrança de falta de Leandro, direto da intermediária, acertando o ângulo. Méritos para o camisa 9 pela precisão, mas é verdade que o goleiro Luís Fernando pulou atrasado no lance. Nos instantes finais da primeira metade do duelo, Ronaldo saiu jogando errado pelo Raridade, foi desarmado por Marcelo e perdeu a cabeça dando um carrinho por trás do adversário, que entrava de cara pro gol. O camisa 14 do time de verde levou o vermelho direto e deixou a equipe com um jogador a menos por dois minutos. Na cobrança da falta, em jogada ensaiada, Marcelo tocou curto para Sanderson que encheu o pé pra fechar a conta. A bola ainda tocou no travessão. Vivendo em Triunfo 4 x 0 Raridade.

O Segundo Tempo

Gol relâmpago. Sanderson saiu jogando errado e Renan Moreira roubou a bola, arriscou o chute e acertou no canto pra diminuir o marcador. O Raridade começou a ganhar confiança e teve outra grande chance em toque por cobertura de Douglas Golçalves, mas o goleiro Marcus Vinícius, no reflexo, espalmou pela linha de fundo. A pressão não durou muito. Em mais uma cobrança de falta o Triunfo voltou a marcar. Marcelo bateu forte, tirando da barreira e Luís Fernando espalmou pra frente, nos pés de Yan que só empurrou para balançar a rede e marcar o quinto de sua equipe no jogo.

Depois do gol a partida começou a esfriar com as duas equipes acertando a marcação e não deixando que as chances aparecessem. Até que, aos 19 minutos, Douglas Machado pegou uma sobra de bola na intermediária, arriscou e viu a bola bater na perna de Marcus Vinícius pra morrer no fundo do gol. Nos cinco minutos finais o Triunfo voltou a dominar a partida e teve duas grandes chances de ampliar com Alexssander. Primeiro em chute de dentro da área, mas a bola subiu demais e foi pra fora. Na sequência, o camisa 17 subiu mais que a zaga e cabeceou para defesa sensacional de Luís Fernando.

Fim de jogo e o Triunfo saiu de campo com mais três pontos na conta, liderança isolada do grupo B e pinta de favorito. O melhor em campo foi Marcelo com duas assistências, um gol e ainda participou do último da equipe cobrando a falta rebatida pelo goleiro. Um placar justo pelo que os dois times apresentaram em campo. Destaque, também, para Leandro que fez uma grande partida e deixou sua marca.

Na 3ª rodada o Vivendo em Triunfo enfrenta o Partidários e o Raridade pega o GDC FC.