Vivendo em Triunfo goleia GDC e está na final do Carioca

Por Lucas Bichão

A vitória é um momento marcante para qualquer time, pois é o fruto de um ótimo trabalho feito dentro e fora de campo. Para muitos existem apenas vitórias, empates e derrotas, mas quem entende de futebol sabe que há muito mais variáveis do que esses três simples resultados. Ganhar um jogo por goleada é o mesmo que vencer por um placar magro de 1 a 0? Triunfar na fase de classificação é a mesma coisa que na etapa de eliminatórias?

Quem assistiu e participou do confronto entre GDC e Vivendo em Triunfo sabe que as perguntas citadas acima são fáceis de serem respondidas. A equipe de Caxias teve seu momento de glória na fase de grupos, etapa essa em que conseguiu o feito de se classificar em terceiro na chave. Porém, o feito não se repetiu quando era mais necessário. Os rapazes do Vivendo resolveram jogar o seu melhor futebol para liquidar de vez com seus adversários.

Quando se iniciou a primeira etapa da semifinal, as equipes se colocaram como iguais em campo. Não havia um grande desnível técnico e ambos os times buscavam o ataque de forma concisa. Equilíbrio poderia ter sido a definição do jogo, isso até que o azulão da baixada colocou-se na frente de seus adversários. Leandro recebeu na esquerda e rolou para fora da área onde Michael Douglas pôde aproveitar para bater sem marcação e fazer um belo gol.

O segundo tento não demorou muito para acontecer. Dessa vez foi Michael Douglas quem passou para o seu companheiro marcar, um chute cruzado de Marlon sem chances para o goleiro adversário. Foi da ousadia de Michael que parte dos lances de ataque foram criados, merecendo o posto de melhor da partida graças a sua desenvoltura mesmo que algumas vezes sendo egoísta ao invés de passar a bola.

Ainda no primeiro tempo o Vivendo do Triunfo conseguiu mais dois gols, sendo que um deles merece um parágrafo a parte. Talvez seja um pouco difícil definir o tento sem utilizar de algumas palavras agressivas, mas é preciso manter o decoro quando se faz uma crônica. Alexssander estava preparado para bater uma falta do seu campo de defesa, a uma distância considerável. Na base da ignorância, a bola foi chutada com consciência no ângulo do gol, sem qualquer chance para goleiro algum, mesmo que esse fosse um World Class como Buffon ou Neuer.

Desse momento em diante o Vivendo em Triunfo bastou apenas segurar o placar. O GDC até tentou e descontou com Brendo, adiantou a marcação e pressionou as investidas do Azulão da Baixada. Dentre as tentativas de voltar ao jogo, a equipe de Caixas utilizou do goleiro-linha, mas nem essa estratégia foi suficiente para encorpar o ataque e marcar mais gols. Sem verticalidade e usando pouco as laterais, o time de vestes alaranjadas mantinha a bola, mas chegava com pouco perigo. As chances que teve perdeu de forma pavorosa. A única sorte do GDC foi não tomar mais gols enquanto seu goleiro se arriscava a frente da linha do meio de campo.

No final, o 5 a 1 foi um placar muito aquém das expectativas criadas no próprio jogo. Para o Vivendo em Triunfo, o que vale é que o time está preparado para enfrentar mais uma decisão nesse semestre. Anteriormente o time foi campeão do Torneio de Inverno, agora podendo ter mais um título para consagrar a segunda metade de 2017.

Partidários atropela MR FC e está na final do Carioca pela terceira vez consecutiva

Por Lucas Bichão

No futebol existem dezenas de ditados populares que são constantemente usados pela torcida, pelos profissionais do esporte e jornalistas. Entre os mais antigos dizeres estão “Quem não faz leva” e “O futebol é uma caixinha de surpresas”. Dos mais recentes temos “A bola pune” e “A regra é clara”. A semifinal entre Partidários e MR FC, pelo Carioca de Igrejas Evangélicas 5ª Edição, também pode ser definida por uma curta frase clichê e amplamente usada no esporte bretão, “A melhor defesa é um bom ataque”.

Durante toda a competição, o Partidários mostrou-se um time altamente eficiente no que se refere ao poderio ofensivo. Na fase de grupos foram 33 gols marcados ao seu favor, isso apenas em cinco partidas. O semifinalista chegou para o confronto do último sábado (2 de dezembro) com um status importante. Já o MR FC entrava em campo depois de ter eliminado os atuais campões do Carioca, feito impressionante devido ao fato de o Israel da Bola ter sido o time mais consistente de toda a fase classificatória e de nunca ter perdido na história do torneio.

A possível igualdade que poderia ser vista em campo, com a chance de o MR bater mais um grande da competição, foi embora logo no primeiro tempo. Lucas Di Maria, eleito inúmeras vezes o Melhor da Partida e artilheiro do Carioca (21 gols), tratou logo de mostrar a superioridade dos azuis. Com falhas defensivas e um pênalti perdido, os alvirrubros pecaram naquilo que seus adversários mais sabem fazer: gols. Rodrigo merece grande destaque, não só pela cobrança de pênalti defendida, mas também pelo grande campeonato que tem feito. Em um setor onde o Partidários costuma ter pouca atenção, o goleiro e líder das preleções tem se destacado bastante com salvamentos primordiais.

Enquanto no primeiro tempo Di Maria foi o nome de maior parte dos gols do Partidários, Diogo resolveu tomar a alcunha de goleador para si na segunda etapa. O camisa 88 completou um hat-trick primoroso com direito a um tento com bola entrando onde a coruja dorme, feito esse que garantiu metade do caminho para o título de Melhor da Partida. Os azuis almoçaram o MR FC para ter como sobremesa a classificação para mais uma final.

Apesar da derrota por 11 a 4, os alvirrubros têm seu crédito. O ponto final do time no campeonato pode servir como reticências para a continuação de uma nova história. Desde a estreia, um empate com o Valentes de Cristo, a equipe evoluiu de forma vertical e assustadora. A virada marcante sobre o Projeto IDE e a eliminação do atual campeão foram páginas que ficarão guardadas para sempre na memória daqueles que presenciaram o momento.

Antes de finalizar com essa crônica é preciso destacar o momento de discurso no pós-jogo do Partidários. Desde a perda da última final do Carioca, o time vinha sofrendo com alguns desníveis psicológicos como nervosismo e ansiedade em certos momentos das partidas. O goleiro Rodrigo reuniu todos em uma roda e, como um verdadeiro pai, encheu de conselhos e incentivos os seus companheiros, palavras que foram bonitas de serem ouvidas e que podem dar muita força ao time rumo ao tão sonhado título do Carioca.

GDC FC x Vivendo em Triunfo – A Baixada Fluminense em festa por um filho da terra na final do Carioca

GDC e Vivendo em Triunfo se enfrentam pela quarta vez em menos de quatro meses, dessa vez buscando uma vaga na final do Carioca. Da outra vez que se encontraram numa semi, no Torneio de Inverno, o time de Belford Roxo venceu por 4×0 e acabou sendo campeão da competição. Antes, ainda na fase de grupos do mesmo torneio, nova vitória do azulão da Baixada por 4×0. O troco do time de Caxias veio na quinta rodada desse Carioca: 5×3. Essa vitória foi fundamental para o GDC ficar na frente do adversário na primeira fase e ter a vantagem do empate nesse sábado, o que acaba lhe dando o favoritismo do duelo. A fase de ambos é boa, tanto GDC quanto Vivendo em Triunfo vem numa ascendente na competição e tudo pode acontecer na partida. Alexsander, artilheiro do Torneio de Inverno e da equipe nesse Carioca, pivô do Vivendo em Triunfo; e Eduardo, zagueiro e capitão do GDC, conversaram com a nossa equipe sobre o joão.

Qual a expectativa do seu time para essa semifinal?

Eduardo: Nosso grupo está muito forte e unido para jogarmos essa partida. É a nossa primeira semifinal do Carioca. Será um grande duelo e estamos muito confiantes em trazer o título para Caxias.

Alexssander: Nossa expectativa está muito grande para esse semifinal, todos estamos ansiosos pra começar o jogo e fazermos uma bela partida para chegarmos à final, que é o nosso objetivo.

O que acha de seu adversário?

Eduardo: O Vivendo em Triunfo é um grande adversário, ainda estamos em desvantagem em confrontos diretos, mas nossa equipe amadureceu muito no decorrer da competição. Todos estão muito motivados e preparados para o jogo. Esperamos repetir outras boas atuações e sair com a vitória.

Alexssander: O GDC é uma grande equipe, muito forte e com jogadores de qualidade. Já jogamos três vezes com eles, ganhamos duas e perdemos uma, exatamente nesse Carioca. Sabemos da nossa qualidade e da força do nosso grupo. Temos que entrar em campo focados, respeitando o adversário, mas buscando nosso objetivo que é a vitória e a vaga na final.

Existe algum tipo de preparação especial para o jogo? Como vocês fazem nesse sentido?

Eduardo: Essa semana nosso grupo do WhatsApp ficou bem agitado pela euforia de estarmos na semifinal. Nos reunimos e fizemos um bom trabalho físico para poder aguentar o jogo que geralmente ocorre sob um sol escaldante.

Alexssander: Somos uma grande família. Todos amigos há bastante tempo e com uma liberdade boa um com o outro. Existe uma cobrança interna muito grande e todos aceitam, sem melindre. Quando ganha, todos ganham, a mesma coisa quando há derrota. Treinar é bem difícil pra nós, já é complicado arrumar tempo pra jogar (rs). Mas o tempo de convivência nos ajuda bastante, conhecemos um a um e suas qualidades. Até nos encontramos na Igreja, mas as maiores resenhas são no grupo do WhatsApp, comentamos sobre erros e acertos nos jogos sempre em tom de zoação.

Mande um recado para a torcida de sua equipe!

Eduardo: Um forte abraço para todos que gostam e torcem pelo GDC. Quem estiver de bobeira nesse sábado está convocado para assistir a esse jogão de bola entre GDC e Vivendo em Triunfo.

Alexssander: Nossa torcida pode esperar muita vontade e determinação, além de comprometimento dentro de campo e, consequentemente, a vaga na final. Vamos com tudo Comunidade Profética Vivendo em Triunfo, rumo à final!

Escalações do jogo:

  

Partidários x MRFC – Um duelo, duas ambições e a certeza de um jogão por uma vaga na final do Carioca

Não dá mais pra considerar o MR FC um azarão entre os melhores times do Carioca. Eliminar o Israel da Bola foi um atestado de grande de um time voluntarioso e ofensivo que joga sempre em busca do gol e da vitória. Nas Quartas, o time de Campo Grande mostrou seu melhor jogo coletivo e comprovou que amadurece a cada jogo. Terá outro grande desafio contra o Partidários, até maior, pois o time de Bento Ribeiro também vem numa crescente e tem mais experiência na competição que o adversário de antes. O atual vice-campeão do Carioca passou pelo Missionários como um rolo compressor e a sede de título, aliada à vantagem que tem de poder empatar, o torna favorito à vaga na decisão. Será um grande duelo que coloca frente a frente os dois grandes destaques individuais dessa edição: Di Maria x Eduardo. Os dois conversaram conosco sobre o jogo e se mostraram bem motivados para o confronto desse sábado.

Qual a expectativa do seu time para essa semifinal?

Di Maria: O time está bem preparado, a equipe está muito focada pra esse jogo. Nosso objetivo é o título e estamos trabalhando muito pra conquistar esse caneco que já escapou das nossas mãos três vezes. Estamos bem fisicamente, taticamente e com um ótimo ritmo de jogo. Portanto, apesar de sabermos que será uma grande batalha e da dificuldade de enfrentar o MR FC, nossa expectativa é a melhor possível para chegarmos em mais uma final.

Eduardo: Encaramos cada jogo como uma grande final e nesse sábado teremos mais uma, de novo contra um dos grandes times da competição. Nossa expectativa é grande  e estamos muito confiantes numa vitória. Nossa meta é o título.

O que acha de seu adversário?

Di Maria: Não tive a oportunidade de ver o MR jogar, mas ninguém chega numa semifinal tendo derrotado o atual campeão por sorte, mas sim com muito mérito. Nós já temos alguma experiência em jogos decisivos, nunca perdemos uma disputa assim, então não temos pressão em relação a isso, diferente do nosso adversário. Podemos explorar essa pressão que eles tem em disputar uma primeira semifinal. Respeitamos muito o Ministério Resgate, mas vamos partir com tudo, isso é o Partidários.

Eduardo: Uma grande equipe, que não chegou à toa em três semifinais seguidas. Pelo que temos visto sabemos que se trata de um grande adversário. Será um grande, a vontade de ganhar é a mesma nas duas equipe. Tenho certeza que o melhor vencerá.

Existe algum tipo de preparação especial para o jogo? Como vocês fazem nesse sentido?

Di Maria: Nosso melhor treino é o jogo. Não conseguimos nos reunir para treinar por causa de compromissos pessoais e profissionais de cada um, mas o fato de jogar outros campeonatos (um deles a 5ª divisão do Municipal) nos deixa muito entrosados. A nossa preparação é o ritmo de jogo que fazemos, sempre em alto nível.

Eduardo: Nossa preparação é, primeiramente, feita na Igreja. Os atletas tem que frequentar os cultos. Nos reunimos toda terça para jogar e isso ajuda no preparo. Além disso, temos um grupo no WhatsApp onde colocamos Deus em primeiro lugar.

Mande um recado para a torcida de sua equipe!

Di Maria: Quero agradecer a todos que gostam do nosso time e que torcem por nós. Até mesmo adversários sempre nos curtem na nossa página e esse carinho é muito bacana. Nossos familiares e amigos também merecem esse agradecimento. Quando colocamos qualquer coisa do campeonato muita gente curte e até compartilha. Todos ficam na expectativa pelos nossos jogos. Aproveito e convido a todos para acompanhar esse que, com certeza, será um grande jogo.

Eduardo: Gostaria de pedir a todos os times que jogaram esse campeonato, que lutaram por uma vaga mas não conseguiram chegar até aqui, que nos apoiassem. Além disso peço a todos que nos acompanham que nos ajudem em oração, intercedendo por nós.

Escalações para o jogo:

  

Estrela do treinador Ciarlam brilha, GDC vira pra cima do Talentos da Fé usando goleiro-linha e é semifinalista do Carioca

Por Marcio Nunes

Na tarde do último sábado, 25, o GDC venceu de virada o Talentos da por 6 x 4 em jogo válido pelas quartas de final do Carioca Evangélico. A partida foi disputada no campo 3 do Pau Ferro Futebol Clube localizado no bairro Pechincha.

O Jogo

O primeiro tempo foi tímido. As duas equipes sem criatividade, acertando no erro do adversário e errando no acerto um do outro. Como uma lâmpada prestes a queimar, lutando contra o destino, ameaçava apagar completamente e, vez ou outra, surgia um momento de brilho, digno de ser registrado. Levando em conta o calor absurdo, porém típico de um Rio de Janeiro onde apenas os fortes sobrevivem, a vontade geral era parar tudo, definir na moeda quem avançaria às semifinais e tomar Coca gelada.

O segundo tempo foi eletrizante. Eu, particularmente, já estava respirando por aparelhos. Cada vez que puxava o ar, sentia como se estivesse respirando com a cabeça dentro de um forno pré-aquecido a 180 graus e, após o apito final, meus pulmões já atavam muito bem passados. Se quem estava à beira do campo sentiu tudo isso, era de se esperar que os atletas também. E até que sentiram bastante, mas ainda não sabemos direito de onde eles tiraram tanto fôlego para fazer um segundo tempo com sete gols e muita correria. Uma volta do intervalo eufórica do GDC que foi com tudo para conquistar a classificação com direito a golaço de falta de goleiro!

O Primeiro Tempo

Logo no primeiro lance do jogo, em saída de bola errada do Talentos, Feijão pegou a bola, bateu cruzado e abriu o placar para o GDC. Demorou mais de dez minutos para termos mais alguma coisa a dizer sobre a etapa inicial. Em dois ataques do time dourado, duas bolas no travessão. Primeiro com Lucas que chutou colocado da entrada da área e na sequência com Guilherme, de cabeça, após cruzamento de João Pedro. O time de laranja e preto respondeu. Feijão deu passe na esquerda para Júlio César que, sozinho, mandou para fora.

A reação do Talentos veio perto do apito final da primeira metade do jogo. Guilherme fez boa jogada pela direita, tocou para Ricardo no meio da área que acabou sendo derrubado e o árbitro assinalou o pênalti. Na cobrança de Diogo, bola para um lado e goleiro para o outro. Não demorou para os tijucanos comemorarem de novo. Guilherme acertou um belo chute, mas contou mesmo foi com uma ajudinha do goleiro que viu a bola passar por debaixo de seus braços. Talentos da Fé 2 x 1 GDC.

O Talentos seguiu buscando o ataque e aproveitando os erros do oponente. Ricardo fez um lançamento sensacional para Guilherme na ponta esquerda que chutou forte e obrigou o goleiro a fazer uma grande defesa, se redimindo do lance anterior. Em resposta, Brendo arriscou pela direita e viu o goleiro Eduardo fazer uma grande defesa que evitou o gol de empate. Mas foi só isso mesmo. Fim de primeiro tempo e início da corrida por um espaço na sombra. Não deu nem para beber água que já estava em ponto de chá havia tempo.

O Segundo Tempo

Primeiro lance e já teve polêmica. Ataque do GDC, cruzamento na área, cabeçada e a bola e o braço de João Pedro, do Talentos, se encontraram. O árbitro assinalou o pênalti. Bola na mão ou mão na bola? O lance foi rápido e, em minha humilde opinião, o toque não foi intencional e o pênalti foi mal marcado. Como reza a lenda, “pênalti mal marcado não entra” e assim se cumpriu. Luiz Henrique cobrou no travessão e desperdiçou a chance do empate.

Daí pra frente virou pelada. O Talentos foi ao ataque após o pênalti perdido pelo adversário e Ronaldo deu passe para João Pedro que driblou o marcador e acertou no canto baixo do goleiro para ampliar o placar. Não deu nem tempo de comemorar. Em saída de bola rápida do GDC, Luiz Henrique deu passe preciso para Eduardo, na ponta esquerda, que acertou um chute difícil no cantinho e colocou fogo no jogo.

Guilherme estava inspirado e, em jogada individual, passou fácil por dois marcadores, arriscou a finalização e marcou o quarto gol do Talentos da . O time laranja resolveu mudar de tática e colocou o goleiro reserva, que joga no meio do campo, para empurrar o time todo para o ataque. Deu certo. O time começou a pressionar o adversário e, em cobrança de escanteio, encostou novamente no placar. Júlio César cobrou o corner e Charles cabeceou sozinho para diminuir. Talentos da Fé 4 x 3 GDC.

A metade final do segundo tempo foi toda do time de Duque de Caxias. Rômulo pegou de primeira da intermediária, mas o goleiro espalmou pela linha de fundo. Em seguida, após bola jogada na área, Charles arriscou e o goleiro Eduardo espalmou de novo. Lembram do goleiro reserva que joga adiantado? Pois bem. Falta para o GDC na ponta esquerda. Sem ângulo para um chute direto, todos se posicionaram na área esperando um cruzamento. Não aconteceu. Eduardo Lopes saiu do gol, se posicionou para cobrar a falta e, com muita, mas muita categoria, acertou um chute colocado com efeito direto no ângulo oposto. Indefensável! Cinematográfico! Digno de replay! Jogo empatado!

A virada não demorou a acontecer. Feijão bateu forte de fora da área e o goleiro espalmou nos pés de Charles, mas o camisa 8 completou mal para nova defesa de Eduardo, mandando para escanteio. Na cobrança, Júlio César levantou na cabeça de Feijão que não perdoou e marcou seu segundo gol na partida e quinto de seu time. O golpe de misericórdia nasceu de um passe de Charles para Luiz Henrique que bateu e o goleiro aceitou.

Fim de jogo. Vitória sensacional do GDC. E, pelo visto, aquela lâmpada que lutava para não queimar, queimou e foi a do Talentos. O time de Duque de Caxias deu uma aula de coletividade na etapa final com participação efetiva de toda a equipe. Posso facilmente destacar, pelo menos, cinco nomes, mas seria uma injustiça coletiva deixar algum jogador de fora dessa lista.

Na semifinal o GDC vai encarar o atual campeão do Torneio de Inverno, Vivendo em Triunfo.

Arrasador, Partidários não toma conhecimento do Missionários, aplica goleada histórica no rival e está na Semifinal do Carioca

Por Eduane Pereira

Na última tarde de sábado, 25 de Novembro, ocorreram a Quartas de Final do Carioca Evangélico no campo do Pau Ferro, marcado pelo maior clássico do Campeonato Carioca Evangélico entre os times do Missionários FC e Partidários.

O Missionários, que é bicampeão do Carioca, nessa edição fez ótimas disputas pelo grupo B, inclusive já tinha enfrentado e vencido a equipe do Partidários na segunda rodada dessa edição. Mas nesse jogo decisivo para a semifinal o time de Belford Roxo não foi reconhecido em campo e perdeu feio para o time de Bento Ribeiro, 11×2, com o destaque do camisa 10, Di Maria, que marcou dois golaços e deu três assistências.

Logo no início da partida o time de azul e preto marcou um gol com  Di Maria, sem nenhuma assistência, o camisa 10 roubou a bola do adversário e concluiu com golaço. Na sequência Luciano deu um toque de bola certeiro para Michael que finalizou com um gol de letra, marcando 2×0. O Missionários tentou reagir em campo, Luiz Fernando fez um belo ataque e chutou bonito para o gol, mas o goleiro do Partidários, Rodrigo, defendeu seu time.

Aos 13 minutos do primeiro tempo a dupla, Luciano e Michael, brilhou mais uma vez em campo, com um belo passe de Luciano para o camisa 11 que deu chute forte e marcou mais um golaço nos adversários. O time de Bento Ribeiro se manteve dominando o jogo, já o Missionários estava morto em campo, sem ataque e nem defesa, com poucos lances durante toda a partida.

O Partidários aproveitou durante a cobrança de falta para marcar seu quarto com Andrew, o camisa 20 deu um chute firme na direção do gol, balançando a rede dos rivais. Faltando cinco minutos para terminar o primeiro tempo de jogo, o Missionários encontrou uma chance de marcar seu primeiro gol. Paulo Sergio deu o passe no momento exato para Luiz Fernando finalizar com um belo gol. Nos minutos finais, o time de azul e preto conseguiu marcar seu quinto, Di Maria deu o passe para Luciano que marcou um golaço e encerrou o primeiro tempo da partida com o placar de 5×1.

No segundo tempo, o Partidários retornou para o campo marcando mais um belo gol com Luciano e com a assistência de Di Maria, 6×1. Na sequência, Alessandro roubou a bola dos adversários e tentou marcar, mas não teve sucesso. Já Michael conseguiu marcar pela sétima vez, Di Maria deu o passe no momento exato para o camisa 11 que recebeu e marcou um belo gol, seguido pelo oitavo, feito por Luciano, com a assistência de Alessandro.

Aos 15 minutos de bola rolando, o Missionários fez um belo ataque com Luiz Fernando que tocou a bola para Patrick marcar o segundo gol do time da Igreja Missionária do Brasil de Belford Roxo. Em sucessão, Diogo fez uma jogada estratégica para Di Maria e deu um toque certeiro para o camisa 10 que marcou um golaço, 9×2.

Nos últimos minutos do duelo, a equipe de azul e preto marcou mais dois belíssimos gols, o décimo foi com passe de Michael para Diogo que recebeu e finalizou com categoria e em seguida o camisa 88 deu uma brilhante assistência para Bruno que, no último minuto, marcou 11×2 no Missionários.

O jogo finalizou com a merecida vitória do Partidários por 11×2, com o destaque ao meia Di Maria, que marcou dois golaços e três assistências e teve um ótimo desempenho durante toda a partida.  O Partidários fez excelente jogo, um ótimo ataque, belos lances e o time trabalhou unido para conseguir a vitória e a classificação para a semifinal onde terá a vantagem do empate contra o MR FC.

Vivendo em Triunfo faz segundo tempo mágico, vira pra cima do Burley F7 e é semifinalista do Carioca

Por Eduane Pereira

Na tarde de sábado, 25 de Novembro, ocorreram as Quartas de Final do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por um duelo intenso, disputado e duro entre as equipes do Burley F7 e do Vivendo em Triunfo que se enfrentaram no campo do Pau Ferro. No inicio da partida, o time de branco e roxo dominava o jogo e iniciou o primeiro tempo com um golaço. Mas com o decorrer do duelo o Vivendo em Triunfo levou a melhor, com destreza, o time de azul e branco fez uma bela virada e conseguiu a classificação para a semifinal.

O Burley, que fez um ótimo campeonato pelo grupo C e até o momento só tinha tido uma derrota, mostrou sua força e habilidade em campo, manteve a vitória durante todo o primeiro tempo da partida, vencendo o time de Belford Roxo por 3×0. Mas com muita tática, o Vivendo aproveitou melhor o segundo tempo e conseguiu uma belíssima vitória de virada, 6×5, com o merecido destaque para o camisa 10, Marcelo Lima, autor de dois golaços e uma assistência.

O jogo iniciou com o Burley tentando abrir o placar com um chute cruzado, Iuri fez uma bela tentativa mas não obteve sucesso. O Vivendo em Triunfo começou a reagir em campo e também tentou marcar o primeiro gol com Marcelo para Michael, mas não conseguiu. O primeiro gol só saiu nos primeiros 10 minutos de bola rolando, com o passe de Vinicius para Lipe que chutou forte e marcou 1×0. Na sequência o camisa 14 marcou mais um golaço, Iuri chutou pela lateral para o ala que marcou o segundo gol do time de Jacarepaguá.

O time branco e roxo tentou o terceiro gol, mas Marcelo defendeu seu time e chutou a bola para fora. O Vivendo fez algumas tentativas no primeiro tempo, mas o Burley F7 vinha bem na defesa e marcou duro o time de Belford Roxo. Aos 20 minutos do primeiro tempo o Burley marcou seu terceiro gol e, mantendo uma vantagem em cima dos adversários, Renan deu um toque de bola para Vinicius que recebeu e finalizou com belo gol.

A equipe da ADVEC de Curicica, tendo a vitória de 3×0, se manteve mais na defensiva, mas impedindo os rivais de criar jogadas. No final do primeiro tempo o time de azul e branco buscou o primeiro gol, mas Pablo foi mais rápido e roubou a bola do time adversário e chutou para fora. O primeiro tempo de jogo encerrou com o Burley mantendo a classificação para a semifinal e com uma enorme vantagem nas mãos, já que o empate também lhe servia.

No segundo tempo da partida a equipe do Vivendo em Triunfo retornou para o campo com muito esforço e determinação para virar o placar. Michael fez um bela tentativa e chutou forte em direção ao gol, mas pegou em cheio na trave. Sanderson buscou o primeiro do Vivendo em Triunfo com um toque bola no momento exato para Marcelo que deu um chute certeiro para gol, balançando a rede dos rivais. Em sequência, Marcelo deu a assistência para Yan que marcou um golaço, 3×2.

O confronto ficou mais intenso com o avanço do Vivendo em campo, as equipes ficaram mais agitadas em campo e buscando um melhor resultado para classificação para a semifinal. Marcelo buscou o empate e chutou forte para gol, mas pegou muito alto; em seguida, o camisa 10 bateu uma cobrança de falta, mas a barreira do Burley fez uma boa interceptação.

Aos 10 minutos, o time de Curicica marcou seu quarto gol, Igor deu o passe Lipe que marcou outro golaço. Tendo a vantagem de dois gols o Burley enfraqueceu na defesa dando a chance perfeita para Marcelo, o camisa 10 roubou a bola e marcou mais um belíssimo gol, sem nenhuma assistência.

Rogério e Marcelo buscaram o empate com um ótimo ataque pelo meio, já Alexssander tentou pela lateral marcar o gol, mas sem sucesso. Michael também fez uma boa tentativa. Mas o empate só saiu aos 15 minutos com um belo passe de Michael para Alexssander que marcou um golaço, 4×4. Em sucessão, o Vivendo fez uma brilhante jogada, Alexssander correu com a bola e tocou para Rogério que, no momento certo, deu o passe para Michael finalizar com um golaço, virando o jogo, 5×4.

Nos minutos finais o Burley buscou o empate, pois tinha vantagem e poderia se classificar se o jogo terminasse igual. Lipe mais uma vez buscou uma ótima oportunidade e fez uma assistência perfeita para Vinicius que chutou firme para o gol e marcou o quinto gol para o seu time. Jogão!  Marcelo e Michael criaram uma jogada e partiram em direção ao gol, mas o goleiro Pedro fez uma bela defesa. No último minuto do confronto, Rogério deu a assistência perfeita para Alexssander, que driblou a marcação e deu um chute forte para gol, marcando o sexto gol que trouxe a vitória e classificação do Vivendo em Triunfo para a semifinal.

O jogo encerrou com a merecida vitória do Vivendo em Triunfo por 6×5. O time deu todo sua garra e suor para conseguir a classificação para a semifinal, com o destaque ao meia Marcelo, autor de dois gols e uma assistência, que teve um ótimo desempenho durante toda a partida. Ambas as equipes fizeram um excelente jogo, equilibrado, agitado e muito intenso.

Na semifinal do dia 2 o Vivendo em Triunfo enfrenta o GDC FC, que jogará pelo empate.

MR FC se agiganta na fase de mata-mata, passa pelo Israel da Bola e está na semifinal do Carioca

Por Thaise Lima

E foi num ensolarado sábado, dia 25/11, que o gramado do Pau Ferro Futebol Clube nos concedeu as Quartas de Final da 5ª edição do Campeonato Carioca Evangélico. De um lado do campo uma equipe já conhecida e campeã do torneio, o Israel da Bola, de outro lado um time novato no campeonato, o MR FC. O jogo foi bem acirrado, a diferença no placar foi de apenas um único gol que deu a vitória da partida, de forma surpreendente, aos calouros do campeonato. O MR FC venceu o atual campeão e a vantagem que tinha de empate: 6×5.

A partida começou típica de um jogo disputando uma vaga em final de campeonato. Com apenas dois minutos de bola rolando Gilmar entregou a bola para Eduardo, que deu um belíssimo chute para o gol, fazendo o vermelho da equipe MR FC abrir o placar do jogo. Mesmo que o adversário apertasse a marcação, o MR começou o jogo de forma retumbante e não demorou muito e novamente Gilmar driblou e fez o passe de bola para Felipe da Costa que marcou o segundo gol da partida, 2×0 para o time de Campo Grande.

O jogo, que começou empolgante, foi se tornando cada vez mais desafiante, o Israel estava correndo atrás do prejuízo a todo momento. Por mais que a equipe ainda não tivesse marcado nenhum gol, estava jogando muito bem, por duas vezes o atual campeão quase marcou gol, uma tentativa bateu na trave e a outra foi uma incrível tentativa do camisa 7 Jonathan Alves, mas o goleiro Leandro conseguiu fazer grande defesa. Porém quando todos menos esperavam, Hugo acertou a bola bem no meio do gol, mais uma vez, graças ao passe de Gilmar, o camisa 9 conseguiu emplacar o terceiro gol do MR FC. Foi aí que a partida começou a ficar truncada, por mais que a vantagem de placar de um time para outra fosse de três gols, o time azul não estava em desvantagem relacionada às jogadas e os passes de bola e algumas tentativas, mas era nítido ver a preocupação da equipe do Israel em relação ao duelo, mas mesmo com esta diferença os jogadores  não desistiram e continuaram a jogar com competência. Depois de alguns minutos fervorosos no jogo, Felipe da Costa protagonizou mais um gol com a assistência de Leandro, o goleiro Alexander até tentou combater, mas não teve jeito e o placar foi para 4 x 0.

Após esse quarto gol, a equipe do MR FC começou a ter mais domínio da bola, se sobressaiu mais durante a partida, não só por estar ganhando o jogo porém pela ausência de lances do time adversário. Mas nada como um jogo decisivo para ter fortes emoções e não demorou muito tempo o lado azul do campo deu a volta por cima e voltou a ter mais participação na partida. A prova disso foi o passe de William para Afonso aproveitar e abrir o placar do Israel da Bola. E foi com o placar de 4 x 1 que terminou o primeiro tempo.

No mesmo ritmo e empolgação da etapa anterior, a partida voltou no segundo tempo. Logo de início, o time que até então estava ganhando o jogo, teve um excelente ataque direto pra gol de Gilmar, mas a bola bateu na trave. O jogo estava quente, as duas equipes caindo pra dentro almejando a vaga na semifinal, foi quando em apenas poucos minutos de jogo, Eduardo fez jus a sua camisa 10 e, sem nenhuma assistência, fez o quinto gol do time vermelho. Depois disso, o jogo se manteve sereno, mais calmo, quem assistia não entendia muito bem a tática do Israel, mas toda essa calmaria durou pouco e logo todos que assistiam o jogo começaram a entender que depois de um tempo calmo sempre vem uma tempestade Foi através de um passe de Jonathan para Afonso que o jogo começou a virar, a equipe do Israel da bola marcou seu segundo gol e o jogo esquentou de vez.

Não demorou muito para o Israel mostrar para que veio, minutos depois o time marcou mais um gol protagonizado por Victinho, mas não parou por aí; cerca de dois minutos após o terceiro gol, talvez a emoção de Victor tenha sido tanta que ao passar a bola para Jonathan, o camisa 7 tenha feito mais um gol. Foi nesse momento que o time que até então estava na vantagem começou a se preocupar e o jogo ficou truncado mais uma vez. Os lances para a finalização começaram a ser quase instantâneos, o jogo ficou ainda mais quente quando Afonso, em um único lance, empatou o jogo, 5×5. O jogo chegava ao seu final e a vaga estava nas mãos do atual campeão. Em um curto espaço de tempo, as duas equipes tiveram muitas tentativas e chances de marcar o sexto. Porém, faltando poucos minutos para o apito final do árbitro, Igor deu bela bola para Gilmar fazer 6×5 para o vermelhão de Campo Grande.

E o jogo terminou com a classificação do time novato nos campos do Pau – Ferro. O MR FC mostrou sua garra e vontade de ganhar, se superou e venceu um dos favoritos, talvez o principal, ao título do Carioca. Na semifinal, também sem a vantagem do empate, o MR enfrenta outro gigante: O Partidários.

 

Quartas – Talentos da Fé x GDC – Duas forças do Carioca buscando o primeiro título

No dia 8 de outubro do ano passado aconteceu o único duelo entre as duas equipes na história do Carioca. A partida foi válida pela 3ª rodada da 3ª edição do campeonato e o GDC, que fazia um mal início de torneio, venceu por 5×4 num grande jogo. O Talentos acabou caindo nas Oitavas e o GDC só caiu nas Quartas perante ao Ágape porque o adversário jogava pelo empate. Um ano depois e muito mais experientes, as duas equipes voltam a se enfrentar, dessa vez buscando uma vaga para uma inédita semifinal para ambas. O Talentos da Fé, time de melhor campanha da primeira fase, joga pelo empate; isso somado ao grande futebol apresentado faz da equipe da Academia da Fé, da Tijuca, a favorita no confronto. Na primeira fase o time teve o melhor ataque e a segunda melhor defesa das cinco rodadas e conta com um inspirado Diogo, com 12 gols, para fazer valer sua grande campanha e conquistar o título. Foram cinco vitórias incontestáveis e convincentes para um time que está a dois empates da grande final. No entanto, com toda certeza, o time dourado terá seu maior desafio até aqui no Carioca. Apesar da irregularidade na fase de grupos, o GDC mostrou nas Oitavas, quando derrotou o Ousadia por 3×1, o verdadeiro time que tem. Uma equipe que apesar da juventude, é muito bem treinada e liderada por Ciarlam, e possui uma vocação ofensiva poucas vezes vistas na história do Carioca. O que sempre faltou à equipe foi maturidade e equilíbrio pra legitimar e fazer valer sua qualidade em campo. E parece que dessa vez isso vem acontecendo.

DUELO TÁTICO

O Talentos da Fé é um exemplo de equipe tática. O numeroso elenco, que também tem muita qualidade, proporciona ao time diversas variações dentro de um mesmo esquema de jogo. O 2-2-2 seria a melhor forma de resumir o Talentos, mas o 2-3-1 se faz presente em campo, sem perder a originalidade de sua proposta. Com defesa bem postada e plano ofensivo bem definido, tendo como referência Guilherme no ataque, o Talentos evoluiu com o tempo e hoje é um dos times mais equilibrados do Carioca. Já o GDC não tem essa equilíbrio todo do adversário, mas tem um ímpeto ofensivo que tonteia os adversários. Além disso, a energia de seu elenco jovem faz da equipe muito intensa em campo, com o mesmo ritmo no primeiro e no último minuto de cada tempo. Não existe uma proposta bem definida de jogo, mas diversos caminhos táticos que funcionam dependendo do adversário.

DE OLHO NELES

12 gols, três assistências, recordista de presença em seleções de rodada nessa edição (3ª, 4ª e 5ª), sendo o craque da 4ª rodada, Diogo é o destaque absoluto do Talentos da Fé nessa edição. Com cinco gols e duas assistências, Romulo vem sendo o cara do GDC na competição.

Quartas – Missionários x Partidários – A força do maior clássico do Carioca por uma vaga na semifinal

Sem sombra de dúvidas o jogo do dia no Pau Ferro. Não seria exagero dizer que é a maior rivalidade do Carioca Evangélico em toda sua história. Os números do confronto dão vantagem ao Partidários, afinal foram quatro jogos até aqui, com duas vitórias do time da Primeira Igreja Batista de Bento Ribeiro e um empate. No entanto, tudo isso perde força, quando lembramos que esse único empate foi na final da 3ª edição e deu o bicampeonato da competição ao Missionários, conseguido nos pênaltis. No dia 3 de dezembro do ano passado, as duas equipes fizeram um dos grandes jogos da história do Carioca que terminou empatado em 3×3. Nas penalidades o fantasma do Partidários se fez presente e a equipe perdeu o título, como na edição passada frente ao Israel da Bola, e no Torneio de Verão de 2016, quando sucumbiu ao CJRJ Team. Nessa edição, pela segunda rodada, o Missionários conseguiu uma vitória de 8×7, em outro grande jogo envolvendo as duas equipes. E essa vitória foi decisiva para dar ao time da Igreja Missionária do Brasil de Belford Roxo a vantagem do empate para chegar à semifinal. Só por isso, existe um pequeno favoritismo do bicampeão, porque esse duelo é imprevisível e completamente equilibrado. Na primeira fase o Partidários se mostrou mais irregular que o adversário, que começou muito mal tomando uma sonora goleada do GDC, mas depois encontrou o rumo e venceu seus outros quatro jogos. Mas, de uma forma geral, apenas isso e os dois pontos na classificação separaram as duas equipes, muito semelhantes até aqui nessa edição.

DUELO TÁTICO

A forma de atuar das duas equipes mudou muito desde a final do ano passado. O Missionários sempre foi um time de conjunto muito forte, entrosado e obediente taticamente. Nessa edição mantém essas características, mas consegue ser um time mais ousado, diferente de antes quando era extremamente cirúrgico, o chamado time das decisões, que se agigantava nos jogos decisivos. Já o Partidários, com um time mais técnico, dessa vez consegue apresentar um conjunto mais coeso, no entanto ainda muito deficiente na parte defensiva. O time de Bento Ribeiro nunca foi um exemplo de entrosamento, mas sempre foi uma equipe aguerrida que tinha nos valores individuais a sua maior força. É como se, nessa edição, as duas equipes tentassem extrair da outra o que sempre tiveram de melhor. Mas, de uma forma geral, taticamente falando, hoje atuam de forma semelhante, mas o time da Baixada possui um time mais equilibrado que o adversário.

DE OLHO NELES

Pelo lado do Missionários, poderia se destacar o goleiro Allan, presente nas seleções das 2ª e 4ª rodadas, mas o grande nome vem sendo Luiz Fernando, com seis gols e uma assistência. Do Partidários, Luciano apareceu na seleção da 1ª rodada e na das Oitavas, mas Di Maria, artilheiro com 16 gols e líder das assistências, com seis, além de estar entre os melhores da 3ª e 4ª rodadas, vem sendo, talvez, o grande nome individual desse Carioca.