Disputa intensa, viradas, belos lances e 12 gols marcam empate entre Partidários e Vivendo em Triunfo pela Carioca

Por Marcio Nunes

Na tarde do último sábado, 7, o azul e branco de Belford Roxo e o Leão de Bento Ribeiro fizeram o melhor duelo desta edição do Carioca Evangélico, até o momento, em jogo válido pela terceira rodada da competição.

Duas equipes muito bem treinadas e equilibradas promoveram um verdadeiro espetáculo e presentearam a todos com um ótimo futebol. Em uma partida digna de final, o empate em jogo de 12 gols foi justo. Os dois lados buscaram a vitória durante todo o confronto e quem esteve presente para conferir o embate viu emoção do início ao fim.

Com um primeiro tempo de muita marcação, as duas equipes encontraram o caminho do gol e as redes balançaram sete vezes. Logo no primeiro lance de bola rolando, pegando todos de surpresa, o Partidários abriu o placar em chute cruzado de Di María pela ponta direita, após passe de Michael. Com muita maturidade, o Triunfo não se deixou abater e foi pra cima em busca do empate. Na primeira tentativa do time da baixada, Michael Douglas puxou contra ataque e deu um passe sutil para Marlon que avançou, chutou forte e acertou o travessão. No lance seguinte, o rapaz com nome de celebridade, Michael Douglas, deu ótimo passe na entrada da área para Alexssander que protegeu do marcador, girou bonito e acertou o canto esquerdo do goleiro em chute colocado para empatar a partida.

A forte marcação de ambos os times dificultava a criação de jogadas e, quando conseguiam criar alguma, não levava perigo para os goleiros. Foi então que o nove do Triunfo brilhou novamente. Marlon levantou na área e Alexssander usou a cabeça para estufar as redes adversárias, virando o jogo e colocando o azul e branco na frente. Três minutos depois, em mais uma bobeira da zaga do Partidários, Alexssander ganhou mais uma do zagueiro Hiago e chutou sozinho e de frente pro gol, mas a bola bateu na trave. Já com a presença de Lázaro a beira do campo, que chegou na metade do primeiro tempo para reorganizar seus jogadores, o Leão voltou a equilibrar a partida e chegou ao empate com Di María que, após passe de Hiago pela direita, bateu cruzado da entrada da área e deixou tudo igual.

Di María se destacava positivamente pelo Partidários até que, depois de reclamar demais com o árbitro, levou o cartão amarelo e desfalcou o time por dois minutos. Mesmo com um a menos em campo, o time de Bento Ribeiro, que jogou de verde e cinza, conseguiu reverter o placar e promover a terceira virada do confronto. Luciano arriscou da entrada da área e o goleiro adversário aceitou, colocando o Partidários na frente. Com todos os jogadores em campo novamente, o time começou a dar espaço, permitindo que o Triunfo tocasse mais a bola e se aproximasse da área.

Nos instantes finais da primeira etapa, Célio cometeu pênalti em Alexssander e, na cobrança, Michael Douglas converteu, igualando o marcador. No lance seguinte, último da metade inicial, Matheus Souza cometeu pênalti em Michael, do Partidarios, após chegar atrasado na bola e derrubar o adversário. O próprio camisa dez foi para a cobrança e converteu, dando números finais ao primeiro tempo depois do apito do árbitro. Vivendo em Triunfo 3 x 4 Partidários.

O Segundo tempo teve menos gols, mas muitas oportunidades e foi ainda mais quente que o primeiro. Logo no primeiro momento da etapa final, Michael Douglas levantou a bola na área pelo Triunfo, mas Sanderson completou por cima da meta. Os nervos começaram a esquentar e o jogo ficou ainda mais pegado. Pegado até demais. Marlon entrou de carrinho e acertou Di María, levando o cartão amarelo e desfalcando o Triunfo por dois minutos. Com um a mais em campo, o Partidários tentou aproveitar para ampliar a vantagem. Luciano fez jogada individual, passou sem dificuldades por Sanderson e arriscou o chute cruzado, mas a bola foi pra fora, levando perigo. O goleiro do Triunfo, Marcus Vinícius, quase fez uma lambança. Carregou a bola até a intermediária, deu o passe na frente, mas Di María apareceu pra dar o bote, roubar a redonda e arriscar do meio do campo para o gol completamente vazio, porém a pontaria não ajudou e a chance foi desperdiçada.

Uma das máximas do futebol se fez presente e se cumpriu: quem não faz, leva. E assim foi. Em cobrança de falta, Alexssander jogou dentro da área e, sozinho, Marllon, o camisa quatro, desviou para o fundo do gol, empatando a partida. Em um verdadeiro toma lá dá cá, o Partidários saiu pro ataque e a bola sobrou para Luciano dentro da área, mas o nove do Leão demorou demais para decidir e foi desarmado, dando o contra-golpe para o Triunfo com Michael Douglas pela direita que chutou forte e viu a pelota subir demais, saindo pela linha de fundo. O camisa dez continuou puxando seu time para o ataque e cruzou uma bola perigosa para Alexssander que se esticou todo e, por muito pouco, não conseguiu escorar para as redes. De tanto insistir, Michael Douglas foi recompensado. Pegou a bola na meia esquerda, passou por Ramon e bateu da entrada da área. A bola passou entre a trave e o goleiro, que estava no lance, e morreu no fundo do gol, colocando o Triunfo na frente nesta que foi a quarta virada no placar.

Faltando cinco minutos para o fim da partida o Partidários foi, simplesmente, o Partidários. O time todo da linha intermediária pra frente e aquela pressão que você sabe que vai surtir efeito. Após bela troca de passes, Di María deixou com Alessandro que bateu pra fora. O sete do Leão de Bento Ribeiro estava impossível. Recebeu passe no meio, passou como quis pelo marcador e chutou forte, mas o goleiro espalmou. A situação do Triunfo ficou ainda pior quando Matheus Souza foi expulso após levar o amarelo por reclamação e, não satisfeito, empurrar o árbitro. Nem aí pra essa confusão, Di María deixou para Andrew que bateu forte e Marcus Vinícius fez outra grande defesa. O nervosismo tomou conta e abriu espaço para erros. Em um deles o Triunfo se aproveitou para tentar liquidar o jogo em contra-ataque rápido em que Alexssander concluiu, mas a bola foi pra fora. No lance seguinte foi a vez de Yan quase marcar. O camisa oito pegou uma sobra de frente para o gol e arriscou o chute, mas Juninho se atirou no caminho e impediu que o pior acontecesse. Com espaço pra jogar e a vantagem no placar, o Triunfo seguia explorando os erros do adversário. Michael Douglas arriscou de fora da área e acertou a trave.

O Leão não se deu por vencido e Michael quase empatou, mas faltou força. O dez tentou chute colocado e viu Marcus fazer outra grande defesa. Pra coroar uma partida sensacional, nada melhor do que um final eletrizante. Primeiro Di María fez grande jogada, deu passe para Juninho que acertou no canto do goleiro pra empatar o jogo. No lance seguinte, sem dar tempo de piscar, Michael recuperou a bola no meio de campo, passou pela marcação, tocou para Di María que encheu o pé e acertou no cantinho, rente a trave, para estufar a rede e promover a quinta virada no placar. Não deu tempo de comemorar. O Triunfo foi para o tudo ou nada. Em levantamento na área, Alexssander desviou de cabeça, a bola bateu no travessão, quicou em cima da linha e Marllon apareceu sozinho para dar um toque sutil e igualar o marcador. Vivendo em Triunfo 6 x 6 Partidários.

Quando o árbitro anunciou o fim da partida, ambos os times puderam comemorar o resultado pela partida que fizeram. A verdade é que se alguém tivesse saído vencedor, seria injusto com o outro time. Um ponto para cada lado no melhor jogo da competição até o momento.

Destaque para Alexssander que desequilibrou para o azul e branco, Michael Douglas e Marllon que foram os melhores em campo pelo Triunfo. Pelo Partidários, Di María desequilibrou, mas Michael e Luciano também merecem destaque sendo os melhores da equipe.

Coletivamente, os dois times demonstraram poder de fogo, capacidade de reação e não perderam o ritmo, mantendo a concentração até o apito final.

Arrasador, Talentos da Fé derrota IBP, chega a terceira vitória no Carioca e tem melhor ataque com 21 gols

Por Estevão Julio

A partida entre Talentos da Fé e IBP FC é a prova de que o futebol é dinâmico, rotativo, muda de uma hora pra outra. Em partida válida pela terceira rodada do Carioca Evangélico, o campo do Pau Ferro Futebol Clube, na Freguesia, Zona Oeste do Rio, foi o palco deste duelo que recebeu duas equipes que venceram as duas primeiras partidas na competição. Na briga pela liderança do grupo C, melhor para o time da Tiuca que venceu por 5×2.

No início da disputa, o IBP valorizava a posse de bola, até encontrar o momento oportuno para atacar o adversário. Do outro lado, o Talentos da Fé apostava no contra ataque. E assim, saiu o primeiro gol da equipe: Guilherme saiu em velocidade pela direita, encontrou Ricardo na entrada da área; ele chutou de primeira, o goleirão tentou encaixar, mas soltou a bola nos pés de Diogo, que encheu o pé para abrir o placar com cinco minutos de jogo.

Apesar de o gol ter saído logo no início, a partida era truncada, com lances não muito bonitos. Mas, aos poucos, o Talentos tomava o controle da disputa. Aos oito minutos, “Gigante” partiu do campo de defesa, passou por dois marcadores e encontrou Diogo. Com um drible seco, ele tirou o zagueiro da jogada e chutou de canhota no canto esquerdo do goleiro, mas a finalização saiu pela linha de fundo.

Pelo IBP, Quemuel se destacava criando as melhores jogadas do time. Aos 11 minutos, ele roubou a bola na entrada da área e achou Raphael, que dominou e chutou por cima da meta.

Leonardo Paiva deixou a equipe do Talentos desfalcada ao ser expulso de campo por reclamação acintosa por uma marcação de falta. Com mais espaço para trabalhar, o IBP tentou com Gabriel Almeida de fora da área; a bola foi por cima.

Já no fim do primeiro tempo, a vantagem foi ampliada. Em cobrança de falta pela esquerda, João Pedro bateu rasteiro, no canto esquerdo do arqueiro, para fazer 2 a 0, aos 21 minutos.

O início do segundo tempo deu a impressão de que a partida estava decidida a favor do Talentos, já que, aos quatro minutos, Guilherme entrou pela esquerda e chutou cruzado, para não dar chances ao defensor.

Aos seis minutos, o IBP começou a sua reação. De muito longe, Rômulo bateu falta forte e acertou o ângulo. No minuto seguinte, Raphael roubou a bola no meio e tocou para Quemuel, que saiu em velocidade e tocou na saída do goleiro.

A equipe acreditava que conseguiria a vitória e continuou sua jornada rumo à vitória. Rômulo quase marcou outra vez, de falta, aos onze minutos; aos doze ele tentou novamente, dessa vez, após cobrança de escanteio ele cabeceou por cima do gol.

O balde de água fria veio em um lance inusitado. “Gigante” foi fazer um lançamento, mas a bola tomou outra direção e foi parar no fundo da rede, aos 17 minutos. Dois minutos depois, Diogo passou como quis pela defesa, abriu e chutou no canto direito do goleiro para fazer 5 a 2 e sacramentar a vitória do Talentos.
Diogo foi eleito o melhor em campo. O atacante fez dois gols e contribui com belos dribles.

Na próxima rodada, o Talentos da Fé, que já se garantiu na próxima fase e agora busca ir direto para as quartas como primeiro do grupo, enfrenta o Galáticos da Catedral, que vem de três derrotas. Já o IBP terá pela frente o Burley.

Com direito a gol de goleiro, Ousadia goleia Galáticos da Catedral e consegue primeira vitória no Carioca

Por Lucas Medeiros

No último sábado, pela 3ª rodada do Carioca Evangélico, o Ousadia FC enfrentou o Galáticos da Catedral em busca de sua primeira vitória com o objetivo de manter o sonho da classificação para o mata-mata. Com um elenco mais forte e entrosado, o time de Jacarepaguá levou a melhor e venceu a partida pelo placar de 7×2. A situação do Galáticos é preocupante, a equipe ainda não somou pontos no Cariocão e pode correr o risco de ficar fora da próxima fase.
Os primeiros minutos da primeira etapa começaram com uma atuação mais discreta das duas equipes, sem apresentar nenhuma chance de perigo ao gol. O primeiro balançar das redes veio de uma cobrança de falta de Thiago, o camisa 14 do Ousadia mandou um foguete para o fundo das redes. O segundo gol foi marcado por Philip, que chutou forte e rasteiro no canto sem nenhuma chance para o goleiro. A partida estava com cara de jogo-treino para o Ousadia que não tomou conhecimento do adversário e ampliou o placar com Marlon que recebeu um belo passe de Thiago.
O marcação coletiva do Galáticos não estava dando certo, praticamente o jogo todo deixava um jogador adversário sobrando. Aproveitando dessas falhas, o Ousadia não deixou barato e anotou mais um gol com Thiago, o camisa 14 estava com a canhota afiada e chutou no cantinho deixando o time de Jacarepaguá cada vez mais próximo da vitória. O time que seguia perdendo ainda conseguiu diminuir com Marco Vinicio que em um lance infeliz do goleiro na saída de bola, a mesma rebateu no camisa 32 e acabou entrando. O primeiro tempo acabou e o placar seguiu 4×1.
O segundo tempo iniciou com o Ousadia permanecendo com a mesma proposta de jogo que fez na primeira etapa. A poucos minutos depois de começar a segunda etapa, o time que seguia vencendo ampliou o placar de pênalti e quem brilhou na cobrança foi o goleiro Carlos Alberto, 5×1. A partida estava sob total domínio do Ousadia em que apostou todas as suas fichas no setor ofensivo, por outro lado o Galáticos não conseguiu apresentar um bom futebol em campo.
O sexto gol veio dos pés de Patrick, o camisa 8 fez um bonito drible pra cima do defensor e bateu forte no canto direito. O jogo já estava praticamente definido porém o time que seguia vencendo não tirou o pé do acelerador e chegou ao sétimo gol com Luiz Carlos, que bateu firme e mais uma vez o goleirão aceitou. Não era o dia do time dos meninos da Catedral, não mostrou nem sequer um pingo de reação e ao apagar das luzes, Kelvin descontou para os Galáticos e a partida terminou num placar elástico de 7×2.
O jogo teve a bela atuação de Philip, o camisa 11 foi o craque da partida e essencial na armação das jogadas. Os garotos do Ousadia demostraram uma aula de entrosamento e organização, resultado justo. Já os Galáticos, precisam reforçar no setor defensivo e principalmente na movimentação dos jogadores.

GDC se recupera no Carioca Evangélico com vitória difícil em cima de um Raridade em crescimento

Por Eduane Pereira

Na manhã de sábado, 07 de Outubro, ocorreu a terceira rodada do Campeonato Carioca Evangélico, marcado por uma excelente disputa entre os times do GDC FC e do Raridade que se enfrentaram no campo do Pau Ferro. Confronto movimentado, difícil, duro e muito intenso, resume os dois tempos do duelo entre as equipes do grupo B. Ambos os times, que vieram de uma derrota na rodada passada, entraram em campo com garra e mostraram como se faz uma bela partida de futebol.
O Raridade, que até o momento não teve nenhuma vitória no campeonato, vem crescendo durante a competição. Logo no início da partida a equipe marcou dois golaços nos rivais, mas após a expulsão do técnico, o time de verde e preto perdeu a concentração em campo, o que deu a chance para o GDC FC dominar o jogo e vencer o confronto por 7×5, com o merecimento de destaque ao goleiro e ala, o camisa 10, Josivan Júnior, que realizou suas defesas com maestria e foi essencial na vitória do time da United, de Duque de Caxias.

A partida iniciou com uma incrível jogada do Raridade, que marcou rápido o gol no primeiro tempo de jogo, com um toque de bola de Alex de Oliveira para Renan da Silva, o camisa 2 marcou um golaço em cima do time adversário, abrindo o placar para o seu time. O GDC tentou o empate com Brendo da Silva para Charles do Nascimento que chutou bonito para o gol, mas Luis Fernando agarrou em tempo. Renan da Silva aproveitou a falta de marcação do GDC e tentou seu segundo gol com um chute deitado, mas Josivan defendeu seu time.

Aos 10 minutos do primeiro tempo a equipe de camisa verde e preta marcou o segundo gol feito pelo camisa 11, Vitor Hugo, com a assistência de Wallace de Oliveira. Na sequência, Rafael Garcia, sozinho, driblou os jogadores do Raridade e marcou um belíssimo gol para o GDC FC. Renan da Silva com Wallace realizaram uma jogada estratégica e tentaram marcar o terceiro gol para o time, mas Josivan agarrou no momento exato.

Aos 18 minutos de bola rolando, o GDC encontrou a oportunidade de empatar o placar com o camisa 9, Brendo da Silva, que, sem nenhuma assistência, marcou um belíssimo gol. Na sequência, Matheus Mendes recebeu passe de Rafael Garcia e, pelo meio, o camisa 11 deu um chute certeiro na direção do gol e marcou um golaço no time rival, desempatando o placar, 3×2.

O Raridade tentou recuperar a desvantagem no final do primeiro tempo com uma bela jogada de Alex de Oliveira para Vitor Hugo que tocou muito alto para Douglas da Silva, o camisa 9 cabeceou para o gol, mas passou por cima da trave. Rômulo Guerra tentou no final dda partida marcar o quarto para o GDC sozinho, mas o goleiro do Raridade, Luis Fernando, espalmou para fora.

No segundo tempo, as equipes retornaram ao campo com jogadas mais ofensivas. Com 2 minutos, o GDC não perdeu a chance de marcar seu quarto gol com o camisa 9, Brendo da Silva, que recebeu de Matheus Mendes e cabeceou para gol. Em sucessão, Eduardo Lopes bateu escanteio para Luiz Henrique que marcou um golaço nos adversários, 5×2.

O time de verde e preto tentou uma jogada inteligente com Vitor Hugo e Diego de Azevedo na tentativa de marcar seu terceiro, mas Luiz Henrique roubou a bola antes que a dupla chegasse ao gol. Diego de Azevedo tentou novamente marcar para o seu time, o camisa 13 tocou para Douglas da Silva que chutou forte para gol, mas o camisa 10, Josivan Junior, defendeu bonito, não dando chance para o Raridade.

Aos 10 minutos do segundo tempo Eduardo Lopes aproveitou a falta de marcação pela lateral e, com habilidade, marcou o sexto gol para o seu time, sem assistência. O GDC fez uma troca no gol e isso acabou dando ao Raridade a chance de marcar o seu terceiro gol. Renan da Silva chutou deitado e fez um golaço para o time de Vila Norma.

Aos 20 Minutos de bola rolando o Raridade marcou seu quarto e quinto gol no GDC FC, Alex de Oliveira sem assistência driblou os adversários e marcou um golaço, logo após foi a vez de Diego da Silva marcar o quinto gol no time de laranja e preto. O GDC FC percebeu que errou na troca de goleiros e colocou o craque do jogo novamente em baixo das traves.

O time do Raridade encontrou dificuldade em campo com o camisa 10 do GDC no gol, um verdadeiro paredão. Ou, melhor, uma MURALHA! E sem piadas. Douglas da Silva tentou empatar o jogo nos minutos finais com um belo chute, mas Josivan foi mais rápido e espalmou para fora. Já Rafael Garcia aproveitou melhor o final da partida para o seu time e deu um passe perfeito para o camisa 8, Charles do Nascimento, que marcou um belo gol, encerrando o confronto em 7×5.

O jogo finalizou com a vitória do GDC FC por 7×5, com o merecido destaque ao camisa 10, Josivan Junior, que é ala no time, mas atuou como goleiro e teve um ótimo desempenho e defendeu firmemente o seu escudo. Ambas as equipes fizeram uma boa partida, jogo equilibrado, acirrado e justo, mas o GDC, que no maior tempo do jogo viu o adversário melhor no duelo, foi mais feliz nos arremates e acabou tendo em Josivan o grande motivo de sua segunda vitória no Carioca.

Na próxima rodada, dia 21, o GDC enfrenta o Partidários e o Raridade encara o Resgatando Ovelhas.

E que venha mais: William, craque da 2ª rodada do Carioca Evangélico, que largou o futebol profissional para se tornar Pastor, aposta no bicampeonato do Israel da Bola

Por Diogo Priori

    Um driblador rápido e de jogo inteligente.   Assim Willian, atacante de personalidade forte do Israel da Bola se auto-define.   Com a mesma objetividade que analisa o desempenho de sua equipe, o melhor jogador da rodada anterior se mostrou novamente solícito a reportagem e enalteceu sua equipe com a mesma cautela e (alguma) modéstia que resultou na conquista do último Campeonato Evangélico em cima de um favorito Partidários..

Sacrifício do sonho profissional e alto desempenho

“Joguei futebol profissionalmente até os 18 anos e parei para ser pastor. Depois fiquei seis anos sem jogar bola e era só pelada… de um ano e meio pra cá criamos ministério de futebol, e temos pregado a palavra atraves dele. Foi uma surpresa ser craque já que estava três semanas sem jogar e nem ia pro jogo já que consegui minha liberação em cima da hora.   Estava com muita vontade de jogar e isso me ajudou a prevalecer em campo, dois gols, bola na trave, drible, elástico debaixo das pernas… fiquei feliz por ser o craque da rodada”

Boa fase e união do grupo

“Me considero rápido, driblador e inteligente para o jogo. Meu ponto forte é o drible e a visão de jogo.”

“Nosso ministério está forte.  Estamos com novos atletas e como não poderemos contar com todos os jogadores durante o campeonato um revezamento é esperado.  Não chamamos pelo futebol e sim pelo compromisso, tem sido muito legal e com um elenco muito maior.  Ninguém sai da sua casa, longe, para brincar, estamos querendo ser bicampeões.”

Favoritos a mais um título?

“Acho que somos concorrentes normais, fomos campeões devido a humildade do elenco, cada jogo é um jogo e o elenco é forte.  Temos bons jogadores e queremos ser campeões de novo, o que não quer dizer que somos favoritos.”

Destaques e novos reforços

“Somos um corpo, não tem um que se destaque, se você reparar é isso que faz a diferença na nossa equipe.”

“A galera nova a gente já conhece e já está acostumadoa ver jogar, jogar junto é outra coisa… acredito que vão somar. No último campeonato sofremos com um elenco curto e não queremos passar por isso novamente.”

De olho nos adversários?

“Sem desmerecer, e é sempre bom colocar dessa forma, não temos tempo para olhar as outras equipes.  O Partidários é um bom time, enfrentamos eles na final, respeitamos nossos adversários, mas olhamos mais para nós.  Com todo respeito.”

 

 

 

Do desânimo no futebol profissional ao brilho no Carioca Evangélico: Cleiton, do União IBV, craque da primeira rodada.

Por Marcio Nunes

A volta por cima de Cleiton, melhor da 1º rodada da 5º edição do Carioca Evangélico 2017

A vida está sempre nos pregando peças que nos fazem rir e chorar ao mesmo tempo, mas temos a consciência, e aprendemos com o tempo, que tudo o que vivemos nada mais é do que uma lição diária para que possamos conquistar aquilo que desejamos e construir um futuro que nem sempre será do que jeito que sonhamos, mas que certamente será tão bom quanto imaginamos em cada momento de adversidade.

O Cariocão Evangélico apenas começou, mas já deixou bem claro que sua 5º edição será memorável. O primeiro a cravar as travas da chuteira e deixar sua marca no gramado sagrado foi Cleiton, ala do União IBV FC, ao marcar dois gols na estreia, sendo o primeiro uma pintura em jogada individual. Seu time garantiu a vitória em sua primeira partida em competições e saiu na frente em seu grupo.

A jovem estrela de 23 anos, morador de Santa Cruz, ainda mora com os pais, mas engana-se quem pensa que ele se acomodou com isso. Dono de seu próprio negócio, Cleiton trabalha com marcenaria desde os 18 anos, quando abandonou o futebol profissional. Na época, defendia o Juventus FC, time de pouca expressão da zona oeste do Rio de Janeiro, mas ficou desanimado por não jogar em um clube grande, desistindo de seu maior sonho. Ele pode ter desistido de ser um jogador profissional, mas abandonar o futebol é algo que, definitivamente, não passou pela sua cabeça.

Atleta em tempo integral, Cleitin, como é chamado, pratica o futebol society participando de competições, se dedica ao futevôlei com os amigos nos dias de folga e ainda sobra tempo pra ser carioca, curtir uma praia e pegar umas ondas. A quem interessar possa, o rapaz está solteiro. Atualmente apenas trabalha, mas pretende ingressar na faculdade para cursar educação física.

Em entrevista exclusiva para a nossa equipe, Cleiton falou um pouco sobre suas expectativas no campeonato, ídolo no futebol e fez uma autoavaliação sobre suas principais características. Confira a entrevista:

CC: Qual a sensação de ser eleito o jogador da rodada logo na sua estreia?

Cleiton: É uma sensação boa. Eu não esperava por isso. Eu só dei o meu máximo pra sair com a vitória e fiquei muito feliz por ser eleito o jogador da rodada.

CC: O União IBV é uma das equipes que fazem sua estreia nesta 5º edição do Carioca Evangélico, então os adversários não sabem o que esperar. Você acredita que esse “fator surpresa” pode fazer a diferença?

Cleiton: Acredito, sim, que isso pode fazer a diferença e espero que ajude a gente nessa competição que está apenas começando.

CC: Qual sua expectativa para este torneio?

Cleiton: Já ouvi falar muito desse torneio (Carioca Evangélico) e sei que é muito disputado até o fim, então eu espero que meu time consiga se classificar bem e manter a concentração até o final.

CC: No último jogo você demonstrou habilidades individuais e coletivas, além de marcar dois gols. Qual, na sua opinião, é o seu principal atributo?

Cleiton: Sou bom nos dribles e nas jogadas coletivas, mas minha principal característica é a finalização.

CC: Qual o seu maior ídolo no futebol?

Cleiton: Messi.

CC: Qual seu maior sonho?

Cleiton: Meu sonho era ser jogador, mas se foi quando eu tinha 18 anos.

Projeto IDE mostra muita garra e vira pra cima do Barcelife na segunda rodada do Carioca

Por Miguel Oliveira

Pela segunda rodada do Campeonato Carioca de Igrejas Evangélicas, o Projeto IDE, que fez sua estreia já que o jogo da semana passada foi adiado, derrotou o Barcelife por 3×2 e começou sua primeira participação no Carioca de forma positiva. Os gols do time vencedor foram marcados por Edson, Marlon e Rodrigo, este o craque do jogo. Para o Barcelife, que voltou a jogar bem, mas ainda não conseguiu sair de campo pontuando, marcaram Erinaldo e Filipe.

O primeiro tempo de jogo mostrou duas equipes muito bem organizadas e focadas na busca pelos três pontos. O Projeto IDE marcou logo no início com Rodrigo. O time de Campo Grande foi mais incisivo nos primeiros minutos e merecia a vitória. A dupla Marlon e Rodrigo se destacava de forma muito afinada em campo. Mas não tardou para o Barcelife equilibrar as ações e começar a ameaçar o gol adversário. Jogando um futebol bem dinâmico, o time de Piedade conseguiu, aos poucos, vencer a marcação bem feita do IDE e o empate virou apenas uma questão de tempo. Ele veio após Erinaldo aproveitar bem um rebote e mandar para o fundo das redes. 1×1. Nessa altura o empate já era o resultado mais justo, mas como no futebol as equipes não querem justiça e sim vitórias, tanto Barcelife, quanto Projeto IDE continuaram em busca da vantagem.  Por falar em justiça, ela seja feita ao sistema defensivo de ambos os times que conseguiu se sair muito bem frente aos talentosos jogadores de ataque dos protagonistas da partida. O 1×1 foi mesmo o resultado da primeira etapa.

A segunda etapa nos trouxe um jogo bem diferente do primeiro, onde quem mais dominou não levou. O futebol encanta exatamente por isso, por ser o esporte mais imprevisível de todos. Mostrando que não tem apenas no nome o DNA do Barcelona espanhol, o Barcelona de Piedade, mais precisamente da Vida Nova (Life), voltou com tudo do intervalo. Envolvente no toque de bola e muito consistente na marcação, principalmente no setor de meio campo, o Barcelife fez tudo certo para construir sua primeira vitória no Carioca e virou o marcador após Erinaldo, o melhor da equipe, assistir Filipe e este mandar para dentro da rede do IDE pela segunda vez na partida. 2×1. Esse gol fez muito bem ao time da Zona Norte que continuou dominando as ações e bem próxima de chegar ao terceiro. No entanto, um detalhe tem o poder de definir o todo e mudar seu rumo. Marlon, o cara do duelo, fez uma bonita jogada individual e “achou” um gol para o Projeto IDE. E que achado, amigos! O empate fez muito bem ao time da Zona Oeste e marcou profundamente o time que vencia. A partir daí, o jogo se reequilibrou, o IDE se reencontrou no duelo e o Life perdeu um pouco o ímpeto. Foi então que numa falta, Marlon deu o passe decisivo para o gol de Edson que deu a vitória o guerreiro time do Projeto IDE. 3X2

O maior mérito do Projeto IDE foi a garra com que atuou na segunda etapa, garra essa que superou o melhor futebol do adversário. O Barcelife, por sua vez, pela segunda vez mostra bom futebol, mas faltou o que sobrou nos seus dois adversários até então no Carioca: Vontade de vencer.

Na próxima rodada, no dia 7 de outubro, o Projeto IDE enfrenta o MR FC e o Barcelife encara o Israel da Bola, atual campeão do Carioca.

Missionários derrota Partidários pela primeira vez na história e se recupera no Carioca

Por João Godoy

Em jogo rápido, com viradas e muitos gols, Partidários e Missionários fizeram uma bela partida ao anoitecer do Pau Ferro. Com 15 gols no duelo, as equipes lutaram para sair com a vitória do embate. O Missionários, que saiu atrás do placar, levou a melhor e venceu por 8×7.

1º Tempo

Logo no início da partida, aos 2 minutos, o Partidários abriu o placar com um belo chute no ângulo de Lucas, camisa 10 da equipe. O time da PIB de Bento Ribeiro já estava na frente do placar, em jogo super veloz e com um Missionários ligado também. Logo na sequência, aos 3 minutos, Leonardo cruzou a bola e Luiz, camisa 7, empatou de cabeça o placar para o Missionários. Aos 5 minutos, em erro da zaga do Partidários, Paulo Cesar roubou a bola e virou a partida para o Missionários. A partir da virada, a equipe de Belford Roxo conseguiu o controle da partida e passou a jogar melhor. Aos 18 minutos, o Partidários voltou ao jogo com Michael e um belo chute de fora da área, empatando o duelo. Logo depois, aos 23, em outro erro individual do Partidários, Marcos, camisa 9, bateu colocado e colocou o Missionários a frente novamente. Na sequência do gol, Partidários empatou com Michael, agora, de cabeça dentro da pequena área, 3×3.

2º Tempo

Iniciou o segundo tempo, e o Partidários voltou atacando, Diogo abriu para Michael, que bateu e o goleiro adversário fez boa defesa. E quem marcou primeiro na etapa final foi o  Missionários, aos 7 minutos, com passe de Tiago para Luiz, que driblou o zagueiro e colocou por cobertura, marcando um belo gol. Seguia 4×3 Missionários, quando aos 8 minutos, Tiago recebeu a bola e marcou mais um gol para sua equipe, aumentando a vantagem para 5×3. Aos 15 minutos, o Partidários foi ao ataque com Dan, que chutou e contou com desvio da zaga, a bola sobrou para Lucas que diminuiu e anotou 5×4 no placar. Em seguida, aos 16, o Missionários aumentou a vantagem novamente com Marcos, camisa 9, que bateu no ângulo e faz 6×4. O ritmo da partida não diminuiu, aos 17 minutos, Lucas achou Michael, que com um lindo chute de média distância, fez um golaço e diminuiu para 6×5. Sem deixar o Partidários comemorar o gol, Tiago, camisa 17, fez mais um e colocou o placar em 7×5. Na sequência, Lucas, camisa 10, fez o sexto gol do Partidários, diminuindo para 7×6 o placar. Aos 23 minutos, o Missionários fez seu último gol, com Marcos. No final da partida, o Partidários conseguiu diminuir ainda mais o placar, com seu camisa 10, Lucas, novamente marcando um gol. Mas, não deu tempo para mais nada e o juiz apitou o final da partida. Missionários venceu o Partidários por 8×7.

Na próxima rodada o Missionários enfrenta o Resgatando Ovelhas e o Partidários joga contra o Vivendo em Triunfo.

Talentos da Fé derrota Ousadia com tranquilidade e vence a segunda consecutiva no Carioca

Por João Godoy

Vontade é uma palavra que não faltou no duelo entre Talentos x Ousadia. As duas equipes fizeram uma partida bem intensa, com muitas faltas e lances de efeito. O Talentos mostrou-se superior ao Ousadia e venceu por 6×2.

1º Tempo

A partida iniciou com as duas equipes buscando abrir o placar, mas quem abriu o marcador foi o Ousadia. Em saída errada de bola da zaga do Talentos, Carlos, camisa 19, roubou e fez o primeiro gol da partida, 1×0 Ousadia F.C. Logo depois, o Talentos igualou o placar, com gol de João Pedro, camisa 4. O Ousadia respondeu e levou perigo à meta do Talentos. Marlon, camisa 14, recebeu e chutou na saída do goleiro, que fez a defesa. Aos 8 minutos, o Talentos virou a partida, em bela assistência de Diogo para Leonardo, que completou para o fundo da rede, 2×1 Talentos da Fé.  O Ousadia tinha um bom contra-ataque e não conseguia converter em gols, enquanto a equipe do Talentos mostrava qualidade na troca de passes, buscando aumentar a vantagem. Com uma boa dinâmica de seus meias, o Talentos aumentou a vantagem em 3×1, novamente com assistência de Diogo, agora para Rico fazer o seu gol e tranquilizar o jogo.

2º Tempo

O tempo final começou com o Talentos tomando a iniciativa e indo ao ataque. Após belo passe de Rico, o atacante Tiago bateu colocado e a bola acabou saindo. Aos 4 minutos, o Talentos anotou seu quarto gol na partida, Tiago fez belo pivô e encontrou Leonardo que aumentou o placar para 4×1. O Ousadia abusava das faltas e das reclamações com o juiz, não conseguia se encontrar na partida e deixava o Talentos cada vez mais com o controle do jogo. Aos 6 minutos, Douglas aproveitou erro da zaga do Talentos na cobrança do lateral, desviou a bola e diminuiu para 4×2. O time de Jacarepaguá tentou muitas vezes no ataque na busca do empate, mas não era o dia de sorte do 3º lugar do Carioca passado. Aos 24 minutos, a equipe do Ousadia estourou o limite de faltas, dando o shout-out para  o Talentos; Diogo, camisa 9, com categoria fez 5×2 para sua equipe. No final da partida, Gui, camisa 12, fechou o caixão do Ousadia e a partida terminou em 6×2 para o Talentos da Fé.

Na próxima rodada, a terceira, o Talentos da Fé pega o IBP FC e o Ousadia enfrenta o Galáticos da Catedral.

Resgatando Ovelhas se recupera da derrota na estreia e vence GDC FC na segunda rodada do Carioca

Por Izabela Vieira

Aconteceu neste sábado, 23, em uma tarde de sol forte, a segunda rodada de jogos da 5° edição do Campeonato Carioca Evangélico. O duelo entre as equipes da cidade de Duque de Caxias, GDC FC e Resgatando Ovelhas, foi realizado no Clube Pau Ferro FC, na Freguesia, em Jacarepaguá.

As equipes representantes do grupo B fizeram uma partida equilibrada, emocionante e repleta de gols. O estreante Resgatando Ovelhas, que veio de uma derrota na última rodada, mostrou toda sua garra e talento, e venceu a partida por 6 X 4, de virada em cima do GDC.

O jogo contou com aquele enredo que todo mundo que gosta de um bom futebol tem o prazer de ver.  O clima quente não era só por conta do sol forte, o jogo teve um início pegado, com uma maior posse de bola do GDC, que aproveitou para abrir o placar com o camisa 10, Allan Vianna, que recebeu passe pela direita do camisa 5, Rafael Garcia. Logo em seguida, para felicidade do time laranja, Jean Cabral, camisa 13, do Resgatando Ovelhas,  em um descuido na grande área, marcou um gol contra para tristeza do seu time. Mas o time vermelho não desanimou, muito menos o Jean, e no final do primeiro tempo, ele marcou seu primeiro gol com assistência do camisa 11, Cássio Almeida, diminuindo a diferença para o Resgatando Ovelhas seguir em busca do empate na etapa final.

O segundo tempo começou, ainda mais disputado e o empate do RO não demorou a sair,  graças ao camisa 10, Iago Bezerra, que, em jogada individual, deixou tudo igual na partida. Mas o empate não durou muito, Brando Silva, camisa 7 do GDC, marcou o terceiro gol do seu time, com passe do camisa 12, Júlio César. Faltando menos de 10 minutos para o final do jogo, Jean Cabral recebeu passe do camisa 8, Robson Santos, e fez um belo gol de placa. Tudo igual novamente no Pau Ferro FC. Rômulo Guerra, camisa 11 do GDC, em jogada individual e boa pontaria, marcou o quarto da equipe. O Resgatando Ovelhas não aceitou ficar para trás e empatou novamente, com gol do camisa 7, Rafael Mendes, e passe do camisa 3, Warley Sousa. Com tudo empatado, mais uma vez, o GDC ameaçou passar no placar, com duas bolas na trave. Porém, como já é do conhecimento de todos, bola na trave não altera o placar. Logo em seguida, o GDC também teve o desprazer de fazer um gol contra, quando o goleiro realizou um lançamento de bola, mas por ironia do destino, a bola rebateu na cabeça do camisa 11, Rômulo Guerra, e voltou em cheio para balançar a rede, fazendo com que o Resgatando Ovelhas passasse a frente no placar pela primeira vez no jogo. Allan Vianna, do GDC, tentou o empate em jogada individual, mas o goleiro do Resgatando Ovelhas fechou o gol. No ultimo minuto de jogo, para fechar com chave de ouro, Cássio Almeida recebeu um cruzamento do camisa 9, Rodrigo Oliveira, e marcou o sexto gol pela sua equipe, garantindo a vitoria por 6 x 4.

O destaque no clássico de Caxias, foi o camisa 13, Jean Cabral, do estreante Resgatando Ovelhas, que, além de marcar dois belos gols e realizar bons passes, demonstrou garra e persistência durante toda a partida.

Na próxima rodada, dia 7 de outubro, o Resgatando Ovelhas enfrenta o Missionários e o GDC pega o Raridade.