Matheus Piu volta a fazer dez gols e Ágape goleia Ousadia, se garantindo nas oitavas do Carioca Evangélico

Por Diogo Priori

O tempo nublado que pairava sobre a tarde de sábado não intimidou o Ágape. Agressivo, contundente, mortal e vindo de uma convincente virada de 21 x 1 na última rodada, os azuis do Recreio aproveitaram o atraso de 15 minutos do time adversário para se aquecer e cuidar dos últimos ajustes de posicionamento. O time que tem como destaque a dupla Matheus Piu e Michel, não dependia apenas dos dois para mostrar seu jogo, que se desenvolvera com muita fluidez, passes curtos porém objetivos, deixando claro um entrosamento bem maior que o do adversário

Já o Ousadia FC, então vice-líder do grupo C, aparecia na posição de franco-atirador, na tentativa de parar um goleador e ofensivo adversário.

Já com a bola rolando, o Ágape tomou a iniciativa desde o primeiro minuto de jogo, quando Michel, principal articulador da equipe de azul, achou Matheus Piu, que dividiu com o goleiro, num golpe de azar para o defensor, batendo em suas costas e abrindo o placar para os líderes do grupo C com menos de um minuto de jogo. 1×0 Ágape, e era só o começo.

Embalado, o time azul abusava de jogada pelos lados, aproveitando um Ousadia atabalhoado (vale lembrar que jogaram com um a menos por conta do atraso do jogador em chegar a tempo do início do jogo) e sem a concentração e posicionamento desejados. Ficou fácil de achar Piu, que conseguiu fazer o mais difícil: Driblar o goleiro e chutar para fora na sequência.

Muito apático, o Ousadia custava para encaixar a marcação, dando espaço para Kayque, sempre atento e eficiente na marcação se deslocar ao ataque e acertar um belo chute cruzado, obrigando o goleiro Luiz a trabalhar intensamente já no início do jogo. E foi ele quem achou Piu, artilheiro incansável, para marcar o segundo do Ágape e seu segundo de muitos que viria a fazer na partida, em um bonito chute aproveitando uma das raras brechas que o Ousadia deu pelo meio de sua defesa.

Importante citar também que Michel, um dos articuladores mais ativos na partida, a todo momento vinha buscar a bola e ditar o ritmo do time, sendo ele o responsável por armar as maiores jogadas de perigo e trabalhar. Além de uma boa visão de jogo e posicionamento, Michel levou muito perigo ao gol de Luiz, fazendo-o espalmar de forma categórica em uma cobrança de falta com mais potência que técnica. Em seguida, em uma jogada muito bem trabalhada, serviu Matheus Piu, com facilidade, fazer o hat-trick e se isolar ainda mais na artilharia do campeonato. 3×0 Ágape.

Piu estava tão confiante com sua excelente fase que abusou do preciosismo na hora de finalizar, arriscando uma letra facilitando a vida do preocupado goleiro após linda assistência do camisa 9 e sempre participativo Marcus. O alívio para o Ousadia, porém, não durou muito. Aos 14 minutos de jogo, Marcus colocou Michel na cara do gol, para com muita calma e categoria, finalizar no canto esquerdo do goleiro Luiz.

O Ousadia não passava pelo meio, não conseguindo estabelecer um convincente e objetivo toque de bola. Passes curtos certos eram raros, o time insistia em bolas mal enfiadas e longas para Igor Barbosa. Se aproveitando do contra-ataque, Marcus seguiu em direção ao gol adversário e, em uma boa jogada individual, chutou cruzado obrigando o arqueiro a se esticar e defender com segurança.

Com o fim do primeiro tempo (4×0 no placar parcial), constatava-se que apenas um time entrara em campo, com mais garra e, principalmente organização, tomar partido do jogo não foi uma tarefa das mais difíceis para o Ágape.

Com o gás renovado após o breve intervalo, os times trocaram de lado, não de postura. A equipe do Recreio voltou a sua condição de franco atiradora já com Marllon, que nem esperou completar 30 segundos para dar seu primeiro arremate. Destaques do Ágape para Júlio, Kayque e Moisés, bem na marcação.

Mas foi ele, o artilheiro Matheus Piu, quem marcou o quinto do Ágape aos 2 minutos da segunda etapa em bonita jogada individual pelo meio, setor não tão explorado no primeiro tempo.

Após o quinto gol, o Ousadia melhorou e resolveu se lançar ao ataque.

Thiago, por duas vezes, conseguiu levar perigo ao goleiro Junior com um ótimo chute obrigando-o a fazer sua única defesa difícil até então na partida, não demorando três minutos para, caprichosamente, acertar a trave; chance que fora muito lamentada por ele e seus companheiros.

Igor Barbosa, destaque do Ousadia e endereço das constantes bolas longas, mostrou poder de finalização ao descontar o placar em uma bela cobrança de falta. 5×1.

Após o gás inicial, o Ousadia já dava sinais de cansaço e afrouxava a marcação por acelerar muito o ritmo de jogo nos primeiros oito minutos do segundo tempo. Dando novamente espaço para o Ágape voltar a exercer pressão no campo adversário. De Kayque, com sua segunda assistência, para Piu, de Piu para o gol e um bonito chute cruzado. 6×1 e o impiedoso artilheiro já fizera seu quinto tento, servindo ainda Michel para desperdiçar cara-a-cara com o terceiro goleiro que o Ousadia trocara na partida.

Guilherme, do Ágape, recebeu cartão após forte entrada, abrindo espaço para Marcus voltar à partida e incendiar mais o jogo. O camisa 9 não decepcionou e, com um minuto em campo, achou o artilheiro Matheus, que após linda matada de bola, arrematou seu sexto. 7×1 para o Ágape e contando. O baile estava formado.

Desencontrado, o Ousadia não encaixava mais a marcação. Marllon com muita facilidade achou Piu, marcando o oitavo da partida. O artilheiro ainda tabelaria com Michel na jogada mais bonita do jogo até aqui, terminando no nono gol da equipe. Ataque x Ataque era a estratégia (ou a falta dela, nessa altura do jogo).

Matheus Piu, letal goleador, já passava fácil pela marcação adversária que nem mais o acompanhava.  Viria a marcar mais dois em seguida com auxílio do competente e esforçado Marcus, que também deixara o dele em uma jogada de muita raça e insistência.

Fechando o placar, o artilheiro do time e do campeonato finalizara sua exibição de gala completando impressionantes dez gols na partida.

Símbolos de um time entrosado e bastante ofensivo, Michel, Piu e Marcus dominaram os movimentos da equipe, que ainda contaram com batalhadores e incansáveis Marllon, Moisés e Renan.  É certo que, se mantiverem o nível das últimas atuações, o Ágape será um time cada vez mais difícil de ser parado.

O Ousadia, visivelmente sem o entrosamento necessário, não encaixava a marcação e passes curtos eram impedidos por uma marcação bem feita do time adversário. A única válvula de escape eram as bolas longas, sendo Igor Barbosa, o camisa 10 e mais talentoso do plantel que tentava, em vão, achar um espaço na arrumada defesa.

Melhor do jogo:

Matheus Piu – Artilheiro absoluto do campeonato, 10 gols traduzem o que foi a atuação do atacante.

Menção honrosa:

Igor Barbosa (Ousadia FC) – Sempre combativo, pecou pela falta de entrosamento do time, mesmo assim, foi o destaque solitário de um time atordoado.

Michel (Ágape FC) – O articulador do time, esteve incansável na armação e concretização de jogadas com duas assitências e um gol.

Marcus (Ágape FC) – Melhorou no decorrer da partida, ditou o ritmo no final do jogo e foi premiado com três assistências e um gol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *