Newell’s Aposentados Boys derrota Galáticos FC na final e se consagra como o primeiro campeão do Carioca Católico

Por Marcio Nunes

Dois times. Uma final, a primeira. 50 minutos para decidir quem escreveria seu nome na história como o primeiro campeão do Carioca Católico de Futebol Society. Newell’s Aposentados Boys e Galáticos FC já entraram em campo como os primeiros finalistas de um torneio que ainda tem muita coisa pra contar, mas como já sabemos, só há espaço para um no lugar mais alto.

E essa decisão ocorreu em um velho conhecido nosso: o Campo 3 do Pau Ferro Futebol Clube. Uma tarde onde o sol apareceu, mas com respeito, acompanhado de uma brisa invernal que deixou o clima perfeito para uma final de campeonato. Ah! Se todas fossem assim! O Newell’s, que de aposentados não tem nada, saiu da Vila Kennedy, levou sua torcida e entrou em campo com um belo uniforme preto com detalhes em azul. Os “galáticos” saíram de Duque de Caxias para lutar pelo caneco, mas não levaram torcida para focar apenas no jogo.

 

O Jogo

 

Assim que a bola rolou o Newell’s não deu espaço, marcou no campo de ataque e abriu o placar. Lucas roubou a bola na entrada da área, arriscou o chute de longe e acertou o ângulo para inaugurar o placar em grande estilo. Após o gol o jogo esfriou com as duas equipes se estudando e o Galáticos FC tentando se organizar em campo para não vacilar novamente. Foram 15 minutos de muito toque de bola e, vez ou outra, uma das equipes se aventurava no ataque, mas sem muito sucesso.

Enquanto o time de Caxias tentava pelo alto, os garotos da Vila chegavam com a bola no chão, mas a pontaria não estava das melhores. O Newell’s chegou com perigo, mas os jogadores do Galáticos se atiravam na frente da bola para evitar o gol, o goleiro contava com a sorte e a chance de a vantagem no placar ser aumentada era maior que a de um eventual empate. E foi justamente o que aconteceu. Darlan, o craque da partida e do campeonato, pegou uma sobra dentro da área após cobrança de corner, viu o goleiro Djonata, no reflexo, fazer o desvio e assistiram juntos a bola entrar lentamente, como diria o poeta, “com requintes de crueldade”.

Para fechar a primeira etapa com emoção, o Galáticos foi ao ataque e o que vimos foi inacreditável. Airton puxou contra-ataque, deixou para a perna esquerda na entrada da área, mas Irving fez o corte na última hora, a bola sobrou para Alessandro, que arriscou de primeira e viu o goleiro Amadeu espalmar para frente, nos pés do próprio Alessandro que, na terceira tentativa, viu Diego impedir que a pelota parasse no fundo do gol. Foi o fim de um primeiro tempo com poucos gols e que reservou o melhor para o final. Newell’s Aposentados Boys 2 x 0 Galáticos FC.

As equipes voltaram com outra postura para a segunda etapa. Os duquecaxienses colocaram pressão para tentar reverter o placar. Airton acertou um chute dentro da área, à queima roupa, mas o goleiro Amadeu fez a defesa do campeonato com a mão direita. E de tanto insistir, foram premiados. Cruzamento na área, Alessandro meteu a cabeça na bola e não teve goleiro para fazer milagre dessa vez. Mas o time da Vila kennedy jogou um balde de água fria nas esperanças rivais. Cruzamento na área, Lucas acertou um voleio, mas errou o gol e a bola bateu em Darlan para balançar a rede. Campeões também precisam de sorte.

E a partida poderia ter ficado mais quente quando Bruno colocou a mão na bola dentro da área e o árbitro assinalou pênalti contra o Newell’s. Na cobrança, Airton, com o “Selo Baggio de Qualidade”, mandou por cima da meta e jogou fora a chance de encostar no placar. Não bastasse o golpe de perder uma penalidade na final, o Galáticos sofreu as consequências com o segundo golpe. Na saída de bola, um ataque rápido do Newell’s, lançamento na frente e Leandro se antecipou ao zagueiro, deu um toque na bola na saída do goleiro e marcou de cobertura o quarto gol.

O time de Caxias passou a se escorar no regulamento para tentar evitar o revés. Após mais uma falta do time de preto, o árbitro marcou um Shoot Out e, dessa vez não desperdiçado. Leonardo foi para a cobrança e bateu rasteiro, por baixo do goleiro. Só que ficou nisso mesmo. Os “aposentados” seguraram o resultado sem mais faltas e fizeram a festa. Com direito a fumaça azul o caneco foi para a Vila Kennedy que, em meio a tantos problemas sociais, pode se orgulhar de seus garotos e ver nascer um belo exemplo para outros jovens “futuros aposentados” dentro do futebol.

O Newell’s entrou visivelmente mais entrosado e disposto a vencer diante de sua torcida. Um time que jogou para vencer e ter a oportunidade de investir o prêmio em uniforme para a disputa de outros campeonatos saiu de campo com a certeza de que os sonhos seguem cada vez mais vivos. Os “aposentados” do futebol profissional mostraram que o jogo só termina quando o juíz apita, não quando as portas do profissionalismo são fechadas ou o corpo não aguenta mais os 90 minutos. São os novos talentos que brilharam e ainda vão brilhar muito mais nos campos do Pau Ferro, incentivando talentos futuros e dando esperança à comunidade a sua volta. Aos vice-campeões resta sair de campo de cabeça erguida. Perder uma final pode ser doloroso, mas não pode esquecer que o segundo colocado só ficou atrás apenas de uma equipe. Chegar à final do primeiro torneio é um feito digno de orgulho.

Porque futebol nunca foi, não é e jamais será apenas um esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *