Parábola derrota Maanaim e se classifica como segundo do grupo B para as Quartas do Carioca

Por Lucas Bichão

O lanterna contra o vice-líder da chave. O time que cedera 33 gols até a 4ª rodada do Carioca enfrentando um grupo com uma média de gols de 4.25 por partida. Esses eram os números expressivos que antecipavam o duelo entre Maanaim FC e Parábola FC, em jogo válido pela 5ª rodada do Campeonato Evangélico 7ª edição.

Antes de pisar em campo, a responsabilidade estava toda em cima do Parábola. A derrota poderia lhe custar a 2ª posição no Grupo B, pois o terceiro colocado encontrava-se 3 pontos atrás, mas com uma vitória empataria neste quesito e poderia abrir vantagem no saldo de gols (até a 4ª rodada de 3 para cada um deles).

Apesar do desinteresse inicial, o time de vezes xadrez (preto e azul-arroxeado) emplacou uma boa vitória por 11 a 7. O triunfo garantiu a vice-liderança e uma classificação mais confortável para a próxima fase.

O esboço de uma goleada indiferente

O Maanaim entrara em campo completamente eliminado do Campeonato. Após uma campanha inexpressiva, sendo a pior defesa do grupo, não havia mais qualquer expectativa para a 7ª edição do Carioca. Por sua vez, o Parábola pisara no gramado com o corpo mole e indiferente a possibilidade de perder a segunda posição em caso de derrota.

Nesse confronto de desinteressados, curiosamente uma partida repleta de gols foi se desenhando. Como um artista que não espera nada de sua próxima criação, o Parábola foi rabiscando ainda nos primeiros 15 minutos um 4 a 0 que poderia vir a ser uma goleada. J. Valadão fora autor de 3 desses tentos, aproveitando-se da fragilidade do goleiro adversário. O camisa 9 ainda deu uma assistência “indesejada” para Felipinho, em lance no qual tocou por cobertura sobre goleiro e seu companheiro acabou por roubar o gol no último segundo.

Os Azuis-Turquesa até tentaram conseguir uma vitória na última partida que realizariam por esta edição, como um prêmio de consolação e para não levar o famoso “gato” das mesas de cartas (quando não se obtém nenhum ponto dentro de uma sequência de partidas). Atingiram a marca de 4 tentos bem-sucedidos, todos eles marcados pelo imponente e forte Luiz Felipe, que pouco depois ainda cederia um passe para o 5º gol. Porém, o Parábola não se manteve parado e fizera mais 3, ainda na primeira etapa.

Ao apito que indicava o fim dos primeiros 25 minutos jogados, a mesa marcava 7 a 5 para o vice-líder da chave.

O bom resultado que esconde as falhas

O segundo tempo não fora tão agitado quanto o primeiro, tanto na questão do número de gols quanto na do ímpeto que equipes demonstravam em campo. O clima absorto dos minutos iniciais da partida perdurou, gerando tema para debate no banco do Parábola. Alguns membros do time estavam inconformados com a postura irrelevante e dadas falhas defensivas realizadas principalmente nos 4 gols iniciais do Maanaim.

O time Xadrez chegou a ampliar o placar fazendo mais 4 gols, sempre com participações de J. Valadão, Dentinho ou Felipinho. Mas, a sensação era de que poderiam ter feito mais contra um time já eliminado e lanterna da chave. A defesa do Parábola ainda cedeu dois gols para os adversários, um deles com muito mérito de Stefany. O ala conseguiu acertar a quina das traves, tirando qualquer chance de o goleiro pensar em chegar nela.

Com 11 a 7 ao seu favor, seria indiscutível dizer que o time conseguiu um bom resultado para a campanha quase impecável de 80% no Grupo B. Porém, segundo o próprio destaque da partida, J. Valadão, o Parábola precisa rever alguns detalhes:

“Hoje nós tomamos sete (7) gols e fizemos onze (11), mas se você for analisar a proporção de gols pro e gols contra, tem uma discrepância muito grande. Por que eu digo isso? A equipe não está conseguindo administrar os gols que tem feito a favor.”

A fala do camisa 9 pode ser transferida para os números obtidos no campeonato. O time obteve apenas o terceiro melhor ataque (22 gols pro) e a terceira melhor defesa (21 gols contra), do grupo. A vantagem em pontos foi conseguida no confronto direto com o Sete Vezes Mais (3ª colocado), porém os bons resultados não podem esconder os déficits que o time ainda tem. Afinal, qualquer erro na próxima fase poderá custar a vida do time no campeonato.

Notas Relevantes:

  1. Valadão (Parábola FC | Pivô) – 9,0: foi o centro das atenções de sua equipe e nos minutos iniciais se teve a sensação de que apenas ele marcaria no jogo contra o Maanaim. Essencial para o esquema de transição rápida, ao movimentar-se bastante do meio para frente.

Felipinho (Parábola FC | Meia) – 8,0: outro destaque do Parábola, que fez boa dupla com o camisa 9. Foi oportunista e soube cadenciar o jogo tanto pelo centro quanto pelas pontas.

Luiz Felipe (Maanaim | Meia) – 8,0: classificado como meia no site do campeonato, mas atuou como um clássico pivô. Pouco voltou para a marcação, mas ofereceu combate aos adversários do meio para frente. Foi em uma dessas tentativas em que conseguiu roubar a bola para fazer o 3º do Maanaim na partida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *