Partidários: Finalista mais uma vez espera escrever nova história pelo título do Carioca

Por Marcio Nunes

O Campeonato Carioca Evangélico de Futebol Society 2017 chega à reta final trazendo em seu histórico muitos momentos de pura emoção. Foram viradas históricas, favoritos sendo eliminados pelo caminho, time jogando em desvantagem do empate e revertendo esta situação, entre outros. Pois bem, todos estes fatos marcantes coincidem com a trajetória de um dos times envolvidos nesta final: o Partidários.

A Trajetória:

Nunca é demais lembrarmos da difícil trajetória do time de Bento Ribeiro, zona norte do Rio, para chegar até aqui. A equipe passou por um processo de reformulação no fim da temporada passada e entrou neste campeonato buscando, o mais rápido possível, um entrosamento entre os novos jogadores. Em entrevistas anteriores o treinador Lázaro resumiu bem a situação do seu time, afirmando que “entraram no campeonato desacreditados e conseguiram evoluir muito coletivamente para chegar nesta final”. O trabalho do “professor” foi fundamental junto ao capitão e goleiro Rodrigo neste processo de reestruturação do elenco.

Após um início de torneio ruim, os Leões reagiram, buscaram a classificação na raça e chegaram à fase eliminatória exibindo um futebol que muitos duvidaram ser possível. Jogaram em desvantagem do empate em todas as partidas que precederam esta final, mas sempre conquistando vitórias com autoridade e disciplina tática. Nas oitavas de final fizeram um jogo muito equilibrado diante do Talentos da Fé, mas a classificação foi dramática com uma vitória por 2 x 1. A trave salvou o time no último lance do jogo e, certamente, ainda é lembrada pelos jogadores do Talentos. Nas quartas de final os azuis bateram o favorito, time do artilheiro do campeonato e que havia vencido todos os jogos, Ágape F7. Um jogo em que os representantes da Primeira Igreja Batista de Bento Ribeiro mostraram tudo o que tinham e conquistaram o respeito de seus adversários. Uma vitória por 4 x 3 em um jogo em que o Leão de Bento Ribeiro rugiu mais alto que o do Recreio. Na semifinal os garotos da zona norte tiveram mais tranquilidade para marcar oito vezes e vencer por 8 x 5 o Ousadia.

A Segunda Final:

Pela segunda vez em sua história, o Partidários chega à final do Carioca Evangélico. Na temporada passada o clube enfrentou o Missionários na grande decisão, mas o título não veio. Após uma partida muito equilibrada com um empate em 3 x 3, a disputa foi para os pênaltis e o troféu ficou com o time adversário que conquistou o bicampeonato. Para o jogo de sábado, Lázaro terá à disposição em seu plantel alguns nomes que estavam presentes naquela final e que marcaram os gols do time na ocasião: Di Maria, Keké e Juninho. Se contarmos com o Torneio de Verão do ano passado, quando perdeu a final também nos pênaltis para o CJRJ Team, essa é a terceira final da equipe.

O Estilo de Jogo:

Já não é mais segredo para ninguém o estilo de jogo imposto por Lázaro, mas mesmo assim os adversários não conseguem encontrar uma forma de vencer esta formação. Muito forte coletivamente, o Partidários tem muito talento individual em todas as posições do campo. Um goleiro que é um capitão e líder em campo, sempre organizando sua zaga, além de muita segurança embaixo das traves. Uma zaga compacta, que não dá espaços ao adversário, sabe se posicionar e, de quebra, marca sob pressão, sai para o jogo e sem deixar espaços.  É uma ótima dor de cabeça para o treinador. Uma linha de três no meio de campo fazendo a ligação com o ataque e abusando da precisão e da qualidade dos passes com jogadores habilidosos e com grande visão de jogo. Um ataque preciso e veloz que sabe a hora de finalizar, mas também sabe servir os companheiros para não desperdiçar as oportunidades, tendo, ainda, um contra-ataque muito perigoso. Por fim, o homem por trás de tudo isto: Lázaro. O treinador é respeitado por toda sua equipe e tem total controle de seu time. Sua leitura de jogo é um diferencial à parte, permitindo que corrija rapidamente seus jogadores em campo e explore o ponto fraco do adversário com mais facilidade. Incansável do início ao fim, o “professor” não se cala um minuto à beira do campo, dando muita dor de cabeça ao árbitro do jogo.

O que dizem os adversários:

Fizemos contato com cinco representantes de equipes que enfrentaram o Partidários neste campeonato. Foram eles: Mineiro, representante do Mendes; Jorge luíz, do Raridade; Luíz André, do Ousadia; Tiago, do Galáticos JS; Guilherme, do Talentos da .

Dificuldade de jogar contra o Partidários: Mineiro, Tiago e Guilherme destacaram o talento coletivo da equipe e o entrosamento. Jorge e Luiz André destacaram o setor defensivo e a forte marcação. No geral, a maioria citou o contra-ataque rápido e a qualidade do passe como pontos fortes do time.

“A maior dificuldade é não deixar eles jogarem. Se deixar eles jogarem, trocarem passes eles vão na cara do gol. Se der espaço, é fatal”Mineiro, representante do Mendes FC.

Destaque Individual: Para Luiz André e Guilherme, o “xerifão” da zaga, Mazinho, é o destaque do time. Tiago aposta em Juninho como homem de referência. O goleiro Rodrigo foi lembrado por Jorge Luiz e Mineiro, sendo que o segundo destacou ainda Di Maria como diferencial em campo.

Caminho para a vitória? Tiago, representante do Galáticos JS, único time que conseguiu derrotar o Partidários neste campeonato, afirmou que o caminho para derrotar Lázaro e companhia é não deixar Juninho e Di Maria jogarem. Mas deixou claro que quando as equipes se enfrentaram a situação era bem diferente da atual.

“A ideia é não deixar o Juninho e nem o Lucas “Di Maria” jogarem e, quando tiverem oportunidades, matar o jogo”Tiago, representante do Galáticos JS.

Palpites para a final: Os representantes do Ousadia e do Galáticos JS (que já enfrentou os dois finalistas este ano) preferiram se abster do palpite, mas deixaram claro que será um grande jogo. Mineiro arriscou um placar de 4 x 2 favorável ao Partidários. Guilherme, que enfrentou as duas equipes este ano com o Talentos da , aposta nos Leões, mas não arriscou um placar. O representante do Raridade acredita em um jogo muito equilibrado e difícil de cravar um vencedor, mas vê uma pequena vantagem para o Israel da Bola, coletivamente falando.

Partidários

Formação de Jogo: 2-3-1

Time Base: Rodrigo (C); Keké e (Mazinho ou Bolt); Marcelinho, Juninho e Di Maria; Will.

Treinador: Lázaro Maximiano.

Estilo de Jogo: Marcação forte sob pressão e contra-ataque rápido.

Avaliação Individual:

Rodrigo

Líder em campo, orienta o posicionamento da defesa. Tem como característica principal o corpo à corpo, fechando o ângulo e dando combate ao atacante adversário.

Principal Atributo: Reação. Sai rápido do gol para interceptar o ataque adversário.

Keké

É um zagueiro alto e que diminui os espaços do adversário. Sua principal característica é a marcação sob pressão, não dando espaço para o adversário pensar ou agir de forma rápida.

Principal Atributo: Antecipação. Devido ao seu excelente tempo de bola, consegue calcular a jogada e se antecipar ao adversário, interceptando a jogada.

Mazinho

O “xerife” da zaga. Suas principais características são sua garra dentro de campo, sua segurança e frieza para sair jogando e seus avanços pelas laterais, empurrando o time ao ataque.

Principal Atributo: Marcação. Sua marcação inteligente não permite que o oponente avance, possibilitando a chegada de um companheiro para tentar o desarme.

Bolt

Tem ótimo condicionamento físico. Sua principal característica é a velocidade, dando ainda mais efetividade aos contra-ataques.

Principal Atributo: Aceleração. Dificilmente será vencido na corrida, tendo mais facilidade para atingir picos de velocidade.

Marcelinho

Jogador muito técnico. Uma característica de seu estilo de jogo é chegar bem no ataque, dando suporte aos atacantes.

Principal Atributo: Finalização. Muita qualidade e técnica nas finalizações tornam este jogador uma ameaça em chutes de média e longa distância.

Juninho

O “maestro” do time. Sua principal característica é a distribuição do jogo. Quase todas as jogadas passam por ele.

Principal Atributo: Passe. Passes precisos de curta ou longa distância permitem uma melhor distribuição das jogadas. Coloca a bola onde quiser.

Di Maria

Um jogador com muitas qualidades e diferenciais em campo. Suas principais características são justamente seu chute forte e seus avanços pela direita.

Principais Atributos: Drible e Finalização. Um Jogador arisco em campo com facilidade em driblar a defesa. Sua finalização é precisa e forte.

Will

Jogador inteligente. Sua principal característica é a leitura do jogo, pois sabe a hora de finalizar e a hora de dar um passe e colocar um companheiro na cara do gol.

Principal Atributo: Posicionamento. Todo bom pivô que se preze deve saber se posicionar em campo para ficar disponível e em condições de receber um passe.

O Treinador

Lázaro

Cobra nos treinos com a mesma intensidade e seriedade que nos jogos. Uma filosofia do treinador é que “se não consegue render nos treinos, dificilmente vai render nos jogos”. Participa ativamente da partida com seus tradicionais gritos à beira do campo exigindo o melhor de seus jogadores. Geralmente sobra para o árbitro, também.

Principal Atributo: Leitura do Jogo. Sempre sabe o que fazer de acordo com a postura do time adversário. Tem essa capacidade de perceber onde seu time está errando e corrigir rapidamente e qual o ponto fraco do oponente para explorar e vencer a partida.

Artilheiro do Time: Will – 12 Gols.

Garçom do Time: Juninho – 8 Assistências.

A decisão já tem local, data e hora marcada. No próximo sábado, dia 8 de Julho de 2017, às 12:20h no campo do Pau Ferro, será dado o pontapé inicial para conhecermos o grande campeão da 4ª edição do Carioca Evangélico. Duas equipes que representam igrejas Batistas diferentes. Duas equipes da zona norte da cidade. NÃO PERCAM!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *